Banca de DEFESA: JULIANA DE MORAIS PERES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JULIANA DE MORAIS PERES
DATA : 22/02/2019
HORA: 10:00
LOCAL: Auditório do Laboratório de Psicologia
TÍTULO:

Resiliência e trauma na trajetória de três gerações de mulheres do Coque, Recife-PE


PALAVRAS-CHAVES:

Resiliência, trauma, mulher, periferia, geração.


PÁGINAS: 152
RESUMO:

A resiliência pode ser compreendida como processo intersubjetivo, relacionado à capacidade de retomar o desenvolvimento após o encontro com situações traumáticas. O trauma (ou situação traumática) é impacto externo que perturba o universo psíquico, enquanto o traumatismo é a sua representação e consequência internas. A resiliência é, neste trabalho, instrumento para a compreensão das vivências de mulheres de periferia de forma não determinista, sem negar as adversidades, mas voltando o olhar para construções de perspectivas de enfrentamento das incongruências sociais. Assim, este estudo teve como objetivo compreender de que forma traumatismos e resiliência perpassam a trajetória de vida de três gerações de mulheres da comunidade do Coque, Recife-PE. A pesquisa, de cunho qualitativo, teve como quadro teórico a Psicologia Transpessoal, em abordagem de Pesquisa Orgânica. As participantes foram 9 mulheres moradoras do coque, sendo 3 avós, 3 mães e 2 filhas, oriundas de 3 diferentes famílias. Foram utilizados diário de pesquisa e entrevista narrativa. A análise se pautou na hermenêutica. Na geração 1, os traumas se relacionaram a violências diversas, e a resiliência à espiritualidade, ao trabalho e às relações familiares e comunitárias. Na geração 2, as relações familiares foram base para trauma e resiliência. Como trauma, também a violência. A resiliência ainda se alicerçou nas relações comunitárias e espiritualidade. Na geração 3, os traumas estão relacionados à violência de gênero, preconceito e bullying, enquanto a resiliência baseia-se na consciência e ação políticas, família e amizades. Em todas as gerações, o Coque ora é tomado pela violência, ora pela potencialidade, com base nas relações, em especial entre mulheres. Propõe-se um entendimento integral do processo resiliente nas mulheres de periferia, considerando que os resultados apontam para uma construção subjetiva, relacional, social, cultural e espiritual.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1149551 - GEORGIA SIBELE NOGUEIRA DA SILVA
Interna - 426721 - MARIA TERESA LISBOA NOBRE PEREIRA
Externo ao Programa - 2704485 - MARLOS ALVES BEZERRA
Externo à Instituição - AURINO LIMA FERREIRA - UFPE
Notícia cadastrada em: 05/02/2019 10:27
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa07-producao.info.ufrn.br.sigaa07-producao