Banca de DEFESA: KARINA DANIELLY CAVALCANTI PINTO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : KARINA DANIELLY CAVALCANTI PINTO
DATA : 08/02/2018
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório do Laboratório de Psicologia
TÍTULO:

ESTRATÉGIAS DE ENFRENTAMENTO E QUALIDADE DE VIDA EM PACIENTES TRANSPLANTADOS RENAIS


PALAVRAS-CHAVES:

Qualidade de vida; Estratégias de enfrentamento; Transplante renal, Adulto.


PÁGINAS: 113
RESUMO:

O transplante renal é um procedimento cirúrgico que consiste na reposição de um rim saudável do doador no receptor, esta terapêutica objetiva uma melhor qualidade de vida (QV), porém não representa a cura do doente renal terminal. Após a cirurgia, o receptor precisa se adequar ao uso de imunossupressores e as constantes avaliações do estado de saúde. Além disso, passa a conviver com a possibilidade de complicações clínicas e com o temor de rejeição do enxerto renal. As vivências citadas são potenciais disparadores de ansiedade e angústia, ordenando ao paciente, adaptação diante das exigências do próprio tratamento. O manejo inadequado de estressores após transplante, pode se tornar barreira na efetivação dos benefícios desta terapêutica. Há neste sentido, necessidade de se identificar nos pacientes pós-transplantados às estratégias de enfrentamento lançadas diante das adversidades do tratamento e a relação destas com a QV. Objetivou-se deste modo, avaliar a qualidade de vida e as estratégias de enfrentamento em pacientes transplantados renais. Participaram do estudo, 150 transplantados que realizam acompanhamento ambulatorial no Hospital Universitário Onofre Lopes. Para avaliação dos pacientes utilizou-se os seguintes instrumentos: questionário sociodemográfico, o instrumento Whoqol-Bref e a Escala Modos de Enfrentamento de Problemas. A análise dos dados se fundamentou na estatística descritiva e inferencial. Os resultados apontaram adequados níveis de satisfação com a saúde e QV global. Com referência ao uso das estratégias de enfrentamento, identificou-se que o modo de enfrentamento voltado à religiosidade/pensamentos fantasiosos, seguido pela estratégia de enfrentamento centrada no problema, foram os mais utilizados pelos transplantados. Quanto às correlações entre os construtos investigados, identificou-se correlações positivas entre o uso da estratégia focalizada no problema e os domínios da QV e correlações negativas entre a estratégia focalizada na emoção e os domínios avaliados pelo Whoqol-Bref.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 347027 - EULALIA MARIA CHAVES MAIA
Externo ao Programa - 2410419 - LUCIANA CARLA BEZERRA MACHADO
Externo à Instituição - RODRIGO DA SILVA MAIA - UNIFACEX
Notícia cadastrada em: 16/01/2018 08:08
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa03-producao.info.ufrn.br.sigaa03-producao