Banca de DEFESA: MARIANA FONSECA CAVALCANTI

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MARIANA FONSECA CAVALCANTI
DATA : 23/08/2017
HORA: 09:00
LOCAL: Laboratório de Psicologia
TÍTULO:

UMA ANÁLISE SOBRE O DISCURSO DA REDUÇÃO DA IDADE PENAL NO TELEJORNAL POLICIAL


PALAVRAS-CHAVES:

telejornal policial; maioridade; idade penal; criminalização.


PÁGINAS: 131
RESUMO:

A redução da maioridade penal tornou-se uma discussão urgente na sociedade, sobretudo após a admissibilidade e aprovação de diversas PEC's que visam a responsabilização penal dos adolescentes. Vale ressaltar que as propostas favoráveis à redução da idade penal emergem, posteriormente, a ocorrência de crimes que atingem grande repercussão nacional e comoção pública. Nesse sentido, o telejornalismo policial exerce um papel de destaque ao espetacularizar o ato infracional cometido por adolescentes e apontar a diminuição da idade de imputabilidade penal como solução para a criminalidade juvenil. Dentre os telejornais policiais, o Cidade Alerta se destaca ao fazer parte do cotidiano da população brasileira desde 1995 e ainda alcançar altos índices de audiência. Ressalta-se que este gênero do telejornal é responsável pela disseminação de ideais punitivistas que favorece a adesão à redução da idade penal. É justamente o discurso sobre a redução da maioridade penal que interessa, particularmente, este projeto de pesquisa que partirá do conteúdo das reportagens sobre adolescentes autores de atos infracionais transmitidas no site do telejornal policial Cidade Alerta. Portanto, a presente pesquisa tem como objetivo geral: analisar o discurso sobre a redução da idade penal no telejornal policial. Além dos objetivos específicos, tais como: caracterizar os (as) adolescentes autores (as) de atos infracionais expostos nas reportagens; identificar as causas atribuídas ao ato infracional e as soluções apresentadas para diminuir a violência, bem como investigar os argumentos utilizados para defender a redução da idade penal. Para compor o corpus desta pesquisa foram selecionados trinta e dois vídeos de reportagens sobre adolescentes autores (as) de atos infracionais transmitidos durante o ano de 2015.  Em seguida, foi realizada a transcrição e a análise das reportagens à luz de categorias temáticas. De modo geral, notou-se que o telejornal reproduz a seletividade punitiva ao priorizar a exposição de adolescentes negros e pobres como autores da violência. Além de fomentar a criminalização da pobreza, ao dirigir o clamor punitivo a este público. 


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1720819 - ILANA LEMOS DE PAIVA
Presidente - 1205730 - ISABEL MARIA FARIAS FERNANDES DE OLIVEIRA
Externo à Instituição - NELSON GOMES DE SANT''ANA E SILVA JUNIOR - UFPB
Notícia cadastrada em: 03/08/2017 09:30
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2017 - UFRN - sigaa14-producao.info.ufrn.br.sigaa14-producao