Banca de QUALIFICAÇÃO: RENATA MONTEIRO GARCIA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : RENATA MONTEIRO GARCIA
DATA : 21/07/2017
HORA: 14:00
LOCAL: Sala A- LabPsi
TÍTULO:

“SUA DOENÇA SUSTENTA UMA FAMÍLIA INTEIRA”: A ECONOMIA DA DIFERENÇA NAS POLÍTICAS DE ASSISTÊNCIA À INFÂNCIA.


PALAVRAS-CHAVES:

Infância, Patologização, Medicalização, Políticas de Assistência, Benefício de Prestação Continuada.


PÁGINAS: 100
RESUMO:

O objetivo geral do presente estudo é analisar as relações existentes entre o fenômeno

da multiplicação de diagnósticos de deficiência mental em crianças, a patologização da

infância e as políticas de proteção social à infância em um município do interior da

Paraíba. Nesse sentido, os objetivos específicos são: a) Identificar a população infantil

em idade escolar com diagnóstico de deficiência mental nos aspectos sócio-
demográficos, de inclusão escolar e de acesso ao BPC/LOAS; b) Caracterizar o

processo de elaboração do diagnóstico de deficiência mental: instituições responsáveis,

demandas, etapas, instrumentos utilizados e documentos produzidos; c) Relacionar o

perfil sócio-econômico, a trajetória de vida e os caminhos que a família da criança

diagnosticada com deficiência mental percorre junto aos setores, equipamentos e

serviços disponibilizados pelas políticas públicas vigentes; d) Analisar o fenômeno da

multiplicação dos diagnósticos de deficiência mental no município selecionado,

considerando contextos econômicos, políticos e culturais. Como percurso metodológico,

apostamos na pertinência de compor esta investigação com três procedimentos de

pesquisa: pesquisa documental, pesquisa de campo e diário de campo. Encerrada a

coleta de dados, as entrevistas serão transcritas e todas as informações, após leitura

exaustiva, serão categorizadas e postas em relação com o substrato teórico utilizado, de

forma a subsidiar a discussão desta tese. No tocante aos resultados, esperamos que as

reflexões desse trabalho possam contribuir com uma análise crítica a respeito da lógica

da patologização da infância localizando-a como uma estratégia de controle dos

comportamentos desviantes. Nesse sentido, questionar as políticas de assistência à

infância e suas implicações com a manutenção de um modelo de desigualdade social e

manutenção da ordem vigente.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ANA VLÁDIA HOLANDA CRUZ - DeVry Fanor
Externo ao Programa - 2086520 - CANDIDA MARIA BEZERRA DANTAS
Presidente - 1720819 - ILANA LEMOS DE PAIVA
Notícia cadastrada em: 11/07/2017 14:57
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2017 - UFRN - sigaa13-producao.info.ufrn.br.sigaa13-producao