Banca de DEFESA: LILIANE PEREIRA BRAGA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : LILIANE PEREIRA BRAGA
DATA : 28/04/2017
HORA: 09:00
LOCAL: VC 03 SEDE SINFO
TÍTULO:

Formação do vínculo pai-filho no puerpério: a construção de uma escala de verificação do apego em pais.


PALAVRAS-CHAVES:

Paternidade; Vínculo; Apego; Psicometria.


PÁGINAS: 197
RESUMO:

Uma das consequências da pouca atenção que se dá a saúde do homem é que ele não possui espaços

para falar sobre as situações de conflito, como tornar-se pai. Ademais, culturalmente, é atribuída aos

homens a função de manter-se estável emocionalmente e não expressar suas emoções. Tais fatores

contribuem para o adoecimento dos homens, sendo a depressão paterna a expressão mais atual do

cenário descrito. Faz-se necessária a realização de estudos com o público masculino, principalmente os

que permitam a verificação de fatores promotores da formação do vínculo pai-bebê, possibilitando

futuras intervenções de saúde pública que promovam tais fatores. A literatura científica sobre o apego

tem mostrado que esse vínculo atua como promotor do desenvolvimento saudável do bebê. A

formação de um vínculo entre o pai e o bebê já desde a gestação, principalmente no puerpério, permite

ao homem uma melhor preparação para o exercício da paternidade. O objetivo geral da investigação é

construir um instrumento de verificação do apego paterno durante o puerpério. Trata-se de uma

pesquisa multi-métodos, contendo métodos e análises qualitativa e quantitativa, em 3 estudos. No

Estudo 1 foram realizadas revisões integrativas sobre o conceito de apego e sobre os instrumentos de

avaliação do apego paterno no puerpério. No estudo 2 foram realizadas doze entrevistas em

profundidade com pais de distintas escolaridades para conhecer seu conceito de apego e os fatores que

acreditam ter contribuído para a formação desse vínculo. Os conteúdos das entrevistas foram tratados

pela Análise de Conteúdo clássica. Os conceitos de apego explicitados formaram duas categorias: na

primeira o apego foi definido como a necessidade de estar próximo ao filho e cuidar dele; na segunda o

apego foi definido como a expressão do afeto pelos filhos. Esses resultados sugerem que o apego

paterno ainda está vinculado às responsabilidades atribuídas à função paterna de cuidado no sentido da

provisão material. O estudo 2 dá base para construção teórica dos itens que compõem o instrumento e

sua adequação semântica. O estudo 3 analisa as propriedades psicométricas do instrumento elaborado,

e inicia com a submissão para avaliação de experts que validem o constructo apego presente no

instrumento. Foi realizada aplicação piloto do instrumento, e depois a aplicação da versão final do

instrumento com 228 pais em Maternidades de Natal/RN e do interior do estado. A análise fatorial

revelou itens com baixa carga fatorial, que foram excluídos, restando 31 itens ao final. O instrumento é

composto por dois fatores intitulados “Investimentos do pai no bebê” e “Atitudes, Sentimentos e

Expectativas dirigidos ao bebê”. As análises indicaram que o instrumento final possui boa consistência

interna. Indica-se a realização de estudos posteriores para verificação da validade de critério.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1753441 - CYNARA CARVALHO DE ABREU
Externo à Instituição - DIVANISE SURUAGY CORREIA - UFAL
Presidente - 347027 - EULALIA MARIA CHAVES MAIA
Externo ao Programa - 2882013 - ISABELLE KATHERINNE FERNANDES COSTA
Externo à Instituição - LUCIANA CARLA BARBOSA DE OLIVEIRA - UFRN
Notícia cadastrada em: 23/03/2017 09:36
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2017 - UFRN - sigaa11-producao.info.ufrn.br.sigaa11-producao