Banca de DEFESA: JULIA CARMO BEZERRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JULIA CARMO BEZERRA
DATA : 10/04/2017
HORA: 10:30
LOCAL: Laboratório de Psicologia
TÍTULO:

MODO DE ENFRENTAMENTO E APEGO MATERNO-FETAL EM GESTANTES DE ALTO RISCO: UM ESTUDO COMPARATIVO


PALAVRAS-CHAVES:

Gravidez de alto risco; adaptação psicológica; relações materno-fetais.


PÁGINAS: 90
RESUMO:

A gravidez de risco pode levar a um desenvolvimento inadequado para o concepto e/ou a mãe, podendo provocar um impacto na vinculação da díade mãe-bebê, visto que as expectativas da mãe são frustradas e substituídas pelo temor de uma gestação diferente da esperada e o bebê real pode se apresentar diferente do idealizado por ela. Esses temores estão presentes em maior ou menor grau na saúde psíquica de toda gestante, podendo provocar sintomas de estresse e ansiedade. Assim, essas mães podem se utilizar de diferentes estratégias de enfrentamento para se adaptar e superar essa situação de risco. Neste sentido, objetivou-se investigar se há diferença no modo de enfrentamento e apego materno fetal em gestantes de alto risco e gestantes de baixo risco. Participaram do estudo 169 grávidas, sendo 120 de alto risco atendidas no ambulatório da Maternidade Escola Januário Cicco; e 49 de baixo risco, que realizam pré-natal nas Unidades Básicas de Saúde. Estas responderam a um questionário com dados sociais, demográficos, psicológicos e de saúde; a Escala de Apego Materno-Fetal, que investiga os comportamentos que a mulher desenvolve durante a gravidez na preparação para o nascimento de seu bebê; e a Escala de Modos de Enfrentamento de Problemas. Para a análise dos dados foi realizada estatística descritiva e inferencial. Não houve diferença estatística na variável de apego materno-fetal entre os grupos investigados, contudo houve diferença estatisticamente significativa (p<0,001) na variável “estratégias de enfrentamento” quando comparadas entre os grupos de baixo e alto risco, sendo esta maior no grupo de baixo risco. Estes sugerem que quanto menor o risco gestacional, maior as estratégias que as gestantes se utilizam para superar o estresse e ansiedade na gestação.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 347027 - EULALIA MARIA CHAVES MAIA
Externo à Instituição - LUCIANA CARLA BARBOSA DE OLIVEIRA - UFRN
Externo à Instituição - MARIA AURELINA MACHADO DE OLIVEIRA - UFPI
Notícia cadastrada em: 22/02/2017 15:01
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2017 - UFRN - sigaa08-producao.info.ufrn.br.sigaa08-producao