Banca de DEFESA: LEDA MENDES PINHEIRO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : LEDA MENDES PINHEIRO
DATA : 02/02/2017
HORA: 15:00
LOCAL: Laboratório de Psicologia
TÍTULO:

ANÁLISE ARQUEGENEALÓGICA DA CASA DE SAÚDE SANTA TERESA: ABERTURA, MANUTENÇÃO E FECHAMENTO DE UM HOSPITAL PSIQUIÁTRICO


PALAVRAS-CHAVES:

Hospital Psiquiátrico; Arqueologia; Genealogia; Saúde Mental; Atenção Psicossocial.


PÁGINAS: 167
RESUMO:

A história da loucura no Brasil é indissociável da história dos hospitais psiquiátricos, uma vez

que a organização das cidades e sua higiene, pautadas nos moldes franceses do século XIX

dependiam dessas instituições para a manutenção da ordem social. As casas de internamento

tinham o princípio de instituir organização à sociedade capitalista e burguesa nascente, dando

abrigo a loucos, mendigos, prostitutas e todos aqueles que pusessem em risco o projeto de

desenvolvimento em curso, atendendo também ao ideal caritativo, um dos pilares da

sociedade da época. A região do Cariri cearense contou com a existência de um hospital

psiquiátrico, a Casa de Saúde Santa Teresa, que funcionou desde a década de 1970 até o ano

de 2016. Sua inauguração não foi uma aleatoriedade, mas fruto de formações discursivas

específicas e relações de saber e poder que constituíram o alicerce para que o hospital abrisse

suas portas na região, bem como para se manter em funcionamento até o ano de 2016. O

objetivo desse trabalho é construir uma análise arquegenealógica da história da Casa de Saúde

Santa Teresa. Para tanto propõe-se a trabalhar com análise de jornais, revistas e fotografias

ilustrativas referentes à instituição, os quais possibilitam a preservação da memória de uma

época e povo, mas especialmente o reconhecimento das forças de sustentação dessa

instituição. Foram consultadas além de duas publicações jornalísticas importantes do Cariri

cearense (jornal A Ação e revista Itaytera – de 1963 a 1990), os jornais O povo, Diário do

Nordeste e Jornal do Cariri (1990 a 2016). As imagens foram divididas em três blocos de

tempo, a saber: 1900 a 1970, quando da abertura do hospital; 1970-1990, anos de abastado

funcionamento da Casa de Saúde e 1990-2016, período de tensões e fechamento do hospital.

Nessas mesmas fontes documentais, buscou-se dados para a contextualização econômica,

política e cultural do município do Crato, no intuito de articular a história e os discursos

acerca do hospital com as produções políticas e culturais. O resultado consiste numa análise

arquegenealógica da história de um hospital psiquiátrico localizado no sul do Ceará, contada

através de notícias de jornais, revistas e fotografias ilustrativas, apontando as relações de

saber e poder da lógica psiquiátrica manicomial como mecanismo de exclusão, bem como

possibilitando análise da desconstrução do modelo hospitalocêntrico no Brasil enquanto

resultado do movimento de Reforma Psiquiátrica.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1744558 - JADER FERREIRA LEITE
Externo à Instituição - LIÉGE UCHÔA AZEVEDO DE RAAÚJO - SES-PB
Interno - 1293170 - MAGDA DINIZ BEZERRA DIMENSTEIN
Externo à Instituição - MARIANA TAVARES CAVALCANTI LIBERATO - UFC
Notícia cadastrada em: 02/12/2016 08:30
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2017 - UFRN - sigaa06-producao.info.ufrn.br.sigaa06-producao