Banca de DEFESA: SHIRLEY DE FIGUEIREDO MEDEIROS RÊGO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : SHIRLEY DE FIGUEIREDO MEDEIROS RÊGO
DATA : 04/11/2016
HORA: 10:00
LOCAL: Auditório C CCHLA
TÍTULO:

(RE)CONTANDO HISTÓRIAS: RELATOS AUTOBIOGRÁFICOS DE MULHERES, VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA, ABRIGADAS EM NATAL/RN


PALAVRAS-CHAVES:

Violência doméstica, mulheres abrigadas, relatos autobiográficos, casa-abrigo, oficinas.


PÁGINAS: 140
RESUMO:

A presente pesquisa tem como contexto a violência doméstica contra a mulher. Essa é entendida como qualquer ação que cause morte, dano ou sofrimento físico, sexual ou psicológico, ocorrida no ambiente doméstico, ou ainda praticada por cônjuge, companheiro, amante ou ex-namorados, fora desse ambiente. Constitui uma grave violação de direitos humanos com sérias consequências para a saúde física e emocional da mulher. As estatísticas mostram que, apesar dos avanços nesse campo, ainda é alto o número de pessoas que vivem nessa condição. Tais números evidenciam a necessidade de contínuas discussões na busca de estratégias e políticas para a prevenção e o enfrentamento dessa forma de violência, bem como para o apoio à mulher agredida. Para subsidiar tais reflexões, é preciso conhecer melhor quem são as mulheres que vivem nessa situação, perguntar o que é importante para elas, o que pensam sobre a condição em que vivem, quais são seus desejos e sonhos. Tal escuta significa ir além de uma prática assistencialista, uma vez que lhes concede um lugar diferente do de vítimas, considerando-as como sujeitos que podem dizer de si. Dessa forma, trata-se de um estudo qualitativo, que busca compreender os relatos autobiográficos de mulheres, vítimas de violência doméstica, abrigadas na Casa Abrigo Clara Camarão, em Natal/RN, com o intuito de construir dados sobre esses sujeitos. O acesso às narrativas se deu através da realização de oficinas, nas quais foram utilizados escritos, desenhos e/ou recortes de revistas escolhidos pelas mulheres, para disparar a fala sobre suas histórias. Após a produção dos relatos, o material das oficinas foi analisado através da hermenêutica gadameriana – que se vale da linguagem no centro da experiência do sujeito com o outro, dentro de uma historicidade demarcada pelo tempo e espaço – em articulação com a perspectiva relacional sobre a violência doméstica. A análise ressaltou a importância que os companheiros ocupam na vida das mulheres, destacando a dificuldade que elas apresentam para romper com a situação de violência e para articular estratégias que viabilizem mudanças em suas vidas.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2704485 - MARLOS ALVES BEZERRA
Interno - 106.488.444-04 - ELZA MARIA DO SOCORRO DUTRA - USP
Externo à Instituição - AURINO LIMA FERREIRA - UFPE
Notícia cadastrada em: 25/10/2016 10:43
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2017 - UFRN - sigaa14-producao.info.ufrn.br.sigaa14-producao