Banca de DEFESA: DANIELLE FERREIRA GARCIA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : DANIELLE FERREIRA GARCIA
DATA : 29/08/2016
HORA: 14:00
LOCAL: Laboratório de Psicologia
TÍTULO:

CARACTERIZAÇÃO DO PERFIL NEUROPSICOLÓGICO, ACADÊMICO E COMPORTAMENTAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES SOBREVIVENTES DE TUMORES DE FOSSA POSTERIOR



PALAVRAS-CHAVES:

tumores de fossa posterior; mutismo cerebelar; neurodesenvolvimento; avaliação neuropsicológica; transtorno não-verbal de aprendizagem.



PÁGINAS: 250
RESUMO:

A neuropsicologia é um campo de pesquisa que investiga as relações entre cognição, comportamento e atividade do sistema nervoso central (SNC) em condições normais ou patológicas. Seu papel vem sendo reconhecido como possibilidade de resposta às demandas de investigação e intervenção em situações de lesões e/ou disfunções cerebrais, dentre as quais o câncer infantil vem surgindo como importante foco de atenção. Tal interesse decorre das seguintes razões: 1) a incidência de câncer infantil no Brasil é de aproximadamente 12.000 casos anuais, sendo o sistema nervoso central a região de maior incidência de tumores sólidos; 2) a implicação direta dos tumores e de seus tratamentos sobre a organização e o funcionamento do SNC e; 3) aumento da sobrevida e necessidade de garantir a qualidade de vida após a cura da doença. Em conjunto, tais fatores vêm se traduzindo em esforços voltados para a compreensão, prevenção e/ou minimização dos prejuízos ao neurodesenvolvimento, uma vez que é crescente o reconhecimento da presença de sequelas resultantes da lesão tumoral e da neurotoxicidade do tratamento anti-neoplásico direcionado ao SNC. Esta realidade é ainda mais preocupante em localidades distantes dos grandes centros urbanos brasileiros, nas quais a população enfrenta adicionalmente a precariedade no acesso a serviços de educação e saúde, o que por sua vez pode ocasionar atrasos no diagnóstico, agravamento do estado da criança e a necessidade de tratamentos mais agressivos que, embora mais eficazes, comprometem mais intensamente o desenvolvimento das estrurturas nervosas. Nesse sentido, o objetivo do presente estudo é investigar o funcionamento neuropsicológico, acadêmico e comportamental de crianças e adolescentes sobreviventes de tumores de fossa posterior nos estados brasileiros do Rio Grande do Norte e da Paraíba. A presente proposta foi inicialmente subdividida em dois estudos: 1) Caracterização da capacidade intelectiva de pacientes pediátricos diagnosticados com tumores de fossa posterior e; 2) Alterações neuropsicológicas em crianças sobreviventes de tumores de fossa posterior à luz do modelo do Transtorno Não-Verbal de Aprendizagem. Participaram dos estudos 40 sujeitos com idades entre seis e 16 anos, divididos em três subgrupos: G1) 10 crianças e adolescentes diagnosticados com astrocitoma pilocítico de fossa posterior e tratados através de neurocirurgia; G2) 10 crianças e adolescentes com meduloblastoma de fossa posterior tratados com cirurgia de ressecção, quimioterapia sistêmica e radioterapia crânio-espinhal e; 3) 20 crianças e adolescentes sem histórico de alterações neurológicas ou psiquiátricas, que compuseram grupo controle espelhado segundo as características sócio-demográficas das crianças dos grupos clínicos. Os participantes foram submetidos a uma bateria de avaliação neuropsicológica composta por instrumentos que investigam domínios cognitivos, afetivos e comportamentais, cujos resultados foram analisados através de ferramentas de análise estatística descritiva multidimensional de tipo cluster a partir do tipo de tratamento realizado e do resultado nos instrumentos avaliativos.  No que diz respeito ao estudo 1, a referida análise efetuou a partição da amostra em dois subgrupos, os quais revelaram que os participantes cujos resultados em todos os domínios intelectivos estiveram abaixo da média esperada pertencem majoritariamente ao grupo de participantes submetidos a radioterapia de crânio e neuroeixo. Além da presença do tratamento radioterápico, os escores de QI Total, Índice Velocidade de Processamento e Índice Compreensão Verbal se destacaram enquanto principais determinantes da partição do grupo, indicando consistência teórica com estudos anteriores que apontam a capacidade intelectiva global e a velocidade de processamento como principais marcadores distais resultantes dos efeitos desmielinizantes promovidos pela radioterapia sobre o cérebro em desenvolvimento. Este resultado motivou a realização do estudo 2, cujo principal objetivo foi a realização de uma interpretação clínica dos dados em direção à proposição de um modelo conceitual capaz de explicar tanto os efeitos adversos da radioterapia sobre o cérebro em desenvolvimento, quanto o desdobramento de tais efeitos em um perfil neuropsicológico típico a quadros de alterações de substância branca na infância. Para o alcance deste objetivo, partiu-se de dois modelos conceituais específicos, a saber: 1) o modelo do Transtorno Não-Verbal de Aprendizagem (TNVA) de Rourke e; 2) O modelo conceitual de cascata de Palmer. Tais modelos se aproximam na medida em que ambos consideram as alterações na substância branca como o principal disparador das importantes alterações cognitivas, em geral concentradas no domínio não-verbal. Os resultados obtidos neste estudo a partir de análise de cluster apontam para a emergência de um fenótipo neuropsicológico típico ao quadro de lesão desmielinizante produzido pelo meduloblastoma e seu tratamento, cujas características se revelam bastante semelhantes ao modelo do TNVA de Rourke, ao mesmo tempo em que o seu desdobramento temporal ao longo do curso maturacional encontra respaldo no modelo proposto por Palmer, produzindo uma cascata de alterações cognitivas que produzem seus efeitos na direção inversa à que ocorre em crianças em desenvolvimento típico. Espera-se que os resultados deste trabalho contribuam para oferecer melhor compreensão da natureza e extensão do impacto do diagnóstico e tratamento dos tumores de fossa posterior sobre o desenvolvimento cognitivo e sócio-afetivo dos participantes, que possam servir a profissionais de saúde, educação e familiares que os assistem. Portanto, pretende-se fornecer dados que subdisiem a proposição de tratamentos eficazes e menos danosos ao SNC e o desenvolvimento de programas de intervenção que minimizem os seus impactos adversos, garantindo a essas crianças a expressão plena de seu potencial de desenvolvimento.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1298984 - CLARA MARIA MELO DOS SANTOS
Externo à Instituição - CLAUDIA BERLIM DE MELLO - UNIFESP
Externo à Instituição - Christian Diniz Ferreira - UFPB
Presidente - 1321136 - IZABEL AUGUSTA HAZIN PIRES
Externo ao Programa - 1168479 - NEUCIANE GOMES DA SILVA
Externo ao Programa - 6350812 - SYMONE FERNANDES DE MELO
Notícia cadastrada em: 15/08/2016 17:13
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2017 - UFRN - sigaa06-producao.info.ufrn.br.sigaa06-producao