Banca de DEFESA: DEMETRIUS LOPES DE ABREU

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : DEMETRIUS LOPES DE ABREU
DATA : 30/06/2016
HORA: 08:30
LOCAL: Auditório do Laboratório de Psicologia
TÍTULO:

Das ações coletivas de junho de 2013 ao (ciber)ativismo brasileiro: um estudo sobre os processos de subjetivação políticos do movimento Fora do Eixo


PALAVRAS-CHAVES:

Ações coletivas, ativismo político, processos de subjetivação


PÁGINAS: 160
RESUMO:

No ano de 2013 percebemos os ecos socioinformacionais das manifestações ocorridas pelo mundo, também promovemos ações coletivas que assumiram caráter de massa. São elas o pano de fundo do trabalho. Dentre os atores sociais que se destacaram em 2013 escolhemos o Fora de Eixo (FdE), que transmitiu pela mídia NINJA os protestos através da internet. O FdE é composto em sua maioria por jovens que moram, trabalham e circulam por casas coletivas, tem nas tecnologias informacionais uma ferramenta muito presente em seu ativismo político. Entendemos que a vivência do ativismo político é um forte vetor nos processos de subjetivação e ocorre principalmente dentro dos movimentos sociais. Abordaremos a subjetividade sobre o prisma da processualidade, que admite o atravessamento de múltiplos vetores de forças político-desejantes, discursivas, tecnológicas. O corpo teórico do trabalho transversaliza o pensamento de Deleuze e Guattari para tratar dos processos de subjetivação, a concepção de redes de movimentos sociais de Scherer, redes socioinformacionais de Castells, e o político no pensamento de Mouffe. Tivemos como objetivo investigar os processos de subjetivação relativos ao ativismo político vivenciado pelos integrantes do movimento FdE, assim como compreender suas redes de solidariedade e luta, entender a influência dos agenciamentos informacionais nas práticas políticas deste movimento, acompanhar os processos de subjetivação e formação identitária, e discutir sua proposta de horizontalidade nas relações de poder dentro do grupo. Realizamos entrevistas semiestruturadas, observação participante e pesquisa do material multimídia. A análise ocorreu por meio da categorização das informações alinhada aos objetivos da pesquisa, na qual separamos as informações em duas categorias gerais e três específicas. Sucintamente, observamos quanto aos agenciamentos socioinformacionais, que transitam mais pelos norteadores ético-político da cultura digital, do que propriamente por uma imersão tecnologicista, demonstram uma grande flexibilidade e integração de suas redes internas, porém com pouca descentralização e horizontalidade. 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1744558 - JADER FERREIRA LEITE
Externo à Instituição - MARCO AURÉLIO PRADO - UFMG
Interno - 2704485 - MARLOS ALVES BEZERRA
Notícia cadastrada em: 17/06/2016 09:59
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2017 - UFRN - sigaa05-producao.info.ufrn.br.sigaa05-producao