Banca de QUALIFICAÇÃO: LILIANE PEREIRA BRAGA



Uma banca de QUALIFICAÇÃO DE DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.

DISCENTE: LILIANE PEREIRA BRAGA
DATA: 01/12/2015
HORA: 08:30
LOCAL: Laboratório de Psicologia – Sala Azul
TÍTULO:

formação do vínculo pai-filho no puerpério: a construção de uma escala de verificação do apego paterno.


RESUMO:

Uma das consequências da pouca atenção que se dá a saúde do homem é que ele não possui espaços para falar sobre as situações de conflito, como é, por exemplo, o tornar-se pai. Além disso, culturalmente, é atribuída aos homens a função de manter-se estável emocionalmente e não expressar suas emoções. Todos esses fatores contribuem para o adoecimento dos homens, sendo a depressão paterna a expressão mais atual de todo o cenário descrito acima. Diante de tudo isso, faz-se necessário a realização de estudos com o público masculino, principalmente de estudos que permitam a verificação de fatores promotores da formação desse vínculo pai-bebê, possibilitando futuras intervenções de saúde pública no sentido de promover tais fatores. O apoio social têm se mostrado o principal fator associado a formação do vínculo pai-bebê, o que nos revela que o homem necessita que a sua família de origem e sua parceira o reconheçam como capaz de cuidar da criança que está por vir, e construam uma atmosfera em que ele se sinta seguro para expressar suas emoções, mesmo que ambivalentes, assim como ocorre para a mãe. A literatura científica sobre o apego tem mostrado, ao longo dos anos, que este vínculo atua fortemente como promotor do desenvolvimento saudável do bebê. Além disso, a formação de um vínculo entre o pai e o bebê já desde a gestação, e principalmente no puerpério, permite ao homem uma melhor preparação para o exercício da paternidade. O objetivo geral da investigação é construir um instrumento de verificação do apego paterno durante o puerpério, a partir do conceito de apego dos entrevistados e fatores socioeconômicos, do relacionamento do casal e da história da gravidez relacionados com a formação do apego paterno no referido período. Trata-se de uma pesquisa multi-métodos, contendo métodos e análises qualitativa e quantitativa, em 3 estudos. A presente exposição se refere ao primeiro estudo, que se refere às revisões integrativas sobre o conceito de apego e sobre os métodos de avaliação do apego paterno no puerpério. Apresenta-se aqui também parte do segundo  estudo, no qual foram realizadas doze entrevistas em profundidade com pais de distintas escolaridades para conhecer seu conceito de apego e os fatores que acreditam ter contribuído para a formação desse vínculo. Os conteúdos das entrevistas foram tratados pela Análise de Conteúdo de Bardin. Nesta etapa, observou-se que os conceitos de apego explicitados nas entrevistas formaram duas distintas categorias. Chegaram-se a essas duas categorias a partir da aparição de índices similares em discursos semelhantes. Na primeira delas, a palavra “cuidar” foi o termo índice, caracterizando a definição de apego pelos sujeitos entrevistados como a necessidade de estar próximo ao filho e cuidar dele. Em outra categoria de análise, o apego foi definido como a expressão do afeto pelos filhos, tendo como termos índice dessa categoria as palavras “amor” e “carinho”. Esses resultados sugerem que o apego paterno ainda está vinculado às responsabilidades atribuídas à função paterna de cuidado no sentido da provisão material. O segundo estudo consiste na construção teórica dos itens que compõem o instrumento e sua adequação semântica, etapa já realizada. Porém, para finalização do segundo estudo é necessário ainda realizar a verificação de validade do Instrumento, submetendo-o para avaliação de experts que validem o constructo apego presente no instrumento. Após essa etapa será realizada uma aplicação piloto do instrumento com a população-alvo para avaliar a compreensão dos itens, a forma de resposta e a organização geral do instrumento. Ao final do segundo estudo será realizada a aplicação da versão final do instrumento com 220 pais em Unidades Básicas de Saúde ou em seus domicílios, a partir de indicações das agentes de saúde comunitária de cada território. O terceiro estudo versará sobre as características de evidência de validade do instrumento.


PALAVRAS-CHAVE:

Paternidade; Apego; Puerpério; Escala


PÁGINAS: 80
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Psicologia

MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 347027 - EULALIA MARIA CHAVES MAIA
Interno - 1519736 - TATIANA DE LUCENA TORRES
Externo ao Programa - 2882013 - ISABELLE KATHERINNE FERNANDES COSTA
Notícia cadastrada em: 13/05/2016 11:55
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2017 - UFRN - sigaa02-producao.info.ufrn.br.sigaa02-producao