Banca de QUALIFICAÇÃO: KEYLA MAFALDA DE OLIVEIRA AMORIM

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: KEYLA MAFALDA DE OLIVEIRA AMORIM
DATA: 09/11/2015
HORA: 15:00
LOCAL: Sala Azul-LabPsi
TÍTULO:

POLÍTICA CIENTÍFICA BRASILEIRA E SUAS EXPRESSÕES NA ÁREA DA PSICOLOGIA


PALAVRAS-CHAVES:

Política científica e tecnológica, Estado, Ciência (aspectos sociais), Pesquisa científica - Psicologia, Indicadores científicos, Responsabilidade social.


PÁGINAS: 80
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Psicologia
RESUMO:

A política científica brasileira tem valorizado cada vez mais a inovação, o desenvolvimento tecnológico, o aumento de indicadores de titulação, publicação e patentes, e a setorização de investimentos para o sistema produtivo, figurando uma lógica de ciência cada vez mais atrelada à reprodução do capital, ao mesmo passo em que recua a sua função social para as necessidades humanas. Das consequências para as condições de produção do conhecimento, destacam-se a valorização de uma concepção hegemônica de ciência, a centralidade das métricas na publicação científica e a intensificação do trabalho docente. Na Psicologia, área cujo crescimento da pós-graduação, fórum privilegiado de produção de conhecimento da área, tem ocorrido em ritmo acelerado, essa lógica e suas implicações têm sido alvo de um conjunto de debates. Nesta tese, objetiva-se discutir a configuração atual da política científica brasileira e seus rebatimentos na área da Psicologia. Para isso, conta com dois conjuntos de informações de caráter eminentemente documental. Primeiro, para elaborar um quadro atual da política científica no Brasil, são analisadas fontes oficiais de âmbito federal sobre indução à pesquisa. Segundo, para analisar as particularidades da política científica na área da Psicologia, são cotejados documentos que regem a avaliação dos programas de pós-graduação e dos fóruns de discussão sobre política científica na área, cujas informações são complementadas com diários de campo dos eventos Horizontes da Psicologia e entrevistas a gestores nas agências de fomento à pesquisa. A análise desse material auxiliará a avaliar as expressões da política científica na formulação das diretrizes para Psicologia e problematizar que tendências podem ser apontadas para superar a crítica tecnocrática e recuperar o debate sobre a função social da ciência.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1205730 - ISABEL MARIA FARIAS FERNANDES DE OLIVEIRA
Interno - 347107 - JOSE DE QUEIROZ PINHEIRO
Interno - 567.442.008-44 - OSWALDO HAJIME YAMAMOTO - UFRN
Notícia cadastrada em: 05/11/2015 08:56
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2017 - UFRN - sigaa03-producao.info.ufrn.br.sigaa03-producao