Banca de DEFESA: ANTONIA NATHALIA DUARTE DE MORAES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANTONIA NATHALIA DUARTE DE MORAES
DATA: 29/10/2014
HORA: 09:00
LOCAL: sala azul
TÍTULO:

Travestis na Atenção Primária: O Cuidado em Saúde na Cidade de Natal


PALAVRAS-CHAVES:

travesti; atenção primária à saúde; discriminação, cuidado, humanização.


PÁGINAS: 192
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Psicologia
RESUMO:

As travestis são uma parcela da população estigmatizada, que sofre preconceitos. Por isso, muitas vezes, deixam de procurar os postos de atendimento à saúde por não se sentirem à vontade nesses locais. Tendo como base as diretrizes do SUS e a Política Nacional de Humanização, cujos princípios de universalidade, integralidade e equidade buscam ser efetivados, bem como a inclusão e protagonismo dos usuários, buscamos investigar como está ocorrendo, na prática, a inclusão dessa parcela da população dentro da atenção primária em saúde, considerada a porta de entrada do sistema. Portanto, temos como objetivo compreender a vivência das travestis na busca por cuidados em saúde no âmbito da atenção primária na cidade de Natal-RN, a partir da voz dessas protagonistas. Para tal realizamos uma pesquisa qualitativa. As colaboradoras foram 7 travestis que moram na cidade de Natal. Como estratégias metodológicas utilizamos a entrevista em profundidade, com roteiro e oficina com utilização de “cenas”. Para análise e interpretação das narrativas recorremos à Hermenêutica-Dialética. Diante das análises, foi possível identificar no relato das travestis, algumas dificuldades no tocante ao acesso e uso dos serviços de saúde: o desrespeito ao uso do nome social; a associação das travestis ao vírus HIV; a percepção preconceituosa vinda dos profissionais. Foi possível identificar, também, algumas demandas e necessidades na busca por saúde: a necessidade de ter os seus direitos respeitados; a necessidade de um acompanhamento endocrinológico para os seus tratamentos hormonais; a demanda por visibilidade positiva e a demanda por locais específicos de atendimento. O significado de cuidado foi identificado a partir dos seguintes sentidos: cuidado como humanização, diálogo, respeito, igualdade e transmissão de informações. E quanto às mudanças em saúde, foram encontradas: capacitação dos profissionais, diálogo com o movimento social, aproximação com o sujeito travesti, e campanhas de divulgação. Por fim, espera-se que a pesquisa possa contribuir com o campo do conhecimento acerca do saber-fazer na assistência à saúde das travestis, trazendo pistas capazes de promover um cuidado humanizado.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 4315427 - ANNE CHRISTINE DAMASIO
Presidente - 1149551 - GEORGIA SIBELE NOGUEIRA DA SILVA
Externo à Instituição - JOAO BOSCO FILHO - UERN
Notícia cadastrada em: 20/10/2014 09:50
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2017 - UFRN - sigaa04-producao.info.ufrn.br.sigaa04-producao