Banca de DEFESA: CAMILLA SIQUEIRA DA FONSECA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : CAMILLA SIQUEIRA DA FONSECA
DATA : 22/02/2019
HORA: 08:30
LOCAL: Sala de Reunião, Centro de Biociências, UFRN
TÍTULO:

ANÁLISE DE RISCO ASSOCIADO À QUALIDADE DA ÁGUA E SUA RELAÇÃO COM INDICADORES AMBIENTAIS EM RESERVATÓRIOS DO RIO GRANDE DO NORTE - RN


PALAVRAS-CHAVES:

Semiárido; Degradação ambiental; Radioatividade; Metais


PÁGINAS: 101
RESUMO:

O estado do Rio Grande do Norte localiza-se no semiárido brasileiro com mais de 3,5 milhões de habitantes. Devido suas características ambientais, enfrenta problemas com a escassez hídrica, agravada nos últimos anos decorrente em parte, pelas mudanças climáticas representada nos últimos quase 10 anos de seca extrema, a pior dos últimos 50 anos. Por tanto, os poucos recursos hídricos disponíveis tornam-se matéria estratégica, para que sejam propícios para o desenvolvimento humano. Esse cenário se agrava quando a qualidade da água se encontra afetada devido consequência das características geológicas e das atividades antrópicas desenvolvidas na região. Nesse sentido, torna-se eminente que medidas eficazes precisam ser implantadas de maneira satisfatória, incentivando a conservação dos corpos d’água. O estudo buscou analisar fatores decorrentes do desenvolvimento humano e das características naturais, que possam influenciar a qualidade ambiental de alguns dos reservatórios de água mais representativos do estado. A tal fim, foi realizada uma análise geoespacial com imagens de satélite, dirigido a mapear as mudanças no uso e ocupação do solo, das atividades produtivas desenvolvidas nos anos de 2008 e 2017 dentro de uma área de 5 km nos entornos dos reservatórios. Observou-se um incremento sociodemográfico significativo salientando um aumento nas atividades com potencial poluidor, tais como atividades industriais de mineração, piscicultura e ceramista de forma polarizada, salientando o crescimento generalizado da agricultura nos entornos de todos os reservatórios. No entanto, o ponto mais importante a remarcar neste estudo foi a necessidade da implementação de um controle ambiental, já que observou-se um descaso com as políticas ambientais, representada pela invasão destas atividades dentro das áreas de proteção permanente descrevendo o potencial impacto poluidor sobre os recursos hídricos e consequentemente provocando claras consequências na qualidade da água, descrevendo um risco sanitário iminente. Com o intuito de avaliar os fatos antes mencionados, foi realizado nos corpos d’água superficiais estudos dirigidos a compreender a qualidade hídrica e as consequências toxicológicas para a população do uso desse recurso. A tais fins, foram realizadas duas amostragens ambientais (2015 e 2017), com o intuito de avaliar a qualidade da água dos reservatórios no cenário ambiental estudado. A tais fins, amostras de água foram avaliadas através de variáveis físico-químicas tais como: condutividade elétrica, cor, turbidez, pH, sólidos totais, alcalinidade total, dureza total, nitrogênio amoniacal, orgânico e total, clorofila, cloreto, nitrito, nitrato e fósforo, como também de metais (Ag, Al, Cd, Co, Cu, Cr, Pb, Fe, Hg, Mn, Ni e Zn). Além disso foi realizada a medição do nível de radiação alfa e beta, o radônio dissolvido e a análise de fitoplânctons. Em amostras de solo foram medidas o conteúdo dos metais supracitados, o radônio emanado, além de emissores gamamétricos (urânio, tório e potássio). Nas amostras de ar também foi medido o nível de radônio. Os resultados obtidos foram comparados com os valores limiares indicados por legislações nacionais e internacionais. Além disso para uma análise de risco, as variáveis de interesse toxicológico foram categorizadas através da comparação com os valores limiares de referência, para descrever o risco associado individual e integrar essas informações através de um índice composto. Posteriormente, foi analisado o padrão espacial de câncer considerando as áreas de influência dos reservatórios e sua associação com o risco descrito com o intuito de avaliar possíveis associações. Revelando uma qualidade imprópria da água para consumo humano, com potenciais consequências sanitárias, além da necessidade de instauração de monitoramento ambiental junto com a implementação de medidas mitigadoras contra a ocorrência de substâncias de relevância toxicológica, considerando os riscos de patologias associadas atrelada a uma exposição crônica a esses agentes.


MEMBROS DA BANCA:
Interna - 2380571 - CIBELE SOARES PONTES
Externo à Instituição - JEAN LEITE TAVARES - IFRN
Presidente - 707.819.324-59 - JULIO ALEJANDRO NAVONI - UFRN
Notícia cadastrada em: 08/02/2019 09:14
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa14-producao.info.ufrn.br.sigaa14-producao