Banca de DEFESA: WENNA GLEYCE ARAUJO DO NASCIMENTO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: WENNA GLEYCE ARAUJO DO NASCIMENTO
DATA: 06/08/2013
HORA: 09:00
LOCAL: Sala 7B9 Faculdade de Farmácia
TÍTULO:

Estudo de células T γδ em transplante renal alogênico: Contribuição do perfil Th17 e dos polimorfismos gênicos das moléculas Foxp3 e HLA-G.


PALAVRAS-CHAVES:

células Tγδ, perfil Th17, transplante renal.


PÁGINAS: 106
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

O transplante renal é a melhor forma de tratamento para pacientes com insuficiência renal
crônica que perderam a função do rim. Pacientes transplantados renais necessitam de rigoroso
esquema de tratamento para evitar a rejeição e para isso fazem uso de medicamentos
imunossupressores por toda sua vida. No processo de rejeição células T helper do sistema
imunológico exercem papel chave na resposta imune contra o enxerto, sendo as células Th17
recentemente investigadas, por produzirem IL-17 uma potente citocina pró-inflamatória cujo
papel na rejeição também vem sendo descrito. Porém, células T γδ da imunidade inata
também produzem IL-17, elas são consideradas uma importante fonte de produção desta
citocina, e pouco se sabe sobre essas células no transplante renal. Por outro lado, a influência
genética de polimorfismos em moléculas imunoregulatórias, como o fator de transcrição
Foxp3, que regula células Tregs, e o HLA-G uma importante molécula supressora, podem
exercer alguma influência nos transplantes. Assim, de modo geral, esse estudo teve por
objetivo avaliar células T γδ em relação à expressão de citocinas do perfil Th17 e investigar a
frequência dos polimorfismos de único nucleotídeo no gene Foxp3 (SNP -2383 C/T) e de
inserção/deleção de 14 pares de base no gene HLA-G (14pb Ins/Del) em pacientes
transplantados renais. Para isso, realizou-se um estudo do tipo transversal analítico com
pacientes do Hospital Universitário Onofre Lopes/UFRN no qual se avaliou por citometria de
fluxo o número e fenótipo de células T γδ, a expressão proteica de IL-17, IL-6 e IL-23 por
ELISA e imunohistoquímica e a frequência dos polimorfismos no gene Foxp3 -2383
(rs3761549) e de 14pb Ins/Del por reação em cadeia da polimerase (PCR-RFLP). Os nossos
resultados mostraram que a IL-17 e IL-6 estão significativamente expressas em espécimes de
enxerto com rejeição (p<0,05). Os níveis séricos destas proteínas, no entanto, não refletiram o
mesmo comportamento observado no microambiente do enxerto. Não observou-se diferença
significativa quanto a expressão de IL-23 entre pacientes com e sem rejeição do enxerto renal.
Em relação à análise dos polimorfismos pacientes e controles tiveram a mesma frequências de
alelos e genótipos, por outro lado quanto ao polimorfismo do HLA-G houve uma maior
frequência de heterozigotos para Ins/Del de 14pb no grupo de pacientes.



MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ANA PAULA MORAIS FERNANDES - USP
Presidente - 3313589 - JANAINA CRISTIANA DE OLIVEIRA CRISPIM FREITAS
Externo ao Programa - 1752367 - PAULO MARCOS DA MATTA GUEDES
Notícia cadastrada em: 23/07/2013 10:38
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa28-producao.info.ufrn.br.sigaa28-producao