Banca de DEFESA: LIDYANE NEVES MIRANDA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LIDYANE NEVES MIRANDA
DATA: 18/06/2013
HORA: 14:30
LOCAL: Auditório da Faculdade de Farmácia
TÍTULO:

Caracterização do perfil Th17 e células T regulatórias em lesões pré-cancerosas e
carcinoma cervical:
Contribuição das moléculas IL-17, IL-23, FOXP3 e HLA-G em pacientes acometidas

por HPV.


PALAVRAS-CHAVES:

IL-17, IL-23, HLA-G, FOXP3, HPV, imunohistoquímica


PÁGINAS: 119
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

O câncer de colo uterino é a segunda malignidade ginecológica mais frequente entre mulheres
no mundo, responsável por 231.000 mortes anualmente por esta doença. Múltiplos estudos
epidemiológicos demonstram a existência de fatores de riscos secundários associados ao
desenvolvimento das lesões cervicais e câncer de colo uterino, entretanto o principal fator
de risco ainda continua sendo o HPV. No entanto, ainda não está bem estabelecido os
mecanismos que contribuem para a progressão ao SCC. Posto isto, vários tipos de
marcadores moleculares têm sido estudados na carcinogênese cervical, apresentando assim um
papel importante na progressão das lesões cervicais. O objetivo deste estudo visa avaliar e
elucidar alguns mecanismos relacionados com a patogênese da resposta imune ao HPV,
estudando a contribuição da expressão protéica das citocinas do perfil Th17 e células T
regulatórias. Além disso, pretende-se associá-las ao estudo de polimorfismos gênicos de
moléculas implicadas na patogênese das lesões de colo uterino, como a ins/del de 14pb do
HLA-g e o polimorfismo do Foxp3(2383 C/T). Quarenta e nove pacientes com cervicite
crônica, cento e cinco com NIC I, trinta e três com NIC II/III e catorze pacientes com carcinoma
foram incluídas no nosso estudo. A análise por imunohistoquímica da expressão de IL-17 e IL23
no microambiente cervical, bem como a quantificação sistemicamente das citocinas próinflamatórias
como IL-17 e IL-6 no soro das pacientes, realizada por ELISA, permitiram a
caracterização da resposta Th17. A técnica de PCR foi realizada com a finalidade de detectar o
HPV, assim como para avaliação dos polimorfismos gênicos do 14pb do HLA-G e FOXP3 2383
C/T. Resultados estatisticamente significante foram encontrados em relação às variáveis:
idade, tabagismo, alcoolismo e nível sócio-econômico, quando observamos os
diferentes grupos estudados. O DNA do HPV foi encontrado em 22% das CCs, 8% das
NICs I, 63% das NICs II/III e 50% de SCCs. Em relação às citocinas estudadas, foi
observado que a IL-17, assim como a IL-23 foram mais expressa nos estágios iniciais da
neoplasia cervical frente ao SCC, sendo observado também um predomínio das
citocinas avaliadas sistemicamente (IL-17 e IL-6) nos estágios iniciais da lesão cervical.
Na avaliação do polimorfismo de 14pb do HLA-G podemos evidenciar um resultado
significativo no grupo NIC I (p= 0,0412), além do que o genótipo I/I está mais frequente
neste grupo. Foram observados dois valores significativos quando avaliamos a
frequência alélica e genotípica das pacientes com NICII/III (p=0,0162) e controles
(p=0,049) do polimorfismo do Foxp3. Mais estudos são necessários para esclarecer os
aspectos moleculares da relação entre estes biomarcadores e a infecção pelo HPV, com
potenciais aplicações para o prognóstico do câncer cervical.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1149381 - ANA CRISTINA PINHEIRO FERNANDES DE ARAUJO
Presidente - 3313589 - JANAINA CRISTIANA DE OLIVEIRA CRISPIM FREITAS
Externo à Instituição - MARCIA EDILAINE LOPES CONSOLARO - UEM
Notícia cadastrada em: 03/06/2013 15:57
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa07-producao.info.ufrn.br.sigaa07-producao