Banca de DEFESA: ANDRE LEANDRO SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANDRE LEANDRO SILVA
DATA: 19/03/2013
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório do CCS
TÍTULO:

Produção e avaliação de nanoemulsão catiônica como possível vetor não-viral para pIRES2-EGFP


PALAVRAS-CHAVES:

Terapia gênica; nanoemulsão catiônica; carreador não-viral.


PÁGINAS: 93
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

A terapia gênica consiste na transferência de material genético exógeno para células ou tecidos no intuito de corrigir, suplementar ou silenciar um determinado gene. Para que este objetivo seja alcançado, eficientes veículos carreadores devem ser desenvolvidos: virais ou não-virais. Entre esses últimos encontram-se as nanoemulsões catiônicas que vêm sendo extensivamente estudadas nos últimos anos em decorrência dos efeitos adversos relacionados aos vetores virais. O objetivo deste trabalho foi produzir e avaliar um sistema nanoemulsionado como possível veículo não-viral para terapia gênica, capaz de veicular um modelo plasmidial (pIRES2-EGFP). A nanoemulsão foi produzida pelo método de sonicação, após escolha da formulação em um diagrama de fases pseudo-ternário construído a partir de Captex 355®, Tween 80®, Span 80®, estearilamina e água. O sistema foi caracterizado quanto ao tamanho de gotícula, índice de polidispersão, potencial zeta, pH e condutividade. A possibilidade de escalonamento, a estabilidade do sistema e a melhor forma de esterilização também foram avaliadas. Uma vez desenvolvido, o sistema foi testado quanto à capacidade de compactar o modelo plasmidial (pDNA). Eletroforese em gel de agarose foi a metodologia empregada para este fim, onde verificou-se que o poder de compactação aumenta quando a estearilamina é incorporada na fase aquosa, respeitando um período de contato (nanoemulsão/pDNA) de pelo menos 2 horas, em banho de gelo. A nanoemulsão mostrou-se pouco tóxica nas concentrações usuais para ensaios de transfecção em células do tipo MRC-5. Portanto, o processo de produção de um sistema que complexa eficientemente o modelo plasmidial foi obtido. Contudo, estudos de eficiência de transfecção devem ser conduzidos para confirmar o sistema como um carreador não-viral de material genético.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1178187 - ERYVALDO SOCRATES TABOSA DO EGITO
Externo à Instituição - NEREIDE STELA SANTOS MAGALHÃES - UFPE
Externo ao Programa - 032.540.854-85 - TIRZAH BRAZ PETTA LAJUS - UFRGS
Notícia cadastrada em: 15/03/2013 12:26
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa16-producao.info.ufrn.br.sigaa16-producao