Banca de QUALIFICAÇÃO: YAMARA ARRUDA SILVA DE MENEZES

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: YAMARA ARRUDA SILVA DE MENEZES
DATA: 19/07/2012
HORA: 14:30
LOCAL: Sala de aula 7b5 1º andar Faculdade de Farmácia
TÍTULO:

“EXTRAÇÃO, DOSAGEM E ANÁLISE DE PROTEÍNAS DAS ESPÉCIES Acmella
uliginosa, Chenopodium ambrosióides, Cnidoscolus urens, Euphorbia tirucalli
E Jatropha mollissima.”


PALAVRAS-CHAVES:

Extração de proteínas, plantas nativas, atividade proteolítica.


PÁGINAS: 60
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
SUBÁREA: Análise e Controle de Medicamentos
RESUMO:

A extração, caracterização química e estrutural de uma grande diversidade de compostos
derivados de plantas tem sido uma fonte importante de moléculas com propriedade
farmacológicas. Dentre as espécies vegetais que estão contempladas neste trabalho,
estão plantas das famílias Amaranthaceae (Chenopodium ambrosioides), Asteraceae
(Acmella uliginosa) e Euphorbiaceae (Cnidoscolus urens, Euphorbia tirucalli e Jatropha
mollissima). As plantas da família Asteraceae são utilizadas com finalidade medicinais no
tratamento de febre, dores, picadas de cobra e como diurético. As espécies da família
Amaranthaceae tem demonstrado atividade antitumoral, analgésica e antiviral. A família
Euphorbiaceae contém espécies vegetais com diversas aplicações na medicina e
veterinária, encontrando gran de diversidade de espécies com atividade vermífuga,
antiinflamatória, antiveneno e no tratamento do câncer. Grande diversidade de proteases
tem sido isoladas no reino vegetal, com inúmeras aplicações
farmacológicas/biotecnológicas. Dentre elas proteases fibrinogenolíticas, tendo em vista a
aplicação no tratamento de doenças trombóticas. No presente trabalho, foram preparados
extratos protéicos obtidos por pulverização de amostras de folhas e raízes destas plantas
e agitação em tampão Tris-HCl 0,05M, NaCl 0,15M, pH 7,5. Os extratos foram
fracionados em acetona (0,5, 1,0 e 2,0 v/v), dosados e analisados por SDS-PAGE. O
material vegetal que demonstrou melhor redimento na extração de proteínas e bandas
protéicas por SDS-PAGE foram as folhas de C. urens. Portanto, esta amostra foi
escolhida e realizou-se testes para avaliar atividade proteolítica sobre soroalbumina
bovina, veneno de T. serrulatus e fibrinogênio bovino. As frações das folhas de C. urens
delinearam pronunciada atividade albuminolítica, antiveneno e fibrinogenolítica. Nos
ensaios com o veneno de T. serrulatus, observou-se que ao avaliar as amostras tratadas
com tampão em condição desnaturante e redutora, as bandas protéicas relativas ao
veneno de T. serrulatus foram clivadas, o que não foi observado em condições não
redutoras. Na avaliação da atividade fibrinogenolítica, as frações delinearam um perfil de
clivagem das cadeias de acordo com o observado em diversos trabalhos, hidrolizando
preferencialmente a cadeia Aα, seguida da Bβ e γ. A concentração de proteínas das
frações foi padronizada, observando-se que na concentração de 0.1875μg/μL estas
clivaram totalmente as cadeias Aα e Bβ. A cadeia Aα foi clivada em 2 minutos de
incubação e a Bβ em 5 minutos. Nas frações F0,5 e F2,0 foi observado um discreto
incremento na atividade proteo lítica quando a enzimas do extrato foram pré-incubadas
com β-mercaptoetanol. Inibição significativa da atividade enzimática não foi observada
para os inibidores EDTA e PMSF.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1871916 - RAQUEL BRANDT GIORDANI
Externo ao Programa - 2378605 - CRISTIANE FERNANDES DE ASSIS
Externo ao Programa - 1893445 - EUZEBIO GUIMARAES BARBOSA
Notícia cadastrada em: 04/07/2012 17:09
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa25-producao.info.ufrn.br.sigaa25-producao