Banca de DEFESA: GABRIEL ARAUJO DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: GABRIEL ARAUJO DA SILVA
DATA: 23/02/2012
HORA: 15:00
LOCAL: Auditório do CCS
TÍTULO:

Avaliação da composição química, atividade antioxidante, antibacteriana, antinoceptiva, antiinflamatória e toxicidade do extrato metanólico e frações de folhas de Spondias sp. (Anacardiaceae)


PALAVRAS-CHAVES:

Spondias sp., fitoquímica, atividade farmacológica, toxicidade, ratos e camundongos


PÁGINAS: 131
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

Spondias sp. (Anacardiaceae), popularmente conhecida como cajá-umbu, é uma planta endêmica do Nordeste do Brasil, onde as suas folhas são largamente usadas na medicina popular no tratamento de processos inflamatórios, enquanto os seus frutos possuem grande potencial agro-industrial. O objetivo deste estudo foi avaliar as propriedades hepatoprotetora, antioxidante, antibacteriana, antinociceptiva, antiinflamatória, além da toxicidade aguda e 28 doses repetidas, usando um extrato metanólico (EMS), uma fração rica em flavonóides (FRF) e um precipitado obtidos de folhas de de Spondias sp. A atividade antioxidante dos mesmos foi avaliada para determinar a capacidade de sequestro do radical livre DPPH, enquanto que MES e e FRF foram utilizados para avaliar a capacidade hepatoprotetora em lesões induzidas por tetracloreto de carbono (CCl4). Sete grupos (n=5) de ratas Wistar foram usados como se segue: grupo de controle, grupo intoxicado com CCl4- tratado com EMS (500 mg/kg) durante 7 dias, três grupo intoxicado com CCl4 tratados com o FRF (25, 50 e 75 mg/kg) durante 7 dias e o grupo intoxicado com CCl4 tratado com Legalon® (silimarina, fitoterápico de referência). EMS e FRF apresentaram ação protetora contra o dano hepático induzido por CCl4, ao ser observada a redução significativa da atividade enzimática de marcadores séricos (alanina transaminase e aspartato transaminase). Além disto, a redução da peroxidação lipídica, o aumento do conteúdo de glutationa e da atividade enzimática do sistema de defesa de antioxidante (SOD, CAT, GPx), comparáveis aos valores normais, indicaram a capacidade de MES e FRF de restaurar o desequilíbrio oxidativo induzido por CCl4. A análise histological confirmou a hepatoproteção, em comparação às modificações degenerativas no grupo tratado com CCl4. Este efeito hepatoprotetor foi análogo ao mostrado pelo Legalon®. A alta capacidade de antioxidante in vitro do extrato (93.16 ±1.00 %) foi similar à obtida com Carduus marianus e BHT (padrões de referência), fato este que explica os resultados obtidos in vivo. Nenhuma atividade antibacteriana foi detectada, porém, EMS e FRF promoveram o efeito antinociceptivo induzido na segunda fase da injeção intraplantar de formalina, evidenciando a ação antiinflamatória; confirmado pelo modelo de peritonite induzida por carragenina. A avaliação da alodinia mecânica (CFA a 80%)  demonstrou o envolvimento da composição química de Spondias sp. na atividade anti-inflamatória em relação aos processos agudos. A exposição aguda e dose repetida durante 28 dias não produziram mudanças significativas nos parâmetros que avaliaram a toxicidade. Os resultados experimentais, revelaram que extratos de folhas de Spondias sp. possuem um potencial promissor na área farmacêutica e face à sua atoxicidade apresentam eficiência e segurança.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1288088 - MARIA APARECIDA MEDEIROS MACIEL
Presidente - 346847 - MARIA DAS GRACAS ALMEIDA
Externo à Instituição - ULYSSES PAULINO DE ALBUQUERQUE - UFRPE
Notícia cadastrada em: 09/02/2012 15:43
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa22-producao.info.ufrn.br.sigaa22-producao