Banca de DEFESA: ROSILENE RODRIGUES SANTIAGO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ROSILENE RODRIGUES SANTIAGO
DATA: 20/12/2011
HORA: 14:00
LOCAL: SALA 2
TÍTULO:

DESENVOLVIMENTO DE BASE EMULSIONADA PARA VEICULAÇÃO DE ÓXIDO DE ZINCO COMO ALTERNATIVA AO TRATAMENTO DE DERMATITE DE FRALDAS


PALAVRAS-CHAVES:

Dermatite de fraldas, óleo de gergelim, óxido de zinco, sistema
emulsionado


PÁGINAS: 139
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

A dermatite de fraldas, também conhecida como assadura, trata-se de uma
inflamação da pele recoberta pela fralda, afetando 50% das crianças. O tratamento
envolve geralmente o aumento da freqüência na trocas de fraldas, uso de fraldas
descartáveis super-absorventes e aplicação tópica de agentes, tais como pomadas
ou cremes de barreira como os que utilizam óxido de zinco (ZnO). O objetivo deste
trabalho foi o desenvolvimento e a caracterização de emulsões com óleo de gergelim
como fase lipofílica, adicionadas de ZnO. Os sistemas dispersos obtidos durante a
construção de diagramas pseudoternário de fases foram classificados de acordo
com seus aspectos físico-químicos e, destes, sete formulações de emulsão creme
foram selecionadas para estudo. O ZnO foi incorporado nestas formulações, e
obteve-se um total de quatorze formulações. A estabilidade das formulações foi
analisada de acordo com a análise macroscópica, estabilidade sob armazenagem,
centrifugação, ciclo gelo/degelo, pH, condutividade, análise granulométrica,
comportamento reológico e viscosidade. Apos os ensaios de centrifugação, apenas
três formulações permaneceram estáveis (F1, F8 e F10). Destas, duas contém ZnO
(F8 e F10), indicando que sua presença aumenta a estabilidade da formulação. Os
primeiros sinais de instabilidade, segundo análise visual foram observados após
quatro semanas. As formulações apresentaram pequeno tamanho de gotículas
(entre 0,549 ± 0,000 a 121,985 ± 0,997 μm). No entanto, houve variação no tamanho
médio de acordo com a composição de cada formulação. A presença do ZnO
aumentou pH, fazendo com que as formulações passassem de ácidas para neutras.
No teste de condutividade, à exceção da F10 que apresentou valor igual a 42,57 ±
7,43 μS/cm, a presença do ZnO aumentou o seu valor em todas as formulações
(entre 47,33 ± 8,87 e 84,72 ± 11,35 μS/cm). Os reogramas de todas as formulações
demonstraram comportamento do tipo pseudo-plástico e as formulações
apresentaram um valor de viscosidade (entre 0,041 ± 0,007 e 167,000 ± 1,002 Pas),
prevendo uma boa aplicação tópica. Após a realização dos estudos de estabilidade,
melhores resultados foram obtidos para a formulação F10 em todos os testes.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1639820 - ARNOBIO ANTONIO DA SILVA JUNIOR
Externo à Instituição - BOLIVAR PONCIANO GOULART DE LIMA DAMASCENO - UEPB
Interno - 1714294 - MARCIO FERRARI
Notícia cadastrada em: 16/12/2011 15:00
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa18-producao.info.ufrn.br.sigaa18-producao