Banca de QUALIFICAÇÃO: BEATRIZ PINHEIRO BEZERRA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.

DISCENTE: BEATRIZ PINHEIRO BEZERRA

DATA: 30/06/2011

HORA: 15:00

LOCAL: Sala 2 do PPgCF

TÍTULO:

DESENVOLVIMENTO E VALIDAÇÃO DE MÉTODO ANALÍTICO PARA DETERMINAÇÃO DE TEOR DE ÁCIDO GÁLICO E CATEQUINA EM EXTRATO DE Schinus terebinthifolius Raddi, Piptadenia colubrina E
NO FITOTERÁPICO SANATIVO® POR CROMATOGRAFIA LÍQUIDA DE ALTA EFICIÊNCIA


PALAVRAS-CHAVES:

Schinus terebinthifolius Raddi, Piptadenia colubrin Benth, CLAE, ácido gálico, catequina, desenvolvimento de método, validação.


PÁGINAS: 119

GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde

ÁREA: Farmácia

RESUMO:

Os taninos são uma das classes dos polifenóis e são separados em dois
grupos: taninos hidrolisáveis e taninos condensados. Ácido gálico e catequina são
representantes desses grupos, respectivamente. Vários estudos desses
componentes relatam efeitos benéficos à saúde e sua presença em Schinus
terenbinthifolius
e Piptadenia colubrina, plantas estas que fazem parte da
composição do fitoterápico que possui indicação cicatrizante, o elixir Sanativo®. O
objetivo deste trabalho foi desenvolver e validar um método analítico adequado para
identificação e quantificação de taninos (ácido gálico e catequina) em produtos
contendo Schinus terebinthifolius Raddi e Piptadenia colubrina. Foi realizada a
análise dos marcadores ácido gálico e catequina no CLAE, usando coluna C18, com
pré-coluna de mesma composição. Ensaios de controle de qualidade forma
realizados com as drogas vegetais e o Sanativo®. O método desenvolvido tem como
fase móvel tampão acetato de amônio 5 mMol, pH 3,5 e metanol (88:12),
comprimento de onda 280 nm, temperatura de forno de coluna 35 °C e fluxo de 1,0
ml/min. A validação da metodologia analítica foi iniciada utilizando solução padrão de
concentração 0,109 mg/ml de Ácido Gálico e 0,026 mg/ml de Catequina em fase
móvel, a solução amostra é constituída de uma diluição do fitoterápico na proporção
3:10 em fase móvel. O método mostrou-se capaz de detectar, identificar e quantificar,
ácido gálico e catequina no fitoterápico em questão em uma única corrida
cromatográfica e teve comportamento linear no intervalo de 0,0087 a 0,0142 mg/ml
para o Ácido Gálico e 0,021 a 0,034 mg/ml para Catequina. Na avaliação da
precisão, o DPR foi de 0,76% para o ácido gálico e de 2,6% para a catequina. Os
resultados estão dentro do que é especificado pela RE ANVISA n° 899, de 29 de
maio de 2003. Os dados obtidos das foram transferidos e tratados estatisticamente
no Excel.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 882.580.334-68 - LUIZ ALBERTO LIRA SOARES - UFPE
Interno - 1679481 - ANA PAULA BARRETO GOMES
Interno - 1490222 - SILVANA MARIA ZUCOLOTTO LANGASSNER
Notícia cadastrada em: 20/06/2011 09:49
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa24-producao.info.ufrn.br.sigaa24-producao