Banca de DEFESA: ERICA AIRES GIL

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.

DISCENTE: ERICA AIRES GIL

DATA: 01/07/2011

HORA: 09:00

LOCAL: Sala 2 do PPgCF

TÍTULO:

INVESTIGAÇÃO DAS ALTERAÇÕES CITOGENÉTICAS EM PACIENTES PEDIÁTRICOS COM LEUCEMIA LINFÓIDE AGUDA DO RIO GRANDE DO NORTE


PALAVRAS-CHAVES:

Leucemia Linfóide Aguda, Alterações Cromossômicas, Citogenética


PÁGINAS: 100

GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde

ÁREA: Farmácia

RESUMO:

As leucemias são grupos heterogêneos de neoplasias hematológicas, que resultam da
transformação total ou parcial das células blásticas. A Leucemia Linfóide Aguda (LLA) é a
neoplasia mais comum na infância, principalmente na população masculina Caucasiana
menor de 14 anos. Vários critérios podem ser adotados para classificar LLA, dentre eles a
morfologia celular, a citoquímica, a imunofenotipagem e o estudo citogenético. A
citogenética permite uma análise mais detalhada o que possibilita detectar as alterações
cromossômicas das células leucêmicas. Estas alterações irão determinar o diagnóstico, a
classificação, a caracterização de diferentes estágios, a avaliação da remissão e o prognóstico
dessas neoplasias. Foram avaliados neste estudo 30 pacientes com idade variando de quatro
meses a dezessete anos, de ambos os sexos e de várias etnias. A faixa etária predominante
neste estudo foi de pacientes entre um e dez anos (67%), de etnia caucasiana (50%) e sexo
masculino (57%). De acordo com a imunofenotipagem 93% dos pacientes apresentaram LLA
de linhagem B precoce e 7% de linhagem T. Considerando a população total, os achados
clínicos mais freqüentes foram linfoadenopatia (37%), hepatomegalia (77%) e
esplenomegalia (70%), podendo, um paciente apresentar mais de um desses quadros clínicos.
Em relação ao hemograma, a maioria dos pacientes apresentou hemoglobina abaixo de 10
g/dl (73%), contagem de leucócitos inferior a 10.000/μL (60%) e contagem de plaquetas
abaixo de 150.000/μL (83%). As anormalidades cromossômicas foram observadas em 64%,
dessas a hiperdiploidia foi à alteração numérica mais comum (67%), seguida pela
hipodiploidia com 33%. Todos esses dados corroboram com os relatos da literatura.
Adicionalmente, foram observadas alterações estruturais e/ou numéricas complexas ainda
não descritas na literatura, as quais indicaram prognóstico desfavorável. Conclui-se que a
partir deste trabalho foi possível demonstrar a importância do estudo citogenético no
diagnóstico e na identificação de fatores prognósticos nos pacientes pediátricos com LLA do
Rio Grande do Norte. Os resultados obtidos neste estudo são de extrema importância e
ressaltam que pesquisas desta natureza devem ser realizadas com maior freqüência em nosso
Estado.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - CARLOS ROBERTO ALVES - Fiocruz - RJ
Externo ao Programa - 1718309 - DULCE MARTA SCHIMIEGUEL
Presidente - 6349161 - GERALDO BARROSO CAVALCANTI JUNIOR
Notícia cadastrada em: 16/06/2011 10:13
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa11-producao.info.ufrn.br.sigaa11-producao