Banca de QUALIFICAÇÃO: KARLA SAMARA ROCHA SOARES

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.

DISCENTE: KARLA SAMARA ROCHA SOARES

DATA: 22/06/2011

HORA: 09:00

LOCAL: Sala 2 do PPgCF

TÍTULO:

Aplicação de nanopartículas de quitosana com potencial de adjuvante na produção de soro contra o veneno do escorpião Tityus serrulatus


PALAVRAS-CHAVES:

Escorpião Tityus serrulatus, quitosana


PÁGINAS: 53

GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde

ÁREA: Farmácia

RESUMO:

No Brasil, diversas espécies de escorpiões são conhecidas por provocar acidentes que podem levar ao óbito, sendo estas pertencentes principalmente ao gênero Tityus. O escorpião Tityus serrulatus é o principal responsável pelos casos de maior gravidade. Soros anti-escorpiônicos são produzidos rotineiramente por diversas instituições, apesar da sua eficácia, a ação depende da qualidade e da rapidez com que é iniciado o tratamento. Estudos têm sido desenvolvidos na busca de tecnologias adaptadas para encapsular e liberar proteínas recombinantes capazes de induzir a produção de anticorpos. Neste contexto muita atenção tem sido dada a quitosana por ser um bioativo natural, não-tóxico, biocompatível e biodegradável. A quitosana é um copolímero linear de natureza polissacarídica, obtida a partir da desacetilação parcial da quitina, mas também pode ser encontrado em alguns microrganismos, seu perfil de segurança já foi estabelecido em seres humanos, e tem sido utilizada como excipiente farmacêutico, especialmente em sistemas de liberação controlada de fármacos. O trabalho desenvolvido busca um sistema de liberação a partir de nanopartículas de quitosana para peptídeos/proteínas do veneno do escorpião T. serrulatus, capaz de proporcionar um novo sistema de imunização em animais, com a finalidade de obtenção de um novo soro policlonal, anti-veneno de T. serrulatus. As nanopartículas de quitosana para a incorporação da toxina do veneno foram preparadas através da metodologia da gelificação iônica, sendo utilizado como agente reticulador o tripolifosfato polianiônico (TPP). A concentração selecionada para incorporação do veneno, 0,4% de TPP e 1,0% de quitosana, foi a que apresentou tamanho de partícula compatível com a finalidade pretendida. A avaliação da distribuição do tamanho das partículas foi realizada através do aparelho Zeta Sizer. Além disso, as amostras foram submetidas a avaliação por Microscopia Eletrônica de Varredura (MEV). Os peptídeos da peçonha do escorpião foram incorporados às nanopartículas de quitosana por intumescimento das nanopartículas pós-formadas em meio concentrado do peptídeo. Para avaliar a incorporação do veneno foi calculada a eficiência de encapsulação (EE) pelo método de dosagem de proteína pelo BCA. A eficiência média de encapsulação obtida foi 74%, o que representa um alto teor de incorporação.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1198847 - JOSE LUIS CARDOZO FONSECA
Presidente - 1544647 - MATHEUS DE FREITAS FERNANDES PEDROSA
Externo ao Programa - 1754360 - WALDENICE DE ALENCAR MORAIS
Notícia cadastrada em: 13/06/2011 17:30
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa09-producao.info.ufrn.br.sigaa09-producao