Banca de QUALIFICAÇÃO: HERIKS GOMES RIBEIRO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : HERIKS GOMES RIBEIRO
DATA : 29/08/2023
HORA: 10:00
LOCAL: Link de acesso para videoconferência: meet.google.com/uxy-ufoe-ask
TÍTULO:

O PAPEL DOS MIRNAS COMO BIOMARCADORES NA CARDIOMIOPATIA CHAGÁSICA: UMA REVISÃO DA LITERATURA


PALAVRAS-CHAVES:
cardiomiopatia chagásica; miRNA; biomarcadores; detecção; progressão.

PÁGINAS: 90
RESUMO:
Introdução: A cardiomiopatia chagásica (CC) é uma forma grave da doença de
Chagas e uma das principais causas de morbidade e mortalidade cardiovascular. A
desregulação da resposta imune leva à remodelação cardíaca e alterações funcionais,
resultando em complicações com risco de vida. Os métodos diagnósticos
convencionais possuem limitações e a avaliação da resposta terapêutica ainda é um
desafio. MicroRNAs (miRNAs), importantes reguladores da expressão gênica,
apresentam potencial como biomarcadores para diagnóstico e prognóstico. Objetivo:
Esta revisão visa resumir os achados experimentais sobre a expressão de miRNA na
CC e explorar o potencial desses miRNAs como biomarcadores na doença de
Chagas. Métodos: A busca foi realizada no banco de dados público da Biblioteca
Nacional de Medicina dos Estados Unidos (MEDLINE/PubMed) usando os termos
“Chagas cardiomyopathy” OR “Chagas disease” AND “microRNA” OR “miRNA” OR
“miR”. Além disso, uma análise de bioinformática foi realizada para investigar as
interações miRNA-alvo e explorar vias de enriquecimento por Ontologia Gênica (GO)
de processos biológicos e funções moleculares. Resultados: O miR-21, miR-146b,
miR-146a e miR-155 exibiram consistentemente regulação positiva, enquanto o miR-
145 foi regulado negativamente na CC. Esses miRNAs específicos têm sido
associados à fibrose, resposta imune e processos inflamatórios no tecido cardíaco.
Além disso, os resultados de vários estudos indicam que esses miRNAs têm potencial
como biomarcadores para a doença e podem ser alvo de estratégias terapêuticas para
CC. Conclusão: Nesta revisão, destacamos o papel do miR-21, miR-146b, miR-146a,
miR-155 e miR-145-5p nos mecanismos complexos da CC. Esses miRNAs
mostraram-se como potenciais biomarcadores para diagnóstico preciso, avaliação
prognóstica confiável e estratégias de tratamento eficazes na CC.

MEMBROS DA BANCA:
Externa à Instituição - JULIANA DE ASSIS SILVA GOMES ESTANISLAU - UFMG
Interna - ***.776.184-** - JÉSSICA NAYARA GÓES DE ARAÚJO - UFRN
Presidente - ***.985.294-** - LUCIA MARIA DA CUNHA GALVAO - UFRN
Notícia cadastrada em: 11/08/2023 15:27
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa04-producao.info.ufrn.br.sigaa04-producao