Banca de DEFESA: FÁBIA RAFAELLA SILVA ALVES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : FÁBIA RAFAELLA SILVA ALVES
DATA : 31/07/2023
HORA: 14:00
LOCAL: Sessão fechada
TÍTULO:
EXTRAÇÃO DE COMPOSTOS FENÓLICOS DO RESÍDUO DE CAJU (Anacardium occidentale L.) VISANDO APLICAÇÃO COSMÉTICA

PALAVRAS-CHAVES:

Resíduo de caju; Extração assistida por enzima; Compostos fenólicos; Atividade antioxidante; Cosméticos.


PÁGINAS: 111
RESUMO:

O resíduo de caju (Anacardium occidentale L.) é um subproduto agroindustrial com uma composição rica em celulose, hemicelulose, lignina, além de importante fonte de compostos fenólicos, o que abre possibilidades para geração de produtos de valor agregado. Neste contexto, o presente trabalho teve como objetivo obter um extrato rico em compostos fenólicos a partir do resíduo de caju (RC), empregando extração assistida por enzima (EAE) como método sustentável para aplicação cosmética. O RC foi submetido aos pré-tratamentos de água quente líquida (AQL) e explosão de vapor (EXP), e caracterizado por FTIR, DRX e composição lignocelulósica. Em seguida, a EAE do RC pré-tratado foi avaliada usando coquetel celulolítico. Os efeitos da carga enzimática, carga de sólidos e tempo de incubação foram investigados e otimizados através do delineamento composto central rotacional 23. Os extratos obtidos foram avaliados quanto à composição fenólica, atividade antioxidante in vitro, atividade antioxidante celular, teor de açúcares e citotoxicidade. Os resultados demonstraram que os pré-tratamentos modificaram a estrutura do resíduo, pela remoção de frações cristalinas, tornando o material mais acessível às enzimas. Ademais, o pré-tratamento por AQL associado ao coquetel enzimático favoreceu a maior liberação de fenólicos da biomassa lignocelulósica (75,13 ± 3,5 mg EAG/L) e maiores atividades antioxidantes, correspondentes a 72,81 ± 0,9% para o sequestro do radical DPPH e 241,04 ± 1,7 μM EQ Trolox/L para sequestro do radical ABTS. O planejamento experimental demonstrou que maior tempo de incubação (80 h) e carga de sólidos (8% e 10%) contribuíram para o aumento do teor de compostos fenólicos, obtendo-se, na condição ótima, a concentração de fenólicos de 150,38 ± 10,0 mg EAG/L. Além disso, o extrato de caju demonstrou atividade antioxidante, avaliada por diferentes mecanismos, com capacidade de quelação de ferro, sequestro de radicais DPPH e ABTS apresentando correlação linear com a concentração de sólidos. Os extratos também apresentaram atividade antioxidante celular, correspondendo a 36,03 ± 2,4% de inibição de Espécies Reativas de Oxigênio (EROs) para o extrato obtido com 8% de sólidos. Esses resultados são importantes indicativos de uma possível aplicação anti-envelhecimento, abrindo perspectivas para formulações futuras. Além disso, o extrato demonstrou ser atóxico, com viabilidade celular maior que 95% em linhagem celular de fibroblastos MRC-5. Portanto, a extração de compostos fenólicos assistida por enzimas a partir de RC mostrou-se viável e exequível, dada a aplicabilidade do método que atende os requisitos de sustentabilidade. Do ponto de vista mercadológico, esta pesquisa contribui para o desenvolvimento de produtos e processos mais eficientes e ambientalmente sustentáveis, otimizando o emprego de recursos para obtenção de substâncias bioativas para o desenvolvimento de novos produtos cosméticos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1789788 - ADLEY ANTONINI NEVES DE LIMA
Externo ao Programa - 3304882 - CARLOS EDUARDO DE ARAÚJO PADILHA - nullInterno - 3652554 - FRANCISCO CANINDE DE SOUSA JUNIOR
Externo à Instituição - FRANCISCO HUMBERTO XAVIER JUNIOR - UFPB
Notícia cadastrada em: 17/07/2023 15:45
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa13-producao.info.ufrn.br.sigaa13-producao