Banca de DEFESA: LARISSA FERREIRA RIBEIRO DE OLIVEIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : LARISSA FERREIRA RIBEIRO DE OLIVEIRA
DATA : 30/06/2023
HORA: 14:00
LOCAL: Sessão de videoconferência: https://meet.google.com/xna-tfhe-vko
TÍTULO:
ESTUDO DO POTENCIAL BIOATIVO DAS SEMENTES DE CAJÁ (Spondias mombin L.) E SUA VEICULAÇÃO SIMULTÂNEA COM PROBIÓTICOS

PALAVRAS-CHAVES:

Spondias mombin L.; probiótico; compostos fenólicos; microencapsulação; atomização.


PÁGINAS: 112
RESUMO:

A associação de probióticos e extratos vegetais é uma estratégia promissora para entrega simultânea de compostos funcionais, apresentando inúmeros benefícios à saúde. Nese contexto, o presente estudo objetivou avaliar o potencial bioativo das sementes do cajá (Spondias mombin L.) e sua veiculação simultânea com probióticos, utilizando a fermentação e a coencapsulação como estratégias. Inicialmente, a semente do cajá foi submetida à caracterização físico-química, e avaliada como fonte de compostos fenólicos em diferentes soluções extratoras. O etanol 50% favoreceu maior concentração de fenólicos (293,81 ± 8,50 mg EAG/L) e açúcares totais (21,03 ± 0,34 g/L). Em seguida, este extrato foi avaliado quanto a capacidade de multiplicação de Lactobacillus acidophilus NRRL B-4495 e Lactiplantibacillus plantarum NRRL B-4496. Durante 48 h de fermentação, as populações probióticas apresentaram queda de 1,6 a 2,2 ciclos logarítmicos e mantiveram o conteúdo fenólico total. Com o objetivo de aumentar a estabilidade do produto, L. acidophilus e o extrato da semente do cajá foram coencapsulados por atomização utilizando maltodextrina isoladamente (EPM) ou associada à pectina cítrica (EPMP). O extrato e os microencapsulados foram avaliados quanto às características físico-químicas, atividades antioxidante e antibacteriana. Além disso, a sobrevivência probiótica em condições gastrointestinais simuladas foi investigada. Os microencapsulados EPM e EPMP apresentaram diâmetros médios de 16,37 ± 5,42 μm e 15,18 ± 2,52 μm e eficiência de encapsulação acima de 98%. O EPM apresentou maior concentração de fenólicos totais (121,40 ± 1,22 mg EAG/g) enquanto EPMP apresentou atividades antioxidantes mais elevadas. Em relação atividade antibacteriana, o extrato não apresentou inibição nas concentrações testadas, EPMP apresentou concentração inibitória mínima (CIM) de 250 μg/mL para S. aureus e 500 μg/mL para E. coli enquanto EPM apresentou CIM de 250 μg/mL para S. aureus e E. coli. A taxa de sobrevivência dos encapsulados em condições gastrointestinais simuladas foi maior no líquido gástrico. Diante do exposto, conclui-se que atomização foi uma estratégia viável para coencapsulação de probióticos e extrato da semente de cajá, potencializando as suas atividades biológicas e contribuindo para a diversificação dos produtos probióticos disponíveis no mercado.


MEMBROS DA BANCA:
Interna - 2378605 - CRISTIANE FERNANDES DE ASSIS
Externa à Instituição - ESTER RIBEIRO DE ANDRADE - UFPE
Presidente - 3652554 - FRANCISCO CANINDE DE SOUSA JUNIOR
Externa ao Programa - 1517220 - MARCIA REGINA DA SILVA PEDRINI - null
Notícia cadastrada em: 20/06/2023 15:50
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa13-producao.info.ufrn.br.sigaa13-producao