Banca de QUALIFICAÇÃO: STPHANNIE JAMYLA DE ARAÚJO BARBOSA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : STPHANNIE JAMYLA DE ARAÚJO BARBOSA
DATA : 20/05/2022
HORA: 13:30
LOCAL: Link de acesso para videoconferência: https://meet.google.com/uab-sqtx-bjg
TÍTULO:
ANÁLISE DO EFEITO PROTETOR DA UTILIZAÇÃO DE Lactobacillus casei NO MODELO EXPERIMENTAL DA MUCOSITE INTESTINAL

PALAVRAS-CHAVES:
Mucosite; Probióticos; Lactobacillus.

PÁGINAS: 70
RESUMO:
Pacientes que passam por procedimentos de quimioterapia e radioterapia podem ser acometidos por mucosite no trato gastrointestinal, uma inflamação da mucosa da região. Essa condição, além de agravar o quadro clínico do paciente devido ao aparecimento de lesões, impacta diretamente no prognóstico esperado, uma vez que pode exigir a suspensão do tratamento e comprometer o controle tumoral. Ainda não há um tratamento elucidado para profilaxia ou cura da mucosite. Nesse contexto, o objetivo do presente trabalho foi avaliar o efeito de um modelo de mucosite intestinal. Lactobacilus casei (1x109 UFC/ml) ou solução salina foram administrados por via oral durante 18 dias. No 15º dia, a mucosite intestinal foi induzida por uma única administração intraperitoneal de 5-Fluouracil (450 mg/kg). Os animais foram eutanasiados e fragmentos de intestino foram coletados para avaliação imunohistoquímica e histopatológica, também foram avaliadas a atividade da enzima acetilcolinesterase, atividade da sacarase, concentração de citocinas inflamatórias, marcadores de estresse oxidativo e expressão gênica. No grupo L. casei, embora exposto ao 5FU no 15º dia, o probiótico mostrou efeito protetor, mantendo a atividade da enzima acetilcolinesterase em relação ao grupo 5FU (p<0,001). Os animais tratados com probióticos demonstraram uma atividade enzimática preservada, sem redução significativa em relação ao grupo salina (p˃0.05). A administração de L. casei reduziu eficiente os níveis de MDA (p < 0.001), o probiótico foi capaz de prevenir o dano na mucosa intestinal com redução significativa nos níveis das citocinas inflamatórias IL-1 beta, IL-6 e TNF-alfa (p˂0,001). Na análise histológica obteve-se escore 1, embotamento das vilosidades, perda da arquitetura das criptas, infiltrado de células inflamatórias esparsas, vacuolização e edema da camada muscular normal. O uso do probiótico conseguiu prevenir o aumento da expressão gênica do NFKB P65 quando comparado ao grupo 5FU (<0,05). O probiótico L casei foi capaz de prevenir o aumento da expressão
gênica do NFKB P65 de forma significativa quando comparado ao grupo 5FU (p<0,001).

MEMBROS DA BANCA:
Externa ao Programa - 2578619 - ANA HELONEIDA DE ARAUJO MORAIS
Interno - 3652554 - FRANCISCO CANINDE DE SOUSA JUNIOR
Presidente - 2330188 - GERLANE COELHO BERNARDO GUERRA
Notícia cadastrada em: 02/05/2022 11:56
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa23-producao.info.ufrn.br.sigaa23-producao