Banca de QUALIFICAÇÃO: EDNALDO GOMES DO NASCIMENTO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : EDNALDO GOMES DO NASCIMENTO
DATA : 31/03/2020
HORA: 09:00
LOCAL: SALA 2 DO PPGCF
TÍTULO:

DESENVOLVIMENTO E AVALIAÇÃO FÍSICO-QUÍMICA E MECÂNICA DE MEMBRANAS DE QUITOSANA CONTENDO SISTEMAS MULTICOMPONENTES DE TRIANCINOLONA ACETONIDA


PALAVRAS-CHAVES:

Triancinolona acetonida, membranas de quitosana, ciclodextrina, estomatite aftosa, liberação controlada de fármaco.


PÁGINAS: 126
RESUMO:

A triancinolona é um corticosteroide utilizado no tratamento de ulcerações tópicas. Apesar de seu uso na terapia tópica, apresenta problemas de solubilidade dificultando sua utilização em formas farmacêuticas de uso oral e tópica. Os agentes solubilizantes, como as ciclodextrinas e trietanolamina apresentam capacidade de promover uma melhor solubilidade deste fármaco, enquanto que a membrana de quitosana permite incorporar ativos e modificar sua liberação, modulando seu perfil biofarmacêutico. O objetivo do presente trabalho foi desenvolver membranas de quitosana capazes de incorporar sistemas multicomponentes com liberação sustentada da triancinolona acetonida, com o intuito de promover o possível tratamento de estomatites aftosas recorrentes menores. As membranas de quitosana foram preparadas pelo método de evaporação do solvente (casting), na qual a incorporação da triancinolona acetonide foi realizada através da dispersão prévia deste fármaco em soluções de HPBCD ou BCD (sistemas binários) contendo ou não a trietanolamina (sistema ternário). As membranas foram caracterizadas por microscopia de força atômica (AFM), microscopia eletrônica de varredura (MEV-FEG), espectroscopia de absorção na região do infravermelho com transformada de Fourier (FTIR), percentual de intumescimento, medidas do pH da superfície, difração de raios X (DRX), ensaio de tração e análise térmica (DSC e ATG/DTG). Todos os sistemas propostos desenvolvidos apresentaram características físico-químicas parecidas. O ensaio de performance de liberação in vitro da triancinolona acetonide foi realizado em células do tipo Franz, obtendo uma quantidade liberada que variou de 56 a 273 μg/mL após o período de 24h. A quantificação liberada da triancinolona foi feita pela cromatografia liquida de ultra eficiência (UPLC). Dos modelos matemáticos cinéticos utilizados, o Bhaskar e difusão parabólica representaram melhor o comportamento de liberação dos sistemas estudados. Dentre os sistemas desenvolvidos e avaliados, a incorporação da triancinolona nas membranas de quitosana na forma de sistema ternário apresentou-se mais promissor como sistema de liberação sustentada.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1492900 - CICERO FLAVIO SOARES ARAGAO
Externo ao Programa - 2195251 - HUGO ALEXANDRE DE OLIVEIRA ROCHA
Externa ao Programa - 2203888 - MARCIA RODRIGUES PEREIRA
Notícia cadastrada em: 09/03/2020 09:09
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa21-producao.info.ufrn.br.sigaa21-producao