Banca de DEFESA: TATIANA XAVIER DA COSTA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : TATIANA XAVIER DA COSTA
DATA : 12/12/2019
HORA: 10:30
LOCAL: SALA 2 DO PPGCF
TÍTULO:

FARMACOCINÉTICA POPULACIONAL E TOXICIDADE DO SULFATO DE MAGNÉSIO NA PRÉ-ECLAMPSIA


PALAVRAS-CHAVES:

Terapia intensiva, Farmacocinética, Pré-eclampsia, Reação Adversa, Sulfato de magnésio.


PÁGINAS: 95
RESUMO:

Introdução: O sulfato de magnésio (MgSO4) é o medicamento de escolha para tratar as convulsões na pré-eclampsia (PE). Apesar do amplo uso, a sua concentração terapêutica ainda não foi estabelecida. Objetivos: Desenvolver um modelo farmacocinético populacional do MgSO4 na PE avaliando o impacto de covariáveis na sua farmacocinética e estimar a incidência de reações adversas (RAM) em gestantes de alto risco e respectivos fatores de risco. Métodos: Em uma coorte prospectiva de pacientes com PE incluídas entre junho de 2016 e fevereiro de 2018 em uso de MgSO4, foram obtidas concentrações séricas de magnésio de 109 pacientes antes da administração e após 2, 6, 12 e 18 horas da dose inicial. O tratamento consistiu em 4g pela via endovenosa de MgSO4 e infusão posterior de 1g/h por 24 horas. Os parâmetros farmacocinéticos populacionais do MgSO4 (clearance, volume de distribuição, tempo de meia vida) foram estimados utilizando o software Monolix® Suite 2018 (Lixoft®, Antony, França). Foi estabelecido um modelo farmacocinético incluindo covariáveis demográficas, clínicas e laboratoriais das pacientes. Para a identificação das RAM, 607 pacientes internadas na UTI foram avaliadas diariamente através de busca ativa por anamnese farmacêutica, pesquisa em registros médicos e questionamento da equipe de saúde. As suspeitas de RAM foram classificadas quanto a causalidade pelo algoritmo de Naranjo. A regressão logística foi utilizada identificar fatores de risco de RAM. Consentimento informado por escrito foi obtido em todas as pacientes. Resultados: A farmacocinética do MgSO4 foi caracterizada por um modelo de um compartimento com eliminação linear. O clearance populacional foi 1,38 L/h, o volume de distribuição 13,3 L e a concentração de magnésio no baseline foi de 0,77 mmol/L (1,87 mg/dL). As co-variáveis peso e creatinina sérica apresentaram uma influencia estatisticamente significativa nos valores de clearance e volume de distribuição do magnésio, respectivamente. Quanto ao perfil de RAM em pacientes de alto risco, observou-se uma ou mais RAM em 27,2%, o medicamento mais implicado foi MgSO4 (25,2%), com 44,5% dos pacientes medicados com MgSO4 apresentando RAM, sendo as principais: sonolência (68.6%), reflexo patelar ausente (21.6%) e hipotensão (9,8%). Os fatores de risco relacionados a ocorrência de RAM foram pressão arterial (razão de chances ajustada (aOR) 1,02), nível de hemoglobina (aOR 1,21) e temperatura corporal (aOR 0,71). Conclusões: Concluiu-se que gestantes com PE e maior peso corporal apresentam maior volume de distribuição e, consequentemente, menor taxa de eliminação do MgSO4, enquanto as com níveis séricos elevados de creatinina têm menor clearance e, consequentemente, menor taxa de eliminação de MgSO4. As RAMs afetam cerca de um quarto das gestações de alto risco, principalmente devido a administração de MgSO4. Pressão arterial elevada, temperatura corporal mais baixa e a alta concentração de hemoglobina na admissão foram associadas a um aumento risco de RAM.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1048067 - ANTONIO MANUEL GOUVEIA DE OLIVEIRA
Externo à Instituição - MIGUEL ADELINO DA SILVA FILHO - F.M.Nassau
Externo à Instituição - RICARDO NEY OLIVEIRA COBUCCI - UnP
Interna - 1490222 - SILVANA MARIA ZUCOLOTTO LANGASSNER
Interna - 1804884 - VIVIAN NOGUEIRA SILBIGER
Notícia cadastrada em: 25/11/2019 10:58
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa24-producao.info.ufrn.br.sigaa24-producao