Banca de DEFESA: FABIANA DE OLIVEIRA YAMASHITA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : FABIANA DE OLIVEIRA YAMASHITA
DATA : 30/08/2019
HORA: 14:00
LOCAL: SALA 1 DO PPGCSA (2º ANDAR DO PRÉDIO DO CCS/UFRN)
TÍTULO:

ANÁLISE FITOQUÍMICA E AVALIAÇÃO DA ATIVIDADE ANTIESCORPIÔNICA E ANTIOFÍDICA DO SUCO DOS FRUTOS DE Hancornia speciosa Gomes (APOCYNACEAE)


PALAVRAS-CHAVES:

Antiescorpiônico. Antiofídico. Bothrops jararaca. Hancornia speciosa. Tityus serrulatus.


PÁGINAS: 135
RESUMO:

Acidentes com animais peçonhentos, principalmente serpentes e escorpiões, são considerados um sério problema de saúde pública. No Brasil, os acidentes ofídicos ocorrem principalmente por serpentes do gênero Bothrops, e os escorpiônicos pela espécie Tityus serrulatus. O tratamento convencional é o uso da soroterapia antipeçonha, que além de apresentar algumas limitações, como difícil acesso em algumas regiões e custo elevado, é capaz de neutralizar apenas as toxinas da peçonha, sendo ineficiente em inibir as reações inflamatórias endógenas. Dentro deste contexto, o estudo tem como objetivo realizar uma análise fitoquímica do suco dos frutos de Hancornia speciosa, bem como avaliar a capacidade do suco de neutralizar os efeitos inflamatórios da peçonha do escorpião Tityus serrulatus e os locais induzidos pela peçonha de Bothrops jararaca. A análise fitoquímica foi realizada através da técnica de cromatografia líquida de alta eficiência acoplada ao espectrômetro de massas (CLAE-DAD-EM/EM). A atividade antiescorpiônica do suco foi avaliada utilizando-se do modelo animal de edema pulmonar agudo induzido pela peçonha do escorpião T serrulatus. Os animais receberam a peçonha por via subcutânea e foram tratados via oral com o suco nas doses de 100 e 200 mg/kg, utilizando-se de protocolos de pré e pós-tratamento. Após 2 horas da administração da peçonha, os animais foram eutanasiados para a coleta dos pulmões, rins e sangue. Com os tecidos dos pulmões tratados foram realizadas as seguintes análises: quantificação de citocinas, concentração de azul de Evans, dosagem da enzima mieloperoxidase (MPO) e porcentagem do peso relativo pulmonar; com os rins, dosagem de nitrito e peroxidação lipídica; e, com o sangue, avaliados parâmetros hematológicos e bioquímicos. Em relação a peçonha botrópica, a capacidade do suco em inibir seus efeitos locais foi avaliada nos modelos de edema de pata, hemorragia, miotoxicidade e dermonecrose. Para tanto, os animais receberam o suco por via oral nas doses de 100 e 200 mg/kg, sendo administrado logo após a peçonha botrópica (pós-tratamento). Através das análises por CLAE-DAD-EM/EM foram identificados 13 compostos, sendo os majoritários identificados como L-bornesitol, ácido quínico, ácido clorogênico e rutina. As observações referentes à inibição dos efeitos antiescorpiônicos demonstraram que o suco de Hancornia speciosa foi capaz de diminuir significativamente alguns importantes parâmetros como a produção das citocinas, a atividade mieloperoxidase, a concentração de azul de Evans no tecido pulmonar, a peroxidação lipídica e a dosagem de nitrito. Em relação aos efeitos botrópicos, o suco foi capaz de diminuir de forma significativa a lesão dermonecrótica, edema, hemorragia e as concentrações das enzimas creatina quinase e lactato desidrogenase. Portanto, é possível concluir que o suco de Hancornia speciosa Gomes apresenta potencial para ser utilizado como adjuvante no tratamento de envenenamentos escorpiônicos e botrópicos.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - GISELLE PIDDE QUEIROZ - IB/SP
Externo ao Programa - 2276354 - LEANDRO DE SANTIS FERREIRA
Interna - 1055045 - MARCELA ABBOTT GALVAO URURAHY
Presidente - 1544647 - MATHEUS DE FREITAS FERNANDES PEDROSA
Externa à Instituição - NATHALIA KELLY DE ARAUJO - IFRN
Notícia cadastrada em: 15/08/2019 12:03
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa23-producao.info.ufrn.br.sigaa23-producao