Banca de QUALIFICAÇÃO: JACINTHIA BEATRIZ XAVIER DOS SANTOS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JACINTHIA BEATRIZ XAVIER DOS SANTOS
DATA : 06/11/2018
HORA: 10:00
LOCAL: SALA 1 DO PPGCF
TÍTULO:

AVALIAÇÃO DA ATIVIDADE ANTI-INFLAMATÓRIA DE GÉIS A BASE DE
EXTRATOS VEGETAIS DE PLANTAS DO NORDESTE BRASILEIRO: Jatropha
gossypiifolia E Ipomoea pes-caprae


PALAVRAS-CHAVES:

Géis. Anti-inflamatório. Jatropha gossypiifolia. Ipomoea pescaprae.


PÁGINAS: 115
RESUMO:

O processo inflamatório é um evento fisiológico gerado após uma lesão tecidual
que pode ser causada por diferentes tipos de agentes, sejam eles de origem
física, química ou biológica. Os eventos gerados nesse processo são ocasionados
pela liberação de mediadores inflamatórios, com o objetivo de restaurar a
homeostase. Para o tratamento das inflamações são utilizados fármacos antiinflamatórios
como os anti-inflamatórios não esteroidais e os glicocorticoides. No
entanto, a terapia prolongada leva ao aparecimento de reações adversas que
podem ser danosas ao paciente, e diante disso a busca por novas alternativas
mais seguras e eficazes se faz necessária. Nesse contexto, as plantas
medicinais, como as espécies vegetais Jatropha gossypiifolia (Jg) e Ipomoea pescaprae
(Ipc) podem ser destacadas como fortes candidatas, já que na medicina
tradicional são utilizadas popularmente para os mais variados fins curativos,
incluindo condições inflamatório. Nesse sentido, no presente estudo foi realizado
o desenvolvimento de géis contendo os extratos vegetais dessas espécies e a
avaliação de sua atividade anti-inflamatória tópica, utilizando os modelos de
edema de orelha induzido por aplicação única de óleo de cróton e edema de pata
induzido por carragenina (inflamação aguda) e edema de orelha induzido por
aplicação múltipla de óleo de cróton (inflamação crônica). Os géis apresentaram
características físico-químicas aceitáveis e mostraram-se estáveis durante 30 dias
de observação. No teste de irritação cutânea os géis não apresentaram sinais
clínicos de toxicidade entre os 14 dias de observação, corroborando com a faixa
de pH das formulações compatíveis com a da pele humana e indica a segurança
do produto desenvolvido para uso tópico. A atividade anti-inflamatória
apresentada pelos géis de Jg foi demonstrada por meio da quantificação de
diferentes parâmetros inflamatórios (edema, enzima mieloperoxidase, nitrito e
análise histopatológica) e oxidativos (peroxidação lipídica e glutationa reduzida) e
o gel de Ipc demonstrou atividade inibitória nos diferentes modelos de inflamação
(aguda e crônica), e análises bioquímicas e histológicas das amostras estão
sendo realizadas com o objetivo de embasar os resultados observados. Este
estudo demonstrou a potencialidade anti-inflamatória dos géis desenvolvidos com
os extratos das espécies J. gossypiifolia e I. pes-caprae, podendo servir como
ponto inicial no desenvolvimento de produtos fitoterápicos para o tratamento de
processos inflamatórios.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 2378605 - CRISTIANE FERNANDES DE ASSIS
Presidente - 346847 - MARIA DAS GRACAS ALMEIDA THORNTON
Externo à Instituição - RAQUEL DE MELO BARBOSA
Notícia cadastrada em: 19/10/2018 16:39
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa18-producao.info.ufrn.br.sigaa18-producao