Banca de QUALIFICAÇÃO: SHAYANNE MOURA FERNANDES DE ARAUJO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : SHAYANNE MOURA FERNANDES DE ARAUJO
DATA : 24/09/2018
HORA: 14:00
LOCAL: Sala 1 do PPgCF
TÍTULO:

PREVALÊNCIA DA HIPOVITAMINOSE D E SEUS FATORES ASSOCIADOS NA SÍNDROME DOS OVÁRIOS POLICÍSTICOS


PALAVRAS-CHAVES:

Síndrome dos Ovários Policísticos. Hipovitaminose D. Prevalência.


PÁGINAS: 63
RESUMO:

A Síndrome dos ovários policísticos (SOP) é considerada a endocrinopatia mais comum na fase reprodutiva da mulher, com prevalência até 26%. Além das alterações hormonais e reprodutivas, é comum a presença de fatores de risco para desenvolvimento de doenças cardiovasculares (DCV) como obesidade visceral, infertilidade, inflamação crônica de baixo grau, dislipidemia, diabetes mellitus e resistência à insulina (RI). Em geral, a SOP é a causa mais comum de anovulação e evidências sugerem que a deficiência da vitamina D tem sido associados à adipogênese, resistência insulínica, diabetes e obesidade que podem ser fatores primários no desenvolvimento da SOP. Com isso, objetivou-se estimar a prevalência da hipovitaminose D em mulheres com síndrome dos ovários policísticos (SOP) e seus fatores associados. A população em estudo será composta de 100 mulheres, com idades entre 18 e 40 anos. Para as variáveis clínicas foi realizado um teste regressão linear, e as variáveis que apresentaram p<0,15 entraram no teste regressão multivariada, para se avaliar as relações possíveis dos valores séricos da vitamina D com as demais variantes do estudo. Os testes foram considerados estatisticamente significativos em p<0,05. A idade das participantes do estudo a média foi de (26,49 ± 5,02) e IMC de (29.95 ± 5.57 kg/ m2). A maioria das mulheres apresentaram obesidade e sobrepeso (52,5%) e (30,5%). A prevalência de sobrepeso e obesidade é maior em mulheres com SOP, quando comparada à população em geral, chegando a atingir quase 80% dessas mulheres. Em relação ao escore de Ferriman-Gallwey modificado, a média foi de (13 ± 5,26), apresentando uma média de escore alto para hirsutismo e (62,7%) apresentaram infertilidade. A prevalência da deficiência de vitamina D até o dado momento foi de (5,13%), manteve-se baixa quando comparada aos valores da literatura em pacientes com SOP. Em relação à hipovitaminose, apresentou 55,17% (insuficiência 50% e deficiência 5,17%), e a suficiência de (44,83%), respectivamente. Na análise univariada, teve significância (p<0,15) com os valores séricos da vitamina D, a gordura ginoide, a glicose de 120 min e a ureia. Após a análise multivariada, estabelecendo significância de (p<0,05), apenas a gordura ginoide continuou apresentando diferença estatística. A gordura ginoide apresentou relação inversa com a vitamina D (β: -0.45; EP: 0.22). Os níveis de vitamina D variam com a massa corporal em SOP, muitos estudos relataram associações inversas entre o peso corporal (IMC, gordura corporal e medições da cintura) e níveis séricos de 25OHD em mulheres com SOP. Diante dos resultados parciais, pode-se observar que o perfil sócio-demográfico das voluntárias manteve-se similar se compararmos com estudos anteriores da SOP. Foi visto também que mesmo com um clima ensolarado no Nordeste, boa parte das mulheres apresentaram hipovitaminose D, o que pode ser um fator de risco complicador para SOP, uma vez que ela faz parte da homeostase da glicose e no modulamento da resposta do receptor de insulina.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 2075402 - DEYSE DE SOUZA DANTAS
Presidente - 6349161 - GERALDO BARROSO CAVALCANTI JUNIOR
Externo ao Programa - 2328351 - GUSTAVO MAFALDO SOARES
Notícia cadastrada em: 06/09/2018 15:04
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa01-producao.info.ufrn.br.sigaa01-producao