Banca de DEFESA: EDILANE RODRIGUES DANTAS DE ARAÚJO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : EDILANE RODRIGUES DANTAS DE ARAÚJO
DATA : 30/06/2017
HORA: 09:00
LOCAL: SALA DE AULA I PPGCF
TÍTULO:

AVALIAÇÃO DAS ATIVIDADES ANTIÚLCERA E ANTI-INFLAMATÓRIA TÓPICA DO SUCO DAS FOLHAS DE Kalanchoe brasiliensis CAMBESS E Kalanchoe pinnata (LAMARCK) PERSOON


PALAVRAS-CHAVES:

Kalanchoe brasiliensis; Kalanchoe pinnata; coirama; suco das folhas; flavonoides; antiúlcera; anti-inflamatório tópico.


PÁGINAS: 145
RESUMO:

Kalanchoe brasiliensis Cambess e Kalanchoe pinnata (Lamarck) Persoon (Crassulaceae),
conhecidas popularmente como saião e coirama, são amplamente utilizadas na medicina
tradicional no tratamento de úlceras pépticas e inflamações. Vale destacar que K. pinnata
está presente na RENISUS (2009). Dentro deste contexto, o objetivo do presente trabalho foi
caracterizar os marcadores químicos presentes nos sucos das folhas das duas espécies e
avaliar a atividade antiúlcera e anti-inflamatória tópica. Foi realizada caracterização
fitoquímica por Cromatografia em Camada Delgada (CCD) e Cromatografia Líquida de Ultra
Eficiência Acoplada a Espectrômetro de Massas (CLUE-EM). A atividade antiúlcera foi
avaliada nos modelos de úlcera induzida por etanol e indometacina, já a acidez total, pH e
volume foram avaliados no modelo de ligadura do piloro, ambos em ratos Wistar. Os sucos
nas doses de 125, 250 e 500 mg/kg e a ranitidina (50 mg/Kg, via oral) foram administrados
por via oral 24 e 1 hora antes da indução. A atividade anti-inflamatória tópica foi avaliada no
modelo de edema de pata induzido por carragenina e edema de orelha induzido por óleo de
crotón em camundongos Swiss, utilizando como fármaco padrão a dexametasona (1mg/g, via
tópica). A análise por CCD revelou a presença de manchas características de flavonoides nos
sucos das duas espécies, após revelação com o Reagente Natural A e permitiu observar que as
espécies em questão apresentam perfil flavonoídico diferente. Na análise por CLUE-EM o
suco das folhas de K. brasiliensis apresentou flavonoides glicosilados derivados
principalmente da patuletina, enquanto que o de K. pinnata apresentou em sua maioria
flavonoides glicosilados derivados de quercetina. O pré-tratamento com o suco das folhas de
K. brasiliensis nas doses de 250 mg/kg (P<0,01) e 500 mg/kg (P<0,001) e com o suco das
folhas de K. pinnata nas doses de 250 mg/kg (P<0,001) e 500 mg/kg (P<0,001) reduziram
significativamente as lesões em comparação ao controle positivo no modelo de indução por
etanol. No modelo de indução por indometacina o suco das folhas de K. brasiliensis também
apresentou resultado significativo nas doses de 250 (P<0,05) e 500 mg/kg (P<0,01) e K.
pinnata nas doses de 250 (P<0,01) e 500 mg/kg (P<0,001). A redução das lesões foi
acompanhada de redução do estresse oxidativo, observado pelo aumento do conteúdo total de
glutationa e pela redução dos níveis de malondialdeído. Além disso, houve redução dos
marcadores inflamatórios: mieloperoxidase, IL-1β e TNF-α. Também foi possível observar
um efeito citoprotetor a partir da avaliação histológica e redução da expressão de iNOS por
imunohistoquímica. No modelo de ligadura do piloro os sucos das folhas de ambas espécies
não alteraram a acidez, o pH e o volume do suco gástrico. No modelo de edema de orelha, as
formulações contendo as três concentrações do suco das folhas de K. brasiliensis reduziram
significativamente o edema quando comparadas ao grupo placebo (1,25% P<0,05; 2,5%
P<0,01 e 5% P<0,01). Apenas a formulação contendo o suco das folhas de K. pinnata na
concentração de 5% apresentou resultado significativo (P<0,01). No modelo de edema de
pata, as formulações contendo o suco das folhas de K. brasiliensis nas concentrações de 1,25
e 2,5% reduziram significativamente (P<0,05) o edema no tempo 4 h. A formulação na
concentração de 5% reduziu significativamente o edema nos tempos 1 h (P<0,001), 2 h
(P<0,01), 3 h e 4 h (P<0,01). Em relação as formulações contendo o suco das folhas de K.
pinnata, a concentração de 1,25% reduziu significativamente o edema no tempo 1h (P<0,01) e
no tempo 2h (P<0,05), na concentração de 5% reduziu significativamente no tempo 1h
(P<0,05). A diminuição do edema foi seguida da redução da atividade da enzima
miloperoxidase. Dessa forma, pode-se concluir que o suco das folhas das duas espécies e
estudo apresentaram atividade antiúlcera e anti-inflamatória tópica em modelos in vivo,
resultados que justificam a utilização popular das espécies.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1490222 - SILVANA MARIA ZUCOLOTTO LANGASSNER
Externo ao Programa - 2276354 - LEANDRO DE SANTIS FERREIRA
Externo à Instituição - LEÔNIA MARIA BATISTA - UFPB
Notícia cadastrada em: 26/06/2017 15:09
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa03-producao.info.ufrn.br.sigaa03-producao