Banca de DEFESA: HALINE TEREZA MATIAS DE LIMA COSTA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : HALINE TEREZA MATIAS DE LIMA COSTA
DATA : 30/06/2017
HORA: 09:00
LOCAL: SALA DE AULA II DO PPGCF
TÍTULO:

UTILIZAÇÃO DE MEDICAMENTOS OFF-LABEL E NÃO LICENCIADOS EM TERAPIA INTENSIVA NEONATAL


PALAVRAS-CHAVES:

Utilização de medicamentos. Interação medicamentosa. Unidade de terapia intensiva. Uso off-label. Neonato.


PÁGINAS: 128
RESUMO:

INTRODUÇÃO: Diversos estudos têm mostrado que um número significativo de medicamentos prescritos em pacientes pediátricos são off-label ou não licenciados, mas existe pouca informação sobre o uso destes medicamentos em unidades de terapia intensiva neonatal (UTIN), assim como estudos sobre fatores de risco para interações medicamentosas (IM). OBJETIVO: Avaliar o uso de medicamentos off-label e não licenciados utilizados em recém-nascidos (RN) hospitalizados em UTIN, além de avaliar frequência de IM e seus fatores de risco. METODOLOGIA: Estudo descritivo observacional, de coorte e prospectivo, no qual foram incluídos neonatos admitidos consecutivamente na UTIN da Maternidade Escola Januário Cicco com pelo menos um medicamento prescrito e tempo de internação superior a 24 horas. Dados demográficos, clínicos e farmacoterapêuticos dos neonatos foram coletados durante toda a internação, sendo a classificação dos medicamentos em off-label e não licenciados realizada de acordo com critérios da Food and Drug Administration através da base DrugDex-Micromedex®, a qual também foi utilizada na classificação das IM, cujos fatores de risco foram identificados por regressão logística. RESULTADOS: Entre agosto de 2015 e agosto de 2016 foram analisados 17421 itens medicamentosos em 3935 prescrições de 220 neonatos, dos quais 96,4% foram expostos a medicamentos off-label e 66,8% a não licenciados. Mais de 70% dos prematuros e RN com menos de 2000g foram submetidos à farmacoterapia com medicamentos off-label e mais de 50% aos não licenciados. Os anti-infecciosos para uso sistêmico foram o grupo farmacológico mais prescrito de forma off-label,sendo o fentanil (n=1358) e a gentamicina (n= 1197) os medicamentos com maior prevalência de uso off-label para RN. A cafeína (n=1226) foi o medicamento não licenciado mais prescrito, seguido pelos agentes cardiovasculares (n=648) modificados pela enfermagem. Em 42,3% (n= 1665) das prescrições foram detectadas IM, sendo considerados como fatores de risco para IM importantes o número de medicamentos (OR 1,60, p<0,001), parto cesáreo (OR 2,68, p=0,06) e idade gestacional (OR 1,03, p= 0,002). CONCLUSÃO: RN em terapia intensiva têm uma alta taxa de prescrição e exposição a medicamentos off-label e não licenciados, sendo os mais frequentes os anti-infecciosos de uso sistêmico e os medicamentos atuantes no sistema nervoso, e também uma elevada incidência de IM, sendo o número de medicamentos prescritos, parto cesáreo e a idade gestacional os principais fatores de risco para IM.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1048067 - ANTONIO MANUEL GOUVEIA DE OLIVEIRA
Externo ao Programa - 2149416 - MARIA DA CONCEICAO DE MESQUITA CORNETTA
Externo à Instituição - DJANILSON BARBOSA DOS SANTOS - UFRB
Notícia cadastrada em: 26/06/2017 11:19
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa19-producao.info.ufrn.br.sigaa19-producao