Banca de QUALIFICAÇÃO: FLÁVIA EVELYN MEDEIROS FERNANDES

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : FLÁVIA EVELYN MEDEIROS FERNANDES
DATA : 28/11/2016
HORA: 09:00
LOCAL: SALA DE AULA II DO PPGCF
TÍTULO:

USO DE MEDICAMENTOS E PROLONGAMENTO DO INTERVALO QTc EM UMA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA ADULTO


PALAVRAS-CHAVES:

Síndrome do QT Longo; Unidades de Terapia Intensiva; Efeitos Colaterais e Reações Adversas Relacionados a Medicamentos.


PÁGINAS: 82
RESUMO:

Objetivo: O objetivo deste estudo foi investigar a prevalência de prolongamento do intervalo QTc em pacientes críticos, seus fatores de risco e grau de associação com os medicamentos administrados. Método: Estudo observacional, prospectivo, transversal realizado em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) geral, que realizou a análise do intervalo QT através do Eletrocardiograma (ECG) no momento da admissão à unidade e a pesquisa dos medicamentos utilizados previamente a admissão. Resultados: Foi detectada uma prevalência de 33,9%, sendo que 13,3% possuíam QTc>500 ms. As variáveis idade (OR 1,017, p=0,00), temperatura (OR 0,812, p=0,01), diabetes (OR 1,440, p=0,04), cirurgia eletiva (OR 1,852, p=0,00), potássio (OR 0,828, p=0,05) e magnésio (OR 1,514, p=0,02) mostraram-se como fatores de risco para o prolongamento QTc. Os medicamentos amiodarona (OR 2,434, p=0,02) e haloperidol (OR 3,333, p=0,02) foram associados com aumento de risco de prolongamento QTc significativo. Os medicamentos cefazolina, cefepime, midazolam, nitroglicerina, norepinefrina, sufentanil e protamina foram apontados como novos indutores de prolongamento QTc. Em 69,9% dos pacientes com QTc longo foram prescritos medicamentos que também aumentavam o risco, sendo a furosemida, ondansetrona, pantoprazol, metoclopramida e amiodarona os mais frequentemente utilizados. Conclusões: Observou-se uma importante prevalência de prolongamento do intervalo QTc em pacientes crítico, que frequentemente recebem medicamentos já relacionados ao prolongamento QTc durante sua internação na unidade. Hipermagnesemia e exposição a um procedimento cirúrgico foram identificados como novos fatores de risco para a ocorrência de prolongamento QTc. Outros medicamentos ainda não descritos pelo AZCERT foram identificados como possíveis indutores de prolongamento QTc.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2087759 - ANDRE DUCATI LUCHESSI
Externo ao Programa - 347795 - IVONETE BATISTA DE ARAUJO
Externo ao Programa - 2495713 - ROSIANE VIANA ZUZA DINIZ
Notícia cadastrada em: 17/11/2016 11:00
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa01-producao.info.ufrn.br.sigaa01-producao