Banca de DEFESA: ALLANNY ALVES FURTADO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ALLANNY ALVES FURTADO
DATA: 29/02/2016
HORA: 14:00
LOCAL: SALA DO CONSEC/CCS
TÍTULO:

AVALIAÇÃO DO POTENCIAL ANTI-INFLAMATÓRIO DO EXTRATO AQUOSO DAS
FOLHAS DA Ipomoea asarifolia (Concolvulaceae) EM MODELOS EXPERIMENTAIS
EM MURINOS


PALAVRAS-CHAVES:

Atividade anti-inflamatória, Ipomoea asarifolia, Convolvulaceae, modelos in
vivo.


PÁGINAS: 129
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

Ipomoea asarifolia (Desr.) Roem. & Schult. (Convolvulaceae), vulgarmente conhecida como salsa, é uma planta usada na medicina popular para tratar sintomas de doenças de cunho inflamatório, como dermatites, sarna, sífilis, úlceras de pele e feridas externas. No entanto, pouco se sabe a respeito da composição química e mecanismos de ação dessa espécie vegetal para apoiar essa atividade relatada pelo uso popular. Portanto, o estudo objetivou investigar o potencial anti-inflamatório das folhas da I. asarifolia e identificar biomoléculas presentes no extrato. A amostra foi obtida por decocção (1:10 m/v) e o perfil cromatográfico obtido por Cromatografia em Camada Delgada (CCD), Cromatografia Líquida de Alta Eficiência acoplada ao Detector de Arranjo de Diodos (CLAE-DAD) e Cromatografia líquida acoplada ao Detector de Arranjo de Diodo e ao Espectrômetro de Massa em Tandem (CL-DAD-EM/EM). O potencial anti-inflamatório do extrato foi avaliado nos seguintes modelos in vivo: edema de orelha induzido por xilol (20, 30 e 40 mg/kg), avaliando o grau de formação de edema; peritonite induzida por carragenina (10, 20 e 30 mg/kg), avaliando a migração de leucócitos e os níveis de citocinas (IL-1β, IL-6, IL-12 e TNF-α) em 4 horas por ELISA; bolsa de ar com inflamação induzida por zimosan (20, 30 e 40 mg/kg), avaliando a cinética da migração de leucócitos por contagens global e diferencial em 6, 24 e 48 horas. Os mesmos testes foram realizados para os compostos fenólicos identificados (rutina, ácido clorogênico e ácido cafeico) em diferentes doses para cada modelo experimental acima citado. O extrato reduziu a formação do edema (81, 85 e 86% para as doses de 20, 30 e 40 mg/kg, respectivamente, p<0,001) e a migração celular em modelos experimentais de peritonite (70, 78 e 83% para doses de 10, 20 e 30 mg/kg, respectivamente, p<0,001) e de bolsa de ar (58, 67 e 53% para as doses de 20, 30 e 40 mg/kg, respectivamente, p<0,001). Além disso, o extrato demonstrou a capacidade para inibir de forma significativa a produção das citocinas analisadas (p<0,001) bem como as biomoléculas
identificadas. Este é o primeiro estudo a identificar e confirmar a presença rutina, ácido clorogênico e ácido cafeico no extrato aquoso de I. asarifolia, sugerindo que esses compostos contribuem para a atividade anti-inflamatória relatada pelo uso popular


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1544647 - MATHEUS DE FREITAS FERNANDES PEDROSA
Externo ao Programa - 2330188 - GERLANE COELHO BERNARDO GUERRA
Externo à Instituição - FRANCILENE AMARAL DA SILVA - UFS
Notícia cadastrada em: 22/02/2016 14:17
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa10-producao.info.ufrn.br.sigaa10-producao