Banca de DEFESA: GRAZIENE LOPES DE SOUZA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: GRAZIENE LOPES DE SOUZA
DATA: 26/06/2015
HORA: 09:00
LOCAL: SALA DE AULA II DO PPGCF
TÍTULO:

DESENVOLVIMENTO E VALIDAÇÃO DE METODOLOGIA ANALÍTICA PARA ANÁLISE DA FRAÇÃO ACETATO DE ETILA DO EXTRATO DA CASCA DO CAULE DE Anacardium occidentale Linn POR CROMATOGRAFIA LÍQUIDA DE ALTA EFICIÊNCIA.


PALAVRAS-CHAVES:

Anacardium occidentale, Cromatografia Líquida de Alta Eficiência, metodologia analítica, validação, controle de qualidade.


PÁGINAS: 91
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

Anacardium occidentale Linn é uma árvore nativa do Brasil, popularmente conhecida como cajueiro. Estudos mostram que a fração Acetato de Etila (AcOEt) obtida a partir do extrato acetona das cascas do caule de A. occidentale apresenta atividade anti-inflamatória, sugerindo-se os taninos como responsáveis por essa ação. Sendo uma das 71 espécies da Relação Nacional de Plantas Medicinais de Interesse ao Sistema Único de Saúde (RENISUS), é importante que sejam desenvolvidas metodologias analíticas para o estudo dos seus constituintes. Nesse contexto, a Cromatografia Líquida de Alta Eficiência (CLAE) constitui uma metodologia de importância para a análise de amostras de origem vegetal. Este estudo teve como objetivo desenvolver e validar uma metodologia analítica por CLAE para a análise da fração AcOEt do extrato acetona das cascas do caule de A. occidentale. As condições cromatográficas foram estabelecidas utilizando como fase móvel ácido acético a 0,3% e acetonitrila. Como ponto de partida para o desenvolvimento do método cromatográfico, foi utilizado um gradiente exploratório, que permite analisar todas as faixas de polaridade. O gradiente de eluição foi então ajustado até a obtenção de um cromatograma com adequada separação e parâmetros cromatográficos satisfatórios. Para a identificação dos compostos, foi realizada a análise de padrões e, pela observação dos tempos de retenção e espectros de absorção das substâncias, foi possível eleger as que estariam presentes na amostra. Foi possível sugerir a presença de catequina, epicatequina, epigalocatequina e ácido gálico na fração AcOEt de A. occidentale. Para a validação do método, foram realizados os testes de linearidade, precisão, exatidão, robustez, limites de detecção e quantificação. O método foi avaliado como sendo linear, preciso e exato para os compostos estudados. Dentre as condições de análise alteradas para o estudo da robustez, o método não apresentou robustez para a análise do ácido gálico, quando a temperatura da coluna foi de 35ºC, mas as demais condições alteradas não promoveram mudanças estatisticamente significativas para este analito. Conclui-se que o método cromatográfico é adequado para a análise da fração AcOEt do extrato acetona de A. occidentale.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1201781 - FERNANDA NERVO RAFFIN
Externo ao Programa - 2140814 - FERNANDO HENRIQUE ANDRADE NOGUEIRA
Externo à Instituição - TANIA MARIA SARMENTO DA SILVA - UFRPE
Notícia cadastrada em: 11/06/2015 10:33
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa24-producao.info.ufrn.br.sigaa24-producao