Banca de DEFESA: ANA CELLY SOUZA DOS SANTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANA CELLY SOUZA DOS SANTOS
DATA: 27/03/2015
HORA: 14:00
LOCAL: SALA DE AULA II DO PPGCF
TÍTULO:

 

A INFLUÊNCIA DA PERDA DE PESO NO PERFIL INFLAMATÓRIO DE MULHERES COM SÍNDROME DOS OVÁRIOS POLICÍSTICOS.



PALAVRAS-CHAVES:

síndrome dos ovários policísticos, inflamação, resistência à insulina, obesidade e perda de peso.


PÁGINAS: 23
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

A síndrome dos ovários policísticos (SOP) é con­siderada a endocrinopatia mais comum na fase reprodutiva da mulher, com prevalência que varia entre 15 a 20%. Além das alterações hormonais e reprodutivas, é comum na SOP a presença de fatores de risco para desenvolvimento de doenças cardiovasculares (DCV) como diabetes mellitus, resistência à insulina (RI), obesidade visceral, inflamação crônica de baixo grau e dislipidemia. Devido à elevada frequência da obesidade associada à SOP, a perda de peso  é considerada como o tratamento de primeira linha para a síndrome por melhorar as alterações metabólicas e normalizar os andrógenos séricos, restaurando a função reprodutiva destas pacientes. Objetivos: avaliar os marcadores inflamatórios e a RI em mulheres com SOP e ovulatórias saudáveis com diferentes estados nutricionais e como os parâmetros inflamatórios e hormonais se apresentam após a perda de peso, através da restrição calórica nas portadoras da síndrome. Métodos: O fator de necrose tumoral-alfa (TNF-α), a interleucina-6 (IL-6) e a proteína c-reativa (PCR) foram avaliados em amostras de soro de 40 mulheres em idade reprodutiva. Na primeira fase do estudo, as voluntárias foram divididas em quatro grupos: Grupo I (não eutróficas com SOP, n=12); Grupo II (não eutróficas sem SOP, n=10), Grupo III (eutróficas com SOP, n=08) e Grupo IV (eutróficas sem SOP, n=10). A categorização dos grupos foi realizada pelo índice de massa corporal (IMC), de acordo com a organização mundial de saúde (OMS) em não eutrófica, mulheres com IMC ≥ 25 (kg/m²) e eutróficas, IMC entre 18,9-24,9 (kg/m²).  A RI foi determinada através do índice HOMA-IR. Na segunda fase do estudo foi realizada uma intervenção nutricional controlada e os parâmetros inflamatórios foram avaliados em 21 mulheres sobrepeso e obesas com SOP, antes e depois da perda de peso. Todas as pacientes receberam uma dieta hipocalórica com redução de 500 kcal/dia do consumo habitual com concentrações padrão de macronutrientes. Resultados: Fase 1: pacientes com SOP apresentaram níveis aumentados da PCR (p<0,01) e HOMA-IR (p<0,01). Quando divididas por IMC, tanto o grupo não eutrófico com SOP (I) quanto eutrófico com SOP(III) apresentou níveis aumentados de PCR (I=2,35±0,55mg/L e III= 2,63±0,65mg/L; p<0,01) e HOMA-IR (I= 2,16±2,54 e III= 1,07±0,55; p<0,01). Não foram encontradas diferenças de TNF-α e IL-6 entre os grupos. Fase 2: Após a perda de peso de 5% do peso inicial ocorreu uma redução em todos os níveis séricos dos componentes do perfil inflamatório avaliados, PCR (154.75 ± 19.33) vs (78.06 ± 9.08), TNF- α (10.89 ± 5.09) vs (6.39 ± 1.41) e IL6 (154.75 ± 19.33) vs (78.06 ± 9.08) (p < 0.00)  em associação com a melhora de alguns parâmetros hormonais avaliados. Conclusão: A SOP contribuiu para o surgimento da inflamação crônica e das alterações no metabolismo da glicose através do aumento da PCR, da insulina e do HOMA-IR, independente do estado nutricional e a perda de peso melhoraram o estado inflamatório e o perfil hormonal das pacientes avaliadas.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2323511 - ADRIANA AUGUSTO DE REZENDE
Externo à Instituição - JOSE EDVAN DE SOUZA JUNIOR - UERN
Presidente - 1306690 - TELMA MARIA ARAUJO MOURA LEMOS
Notícia cadastrada em: 18/03/2015 16:57
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa06-producao.info.ufrn.br.sigaa06-producao