Banca de QUALIFICAÇÃO: LEANDRO VINICIUS FERNANDES DE MORAIS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LEANDRO VINICIUS FERNANDES DE MORAIS
DATA: 30/09/2014
HORA: 15:00
LOCAL: SALA DO CONSEC 2º ANDAR PRÉDIO DO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE
TÍTULO:

Avaliação In vivo e in vitro das atividades antioxidante, antimicrobiana e toxicidade em extratos e respectivas frações de folhas de Licania rigida e Turnera ulmifolia.


PALAVRAS-CHAVES:

Turnera ulmifolia, Licania rigida, antimicrobianos, antioxidante e toxicidade.


PÁGINAS: 98
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

Turnera ulmifolia Linn. var. elegans e a Licania rigida Benth são espécies que elencam a diversidade de plantas regionais do semiárido empregadas no tratamento de doenças como, diabetes, bronquite e usado também como anti-inflamatório e estimulante. Baseado no conhecimento popular a cerca dessas espécies, o intuito desse trabalho foi caracterizar os extratos e frações de L.rigida e T. ulmifolia, por meio de técnicas fotométricas e cromatográficas, investigar o potencial antimicrobiano, antioxidante e avaliar o toxicidade oral aguda dos extratos. Para a análise química foram realizada a quantificação total de compostos fenólicos por espectrofotometria e uma caracterização cromatográfica. A avaliação da atividade antioxidante foi realizada pela determinação da capacidade de sequestro do radical DPPH, atividade antimicrobiana foi avaliada pelos ensaios de difusão em ágar, determinação da concentração inibitória mínima (CIM) e cinética de morte bacteriana, os ensaio in vivo foram executados para determinar a toxicidade oral aguda. Os extratos e frações de L. rigida e T. ulmifolia apresentaram elevada composição fenólica, com a presença de flavonoides, dos quais foram determinados seus constituintes majoritários como flavonóis glicosilados e flavonas. Observou-se que os extratos de ambas as espécies não foram tóxicas na experimentação animal e agiram como agentes sequestradores no ensaio da atividade antioxidante in vitro, porém com maior potência da L. rigida, sendo os extrato dessa espécie bactericida frente as cepas de S. aureus, S. aureus meticilina resistente, S. epidermidis, e ativa também contra as leveduras, Candida albicans, Candida dubliniensis, Candida tropicalis, Candida parapsilosis, Candida rugosa, Candida krusei eTrichosporon asahii. Com base nesses resultados é possível afirmar que atividade antioxidante e antimicrobiana possivelmente é atribuída presença de polifenólicos e flavonoide evidenciados nos extratos e frações, os quais demonstraram-se atóxicos, apresentando assim segurança em seu possível uso.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1164475 - MAIZA ROCHA DE ABRANTES
Externo ao Programa - 2432313 - RAND RANDALL MARTINS
Interno - 1490222 - SILVANA MARIA ZUCOLOTTO LANGASSNER
Notícia cadastrada em: 19/09/2014 11:56
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa28-producao.info.ufrn.br.sigaa28-producao