Banca de DEFESA: EDINARA TARGINO DE MELO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: EDINARA TARGINO DE MELO
DATA: 31/03/2014
HORA: 09:00
LOCAL: Sala de aula 2 do PPgCF
TÍTULO:

 AVALIAÇÃO FUNCIONAL E ESTRUTURAL DE UM NOVO PEPTÍDEO
ANTIMICROBIANO DO ESCORPIÃO Tityus stigmurus

 


PALAVRAS-CHAVES:

Tityus stigmurus. Peptídeo antimicrobiano. Peptídeo sem pontes
dissulfeto. Peptídeo anfipático. Agente antifúngico.


PÁGINAS: 100
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

No Brasil, é grande a incidência de animais peçonhentos, onde se destacam os
escorpiões por sua importância médica, sendo sua peçonha fonte de diversas substâncias
químicas com atividade biológica e farmacológica ainda não compreendida, incluindo
diversos peptídeos bioativos. Peptídeos antimicrobianos (PAMs) são componentes do
sistema imune de procariotos e eucariotos, utilizados na primeira linha de defesa contra
microorganismos. No presente trabalho, foi caracterizado o primeiro PAM previamente
identificado por meio do transcriptoma da glândula de veneno do escorpião Tityus
stigmurus, nomeado Stigmurina. As características da Stigmurina foram investigadas
por modelação computacional e construção de dendrograma. Testes in vitro foram
empregados para investigar a atividade antibacteriana, antifúngica, hemolítica e
citotóxica do veneno bruto e da Stigmurina. Além disso, as características estruturais da
Stigmurina foram investigadas por dicroísmo circular em água, 2, 2, 2-trifluoethanol
(TFE) e dodecil sulfato de sódio (SDS), e os modelos refinados por simulações de
dinâmica molecular. Os resultados mostraram que a sequência selecionada codifica uma
proteína madura com 17 resíduos de aminoácidos e o dendrograma revela um caso de
convergência evolutiva. A peçonha bruta não apresentou atividade nos testes
antimicrobianos. No entanto, a Stigmurina mostrou um amplo espectro de atividade
antibacteriana, com concentrações inibitórias mínimas (CIMs) entre 31,25 a 250 μg/mL
para diferentes cepas, enquanto a atividade hemolítica a estas concentrações foi baixa.
Nos estudos de citotoxicidade, a peçonha bruta foi incapaz de reduzir a viabilidade
celular em células VERO E6; ao contrário sua toxicidade em células SiHa foi
significativamente superior correspondendo a uma LD
50 de 3,6 μg/mL. Já nos testes com a Stigmurina, as concentrações capazes de reduzir a viabilidade celular das células VERO E6 e SiHa em 50% foram de 275,67 μg/mL e 212,54 μg/mL, respectivamente.
Os espectros de dicroísmo revelaram flexibilidade conformacional, predominando
estrutura estendida e β–folha, além de notável capacidade de renaturação. Os resultados
sugerem que a Stigmurina poder ser considerada como um potencial medicamento antiinfeccioso.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1549705 - ADRIANA FERREIRA UCHOA
Externo à Instituição - DANIELA PRISCILA MARCHI SALVADOR - UFPB
Presidente - 1544647 - MATHEUS DE FREITAS FERNANDES PEDROSA
Notícia cadastrada em: 19/03/2014 15:26
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa01-producao.info.ufrn.br.sigaa01-producao