Banca de DEFESA: LAURA DA FONSECA FERREIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LAURA DA FONSECA FERREIRA
DATA: 29/11/2013
HORA: 09:00
LOCAL: Sala do CONSEC/CCS
TÍTULO:

Microemulsão de sinvastatina: potencial sistema terapêutico para avaliação de seus efeitos pleiotrópicos


PALAVRAS-CHAVES:

Sinvastatina. Sistemas de liberação de fármacos. Microemulsão.Estudos de validação. CLAE. Citotoxicidade


PÁGINAS: 108
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

A sinvastatina (SIV) é um agente redutor de colesterol amplamente utilizado na
prevenção primária e secundária de doenças cardiovasculares. Evidências
experimentais e clínicas recentes sugerem vários e importantes efeitos benéficos
das estatinas que podem se estender além dos seus efeitos redutores de colesterol,
denominados de efeitos pleiotrópicos, que incluem atividade anti-inflamatória,
anticoagulante e imunomoduladora. No entanto, a baixa solubilidade da SIV em
água e sua baixa biodisponibilidade (5%) são limitações importantes que
oportunizam a incorporação deste fármaco em carreadores lipídicos, tais como
microemulsões (ME). Esta dissertação foi dedicada ao desenvolvimento de um
sistema microemulsionado O/A contendo SIV, como potencializador de solubilidade
deste fármaco e como sistema de liberação promissor para aplicação terapêutica no
que se refere aos efeitos pleiotrópicos. A formulação ideal de ME foi selecionada
baseado no desenvolvimento prévio de um diagrama de fase pseudo-ternário.
Posteriormente, a SIV foi incorporada na ME, os sistemas foram caracterizados
físico-quimicamente e, após a quantificação da SIV por Cromatografia Líquida de
Alta Eficiência (CLAE), os seus efeitos biológicos in vitro foram avaliados através do
ensaio de MTT frente a dois modelos celulares. A técnica utilizada para a produção
de ME foi adequada e suficiente para reduzir a tensão interfacial obtendo-se
sistemas homogêneos, claros e translúcidos com característica do sistema Winsor
IV. As ME na ausência (ME branca) e na presença de SIV (SIV-ME) apresentaram
tamanho de gotícula de aproximadamente 22,1 e 23,7 nm, respectivamente, e um
baixo índice de polidispersão. A ME foi capaz de incorporar a SIV na concentração
terapêutica recomendada como evidenciado pela elevada eficiência de
encapsulação (> 90%) e mostrou, ainda, uma alta interação entre eles, como
evidenciado pela manutenção das propriedades físicas e químicas do sistema
lipídico mesmo após a incorporação do fármaco. O estudo de validação para a
quantificação de SIV em ME por CLAE mostrou que o método foi específico,
seletivo, exato, preciso e robusto, com linearidade no intervalo de trabalho (2,0-20,0
μg.mL-1). Os estudos de citotoxicidade revelaram que a SIV em ME na concentração
de 10 μM induziu a proliferação de fibroblastos normais, células 3T3. No entanto,
mostrou atividade citotóxica in vitro contra as células HeLa, com razão de inibição
dose e tempo dependente, e em maior proporção, quando a SIV estava incorporada
na ME. Portanto, a SIV-ME mostrou potencial como sistema terapêutico promissor
para a aplicação no que se refere aos efeitos pleiotrópicos das estatinas.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 346138 - ALDO DA CUNHA MEDEIROS
Presidente - 1178187 - ERYVALDO SOCRATES TABOSA DO EGITO
Externo à Instituição - FRANCELINE REYNAUD - UFRJ
Notícia cadastrada em: 11/11/2013 11:26
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa14-producao.info.ufrn.br.sigaa14-producao