Apresentação

O Programa de Pós-Graduação em Química (PPGQ) da UFRN tem sede permanente no Instituto de Química da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, situado no Campus Central na cidade de Natal/RN. É credenciado pela Capes/MEC e, parcialmente, custeado com recursos do Programa de Apoio à Pós-Graduação (PROAP). Desde sua implantação em 1992 já formou 429 mestres e 198 doutores. Dentre os mestres e doutores formados mais de 80% atendem às instituições de ensino públicas e privadas, não apenas no Rio Grande do norte, mas no Brasil e até mesmo no exterior (como é o caso de alunos egressos como Moisés Romolos que atualmente é professor em uma Universidade Francesa). Isso mostra a importância de um programa de pós-graduação em química para a formação de novos docentes e que possa contribuir para a formação de pessoal e ao mesmo tempo colocar pessoas mais qualificadas no mercado de trabalho. Em 2018, o programa passou por uma reestruturação e continua passando por novas adequações tanto em relação ao seu corpo docente quanto aos mecanismos de avaliação dos mesmos, incluindo também o desempenho de seus discentes e egressos. Embora seja um programa relativamente novo o número de mestres e doutores formados pelo programa é bem expressivo e demonstra o esforço e competência do seu corpo docente em formar bons profissionais para atender as demandas regionais e nacionais. A maioria do corpo docente permanente possui bolsa de produtividade em pesquisa do CNPq (cerca de 54 %) e os pesquisadores estão classificados nos níveis 1A (Dulce Maria de Araújo Melo), 1B (Tereza Neuma de Castro Dantas), 1C (Carlos Alberto Martinez Huitle), 1D (Sibele Berenice Castelã Pergher), 1D (Maurício Roberto  Bomio Delmonte), 1D (Antonio Souza de Araújo), 1D (José Luiz Cardoso Fonseca), 1D (Kassio Michell Gomes de Lima) e nível 2 ( Julio Cezar de Oliveira Freitas, Djalma Ribeiro da Silva,  Rosangela de Carvalho Balaban e Válter José Fernandes Júnior). O programa conta ainda com dois jovens docentes com excelente formação, com doutorado sanduiche no exterior, na Warwick University (Pollyana Souza Castro) e no Institut de Química Teòrica i Computacional da Universitat de Barcelona (Anderson dos Reis Albuquerque). O programa ainda conta com dois professores visitantes, um do Brasil da Universidade Federal de Pernambuco (Bráulio da Silva Barros) e Marco Antonio Quiroz Alfaro, da Universidade de las Americas Puebla, Cholula- México. O corpo docente do PPGQ-UFRN, na quadrienal 2013-2016 era constituído por 73% de professores permanentes e mais de 20 % de professores colaboradores que orientavam 152 alunos, entre mestrado e doutorado, distribuídos nas quatro áreas do programa. Com a reestruturação em 2018 (credenciamento e recredenciamento), o corpo docente passou a ter 24 membros permanentes, incluindo os dois jovens docentes, 02 pesquisadores visitantes e 03 colaboradores. A formação acadêmica do corpo docente foi realizada nas melhores universidades e centros de pesquisa do país e do exterior, como Estados Unidos, França, Espanha, Itália, México, etc. A formação de pós-doutorado também foi realizada em países como Alemanha, França, Inglaterra, Estados Unidos e Espanha; além de termos 03 (três) docentes que fizeram pós-doutorado na Universidade de São Paulo (USP), nos melhores grupos de pesquisa daquela instituição. Atualmente, temos um membro do corpo docente fazendo pós-doutorado na Holanda pelo programa PRINT-CAPES (Luis Henrique Gasparotto) e outros dois inscritos.

 O curso dispõe de linhas de pesquisa bem definidas com uma concentração de projetos em todas as áreas, envolvendo catálise, química dos materiais, nanotecnologia, petróleo e petroquímica, energia renováveis, métodos analíticos, entre outros; com projetos que atendem os anseios da indústria nacional e internacional. O programa está sempre renovando os seus critérios de credenciamento e recredenciamento com a finalidade de incorporar ao mesmo docentes jovens e produtivos que possam contribuir com a qualidade do programa e, consequentemente, com a qualidade de seus discentes. 
O programa prioriza a boa formação dos seus discentes; além, é claro, de seus desempenhos, pois considera que o sistema de seleção já estabelece essa relação de excelência do discente com o programa, uma vez que na seleção há um filtro que favorece a entrada dos melhores alunos tanto no mestrado quanto no doutorado.
O programa, em geral, promove dois processos seletivos, os quais ocorrem semestralmente e os primeiros candidatos colocados, que não possuem vínculo empregatício, recebem bolsa de estudo de diversos órgãos financiadores, como CNPq, CAPES, ANP/PETROBRAS, para desenvolverem pesquisas básicas e tecnológicas. É notório que os alunos que se candidatam ao curso de mestrado e, que lograram bom desempenho na iniciação científica, com bons trabalhos de final de curso e participantes de programas PET e bolsistas de IC do CNPq, geralmente, são os mais bem classificados para as vagas, com bolsas CAPES e/ou CNPq e, em geral, são aqueles, que detêm os melhores índices de conclusão dentro do tempo de mestrado estipulado pela CAPES.

 

 

 

 

 

 


Endereço Alternativo


Coordenação do Programa

  • - DULCE MARIA DE ARAUJO MELO

    Telefone/Ramal: Nenhum conteúdo disponível até o momento

    Telefone/Ramal 2: Nenhum conteúdo disponível até o momento

    E-mail: Nenhum conteúdo disponível até o momento

  • - RENATA MENDONÇA ARAUJO

    Telefone/Ramal: Nenhum conteúdo disponível até o momento

    Telefone/Ramal 2: Nenhum conteúdo disponível até o momento

    E-mail: Nenhum conteúdo disponível até o momento

SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa25-producao.info.ufrn.br.sigaa25-producao