Banca de QUALIFICAÇÃO: ELINETE LUISA LOPES

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.

DISCENTE: ELINETE LUISA LOPES

DATA: 11/02/2011

HORA: 08:00

LOCAL: NEPSA - Sala multimeios 01

TÍTULO:
O IMPACTO DO CRESCIMENTO DA RENDA MÉDIA E DA MUDANÇA NA DESIGUALDADE NA
DISTRIBUIÇÃO DOS RENDIMENTOS SOBRE A POBREZA RURAL DO NORDESTE.

PALAVRAS-CHAVES:
Pobreza rural; crescimento e desigualdade de renda.

PÁGINAS: 49

GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas

ÁREA: Economia

RESUMO:
A pobreza é, ainda hoje, um problema presente em diversos países, com ênfase aos em
desenvolvimento. No caso Brasileiro, a pobreza tem se concentrado em regiões menos
desenvolvidas economicamente, como o NE, sendo ainda mais marcante no setor rural.
Em 1999 a proporção da população pobre no Nordeste, 44,4%, superior a do Brasil de
27,8%; desta, 46,1% faziam parte da população rural. Apesar, da tendência de longo
prazo, de declínio da pobreza nas regiões brasileiras e da renda per capita do
Nordeste ter crescido mais do que a do país, a representação da região Nordeste no
total de pobres do Brasil tem se apresentado estável (de 1991 para 2000 a pobreza
do NE passa de 48,4% para 48,5 da pobreza brasileira). Tal fato pode está indicando
a existência de uma perversa distribuição de renda apontada como uma importante
“vilã” no combate à pobreza. Neste contexto, considerar-se-á a afirmação de
Bourguignon (2004) de que a redução da pobreza é plenamente determinada pela taxa
de crescimento da renda da população e pela mudança na distribuição de renda. Nesse
sentido, este trabalho objetiva analisar como o crescimento da renda média e da
mudança na desigualdade, na distribuição dos rendimentos tem impactado a pobreza
rural do nordeste, no período de 1995 a 2009. Sob a suposição de lognormalidade da
renda per capta serão calculadas as elasticidades renda e desigualdade da pobreza
para as medidas de pobreza FGT com o intuito de ver o comportamento da
sensibilidade da pobreza á variação na renda média domiciliar e á variação na
distribuição de renda/índice de Gini. Tal metodologia derivou de Bourguignon (2002)
e Hoffmann (2006). Também, decompor-se-á as variações nas medidas de pobreza
(proporções de pobres) entre os componentes crescimento e distribuição (proposta
inicialmente por Datt e Ravallion- 1992) para avaliar o peso do efeito da mudança
da renda e do efeito da mudança da desigualdade sobre a mudança da pobreza.

MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1673924 - ANDRE DE MATTOS MARQUES
Interno - 1474874 - JANAINA DA SILVA ALVES
Presidente - 388012 - JORGE LUIZ MARIANO DA SILVA
Notícia cadastrada em: 11/02/2011 08:33
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa09-producao.info.ufrn.br.sigaa09-producao