Dissertações/Teses

Clique aqui para acessar os arquivos diretamente da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFRN

2019
Dissertações
1
  • STEFANY SILVA AMARAL
  • PASS-THROUGH CAMBIAL NO BRASIL

  • Orientador : IGOR EZIO MACIEL SILVA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CÁSSIO DA NÓBREGA BESARRIA
  • IGOR EZIO MACIEL SILVA
  • FABRICIO PITOMBO LEITE
  • Data: 20/02/2019

  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa tem o objetivo de analisar as mudanças nos preços domésticos decorrentes de variações cambiais no Brasil. Pretende-se buscar evidências do funcionamento de seus diferentes mecanismos, decompondo os efeitos e o comportamento do pass-through da taxa de câmbio (ERPT). Para isso, uma Análise Insumo-Produto (AIP), a partir de um modelo de preços, tem o intento de investigar a pressão de custos exercida por variações cambiais sobre os preços ao produtor e ao consumidor final, considerando diferentes efeitos na cadeia produtiva e a desagregação setorial. Além disso, de maneira análoga e mutuamente complementar, uma abordagem de Vetores Autorregressivos (VAR) que incorpora uma cadeia de distribuição de preços é empregada para avaliar o repasse cambial aos preços domésticos de maneira efetiva e agregada. Os resultados sugerem que mudanças na estrutura de consumo intermediário na economia brasileira podem estar provocando uma maior pressão de custos sobre os preços domésticos nos últimos anos. Além disso, são revelados os setores desagregados com maior proporção no impacto. No caso da abordagem VAR, foi evidenciado uma maior defasagem no repasse à medida que que os preços se aproximam da caracterização de consumo final das famílias. Contudo, uma outra característica relevante é a redução drástica damagnitude do ERPT ao longo da cadeia de distribuição, o que provavelmente reflete uma inibição da pressão de custos.


  • Mostrar Abstract
  • This research has the objective of analyzing the changes in domestic prices due to exchange rate variations in Brazil. It is intended to seek evidence of the functioning of its different mechanisms by decomposing the effects and behavior of the exchange rate pass-through (ERPT). For this, an Input-Output Analysis (IOA), based on a price model, attempts to investigate the cost-push pressure exerted on prices to the product and to the final consumer by exchange variations, considering different effects in the production chain and sectoral breakdown. In addition, in an analogous andmutually complementary way, an Vector Autoregression (VAR) approach that incorporates a price distribution chain is used to evaluate the exchange rate pass-through to domestic prices in an effective and aggregate way. The results suggest that changes in the structure of intermediate consumption in the Brazilian economy may be causing a higher cost pressure on domestic prices in recent years. In addition, the disaggregated sectors are revealed with the greatest impact proportion. In the case of the VAR approach, a greater lag in the pass-through was evidenced as prices approach the final household consumption characterization. However, another relevant feature is the drastic reduction of the magnitude of ERPT along the distribution chain, which probably reflects an inhibition of cost-push pressure.

2
  • CAROLINA DA SILVA
  • MIGRAÇÃO INTERMUNICIPAL NO BRASIL: EVIDÊNCIAS PARA AS DÉCADAS
    DE 2000 E 2010

  • Orientador : DIEGO DE MARIA ANDRE
  • MEMBROS DA BANCA :
  • JANAINA DA SILVA ALVES
  • DIEGO DE MARIA ANDRE
  • VICTOR HUGO DE OLIVEIRA SILVA
  • Data: 29/03/2019

  • Mostrar Resumo
  • Esta dissertação investiga o padrão de migração intermunicipal no Brasil e explica, através do Índice de Eficácia Migratória (IEM), em que medida a distribuição espacial da população no Brasil está associada aos diferenciais de renda municipais, a criminalidade, a educação, ao PIB per capita, a desigualdade de renda, a questão da infraestrutura, a taxa de pobreza e ao índice de desenvolvimento humano (IDHM). Para tanto, foram usados dados oriundos dos Censos Demográficos de 2000 e 2010 do IBGE para a exploração de aglomerações espaciais referentes ao potencial de atração e de emissão de migrantes. Dessa forma, foi possível observar que os municípios situados na região Norte e Nordeste formam o principal polo emissor de migrantes, registrando fortes áreas de emissão, e as regiões Sul e Sudeste registraram áreas de forte atração de migrantes, para ambos os períodos em questão. A análise empírica foi baseada no modelo de regressão com dados em painel de efeitos fixos com efeito espacial, Spatial Panel Fixed Effects SAR Model, e utilizou-se, também, o critério K vizinhos mais próximos (10). Sendo assim, os resultados mostraram que as variáveis PIB per capita, IDHM, índice de gini, infraestrutura, taxa de pobreza e renda esperada desempenham um papel relevante nas migrações intermunicipais dirigidas aos municípios brasileiros, ou seja, os municípios que receberam mais migrantes foram aqueles com os maiores níveis do produto interno bruto, melhores índices de desenvolvimento humano municipal, menores desigualdades de renda, melhor acesso à infraestrutura, baixos níveis de pobreza e melhores remunerações. Os efeitos diretos, indiretos e totais foram necessários na análise, pois, mostram o viés causado por não incluir os efeitos espaciais no modelo de regressão. E, através dessa medida de impacto pode-se perceber que as variáveis: índice de gini, infraestrutura e taxa de pobreza apresentaram valores negativos, tanto relativo aos efeitos diretos como aos efeitos indiretos. Considerando os efeitos indiretos dessas variáveis têm-se os efeitos spillovers.


  • Mostrar Abstract
  • This dissertation investigates the pattern of intermunicipal migration in Brazil and explains, through the Migration Effectiveness Index (EMI), to what extent the spatial distribution of population in Brazil is associated with municipal income differentials, crime, education, GDP per capita inequality, the issue of infrastructure, the poverty rate and the human development index (HDI). For this purpose, data from the IBGE Demographic Census of 2000 and 2010 were used for the exploration of spatial agglomerations related to the potential of attraction and emission of migrants. In this way, it was possible to observe that the municipalities located in the North and Northeast regions are the main poles emitting migrants, registering strong emission areas, and the South and Southeast regions registered areas of strong attraction for migrants, for both periods in question. The empirical analysis was based on the Spatial Panel Fixed Effects SAR Model Spatial Fixed Panel Data Regression Model, and the closest K criterion was also used (10). Thus, the results showed that the variables GDP per capita, HDI, gini index, infrastructure, poverty rate and expected income play a relevant role in the intermunicipal migrations directed to Brazilian municipalities, that is, the municipalities that received the most migrants were those with higher levels of gross domestic product, better levels of municipal human development, lower income inequalities, better access to infrastructure, lower levels of poverty and better remuneration. The direct, indirect and total effects were necessary in the analysis, because they show the bias caused by not including the spatial effects in the regression model. And, through this measure of impact it can be seen that the variables: gini index, infrastructure and poverty rate presented negative values, both relative to direct effects and indirect effects. Considering the indirect effects of these variables we have the spillovers effects.

2018
Dissertações
1
  • LEMUEL DE LEMOS ROMÃO
  • O Câmbio pela Ótica da Microestrutura:Analisando o câmbio Através da Perspectiva da Volatilidade

  • Orientador : FABRICIO PITOMBO LEITE
  • MEMBROS DA BANCA :
  • IGOR EZIO MACIEL SILVA
  • ANDERSON LUIZ REZENDE MOL
  • FABRICIO PITOMBO LEITE
  • SINÉZIO FERNANDES MAIA
  • Data: 06/02/2018

  • Mostrar Resumo
  • Os modelos de microestrutura ganharam bastante espaço na literatura econômica e surgem como um contraponto aos baseadas puramente em fundamentos macroeconômicos. Dessa forma, o esforço passou a ser em microfundamentar o mercado de câmbio, partindo de hipóteses comportamentais dos agentes envolvidos neste mercado. Uma nova variável chave é acrescentada nos modelos: o fluxo de ordens. Com a constatação da relevância do fluxo de ordens nas taxas de câmbio, como também já estimado por diversos autores as magnitudes de seus impactos, este trabalho passa a utilizar uma nova abordagem, olhando agora para os impactos na volatilidade. A partir dos modelos de microestrutura, estimou-se como a volatilidade nas variáveis de risco e de fluxos são transmitidas ao câmbio. Com as correlações dinâmicas advindas dos modelos DCC-GARCH, confirma-se a importância das variáveis de risco na formação dos preços, sendo uma importante fonte de volatilidade para o câmbio. Em relação aos fluxos de ordens, constata-se a importância dos estrangeiros na variabilidade das taxas de câmbio, com o setor financeiro geralmente atuando como contraparte das operações cambiais. 

  • Mostrar Abstract
  • The models of microstructure have gained a lot of space in the economic literature and appear as a counterpoint to those based purely on macroeconomic fundamentals. In this way, the effort began to be in microfundament the exchange market, starting from behavioral hypotheses of the agents involved in this market. A new key variable is added in the models: the order flow. With the confirmation of the importance of the flow of orders in exchange rates, as already estimated by several authors the magnitudes of their impacts, this work uses a new approach, now looking at the impacts on volatility. From the microstructure models, it was estimated how the volatility in the risk variables and flows are transmitted to the exchange rate. With the dynamic correlations coming from the DCC-GARCH models, the importance of the risk variables in price formation is confirmed, being an important source of exchange volatility. Regarding order flows, the importance of foreigners in the exchange rate variability is verified, with the financial sector generally acting as counterpart of foreign exchange operations.

2
  • NELSON RUBENS COUTINHO FILHO
  • A GEOPOLÍTICA DO PETRÓLEO E A INFLUÊNCIA NOS PREÇOS DAS PRINCIPAIS COMMODITIES AGRÍCOLAS BRASILEIRAS 

  • Orientador : FABRICIO PITOMBO LEITE
  • MEMBROS DA BANCA :
  • FABRICIO PITOMBO LEITE
  • EDUARDO COSTA PINTO
  • JANAINA DA SILVA ALVES
  • Data: 21/05/2018

  • Mostrar Resumo
  • Esta dissertação teve como objetivo estudar a relação entre a variação dos preços do petróleo e a variação nos preços de algumas commodities agrícolas. O tema de estudo da pesquisa foi a influência da geopolítica do petróleo na fixação dos preços do próprio petróleo e a relação quantitativa e qualitativa entre a variação do preço do petróleo e a variação dos preços das commodities selecionadas: açúcar; café; milho; soja e trigo. A amostra para a pesquisa foi colhida junto ao IPEA e compreendeu o período do primeiro trimestre de 1990 até o primeiro trimestre de 2016, 105 observações. Esse período foi escolhido em função de não compreender os principais choques negativos de oferta do petróleo da década de 1970. O trabalho de pesquisa objetivou a compreensão do comportamento dos preços do petróleo a partir da interação entre ofertantes (majors do petróleo e OPEP) e demandantes e, a partir daí, buscou entender a correlação de longo prazo entre a variação dos preços do petróleo e a variação dos preços dascommodities agrícolas escolhidas, as quais têm muita importância para o equilíbrio da balança comercial brasileira. O referencial teórico para a compreensão da geopolítica do petróleo teve como literatura básica os trabalhos de Yergin (2010), Clô (2000) e Torres Filho (2004). Para a revisão de literatura sobre as commodities agrícolas, foram utilizadas as bibliografias básicas de Von Lampe (2006), Souza et al (2010), Peres (2005), Pinazza (2007). Para a verificação da relação quantitativa entre o preço do petróleo e os preços das commodities foram feitos os seguintes testes econométricas: Teste (d) de Durbin-Watson;Teste de Raiz Unitária de Dickey-Fuller Aumentado; Teste de raiz unitária com quebra estrutural feitos pelos métodos de Zivot-Andrews e Perron; Teste para múltiplas quebras de Bai-Perron (1998); e Teste decointegração a partir de Engle-GrangerA análise econométrica e estatística das séries temporais dos preços das commodities selecionadas confirmaram uma relação positiva entre a variação dos preços do petróleo e a variação dos preços para todas as commodities na maior parte do período da pesquisa, com inversões de sinais temporárias para apenas duas commodities. Esses testes mostraram que essa relação pode não ser verificada no curto prazo, mas no longo prazo os testes confirmaram que as séries são cointegradas.


  • Mostrar Abstract
  • The objective of this dissertation was to study the relationship between the variation of oil prices and the variation in the prices of some agricultural commodities. The research theme was the influence of petroleum geopolitics on the fixing of oil prices and the quantitative and qualitative relationship between oil price variation and selected commodity price changes: sugar; coffee; corn; soy and wheat. The sample for the survey was collected from the IPEA and comprised the period from the first quarter of 1990 to the first quarter of 2016, 105 observations. This period was chosen because it did not understand the main negative oil supply shocks of the 1970s. The research work aimed at understanding the behavior of oil prices from the interaction between oil majors and OPEC and demanders and from then on, sought to understand the long-term correlation between the variation of oil prices and the variation of the prices of the chosen agricultural commodities, which are very important for the balance of the Brazilian trade balance. The theoretical reference for the understanding of petroleum geopolitics was based on the works of Yergin (2010), Clô (2000) and Torres Filho (2004). For the review of the literature on agricultural commodities, the basic bibliographies of Von Lampe (2006), Souza et al (2010), Peres (2005) and Pinazza (2007) were used. For the verification of the quantitative relationship between oil prices and commodity prices, the following econometric tests were performed: Durbin-Watson test (d); Increased Dickey-Fuller Unit Root Test; Test of unit root with structural break made by the methods of Zivot-Andrews and Perron; Test for multiple breaks of Bai-Perron (1998); and Cointegration test from Engle-Granger. The econometric and statistical analysis of time series of selected commodity prices confirmed a positive relationship between oil price changes and price changes for all commodities for most of the period of the survey, with inversions of temporary signals for only two commodities . These tests showed that this relationship may not be verified in the short term, but in the long run the tests confirmed that the series are cointegrated.

3
  • MAGDA EMANUELE LIMA DA SILVA
  • DINÂMICA DA INDÚSTRIA BRASILEIRA NO PERÍODO 2002-2017: UMA ESTIMAÇÃO DA LEI DE KALDOR - VERDOORN

  • Orientador : JOAO PAULO MARTINS GUEDES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • IGOR EZIO MACIEL SILVA
  • FRANCISCO SOARES DE LIMA
  • JOAO PAULO MARTINS GUEDES
  • Data: 11/06/2018

  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho procura analisar a dinâmica da indústria Brasileira considerando a Lei de Kaldor-Verdoorn que propõe existir uma relação positiva entre a produção e produtividade. A literatura econômica comprova, através de dados empíricos que há estreita relação do nível do produto per capita dos países com o grau de industrialização, e que há também, nas várias nações, associação estreita entre o crescimento do PIB e da Indústria manufatureira. Segundo Thirlwall (2005) os países que crescem com maior rapidez tendem a serem, aqueles em que a participação da indústria no PIB aumenta com mais velocidade. No entanto, confere aqui ressaltar que principalmente para os países subdesenvolvidos, a participação da indústria para o crescimento da economia é de suma importância necessariamente na promoção de emprego e renda. Nesse contexto, o dinamismo da indústria merece destaque, assim como, os estímulos ao aumento da produtividade e da produção, bem como, a relação existente entre ambas. Os trabalhos de Kaldor (1975) e Verdoorn (1949) trouxeram para a teoria econômica o embasamento teórico e empírico da relação positiva entre a produtividade e a produção. Na medida em que a produção aumenta, há uma forte tendência de que a produtividade acompanhe este movimento ao longo do tempo, sendo válida em períodos de expansão econômica. Portanto este trabalho buscou analisar o grau de dinamismo da indústria brasileira no período de 2002 a 2017, testando os pressupostos da lei de Kaldor - Verdoorn, desse modo, foram aplicados testes de cointegração proposto por Johansen (1990) e o teste de causalidade de Granger (1969) para se conhecer a relação de equilíbrio de longo prazo das variáveis analisadas que são estimadas em um o modelo vetor autoregressivo – VAR, em um contexto de um vetor de correção de erros – VECM. Buscou-se também, conhecer o período exato das mudanças estruturais do modelo, através do teste de Bai-Perron (2003), onde se pôde concluir que as variáveis têm datas de quebras similares, sendo a do ano de 2008 a mais relevante e foco de análise deste trabalho. Os resultados confirmam que existe uma relação de equilíbrio positiva entre a produção da indústria e a produtividade do setor industrial, no entanto, constata-se que em períodos de quedas na produção, o crescimento da produtividade advém mais de outros fatores não captados no modelo, o que evidencia que a lei, só é válida em períodos de expansão da economia. Assim, pode-se afirmar que a indústria brasileira no período em questão, tem um grau de dinamismo razoável.


  • Mostrar Abstract
  • This work tries to analyze the dynamics of the Brazilian industry considering the Law of Kaldor-Verdoorn that proposes to exist a positive relation between the production and productivity. The economic literature proves from empirical data that there is a close relationship between the per capita product level of countries with the degree of industrialization and that there is also a close association between GDP and manufacturing growth in the various nations. According to Thirlwall (2005), the fastest growing countries tend to be those in which the share of industry in GDP increases with more speed. However, it should be noted here that, especially for underdeveloped countries, the participation of industry in economic growth is of paramount importance in the promotion of employment and income. In this context, the dynamism of the industry deserves to be highlighted, as well as the incentives to increase productivity and production, as well as the relationship between the two. The work of Kaldor (1975) and Verdoorn (1949) brought to theoretical theory the theoretical basis of the positive relationship between productivity and production. As production increases, there is a strong tendency for productivity to keep pace with this movement over time, and to be valid in periods of economic expansion. Therefore, this work seeks to analyze the dynamism of Brazilian industry in the period from 2002 to 2017, testing the assumptions of the Kaldor - Verdoorn law, thus applying cointegration tests proposed by Johansen (1990) and the Granger causality test (1969) to know the long-term equilibrium relationship of the analyzed variables that are estimated in an autoregressive vector model (VAR) in a context of an error-correction vector (VECM). It was also sought to know the exact period of the structural changes of the model, through the Bai-Perron test (2003), where it was possible to conclude that the variables have similar breakage dates, the year of 2008 being the most relevant and focus of this work. The results affirm that there is a positive equilibrium relation between the production of the industry and the productivity of the industrial sector, however, it is observed that in periods of production falls, productivity growth comes more from other factors not captured in the model, which shows that the law is only valid in periods of economic expansion. Thus, it can be said that the Brazilian industry in the period in question has a reasonable degree of dynamism.

4
  • JULIO CESAR NASCIMENTO
  • MOEDA E CENTRO-PERIFERIA NO DÓLAR FLEXÍVEL: O REAL BRASILEIRO NA POSIÇÃO DE MOEDA PERIFÉRICA (2000-2017)

  • Orientador : WILLIAM EUFRASIO NUNES PEREIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • DENILSON DA SILVA ARAUJO
  • WILLIAM EUFRASIO NUNES PEREIRA
  • RICARDO SCHMIDT FILHO
  • Data: 27/07/2018

  • Mostrar Resumo
  • O trabalho parte da tradição estruturalista latino-americano clássica, particularmente, na relação centro-periferia baseada no progresso técnico. Desta forma, essa teoria deixa uma lacuna para analisar essa relação com base na dimensão monetária internacional. Com as alterações ocorridas no Sistema Monetário Internacional (SMI) com a quebra do regime de Bretton Woods em 1960/1970 abre uma discussão sobre a relevância do SMI atual para uma abordagem a relação centro-periferia. No atual regime monetária internacional denominado de Dólar Flexível, se apresenta como uma dimensão especial para analisar a relação centro-periferia a partir da hierarquia de moedas. Essa hierarquia é baseada pela liquidez das moedas em âmbito internacional e se estrutura a partir do dólar no núcleo do sistema, seguida pelo o euro, entre outras moedas centrais e na base desse sistema estão as moedas periféricas. Essa hierarquia apresenta-se como problemática para os países de moedas periféricas, particularmente, quanto as vulnerabilidades tais como: tendência de instabilidades na taxa de câmbio e taxa de juros, tendência especulativa e de aumento das reservas internacionais. Nesse sentido, o trabalho apresenta um estudo de caso para o Brasil durante o período 2000-2017. A metodologia utilizada é descritiva e explicativa de natureza quali-quantitativa com base de dados do Banco Central do Brasil (BACEN). Conclui-se que, o Brasil durante o período de análise teve tendência de instabilidades intensas na taxa de câmbio e taxa de juros básica (SELIC), aumento das reservas internacionais e uma tendência de aumento nas aplicações do investimento em carteira.


  • Mostrar Abstract
  • The work starts from the classical Latin American structuralist tradition, particularly in the center-periphery relationship based on technical progress. In this way, this theory leaves a gap to analyze this relationship based on the international monetary dimension. With the changes in the International Monetary System (MIS) with the fall of the Bretton Woods regime in 1960/1970 opens a discussion about the relevance of the current SMI to a center-periphery approach. In the current international monetary regime known as the Flexible Dollar, it presents itself as a special dimension to analyze the center-periphery relationship from the currency hierarchy. This hierarchy is based on the liquidity of the currencies at the international level and is structured from the dollar at the core of the system, followed by the euro, among other central currencies and on the basis of this system are the peripheral currencies. This hierarchy is problematic for the countries of peripheral currencies, particularly the vulnerabilities such as: tendency of instabilities in the exchange rate and interest rate, speculative tendency and increase of international reserves. In this sense, the paper presents a case study for Brazil during the period 2000-2017. The methodology used is descriptive and explanatory of a qualitative and quantitative nature based on data from the Central Bank of Brazil (BACEN). It is concluded that, during the period of analysis, Brazil experienced a tendency towards intense instability in the exchange rate and the basic interest rate (SELIC), an increase in international reserves, and a tendency to increase investment in the portfolio.

5
  • PAULO VICTOR CASTELO BRANCO LEITE
  • O ENDIVIDAMENTO BRASILEIRO NO CONTEXTO DA FINANCEIRIZAÇÃO: DA DÉCADA DE 1990 AOS DIAS ATUAIS

  • Orientador : WILLIAM EUFRASIO NUNES PEREIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • FRANCISCO WELLINGTON DUARTE
  • WILLIAM EUFRASIO NUNES PEREIRA
  • RODOLFO FERREIRA RIBEIRO DA COSTA
  • Data: 30/07/2018

  • Mostrar Resumo
  • No presente trabalho busca-se expor em linhas gerais os aspectos relativos às mudanças no endividamento econômico no sistema capitalista nos últimos anos e as mudanças do capitalismo no Brasil. Mais especificamente, o trabalho objetiva expor o endividamento brasileiro, suas origens e as consequências do endividamento e das políticas econômicas para a economia nacional na década de 90. Nesse sentido, pretende-se responder o seguinte questionamento: Como as transformações recentes no capitalismo influenciaram na evolução da composição da dívida pública brasileira a partir de 1990? A pesquisa será elaborada a partir de uma revisão bibliográfica e da abordagem histórica analítica, com a análise de dados e gráficos pertinentes. Para desenvolver os três objetivos específicos propostos foi realizada a leitura da bibliografia a respeito do tema, análise crítica dos autores fazendo o devido confronto de ideias e, posteriormente, utilizou-se da base de dados do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Sociais (DIEESE), Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e Banco Central (BACEN), para acompanhar o processo de evolução da dívida pública brasileira. Aqui defende-se que o endividamento público brasileiro a partir da década de 1990 tem por indutor do seu crescimento, primeiro, a política monetária inaugurada pelo Plano Real inaugurada após a aceitação do governo brasileiro das condições imposta no plano Brady e, segundo, continuidade dessa política por todos os governos que se seguiram ao governo de Fernando Henrique Cardoso.


  • Mostrar Abstract
  • In the present work, it is sought to outline the aspects related to the changes in economic indebtedness in the capitalist system in recent years and the changes of capitalism in Brazil. More specifically, the paper aims to expose Brazilian indebtedness, its origins and the consequences of indebtedness and economic policies for the national economy in the 1990s. In this sense, the following question is intended to be answered: How recent transformations in capitalism have influenced evolution of the Brazilian public debt since 1990? The research will be elaborated from a bibliographical review and historical analytical approach, with the analysis of pertinent data and graphs. In order to develop the three specific objectives proposed, a bibliography was read about the subject, a critical analysis of the authors making the appropriate comparison of ideas and, later, the database of the Inter-Union Department of Statistics and Social Studies (DIEESE) , The National Bank for Economic and Social Development (BNDES) and the Central Bank (BACEN), to follow the evolution of the Brazilian public debt. It is argued here that the Brazilian public indebtedness since the 1990s has been the inducement of growth, first, the monetary policy inaugurated by the Real Plan inaugurated after the Brazilian government's acceptance of the conditions imposed in the Brady plan and, second, by all the governments that followed the government of Fernando Henrique Cardoso.

6
  • ROBSON IVAN DA SILVA
  • ANÁLISE DAS TRAJETÓRIAS DOS SETORES TURÍSTICOS E IMOBILIÁRIO EM NATAL E TIBAU DO SUL (RN), NO PERÍODO 2001-2016

  • Orientador : MARCIA MARIA DE OLIVEIRA BEZERRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARCIA MARIA DE OLIVEIRA BEZERRA
  • ANDRE LUIZ CORREA
  • MARCONI GOMES DA SILVA
  • Data: 31/07/2018

  • Mostrar Resumo
  • Este presente trabalho visa discutir a variação da oferta imobiliária em Tibau do Sul e Natal, numa perspectiva de ciclos imobiliários, observando a dinâmica dos setores da construção civil, turismo e imobiliário entre os períodos de 2001 até 2016. Esse crescimento tem elementos que o separa do que ocorreu em Natal entre 2005 e 2007. O objetivo central desse trabalho consiste em fazer uma análise de como se deu o aumento dessa oferta, fazendo inclusive diferenciação entre a que ocorreu em Natal, apresentando fatores que fazem desse fenômeno não uma especificidade local e sim como uma regra geral em centros turísticos, onde se observar os impactos da especulação gerada pelo aumento da demanda no local e as transformações físicas do distrito no período analisado, comparando inclusive, o fenômeno existente em Pipa com outras regiões de veraneio no mundo. O método utilizado consiste num levantamento teórico do tema, na exploração de dados secundários colhidos junto à prefeitura do município, onde mostram o real crescimento da oferta no município, e a utilização de dados secundários de fontes oficiais que trazem informações do ciclo do setor de turismo e no setor da construção civil. Os dados mostram que existe uma clara distinção entre Natal e Tibau do Sul, houve amplo crescimento da oferta imobiliária em Tibau do Sul mesmo após a crise de 2007-2008 ligada ao turismo de segundaresidência. Os resultados mostram diferentes fases vividas nos dois municípios, mas com influências positivas durante o ciclo de 2005-2007 para os dois. A expansão imobiliária em Tibau do Sul, não depende apenas do turismo internacional e segue rumos próprios de acordo com o desempenho de sua atividade turística.


  • Mostrar Abstract
  • This present work aims to discuss the change in realestate in Tibau do Sul and Natal, in the perspective of real estate cycles observing the dynamics of the sectors of civil construction. This growth has elements that they separate what happened in Natal between 2005 and 2007. The main objective of this work is to do an analysis of how the increase of that offer making including differentiation between what occurred inNatal showing factors that make of this phenomenon not local specificity and as a general rule in tourist centers to observe the impacts of speculation generated by the increase in demand in the place and the physical transformations of the district in the analyzed period, comparing, also, the phenomenon that exists in Pipa with other cities of summer in the world. The method used consists of a theoretical survey of the topic, the exploitation of secondary data collected by the City Hall, where they show the actualgrowth of the city's supply, to the use of secondary data that bring information from the tourism sector cycle. The data show that there is a clear distinction between Natal and Tibau do Sul, there was a large increase in the real estate offer in Tibau do Sul even after the crisis of 2007-2008 linked to tourism of second residence. The results show different phases lived in both municipalities, but with positive influences during the cycle of 2005-2007 for two. The real estate expansion in Tibau do Sul, depends on international tourism and follows directions own according to the performance of your touristic activity.

7
  • SERGIO JIMÉNEZ CABALLERO
  • ANÁLISE SOBRE POLÍTICA FISCAL: UM ESTUDO ENTRE BRASIL E ESPANHA PARA O PERÍODO 2000-2016 

  • Orientador : ANDRE LUIS CABRAL DE LOURENCO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • FABRICIO PITOMBO LEITE
  • ANDRE LUIS CABRAL DE LOURENCO
  • FRANCISCO LUIZ CAZEIRO LOPREATO
  • Data: 31/07/2018

  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho teve como objetivo principal analisar qual foi a política discricionária realizada pelos governos da Espanha e do Brasil durante o período compreendido entre os anos de 2000 e 2016, a partir de uma abordagem heterodoxa.Durante os primeiros anos do Século XXI tanto o Brasil quanto a Espanha passaram por processos de forte crescimento econômico. Após a bolha financeira de 2008 estourada nos Estados Unidos e disseminada para o resto do mundo, os dois países sofreram, em momentos diferentes, um profundo processo recessivo. Diante dessa situação, numerosas abordagens teóricas sobre como lidar com uma situação de crise econômica são trazidas para o debate no campo da economia. A importância da política fiscal tem sido tratada de forma diferente conforme as teorias econômicas foram se desenvolvendo. De um lado a ortodoxia, dando prioridade ao ajuste das contas públicas com o objetivo de restaurar a confiança dos investidores internacionais e de outro a heterodoxia, que vê na austeridade um entrave para o crescimento. Os processos de consolidação fiscal tem sido recorrentes nos dois países como forma de combater a recessão econômica. Considerando que a política fiscal expansiva é eficiente para combater processos de queda do produto, nosso estudo busca avaliar quais políticas foram implementadas durante o período analisado, se expansivas ou contracionistas, e ver qual orientação tiveram, se pró-cíclica ou contra-cíclica.Para isso, realizaremos um exercício de decomposição do orçamento, entre o componente cíclico, o pagamento dos juros da dívida pública e o resultado estrutural primário, para poder avaliar que tipo de política foi implementada.Ao analisar a condução da política fiscal, tanto no Brasil quanto na Espanha, vemos como esta teve viés convencional, tornando-se pró-cíclica em momentos críticos. Em economias ainda em crise aguda, governos reverteram políticas mais expansionistas, revelando-se mais preocupados com o desempenho dos indicadores fiscais do que com o desempenho macroeconômico mais geral.


  • Mostrar Abstract
  • The main objective of this study was to analyze the discretionary policy carried out by the governments of Spain and Brazil during the period between 2000 and 2016, based on a heterodox approach. During the first years of the 21st century both Brazil and Spain went through processes of strong economic growth. After the 2008 financial bubble burst in the United States and spread to the rest of the world, the two countries suffered, at different times, a deep recessive process. Faced with this situation, numerous theoretical approaches on how to deal with a situation of economic crisis are brought to the debate in the field of economics. The importance of fiscal policy has been treated differently as economic theories have evolved. On the one hand, orthodoxy, giving priority to the adjustment of public accounts with the objective of restoring the confidence of international investors and heterodoxy, which sees austerity as a barrier to growth. Fiscal consolidation processes have been recurrent in both countries as a way to combat the economic recession. Considering that the expansionary fiscal policy is efficient to combat the product fall, our study seeks to evaluate which policies were implemented during the period analyzed, whether expansive or contractionary, and to see what orientation they had, whether pro-cyclical or countercyclical. To do this, we will carry out a decomposition exercise of the budget, between the cyclical component, the payment of interest of the public debt and the primary structural balance, in order to be able to evaluate what type of policy has been implemented. In analyzing the conduct of fiscal policy, both in Brazil and in Spain, we see how this one had a conventional bias, becoming pro-cyclical at critical moments. In economies still in acute crisis, governments reverted to more expansionary policies, being more concerned with the performance of fiscal indicators than with more general macroeconomic performance.

8
  • RAISSA COSTA DA SILVA BRITO
  • ALTERAÇÕES NOS COEFICIENTES DE IMPORTAÇÃO E SEU IMPACTO NA ECONOMIA BRASILEIRA NO INÍCIO DO SÉCULO XXI: UMA ANÁLISE INSUMO-PRODUTO

  • Orientador : FABRICIO PITOMBO LEITE
  • MEMBROS DA BANCA :
  • FABRICIO PITOMBO LEITE
  • ESTHER DWECK
  • ANDRE LUIS CABRAL DE LOURENCO
  • Data: 18/12/2018

  • Mostrar Resumo
  • O presente estudo visa analisar as alterações nos coeficientes de importação e seu impacto na economia brasileira no período de 2000 a 2015 através da Metodologia Insumo-Produto (MIP). O objetivo central deste trabalho consiste em avaliar as mudanças que ocorreram nos coeficientes de importação para o Brasil e o impacto que isso trouxe para a economia brasileira, principalmente no que concerne às importações e a relação desta com a demanda final, visto que, com a globalização da produção, os países têm tido inúmeros desafios em relação às politicas externas e dentro da contabilidade social as importações têm tido seu papel revisado em relação às suas contribuições ao crescimento da economia. Dessa forma, foram analisados os determinantes da variação das importações via decomposição estrutural, como também os impactos das alterações dos coeficientes na demanda total por importações, foi realizada ainda uma análise dos coeficientes de importação para consumo intermediário. A partir disso, pudemos verificar que os coeficientes de importação têm seu maior valor no ano de 2015, ocorrendo também uma mudança estrutural em relação aos determinantes das variações nas importações, e que o consumo tem um papel importante no que concerne às importações decompostas por componente da demanda final. Foi verificado ainda que não há uma mudança relevante de coeficientes quando os analisamos via importações para consumo intermediário. 

  • Mostrar Abstract
  • The present study aims to analyze changes in the import coefficients and its impact on the Brazilian economy in the period from 2000 to 2015 through the Input-output Methodology (MIP). The main objective of this work is to evaluate the changes that occurred in the import coefficients for Brazil and the impact that this has brought to the Brazilian economy, especially with regard to imports and its relation with final demand, since with the globalization of production, countries have had numerous challenges in relation to external policies and within social accounting, imports have had their revised role in relation to their contributions to economic growth. Thus, we analyzed the determinants of the variation of imports through structural decomposition, as well as the impacts of changes in the coefficients in the total demand for imports, we also performed an analysis of the import coefficients for intermediate consumption. From this, we can verify that the import coefficients have their greatest value in the year 2015, also occurring a structural change in relation to the determinants of the variations in the imports, and that the consumption plays an important role with regard to the imports decomposed by component of final demand. It was also verified that there is no relevant change in coefficients when we analyze them through imports for intermediate consumption.

9
  • AMANDA SANTOS DE OLIVEIRA PONTES
  • POLÍTICA FISCAL E CRESCIMENTO ECONÔMICO: UMA ANÁLISE DO RESULTADO FISCAL ESTRUTURAL PARA O BRASIL NO PERÍODO 1995-2017

  • Orientador : ANDRE LUIS CABRAL DE LOURENCO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CASSIANO JOSE BEZERRA MARQUES TROVAO
  • ANDRE LUIS CABRAL DE LOURENCO
  • CARLOS PINKUSFELD BASTOS
  • Data: 19/12/2018

  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho tem como objetivo investigar o comportamento da política fiscal discricionária praticada no Brasil entre 1995 e 2017 e seu impacto sobre o crescimento econômico de longo prazo da economia brasileira no período. Inicialmente, será feita uma análise do desempenho geral da economia e dos principais indicadores macroeconômicos. Em seguida, realiza-se uma revisão das principais teorias ortodoxas e heterodoxas sobre política fiscal e crescimento econômico, bem como uma revisão de literatura sobre a evolução da política fiscal no Brasil. Com o intuito de verificar o comportamento da política fiscal discricionária (impulso fiscal discricionário), será calculado o resultado fiscal estrutural, ou seja, o resultado fiscal sem considerar o impacto fiscal dos estabilizadores automáticos, o qual varia automaticamente devido a flutuações cíclicas no PIB. Com isso, poderá ser analisada a orientação da política fiscal discricionária com relação à direção do impulso (expansionista ou contracionista) e com relação ao ciclo econômico (anticíclica ou pró-cíclica). Ademais, a partir dos indicadores fiscais estruturais calculados, será realizada uma avaliação do impacto de choques fiscais estruturais sobre o crescimento econômico brasileiro no período, por meio da estimação de funções impulso resposta, com base na metodologia de Vetores Autorregressivos (VAR).


  • Mostrar Abstract
  • The present work aims to investigate the behavior of the discretionary fiscal policy practiced in Brazil between 1995 and 2017 and its impact on the long term economic growth of the Brazilian economy in the period. Initially, an analysis will be made of the overall performance of the economy and the main macroeconomic indicators. Then, a review of the main orthodox and heterodox theories on fiscal policy and economic growth is carried out, as well as a literature review on the evolution of fiscal policy in Brazil. In order to verify the behavior of the discretionary fiscal policy (discretionary fiscal impulse), the structural fiscal result will be calculated, that is, the fiscal result without considering the fiscal impact of the automatic stabilizers, which vary automatically due to cyclical fluctuations in GDP. Thus, the orientation of discretionary fiscal policy in relation to the direction of the impulse (expansionist or contractionary) and the cycle (anticyclical or procyclical) can be analyzed. Furthermore, from the calculated structural fiscal indicators, we will perform an evaluation of the impact of structural fiscal shocks on Brazilian economic growth in the period, through the estimation of impulse response functions, based on the methodology of Autoregressive Vectors (VAR).

2017
Dissertações
1
  • ALISSON SILVA DE CASTRO
  • Crescimento Econômico e Emissões de CO2 nos países do BRICS: uma análise de cointegração em painel

  • Orientador : JANAINA DA SILVA ALVES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • JANAINA DA SILVA ALVES
  • DANIEL CAIXETA ANDRADE
  • JOAO PAULO MARTINS GUEDES
  • JOEDSON JALES DE FARIAS
  • Data: 03/03/2017

  • Mostrar Resumo
  • Nos últimos anos, a elevação contínua no volume de emissões de dióxido de carbono (CO2) e sua devida concentração na atmosfera colocou o tema da mudança climática no centro do debate político-econômico mundial. Atualmente, os maiores emissores de CO2 do mundo são os países emergentes, que compõem o denominado BRICS, os quais vêm apresentando um crescimento econômico expressivo e respondendo por mais de 40% das emissões totais deste poluente no planeta. Em termos analíticos, o estudo da relação entre crescimento econômico e emissões de poluentes têm sido feito com base na abordagem da Curva de Kuznets Ambiental (CKA), a qual implica a existência de uma relação no formato de um “U” invertido entre poluição e renda. Desta forma, à medida que a renda alcança um determinado patamar as emissões de poluentes começam a declinar, fazendo com que haja uma melhora na qualidade ambiental. Neste sentido, o objetivo geral desta pesquisa foi o de verificar se existe uma CKA para o grupo de países do BRICS utilizando a metodologia econométrica de cointegração em dados em painel. Além da variável PIB per capita, foram adicionadas mais três variáveis ao modelo: consumo per capita de energia, fluxo de comércio e uma dummy para captar os efeitos do Protocolo de Quioto sobre o nível de emissões destes países. Os resultados do modelo econométrico indicaram a existência de uma relação no formato de um “U” invertido entre renda per capita e emissões de CO2, com pontos de inflexões de US$ 2.033,89 e US$ 2.057,61 respectivamente, nos estimadores FMOLS e DOLS. O consumo per capita de energia apresentou uma relação positiva com as emissões de CO2, enquanto a relação da variável de comércio internacional foi negativa. Além disso, o coeficiente da variável dummy, que mensura os efeitos do Protocolo de Quioto, não teve significância estatística. Assim, julga-se necessário a implementação de políticas ambientais nos países do BRICS que estimulem o crescimento econômico com aumento da participação de fontes renováveis, melhoria na eficiência energética e transações comerciais que envolvam a transferência de tecnologia menos poluente para estes países. Ademais, acredita-se que um Acordo internacional de redução das emissões de CO2 que recaia também sobre os países em desenvolvimento é de extrema relevância para diminuir o nível de emissões e manter a temperatura do planeta em patamar estável.


  • Mostrar Abstract
  • Our last years, a steady rise in carbon dioxide (CO2) emissions and its own concentration on the atmosphere on the climate change issue at the center of the global political-economic debate. Today, the world's largest emitters of CO2are the emerging BRICS countries, which show significant economic growth and account for more than 40% of total emissions of this pollutant on the planet. In analytical terms, the study of the relationship between economic growth and pollutant emissions has been made on the basis of the Environmental Kuznets Curve (EKC) approach, which implies an unshaped relationship of an inverted "U" between pollution and Income In this way, as income reaches a certain level as emissions of pollutants begin to decline, resulting in an improvement in environmental quality. In this sense, the general objective of the research was to verify if there is a EKC for the BRICS group of countries using an economic methodology of panel data co-integration. In addition to the GDP per capita variable, three more variables were added to the model: per capita energy consumption, trade flow and a dummy to capture the effects of the Kyoto Protocol on countries' emissions levels. The results of the economic model indicated an existence of an unchanged relationship of an inverted "U" between per capita income and CO2emissions, with inflection points of US $ 2,033.89 and US $ 2,057.61, respectively, in the FMOLS and DOLS. The per capita consumption of energy showed a positive relation with CO2emissions, while a relation of the international trade variable was negative. In addition, the coefficient of the dummy variable, which measures the effects of the Kyoto Protocol, was not statistically significant. Thus, it is considered necessary to implement environmental policies in BRICS countries that stimulate economic growth by increasing the share of renewable sources, better energy and transactions that imply a transfer of less polluting technology to these countries. In addition, it is believed that an international agreement to reduce CO2emissions that also falls on developing countries is extremely important to reduce the level of emissions and keep the planet's temperature at a stable level.

2
  • JEAN JOEL BENIRAGI RUTALIRA
  • A descentralização na República Democrática do Congo: os desafios da política fiscal

  • Orientador : ANDRE LUIS CABRAL DE LOURENCO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARCONI GOMES DA SILVA
  • RICARDO SCHMIDT FILHO
  • ANDRE LUIS CABRAL DE LOURENCO
  • SANDRA CRISTINA GOMES
  • Data: 22/04/2017

  • Mostrar Resumo
  • A nova Constituição de 2006 da República Democrática do Congo instituiu a descentralização como forma de organização politico-administrativa na qual as coletividades locais passaram a ter um papel fundamental na administração do território. No entanto, essa reforma está sujeita a diversas dificuldades, cuja principal é de ordem financeira. Portanto, o objetivo geral da dissertação será a avaliação da viabilidade financeira das províncias em 2015, após o desmembramento e a descentralização finalmente ocorridos nesse ano. Simulações das receitas e despesas foram empregadas para avaliar a sustentabilidade fiscal das províncias. Como resultado, chegou-se à conclusão de que as províncias ainda são muito dependentes dos recursos nacionais mesmo depois da descentralização, e várias delas mantêm situação fiscal insustentável. Ademais, em 2015, houve redução do grau de centralização das receitas nacionais no governo nacional, mas o mesmo não se deu com as despesas.


  • Mostrar Abstract
  • The 2006 Constitution of Democratic Republic of Congo has established the decentralization model as a form of political and administrative organization in which local societies have a key role in the territorial administration. However, this reform is subject to several difficulties, the main one of which is financial. Therefore, the general objective to be studied in this work will be the assessment of the financial viability of the provinces in 2015, after the implementation of the dismemberment and decentralization finally occurred in that year. Revenue and expenditure simulations were used to assess the fiscal sustainability of provinces even after decentralization, and several of them maintain unsustainable fiscal positions. As a result, it has come to the conclusion that the provinces are very dependent on national resources. In addition, in 2015, there was a reduction in the degree of centralization of national revenues in the national government, but the same did not happen with the expenses.

3
  • MARIA GILDERJANE DA SILVA FERNANDES
  • EDUCAÇÃO SUPERIOR NO BRASIL: EFEITOS SOBRE AS DESIGUALDADES DE RENDA E O CRESCIMENTO ECONÔMICO DE LONGO PRAZO 
  • Orientador : FABRICIO PITOMBO LEITE
  • MEMBROS DA BANCA :
  • DANIELA VERZOLA VAZ
  • IGOR EZIO MACIEL SILVA
  • FABRICIO PITOMBO LEITE
  • Data: 29/05/2017

  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho se propôs a investigar o papel da educação superior no desenvolvimento econômico brasileiro, bem como seus efeitos sobre a redução da desigualdade de renda e da pobreza no longo prazo. Para tanto, além de uma revisão bibliográfica, fez-se uso de dados secundários do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) – a partir dos quais buscou-se mostrar a evolução dos principais indicadores ligados ao ensino superior no Brasil ao longo dos últimos anos –, e da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – com o objetivo de verificar o grau de desigualdade de renda, bem como outros indicadores relacionados à renda e ao nível de instrução da População Economicamente Ativa (PEA) relativos aos anos de 2004 e 2014. Os resultados revelam que as desigualdades de renda têm apresentado uma trajetória descendente ao longo da década analisada. No entanto, as pessoas com ensino superior estão entre os que recebem maiores rendimentos, o que acaba contribuindo para o aumento das desigualdades. Não obstante, a média de anos de estudo da PEA tem aumentado e consequentemente a renda média também. Ademais, os diferenciais de salários por anos de estudo diminui de 2004 para 2014, o que pode estar relacionado a um aumento da oferta de mão de obra mais qualificada, que aumenta a fila dos trabalhadores interessados em ocupar uma vaga de emprego e pressiona os salários para baixo. 
     

  • Mostrar Abstract
  • This paper aims to investigate the role of higher education in Brazilian economic development, as well as its effects on the reduction of income inequality and poverty in the long term. In addition to a bibliographic review, secondary data were used by the National Institute of Educational Studies and Research Anísio Teixeira (INEP) - from which it was sought to show the evolution of the main indicators related to higher education in Brazil And the National Household Sample Survey (PNAD) of the Brazilian Institute of Geography and Statistics (IBGE) - with the objective of verifying the degree of income inequality, as well as other indicators related to income and level Of Instruction of the Economically Active Population (PEA) for the years 2004 and 2014. The results reveal that the income inequalities have presented a descending trajectory throughout the analyzed decade. However, people with higher education are among those who receive higher incomes, which ultimately contributes to increasing inequalities. Nevertheless, the average years of study of the EAP have increased and consequently the average income as well. In addition, wage differentials by years of study decline from 2004 to 2014, which may be related to an increase in the supply of more skilled labor, which increases the number of workers interested in occupying a job vacancy and pressures wages down. 
     
4
  • JEAN CARLOS DOS SANTOS
  • Determinantes das Concentrações Industriais entre os Estados Brasileiros: uma análise PVAR no período de 2003 a 2014

  • Orientador : JANAINA DA SILVA ALVES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • DIEGO DE MARIA ANDRE
  • POEMA ISIS ANDRADE DE SOUZA
  • JANAINA DA SILVA ALVES
  • Data: 02/06/2017

  • Mostrar Resumo
  • A concentração industrial é capaz de influenciar as características de determinadas regiões, algumas vezes de forma construtiva e outras destrutiva. É importante observar que dependendo da localidade, algumas características se tornam predominantes na atração de indústrias, tais como, tradições produtivas, formas de trabalho e o perfil dos consumidores. A Teoria da Nova Geografia Econômica, tendo como principais autores Krugman (1991), Fujita (1989), Venables (1996) e Thisse (1996), aborda os efeitos da localização no mercado e, consequentemente, das aglomerações industriais. O estudo desses autores é feito a partir da Trindade Marshalliana (transbordamento de conhecimento, fornecedores de insumo e especialização do trabalhador) e do Modelo de Concorrência Monopolística de Dixit-Stiglitz, que examina como economias de escala, retornos crescentes e custos de transporte podem incentivar ou justificar a concentração das firmas em determinadas localidades. No caso brasileiro, Lautert e Araújo (2007), Silva e Bacha (2014) e Resende (2015) tratam questões que envolvem as aglomerações industriais. Neste sentido, este trabalho terá como objetivo principal promover uma análise que investigue quais os fatores que influenciaram a concentração industrial entre as Unidades Federativas do Brasil no período de 2003 a 2014. Para execução desse objetivo, será utilizado o Índice de ConcentraçãoEllison e Glaeser para medir a concentração industrial. As variáveis utilizadas na observação dos impactos da concentração são asproxies, da influência do governo sobre a concentração industrial (alíquota do ICMS), o transbordamento de conhecimento (anos de estudo), externalidades (participação regional das firmas, competitividade das firmas) e custo de negócio (custos de transporte). Os dados serão organizados em forma de painel e será elaborado um modelo econométrico de Vetores Autorregressivos em Painel – PVAR, que permitirá estudar as relações dinâmicas e mecanismos de ajustes entre as variáveis analisadas. Como fonte de dados, majoritariamente, utiliza-se dados encontrados na Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), Censo Demográfico do IBGE e Banco Central do Brasil. Este estudo contribui com a literatura ao utilizar um índice pouco explorado a nível nacional e ferramentas econométricas inéditas para o estudo da concentração industrial. Os resultados da análise em painel indicam que dentre as variáveis utilizadas, as que apresentaram maior significância sobre a concentração industrial estão relacionados à influência do governo e as externalidades. Verificou-se que choques relacionados ao transbordamento de conhecimento impactam positivamente na concentração industrial. Podemos concluir que as externalidades e educação são fatores importantes para atração de indústrias em uma região.


  • Mostrar Abstract
  • The industrial concentration is capable of influencing the characteristics of certain regions, sometimes constructive and sometimes destructive. It is important to notice that depending on the locality, some characteristics become predominant in attracting industries, such as productive traditions, ways of working and the profile of the consumers. The New Economic Geography Theory, whose main authors are Krugman (1991), Fujita (1989), Venables (1996) and Thisse (1996), approaches the effects of market location and, consequently, industrial agglomerations. The study of these authors is based on the Marshallian Trinity (knowledge overflow, input suppliers and worker specialization) and the Dixit-Stiglitz Monopolistic Competition Model, which examines how economies of scale, increasing returns and transport costs can encourage or sometimes justify the concentration of firms in certain localities. In the Brazilian case, Lautert and Araújo (2007), Silva and Bacha (2014) and Resende (2015) deal with issues involving industrial agglomerations. In this sense, this work will promote an analysis that investigates the factors that influenced the industrial concentration between the states of Brazil in the period that goes from 2003 to 2014. In order to achieve this goal, we will use the Ellison and Glaeser Concentration Index to measure the industrial concentration. The variables used to check the impacts of the concentration are the proxies, the influence of the government on the industrial concentration (ICMS rate), the knowledge overflow (years of study), externalities (firms' regional participation and firm competitiveness) and business cost (Transport costs). The data will be organized in panel form and an econometric model of Autorregressive Panel Vectors - PVAR will be elaborated, which will allow to study the dynamic relations and mechanisms of adjustments among the analyzed variables.. As a data source, we used the data found in the Annual Social Information Ratio (RAIS), Demographic Census of the IBGE and Central Bank of Brazil. This study contributes to the literature by using an index that has not been explored at a national level and some new econometric tools for the study of industrial concentration. The results of the panel analysis indicate that among the variables used, those that presented the highest significance on industrial concentration are related to government influence and externalities. It was also verified that shocks related to knowledge overflow cause a positive impact on industrial concentration. We can conclude that externalities and education are important factors when it comes to attracting industries in a region.

5
  • LARICE SIMONE DE OLIVEIRA FERREIRA
  • EMULAÇÃO DE CONSUMO NO BRASIL

  • Orientador : FABRICIO PITOMBO LEITE
  • MEMBROS DA BANCA :
  • FABRICIO PITOMBO LEITE
  • MARCIA MARIA DE OLIVEIRA BEZERRA
  • LEANDRO PINHEIRO CHEVITARESE
  • Data: 26/06/2017

  • Mostrar Resumo
  • Essa dissertação teve como objetivo construir o conceito de emulação do consumo, explicitando o conceito de classes em contraposição ao de estratos de renda, dando ênfase à perspectiva de classes. Averiguou-se quais os países que possuem fortes características de “cultura de consumo” e “estilo de vida” e suas influências sobre o comportamento do consumidor brasileiro no que tange à emulação. Posteriormente, verificou-se quais são os mecanismos que disseminam a ideia de determinado estilo de vida e consumo. A base teórica foi construída a partir de Veblen (emulação de consumo), Nietzsche(objetividade e subjetividade, impulsos inseparáveis), Bauman (Pós-modernidade e consumo), Baudrillard (Signos e consumo), Celso Furtado (raízes da dependência), entre outros. Buscou-se um método que proporcionasse análises complexas das escolhas dos consumidores. Partindo-se da hipótese de que não há dualidade no processo de decisão (racionalidade e impulsos emocionais), ambos são imbricados, ou seja, ocorrem concomitantemente. O método mais oportuno foi a entrevista semi-estruturada, que favorece a compreensão dos fenômenos sociais. Após a aplicação do método, constatou-se que os fatores que mais influenciam na análise de compra dos consumidores entrevistados são: qualidade, preço, necessidade e alguns fatores subjetivos. Em relação à influência cultural estrangeira, os países mais citados segundo aqueles que se sentem influenciados pelo “estilo de vida e consumo” do exterior foram: Estados Unidos, Inglaterra e França. As vias que disseminam o estilo de vida e consumo de outros países ao consumidor brasileiro estão associadas aos meios de comunicações e às artes. Dos consumidores pesquisados, 86% afirmaram que, produtos que são mais consumidos por classes mais ricas proporcionam status, uma espécie de troféu, de vitória, sucesso e admiração de terceiros e que quando desejam consumir mesmo com a renda limitada, apenas 37% optam por formar poupança para adquirir o bem no futuro e 67% optam pelo uso do crédito, financiamento ou empréstimo para realizar a compra.


  • Mostrar Abstract
  • This dissertation aimed to construct the concept of consumption emulation, explaining the concept of classes as opposed to that of income strata, emphasizing the class perspective. It was found out which countries have strong characteristics of "consumer culture" and "lifestyle" and their influences on Brazilian consumer behavior regarding emulation. Subsequently, it was verified which are the mechanisms that spread the idea of a certain lifestyle and consumption. The theoretical basis was constructed from Veblen (consumption emulation), Nietzsche (objectivity and subjectivity, inseparable impulses), Bauman (Postmodernity and consumption), Baudrillard (Signs and consumption), Celso Furtado (dependency roots), between others. We sought a method that would provide complex analyzes of consumer choices. Starting from the hypothesis that there is no duality in the decision process (rationality and emotional impulses), both are imbricated, that is, they occur concomitantly. The most opportune method was the semi-structured interview, which favors the understanding of social phenomena. After applying the method, it was verified that the factors that most influence the analysis of the consumers interviewed are quality, price, need and some subjective factors. In relation to foreign cultural influence, the countries most cited according to those who feel influenced by the "lifestyle and consumption" of the outside were United States, England and France. The ways that disseminate the lifestyle and consumption of other countries to the Brazilian consumer are associated with the media and the arts. Of the consumers surveyed, 86% stated that products that are more consumed by richer classes provide status, a kind of trophy, victory, success and admiration of others, and that when they wish to consume even with limited income, only 37% choose Form savings to acquire the good in the future and 67% opt for the use of credit, financing or loan to make the purchase.

6
  • AMÉLIO ARCANGELO PILON

  • AGROAMIGO E TERRITÓRIO: a evolução do programa de microcrédito rural orientado no estado do Rio Grande do Norte entre os anos de 2005 e 2014

  • MEMBROS DA BANCA :
  • EMANOEL MÁRCIO NUNES
  • JOEDSON JALES DE FARIAS
  • MARCIA MARIA DE OLIVEIRA BEZERRA
  • Data: 14/07/2017

  • Mostrar Resumo
  • Esta dissertação teve por finalidade analisar como se deu a aplicação e a evolução do programa de microcrédito rural orientado Agroamigo no estado do Rio Grande do Norte e em seus territórios rurais e da cidadania. A partir de dados fornecidos pelo Banco do Nordeste do Brasil (BNB), fizemos cortes para análise de como se deu a evolução em termos de valores, distribuição por gênero e por atividade, em todo o estado e em seus territórios no período entre os anos de 2005 e 2014 (primeiros 10 anos do programa). Para a análise, utilizamos o tratamento dos dados de todas as operações efetivadas no período, juntamente com os métodos econométricos de gráficos de dispersão e seus mapas, e I de Moran e seus mapas. Também nos amparamos em entrevista com representante do programa. Como resultado da pesquisa, chegamos à conclusão que os municípios situados nos territórios do Seridó e Sertão do Apodi aderiam melhor ao programa, que o território do Sertão Central Cabugi / Litoral Norte apresentou os maiores índices de prorrogação de operações no período, que nos municípios onde há menor concentração de terras – com maior numero de estabelecimentos rurais – o programa apresentou não somente maior número de operações como também números constantemente crescentes de operações. 


  • Mostrar Abstract
  • This work aimed to analyze how has been the use and development of the rural microcredit program targeting Agroamigo in the state of Rio Grande do Norte and its rural areas and citizenship. Based on data
    provided by the Banco do Nordeste do Brasil (BNB), it has made cuts to analyze how the evolution in terms of values, distribution by sex and activity throughout the state and its territories in the period
    between 2005 and 2014 (first 10 years of the program). For the analysis, we used the processing of all transactions performed during the period, as well as econometric methods of dispersion diagrams and
    their maps and I and their Moran maps. Also admitted it in the interview with the program representative. Due to the research we concluded that the counties in Seridó and Sertão do Apodi territories better
    adhered to the program, as the territory Sertão Central Cabugi / Litoral Norte registered higher turnover rates over the period, in counties where there is less land concentration - with more farms more - the
    program has not only increased the number of operations, as well as an ever-increasing number of operations.
7
  • MARCKSON BYAN MEDEIROS AGUIAR
  • Comportamento da Posição de Investimento Internacional e seus diversos aspectos: uma análise da vulnerabilidade externa da economia brasileira, 1995-2016.

  • Orientador : ANDRE LUIS CABRAL DE LOURENCO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANDRÉ MARTINS BIANCARELLI
  • ANDRE LUIS CABRAL DE LOURENCO
  • FABRICIO PITOMBO LEITE
  • Data: 28/07/2017

  • Mostrar Resumo
  • A vulnerabilidade externa da economia brasileira, tema principal deste trabalho, pode ser analisada em várias perspectivas. Nesta pesquisa, observamos a vulnerabilidade externa sob a ótica de diversos indicadores, mas com ênfase na Posição de Investimento Internacional (PII) durante o período 1995-2016, dando ênfase principal a influência dos preços dos ativos (taxa ak) sobre a PII. Os resultados encontrados apontam que a taxa ak influenciou de forma majoritária a variação da Posição de Investimento Internacional, contribuindo para uma redução na vulnerabilidade externa da economia brasileira quando positiva. Contudo a vulnerabilidade externa não deve ser analisada apenas pela ótica da PII, por isso, analisamos diversos índices de vulnerabilidade externa, no qual constatamos bons resultados em relação ao âmbito de liquidez externa, refletindo uma melhora na vulnerabilidade externa sobre a questão conjuntural. Observando os índices de vulnerabilidade externa pelo âmbito da solvência externa evidenciando resultados ruins, caracterizando uma piora na vulnerabilidade estrutural na economia brasileira. Observamos ainda índices de vulnerabilidade em dois períodos distintos (1995 – 2002 e 2003 – 2006), percebemos no período 1995 – 2002 que os índices de vulnerabilidade apresentaram resultados ruins tanto na questão da solvência como no da liquidez externa. Em relação aos índices no período 2003 – 2006 observamos resultados melhores em relação à liquidez externa.


  • Mostrar Abstract
  • The external vulnerability of the Brazilian economy, the main theme of this work, can be analyzed in several perspectives. In this research, we observed the external vulnerability from the perspective of several indicators, but with an emphasis on the International Investment Position (IIP) during the period 1995-2016, with emphasis on the influence of asset prices (ak) on the IIP. The results show that the ak rate influenced in a majority way the variation of the International Investment Position, contributing to a reduction in the external vulnerability of the Brazilian economy when positive. However, the external vulnerability should not be analyzed only from the perspective of the IIP. Therefore, we analyzed several indices of external vulnerability, in which we verified good results in relation to the external liquidity scope, reflecting an improvement in the external vulnerability on the conjunctural issue. Observing the external vulnerability indices by the scope of the external solvency evidencing bad results, characterizing a worsening in the structural vulnerability in the Brazilian economy. We also observed vulnerability indexes in two different periods (1995-2002 and 2003-2006). In the period 1995-2002, vulnerability indexes presented poor results on both solvency and external liquidity issues. In relation to the indices in the 2003-2006 period, we observed better results in relation to external liquidity.

8
  • DAISY CAROLINE NASCIMENTO PEREIRA
  • Distribuição Funcional de Renda no Brasil (1955-2014)

  • Orientador : FABRICIO PITOMBO LEITE
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARCONI GOMES DA SILVA
  • FABRICIO PITOMBO LEITE
  • RICARDO SCHMIDT FILHO
  • Data: 31/07/2017

  • Mostrar Resumo
  • Nas ciências econômicas são vastos os trabalhos que analisam a temática voltada às desigualdades econômicas, porém, uma das críticas feitas à literatura econômica contemporânea que estuda a desigualdade de renda é que esta, predominantemente, estuda aspectos relacionados à distribuição pessoal de renda (DPR), esquecendo-se de se aprofundar nas questões relacionadas à distribuição funcional de renda (DFR). Embora a DFR seja um aspecto importante no desenvolvimento de muitas teorias macroeconômicas, seu estudo ainda é muito negligenciado, tanto a nível internacional quanto nacional. Isso se deve, em grande parte, às limitações teóricas e metodológicas inerentes ao seu estudo. Apesar dessas limitações, existem diversos fatores que motivam seu estudo. Assim, o presente trabalho tem por objetivo analisar o comportamento histórico da Distribuição Funcional de Renda no Brasil entre 1955-2014. Analisamos o comportamento da DFR a partir de três fatores: produtividade real do trabalho, salários reais e o poder de barganha dos trabalhadores. A análise do poder de barganha dos trabalhadores foi realizada através da compreensão da evolução do Estado do Bem-Estar Social. Os resultados demonstram que, entre 1955 a 2014, a distribuição funcional de renda no Brasil apresentou comportamento cíclico. Em comparação internacional, percebe-se que a participação da renda do trabalho na renda nacional acompanhou a dinâmica internacional e que a DFR no Brasil é relativamente baixa, mesmo quando comparada com a de países pobres. Também verificamos que estudos voltados a DFR devem levar em consideração fatores conceituais, metodológicos e quantitativos, pois, não existe um consenso na literatura em relação as suas técnicas de mensuração. Através das metodologias apresentadas, percebe-se que o tratamento dado à renda dos autônomos (renda mista) é o principal fator que influencia a existência de diversas formas de estimação da participação da renda do trabalho na renda nacional. A pesquisa classifica-se como exploratória-descritiva, quali-quantitativa e os dados foram obtidos, majoritariamente, através das Contas Nacionais realizadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e pelos bancos de dados da International Labour Organization (ILO) e Organisation for Economic Co-operation and Deselopment (OECD). 


  • Mostrar Abstract
  • In the economic sciences, there are many studies analyzing the issue of economic inequality, but one of the criticisms of contemporary economic literature that studies income inequality is that it predominantly studies aspects related to personal income distribution, forgetting to deepen in the questions related to the functional income distribution. Although the functional income distribution is an important aspect in the development of many macroeconomic theories, its study is still very neglected both internationally and nationally. This is due, in large part, to the theoretical and methodological limitations inherent to its study. Despite these limitations, there are several factors that motivate its study. Thus, the present work aims to analyze the historical behavior of the Functional Income Distribution in Brazil between 1955-2014. We analyze the behavior of DFR based on three factors: real labor productivity, real wages and bargaining power of workers. The analysis of workers' bargaining power was carried out through an understanding of the evolution of the welfare state. The results show that, between 1955 and 2014, the functional income distribution in Brazil presented a cyclical behavior, with a cycle lasting 7-10 years. In international comparison, it can be seen that the share of labor income in national income followed the international dynamics. DFR in Brazil is relatively low, even when compared to that of poor countries. We also verified that studies focused on DFR should take into account conceptual, methodological and quantitative factors, since there is no consensus in the literature regarding its measurement techniques. Through the methodologies presented, the treatment given to income of the self-employed (mixed income) is the main factor that influences the existence of several forms of estimation of labor income participation in national income. The research is classified as exploratory-descriptive, qualitative and quantitative, and the data were obtained, mainly, through the National Accounts (IBGE), the International Labor Organization (ILO), and the Organization for Economic Co-operation and Development (OECD).

9
  • DIAGO MARENILSON OLIVEIRA BATISTA DA SILVA
  • DESENVOLVIMENTO ESPACIAL PARAIBANO E SUAS IMPLICAÇÕES NA FORMAÇÃO TERRITORIAL

  • Orientador : WILLIAM EUFRASIO NUNES PEREIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • RICARDO SCHMIDT FILHO
  • DIEGO DE MARIA ANDRE
  • WILLIAM EUFRASIO NUNES PEREIRA
  • Data: 31/07/2017

  • Mostrar Resumo
  • O trabalho busca o entendimento sobre as transformações ocorridas em determinados locais, e é nesse contexto que se insere o tema abordado no trabalho, que vai busca compreender e conhecer a respeito do desenvolvimento das regiões paraibanas, como também, demonstrando o panorama atual do desenvolvimento do Estado. O trabalho apresentará o processo de desenvolvimento regional, condicionados pelos aspectos da evolução do desenvolvimento das regiões e este processo será representado através da mensuração do desenvolvimento pelo Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM), como também através do Índice de Vulnerabilidade Social (IVS) e de outros indicadores socioeconômicos que contemplam de certa forma os elementos essenciais do desenvolvimento regional. O trabalho apresenta uma perspectiva histórica da formação econômica da Paraíba, os elementos que compõem as teorias de crescimento e desenvolvimento e sobre a teoria de polos de desenvolvimento. Para apresentação dos índices de desenvolvimento e vulnerabilidade, optou-se por construir uma matriz de peso espacial, dando possibilidade a obtenção das estáticas I de moram, Diagrama de Dispersão de Moran e Os Indicadores Locais de Associação Espacial (LISA). A discussão do desenvolvimento foi baseada principalmente através da análise do LISA. Para elaboração do trabalho foi realizada uma pesquisa bibliográfica e documental, de caráter exploratório. Como resultado observou-se, uma evolução no desempenho dos indicadores gerais da Paraíba, como também foi observada uma concentração do desenvolvimento nas cidades “polos”, principalmente na região de João Pessoa. Por isso, destaca-se a necessidade de se implementar políticas públicas para o desenvolvimento do Estado, que se encontra em um papel de coadjuvante no cenário nacional e regional, além de que, o Estado apresenta um alto índice de concentração na microrregião de João Pessoa. Desenvolver o Estado, não é só pensar em alternativas de convivências com os efeitos naturais, mas consiste acima de tudo traçar meios e políticas de interligação econômica entre todas regiões, buscando otimizar todas as potencialidades do Estado, afim de alcançar um desenvolvimento mais harmônico entre as regiões que compões um determinado estado da federação.


  • Mostrar Abstract
  • This work seeks to understand the transformations occurring in certain places, and it is in this context that the theme addressed in the work is inserted, which will seek to understand and know about the development of the regions of Paraiba, as well as showing the current panorama of the development of the State. The work will present the regional development process, conditioned by the developmental aspects of the development of the regions and this process will be represented by measuring the development by the Municipal Human Development Index (IDHM), as well as by the Social Vulnerability Index (IVS) and Of other socio-economic indicators that in some way contemplate the essential elements of regional development. The paper presents a historical perspective of the economic formation of Paraíba, the elements that compose the theories of growth and development and the theory of poles of development. In order to present the indices of development and vulnerability, it was decided to construct a spatial weight matrix, giving the possibility of obtaining the static I de moram, Moran Dispersion Diagram and Local Spatial Association Indicators (LISA). The development discussion was mainly based on the LISA analysis. For the elaboration of the work, a bibliographical and documentary research was carried out, of an exploratory nature. As a result, there was an evolution in the performance of Paraíba's general indicators, as well as a concentration of development in the "polo" cities, mainly in the region of João Pessoa. Therefore, it is necessary to implement public policies for the development of the State, which is in a supporting role in the national and regional scenario, in addition to that, the State presents a high concentration index in the micro-region of João Pessoa . To develop the State, it is not only a question of alternatives to coexistence with natural effects, but above all it is to draw up means and policies of economic interconnection between all regions, seeking to optimize all the potential of the State, in order to achieve a more harmonious development between Regions that make up a particular state of the federation.

2016
Dissertações
1
  • CAMILA MIRELLA SANTOS DE OLIVEIRA
  • CRIMINALIDADE NO BRASIL E SEUS ASPECTOS ECONÔMICOS NO PERÍODO 1990-2010: UMA ANÁLISE DE VETORES AUTORREGRESSIVOS PARA DADOS EM PAINEL – PVAR

  • Orientador : JANAINA DA SILVA ALVES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • RODOLFO FERREIRA RIBEIRO DA COSTA
  • JOAO PAULO MARTINS GUEDES
  • JANAINA DA SILVA ALVES
  • Data: 24/02/2016

  • Mostrar Resumo

  • O presente estudo tem por objetivo investigar os efeitos dos aspectos econômicos sobre a criminalidade, para o período de 1990 a 2010, com a finalidade de verificar as principais causas para o aumento expressivo da criminalidade nos estados brasileiros. Para alcançar o objetivo proposto, o estudo se baseará na teoria econômica do crime de Becker (1968). Para isto, serão utilizados os dados do Sistema de Informações sobre Mortalidade do Ministério da Saúde (SIM-DATASUS), Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada(IPEA) e Secretaria do Tesouro Nacional (STN). As estatísticas apontam que são os jovens as principais vítimas de violência, principalmente homicídios. Neste sentido, o presente trabalho será constituído por dois modelos, com destaque para a influência das variáveis de educação, renda, desigualdade de renda e pobreza sobre as taxas de homicídios nos estados brasileiros. Para o primeiro modelo foram considerados os indivíduos (homens e mulheres) de todas as idades. Já o segundo modelo levou em consideração apenas os indivíduos (homens e mulheres) jovens, com idade de 15 a 29 anos. A ideia é verificar a magnitude do impacto dessas variáveis econômicas entre um modelo e outro, já que a criminalidade tem afetado principalmente os indivíduos mais jovens. Dessa forma, será realizado um estudo considerando a criminalidade nas 27 unidades federativas do Brasil, através da construção de um painel de dados não balanceado, utilizando da técnica VAR Painel (PVAR), proposto por Holtz-Eakin et al.(1998) estimado pelo método de momentos generalizados (GMM) sistêmico para identificar as possíveis relações existentes entre fatores econômicos e a criminalidade, através das funções impulso-resposta e decomposição de variância. As estatísticas descritivas revelam que, nos últimos anos, as taxas de homicídios vêm apresentando um crescimento contínuo, em que os jovens são as principais vítimas. Para ambos os modelos, as variáveis econômicas apresentaram um comportamento semelhante. Com relação às variáveis centrais, os achados empíricos sugerem a desigualdade de renda e os efeitos inerciais como um dos principais propulsores da criminalidade. Por outro lado, as evidências revelam que uma elevação da renda domiciliar per capita eleva o custo de oportunidade do crime, corroborando com a teoria econômica. Dessa maneira, verifica-se a necessidade de políticas públicas com foco sobre a diferença de renda e/ou reformulação da política pública nacional de maneira que promova a melhoria social, a fim de combater de forma mais eficaz a criminalidade no Brasil.


  • Mostrar Abstract

  • O presente estudo tem por objetivo investigar os efeitos dos aspectos econômicos sobre a criminalidade, para o período de 1990 a 2010, com a finalidade de verificar as principais causas para o aumento expressivo da criminalidade nos estados brasileiros. Para alcançar o objetivo proposto, o estudo se baseará na teoria econômica do crime de Becker (1968). Para isto, serão utilizados os dados do Sistema de Informações sobre Mortalidade do Ministério da Saúde (SIM-DATASUS), Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada(IPEA) e Secretaria do Tesouro Nacional (STN). As estatísticas apontam que são os jovens as principais vítimas de violência, principalmente homicídios. Neste sentido, o presente trabalho será constituído por dois modelos, com destaque para a influência das variáveis de educação, renda, desigualdade de renda e pobreza sobre as taxas de homicídios nos estados brasileiros. Para o primeiro modelo foram considerados os indivíduos (homens e mulheres) de todas as idades. Já o segundo modelo levou em consideração apenas os indivíduos (homens e mulheres) jovens, com idade de 15 a 29 anos. A ideia é verificar a magnitude do impacto dessas variáveis econômicas entre um modelo e outro, já que a criminalidade tem afetado principalmente os indivíduos mais jovens. Dessa forma, será realizado um estudo considerando a criminalidade nas 27 unidades federativas do Brasil, através da construção de um painel de dados não balanceado, utilizando da técnica VAR Painel (PVAR), proposto por Holtz-Eakin et al.(1998) estimado pelo método de momentos generalizados (GMM) sistêmico para identificar as possíveis relações existentes entre fatores econômicos e a criminalidade, através das funções impulso-resposta e decomposição de variância. As estatísticas descritivas revelam que, nos últimos anos, as taxas de homicídios vêm apresentando um crescimento contínuo, em que os jovens são as principais vítimas. Para ambos os modelos, as variáveis econômicas apresentaram um comportamento semelhante. Com relação às variáveis centrais, os achados empíricos sugerem a desigualdade de renda e os efeitos inerciais como um dos principais propulsores da criminalidade. Por outro lado, as evidências revelam que uma elevação da renda domiciliar per capita eleva o custo de oportunidade do crime, corroborando com a teoria econômica. Dessa maneira, verifica-se a necessidade de políticas públicas com foco sobre a diferença de renda e/ou reformulação da política pública nacional de maneira que promova a melhoria social, a fim de combater de forma mais eficaz a criminalidade no Brasil.

2
  • MARILIA MEDEIROS DE ARAÚJO
  • OS EFEITOS DA POLÍTICA DE VALORIZAÇÃO DO SALÁRIO MÍNIMO SOBRE O EMPREGO E A DISTRIBUIÇÃO DE RENDA: SIMULAÇÕES COMPUTACIONAIS PARA ANÁLISE DOS RESULTADOS TEÓRICOS.

  • Orientador : FABRICIO PITOMBO LEITE
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ESTHER DWECK
  • PAULO FERNANDO DE MOURA BEZERRA CAVALCANTI FILHO
  • FABRICIO PITOMBO LEITE
  • ANDRE LUIS CABRAL DE LOURENCO
  • Data: 29/02/2016

  • Mostrar Resumo
  • Esta dissertação consistiu em avaliar os efeitos da Política de Valorização do Salário Mínimo sobre o emprego e a distribuição de renda no longo prazo. Com base nas teorias de Keynes e Kalecki foram discutidos os efeitos de um aumento do salário sobre o nível de emprego e sobre a distribuição de renda, e os prováveis canais e fatores a partir dos quais esses efeitos podem incidir sobre as variáveis em questão. A metodologia da dissertação apoiou-se no uso de simulações computacionais, no modelo macroeconômico multissetorial MKS, de Cavalcanti Filho (2002). Para um conjunto de combinações de parâmetros de políticas econômicas, a análise das simulações gerou resultados, que correspondem aos efeitos apontados pelos fundamentos teóricos. Conclui-se que, para as diferentes combinações de políticas fiscal e monetária simuladas, a Política de Valorização do Salário Mínimo se mostrou eficaz para os objetivos a que se propõe a regra de reajuste.


  • Mostrar Abstract
  • Esta dissertação consistiu em avaliar os efeitos da Política de Valorização do Salário Mínimo sobre o emprego e a distribuição de renda no longo prazo. Com base nas teorias de Keynes e Kalecki foram discutidos os efeitos de um aumento do salário sobre o nível de emprego e sobre a distribuição de renda, e os prováveis canais e fatores a partir dos quais esses efeitos podem incidir sobre as variáveis em questão. A metodologia da dissertação apoiou-se no uso de simulações computacionais, no modelo macroeconômico multissetorial MKS, de Cavalcanti Filho (2002). Para um conjunto de combinações de parâmetros de políticas econômicas, a análise das simulações gerou resultados, que correspondem aos efeitos apontados pelos fundamentos teóricos. Conclui-se que, para as diferentes combinações de políticas fiscal e monetária simuladas, a Política de Valorização do Salário Mínimo se mostrou eficaz para os objetivos a que se propõe a regra de reajuste.

3
  • CALISTO ROCHA DE OLIVEIRA NETO
  • ENERGIA EÓLICA E DESENVOLVIMENTO NO TERCEIRO MILÊNIO: reflexões a partir do Brasil, Nordeste e Rio Grande do Norte

  • Orientador : VALDENIA APOLINARIO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANGELO MAGALHAES SILVA
  • LUZIENE DANTAS DE MACEDO
  • VALDENIA APOLINARIO
  • Data: 04/03/2016

  • Mostrar Resumo
  • Esta dissertação objetiva analisar o setor eólico no estado do Rio Grande do Norte destacando os principais desafios ao seu desenvolvimento.  A questão central de pesquisa é saber qual o lugar do Nordeste e do Rio Grande do Norte no mapa da ‘expansão e diversificação’ do setor elétrico brasileiro e quais são os seus principais desafios e oportunidades.  A hipótese de pesquisa é que a energia eólica é um dos vetores de desenvolvimento do Nordeste. Todavia, a despeito de expansão recente deste setor, acredita-se que o rebatimento desta atividade sobre o desenvolvimento regional pode ser ampliado a partir da internalização, tanto quanto possível, da cadeia produtiva da energia eólica também na região. Isto pressupõe políticas de incentivo ao enfrentamento dos gargalos produtivos, logísticos, de CT&I e de qualificação profissional. Todavia, tais políticas ainda se mostram insuficientes na região, especialmente no Rio Grande do Norte. A metodologia aplicada contempla uma pesquisa secundária e de campo. A revisão bibliográfica explora a construção do Setor Elétrico Brasileiro (SEB), enfatizando o papel do Estado no planejamento e construção do setor, as circunstâncias que resultaram na privatização de parte das empresas públicas do setor elétrico nos anos 1990 e sua retomada no planejamento do SEB, promovendo a diversificação do sistema e a inserção de novas fontes renováveis de energia, com destaque para a energia eólica. A revisão de literatura também situa a energia eólica no mundo, Brasil e Nordeste, destacando o seu potencial em relação às demais fontes, bem como a sua importância para o desenvolvimento sustentável. Ainda são sistematizados e analisados dados sobre a origem, perfil, aspectos econômicos e tecnológicos do setor eólico no Rio Grande do Norte, bem como dos territórios que abrigam parques eólicos. O estudo também contém uma pesquisa de campo realizada junto a importantes atores envolvidos com a atividade no estado. Os resultados confirmam a hipótese e apontam que a energia eólica é um dos vetores de desenvolvimento para o Rio Grande do Norte, que o estado tem recebido grandes investimentos na implementação de parques eólicos e é destaque em produção de energia. Entretanto, esse sucesso na produção não se reflete na atração de fabricantes da cadeia produtiva do setor.  Problemas logísticos e infraestruturais, dentre outros, também são realçados pelos atores entrevistados. Todos estes aspectos, embora impliquem num cenário incerto quanto aos rebatimentos desta atividade no desenvolvimento local/regional, também se constituem em oportunidades de ações e políticas.


  • Mostrar Abstract
  • Esta dissertação objetiva analisar o setor eólico no estado do Rio Grande do Norte destacando os principais desafios ao seu desenvolvimento.  A questão central de pesquisa é saber qual o lugar do Nordeste e do Rio Grande do Norte no mapa da ‘expansão e diversificação’ do setor elétrico brasileiro e quais são os seus principais desafios e oportunidades.  A hipótese de pesquisa é que a energia eólica é um dos vetores de desenvolvimento do Nordeste. Todavia, a despeito de expansão recente deste setor, acredita-se que o rebatimento desta atividade sobre o desenvolvimento regional pode ser ampliado a partir da internalização, tanto quanto possível, da cadeia produtiva da energia eólica também na região. Isto pressupõe políticas de incentivo ao enfrentamento dos gargalos produtivos, logísticos, de CT&I e de qualificação profissional. Todavia, tais políticas ainda se mostram insuficientes na região, especialmente no Rio Grande do Norte. A metodologia aplicada contempla uma pesquisa secundária e de campo. A revisão bibliográfica explora a construção do Setor Elétrico Brasileiro (SEB), enfatizando o papel do Estado no planejamento e construção do setor, as circunstâncias que resultaram na privatização de parte das empresas públicas do setor elétrico nos anos 1990 e sua retomada no planejamento do SEB, promovendo a diversificação do sistema e a inserção de novas fontes renováveis de energia, com destaque para a energia eólica. A revisão de literatura também situa a energia eólica no mundo, Brasil e Nordeste, destacando o seu potencial em relação às demais fontes, bem como a sua importância para o desenvolvimento sustentável. Ainda são sistematizados e analisados dados sobre a origem, perfil, aspectos econômicos e tecnológicos do setor eólico no Rio Grande do Norte, bem como dos territórios que abrigam parques eólicos. O estudo também contém uma pesquisa de campo realizada junto a importantes atores envolvidos com a atividade no estado. Os resultados confirmam a hipótese e apontam que a energia eólica é um dos vetores de desenvolvimento para o Rio Grande do Norte, que o estado tem recebido grandes investimentos na implementação de parques eólicos e é destaque em produção de energia. Entretanto, esse sucesso na produção não se reflete na atração de fabricantes da cadeia produtiva do setor.  Problemas logísticos e infraestruturais, dentre outros, também são realçados pelos atores entrevistados. Todos estes aspectos, embora impliquem num cenário incerto quanto aos rebatimentos desta atividade no desenvolvimento local/regional, também se constituem em oportunidades de ações e políticas.

4
  • LEOVIGILDO MELGAÇO TOLENTINO NETO
  • EUGENIO GUDIN VERSUS ROBERTO SIMONSEN: DESENVOLVIMENTISMO, NEOLIBERALISMO E A CONSTRUÇÃO DO BRASIL DURANTE O SÉCULO XX

  • Orientador : WILLIAM EUFRASIO NUNES PEREIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • WILLIAM EUFRASIO NUNES PEREIRA
  • ANGELO MAGALHAES SILVA
  • DENILSON DA SILVA ARAUJO
  • Data: 04/03/2016

  • Mostrar Resumo
  • O debate sobre industrialização está arraigado a uma clássica polêmica dentro da economia, que ganhou fôlego ao longo do século XX: planejamento e intervencionismo, de um lado, versus livre mercado do outro. Essa pesquisa busca reacender o debate sobre industrialização tomando como foco a clássica discussão acerca do planejamento econômico, ocorrida na década de 1940, durante o governo Vargas, entre Eugenio Gudin e Roberto Simonsen.

     
    O debate entre Gudin e Simonsen ocorreu no contexto de ascensão do Estado de Compromisso, com viés estritamente planejador, que criou uma infinidade de órgãos públicos no Brasil, entre as décadas de 30 e 50 do século XX: I - Departamento Nacional do Café; II - Conselho Federal de Comércio Exterior; III - Departamento Administrativo do Serviço Público, dentre algumas outras agências reguladoras. Os dois órgãos mais diretamente ligados ao debate entre Eugenio Gudin e Roberto Simonsen, nasceram ao fim do Estado Novo: Comissão de Planejamento Econômico (CPE) e o Conselho Nacional de Política Industrial (CNPIC). (TAVARES, 2010)
     
    Gudin era membro da CPE. Esse órgão integrava o Conselho de Segurança Nacional; tinha como objetivo elaborar estudos sobre a economia brasileira e, em geral, realizar pesquisas de diligências militares. A CPE deveria projetar o alicerce institucional que realizaria o planejamento econômico nacional. Já Simonsen era membro do CNPIC, órgão filiado ao Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio; era constituído por representantes dos ministérios citados, por alguns integrantes da burocracia econômica e de alguns técnicos especialistas em economia.
     
    É no domínio da CNPIC que ocorre o começo da controvérsia sobre o planejamento, entre Gudin e Simonsen. Esse órgão deveria discorrer sobre como o planejamento da economia brasileira seria de fato implementado. Até então, não existia um órgão oficial que integrasse todas as esferas do planejamento e direcionasse de forma técnica as ações do governo.
     
    Simonsen sugeria que o CNPIC se estabelecesse como órgão máximo na elaboração e execução do planejamento econômico brasileiro, subordinado apenas ao presidente da República.
    Essa pesquisa optou pela escolha do método relativista por conta do contexto latino-americano sob o qual se desencadeou o debate. De acordo com Blaug (1962), a análise relativista preconiza uma investigação de natureza mais extensa, isto é, inclinada ao contexto histórico e social sob os quais ocorrem a concepção de idéias. Os relativistas são pesquisadores que nutrem interesses nas relações da história do pensamento econômico com o arcabouço intelectual do autor em questão. Nesse prisma, nessa pesquisa, não há a possibilidade de dissociar o pensamento dos respectivos autores do contexto histórico e as questões além da economia que o influenciaram.
     
    A conclusão dessa pesquisa expôs por que as idéias de Roberto Simonsen triunfaram perante o pensamento de Gudin.

  • Mostrar Abstract
  • O debate sobre industrialização está arraigado a uma clássica polêmica dentro da economia, que ganhou fôlego ao longo do século XX: planejamento e intervencionismo, de um lado, versus livre mercado do outro. Essa pesquisa busca reacender o debate sobre industrialização tomando como foco a clássica discussão acerca do planejamento econômico, ocorrida na década de 1940, durante o governo Vargas, entre Eugenio Gudin e Roberto Simonsen.

     
    O debate entre Gudin e Simonsen ocorreu no contexto de ascensão do Estado de Compromisso, com viés estritamente planejador, que criou uma infinidade de órgãos públicos no Brasil, entre as décadas de 30 e 50 do século XX: I - Departamento Nacional do Café; II - Conselho Federal de Comércio Exterior; III - Departamento Administrativo do Serviço Público, dentre algumas outras agências reguladoras. Os dois órgãos mais diretamente ligados ao debate entre Eugenio Gudin e Roberto Simonsen, nasceram ao fim do Estado Novo: Comissão de Planejamento Econômico (CPE) e o Conselho Nacional de Política Industrial (CNPIC). (TAVARES, 2010)
     
    Gudin era membro da CPE. Esse órgão integrava o Conselho de Segurança Nacional; tinha como objetivo elaborar estudos sobre a economia brasileira e, em geral, realizar pesquisas de diligências militares. A CPE deveria projetar o alicerce institucional que realizaria o planejamento econômico nacional. Já Simonsen era membro do CNPIC, órgão filiado ao Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio; era constituído por representantes dos ministérios citados, por alguns integrantes da burocracia econômica e de alguns técnicos especialistas em economia.
     
    É no domínio da CNPIC que ocorre o começo da controvérsia sobre o planejamento, entre Gudin e Simonsen. Esse órgão deveria discorrer sobre como o planejamento da economia brasileira seria de fato implementado. Até então, não existia um órgão oficial que integrasse todas as esferas do planejamento e direcionasse de forma técnica as ações do governo.
     
    Simonsen sugeria que o CNPIC se estabelecesse como órgão máximo na elaboração e execução do planejamento econômico brasileiro, subordinado apenas ao presidente da República.
    Essa pesquisa optou pela escolha do método relativista por conta do contexto latino-americano sob o qual se desencadeou o debate. De acordo com Blaug (1962), a análise relativista preconiza uma investigação de natureza mais extensa, isto é, inclinada ao contexto histórico e social sob os quais ocorrem a concepção de idéias. Os relativistas são pesquisadores que nutrem interesses nas relações da história do pensamento econômico com o arcabouço intelectual do autor em questão. Nesse prisma, nessa pesquisa, não há a possibilidade de dissociar o pensamento dos respectivos autores do contexto histórico e as questões além da economia que o influenciaram.
     
    A conclusão dessa pesquisa expôs por que as idéias de Roberto Simonsen triunfaram perante o pensamento de Gudin.
5
  • MATHEUS FRAZÃO ARRUDA DINIZ
  • Governança da água: uma avaliação dos serviços brasileiros de abastecimento de água e esgotamento sanitário nos anos de 2002, 2007 e 2012. 

  • Orientador : IGOR EZIO MACIEL SILVA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • JOAO PAULO MARTINS GUEDES
  • IGOR EZIO MACIEL SILVA
  • DIEGO FIRMINO COSTA DA SILVA
  • Data: 04/03/2016

  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho realiza uma avaliação dos serviços brasileiros de abastecimento de água e esgotamento sanitário nos anos de 2002, 2007 e 2012 com base nos princípios e diretrizes da governança pública. Para isso utilizou-se a metodologia Análise Envoltória de Dados (DEA) com orientação produto, onde verificou-se a fronteira de eficiência e a eficiência relativa dos prestadores de serviço levando em conta o uso dos recursos públicos em detrimento a abrangência dos serviços e desempenho financeiro antes e após a implementação da Lei Nacional do Saneamento Básico - LNSB, posteriormente aplicou-se o Índice de Malmquist para analisar a dinâmica de produtividade dos fatores entre os anos, observou-se uma melhoria na produtividade em todos os períodos analisados, entretanto o período posterior a LNSB apresentou menor avanço em relação ao período anterior, fato este atribuído a maior redução do efeito emparelhamento aliada ao baixo crescimento do efeito deslocamento. Além disto observou-se menor melhoria de produtividade no período agregado (2002-2012) do que nos dois outros períodos, onde apesar de apresentar o maior efeito emparelhamento dos intervalos, observou-se regressão tecnológica.


  • Mostrar Abstract
  • O presente trabalho realiza uma avaliação dos serviços brasileiros de abastecimento de água e esgotamento sanitário nos anos de 2002, 2007 e 2012 com base nos princípios e diretrizes da governança pública. Para isso utilizou-se a metodologia Análise Envoltória de Dados (DEA) com orientação produto, onde verificou-se a fronteira de eficiência e a eficiência relativa dos prestadores de serviço levando em conta o uso dos recursos públicos em detrimento a abrangência dos serviços e desempenho financeiro antes e após a implementação da Lei Nacional do Saneamento Básico - LNSB, posteriormente aplicou-se o Índice de Malmquist para analisar a dinâmica de produtividade dos fatores entre os anos, observou-se uma melhoria na produtividade em todos os períodos analisados, entretanto o período posterior a LNSB apresentou menor avanço em relação ao período anterior, fato este atribuído a maior redução do efeito emparelhamento aliada ao baixo crescimento do efeito deslocamento. Além disto observou-se menor melhoria de produtividade no período agregado (2002-2012) do que nos dois outros períodos, onde apesar de apresentar o maior efeito emparelhamento dos intervalos, observou-se regressão tecnológica.

6
  • CRYSLÃINE FLAVIA DA SILVA RODRIGUES
  • O efeito da política industrial sobre o potencial de crescimento brasileiro: uma análise voltada para projeção com ênfase no período 2016-2025.

  • Orientador : ANDRE LUIS CABRAL DE LOURENCO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • FRANKLIN LEON PERES SERRANO
  • ANDRE LUIS CABRAL DE LOURENCO
  • FABRICIO PITOMBO LEITE
  • Data: 24/05/2016

  • Mostrar Resumo
  • Tendo como motivação a discussão que vem se desenvolvendo ao longo dos últimos anos acerca da evolução da indústria brasileira e seus impactos sobre a trajetória de crescimento econômico do país, nesta dissertação tivemos como objetivo realizar uma análise de simulação acerca do efeito da implementação de uma suposta política industrial sobre o potencial de desempenho do setor industrial e da economia brasileira no período de 2016-2025. Para dar suporte a esse estudo, desenvolvemos um modelo formal macroeconômico voltado para projeção, aqui construído não só a partir de Lourenço e Roos (2015), mas também dos principais desenvolvimentos teóricos recentes do modelo de crescimento sob restrição externa. A simulação do desempenho da indústria e economia brasileira foi gerada no âmbito de três diferentes cenários, todos condicionados ao atual modelo de gestão da política macroeconômica do país. O Cenário 1 representa o desdobramento esperado dos eventos econômicos na ausência de qualquer política industrial adicional. No Cenário 2, incluímos a suposição de que, a partir de 2016, o governo implementa uma política industrial via redução da alíquota tributária do setor para 0%. Por fim, no Cenário 3 adotamos a suposição de que opera uma política industrial que não se manifesta pela mudança da alíquota tributária, mas sim por mecanismos de seletividade de crédito, política comercial, científica, tecnológica, etc., os quais geram um aumento anual de 1,0% no peso das exportações industriais no total das exportações, e uma redução do mesmo percentual no peso das importações do referido setor no total das importações. Os resultados obtidos sugerem que a implementação de uma política industrial do tipo especificamente considerado no Cenário 3, bem como uma mudança no atual modelo de gestão da política macroeconômica se fazem importantes para alavancar o crescimento econômico brasileiro; caso contrário, o país seguirá apresentando baixas taxas de crescimento.


  • Mostrar Abstract
  • Tendo como motivação a discussão que vem se desenvolvendo ao longo dos últimos anos acerca da evolução da indústria brasileira e seus impactos sobre a trajetória de crescimento econômico do país, nesta dissertação tivemos como objetivo realizar uma análise de simulação acerca do efeito da implementação de uma suposta política industrial sobre o potencial de desempenho do setor industrial e da economia brasileira no período de 2016-2025. Para dar suporte a esse estudo, desenvolvemos um modelo formal macroeconômico voltado para projeção, aqui construído não só a partir de Lourenço e Roos (2015), mas também dos principais desenvolvimentos teóricos recentes do modelo de crescimento sob restrição externa. A simulação do desempenho da indústria e economia brasileira foi gerada no âmbito de três diferentes cenários, todos condicionados ao atual modelo de gestão da política macroeconômica do país. O Cenário 1 representa o desdobramento esperado dos eventos econômicos na ausência de qualquer política industrial adicional. No Cenário 2, incluímos a suposição de que, a partir de 2016, o governo implementa uma política industrial via redução da alíquota tributária do setor para 0%. Por fim, no Cenário 3 adotamos a suposição de que opera uma política industrial que não se manifesta pela mudança da alíquota tributária, mas sim por mecanismos de seletividade de crédito, política comercial, científica, tecnológica, etc., os quais geram um aumento anual de 1,0% no peso das exportações industriais no total das exportações, e uma redução do mesmo percentual no peso das importações do referido setor no total das importações. Os resultados obtidos sugerem que a implementação de uma política industrial do tipo especificamente considerado no Cenário 3, bem como uma mudança no atual modelo de gestão da política macroeconômica se fazem importantes para alavancar o crescimento econômico brasileiro; caso contrário, o país seguirá apresentando baixas taxas de crescimento.

7
  • FRANCISCA SUERDA SOARES DE OLIVEIRA
  • SISTEMA FINANCEIRO E FINANCIAMENTO DO SETOR AGROPECUÁRIO NO CONTEXTO MACROECONÔMICO BRASILEIRO: uma análise da evolução, magnitude e distribuição do crédito rural segundo as regiões, os produtos e os produtores (2000 – 2010)

  • MEMBROS DA BANCA :
  • JOEDSON JALES DE FARIAS
  • FABRICIO PITOMBO LEITE
  • EMANOEL MÁRCIO NUNES
  • Data: 10/06/2016

  • Mostrar Resumo
  • O marco institucional que orientou a criação do modelo agrícola brasileiro no período recente, foi constituído por duas estratégias fundamentais: de um lado, priorizou as grandes empresas e cooperativas, visando a exportação e com isso a contribuição da agricultura com o equilíbrio da balança comercial; de outro, criou linhas de crédito específicas para os diversos tipos de agricultura familiar no Brasil. Assim sendo, a estratégia de modernização do setor agropecuário – tanto patronal quanto familiar – considerou o crédito rural como seu instrumento fundamental, ao lado da pesquisa agropecuária, da política de preços e dos mercados institucionais. Diante do exposto, o objetivo desta dissertação é compreender como é constituída a relação  finance-funding para o mercado de crédito rural brasileiro, e a partir disto, analisar a utilização, magnitude e distribuição do crédito rural no Brasil, segundo as regiões, os produtos e os produtores. Com isto, pretende-se fornecer uma análise da relevância do crédito rural na estratégia do ajustamento macroeconômico – geração e apropriação do excedente econômico do setor primário – perseguida a partir do segundo mandato do governo de Fernando Henrique Cardoso, exitosa no Governo Lula no período 2003/2007, quando vigorosos saldos comerciais, oriundos dessas exportações, superaram o déficit de serviços da “Conta-Corrente”, tornando-a superavitária. Dado o papel conferido à agricultura dentro da dinâmica econômica nacional, e a função estratégica do crédito rural para fortalecer esse segmento, indaga-se como questão de pesquisa: é a política macroeconômica que determina a direção do crédito rural ou as prioridades na utilização do crédito rural são determinadas pela dinâmica da política regional?  Na busca de resposta para esta questão, foram utilizadas pesquisas bibliográfica e documental. Os dados foram coletados nos sites do Banco Central (BACEN); do Ministério do desenvolvimento, Indústria e Comércio exterior (MDIC/SECEX); do Sistema IBGE de Recuperação Automática (SIDRA) e do AGROSTAT - Estatísticas de Comércio Exterior do Agronegócio Brasileiro.  As séries de valores foram devidamente organizadas e deflacionadas pelo índice de preço por atacado-disponibilidade interna (IPA-DI). Hipoteticamente acredita-se que é a Política Macroeconômica que dá sentido e direção ao crédito rural. A Política Regional de desenvolvimento rural e/ou prioridades locais são subordinadas à Política Macroeconômica, em particular, à garantia de superávit da Balança Comercial. Desta forma, o crédito rural concentra-se nos grandes produtores de commodities, localizados nas regiões mais desenvolvidas do país.


  • Mostrar Abstract
  • The institutional framework that guided the creation of the Brazilian agricultural model in recent years consisted of two basic strategies: on the one hand, prioritized large companies and cooperatives in order to export and thus the contribution of agriculture to the balance of trade; on the other, created special credit lines for the various types of family farming in Brazil. Therefore, the modernization strategy of the agricultural sector - both commercial as family - considered rural credit as its key instrument, alongside agricultural research, pricing policy and institutional markets. Given the above, the aim of this work is to understand how the relationship finance-funding for the Brazilian rural credit market is made, and, from this, analyze the use, magnitude and distribution of rural credit in Brazil, according to the regions, the products and producers. Thus, it is intended to provide an analysis of the relevance of rural credit in the macroeconomic adjustment strategy - generation and appropriation of the economic surplus of the primary sector - chased on the second term of Fernando Henrique Cardoso government, successful in the Lula government in the period 2003/2007, when strong trade surpluses, arising from these exports, exceeded the deficit of services of the "Current Account", making the surplus. Given the role conferred on agriculture within the national economic dynamics, and the strategic role of rural credit to strengthen this segment, it is asked as the research question: is macroeconomic policy that determines the direction of rural credit or priorities in the use of rural credit are determined by the dynamics of regional policy? In seeking to answer this question, bibliographic and documentary research were used. Data were collected on the Central Bank website (BACEN); the Ministry of Development, Industry and Foreign Trade (MDIC/ SECEX); IBGE Automatic Recovery System (SIDRA) and AGROSTAT - Brazilian Agribusiness Foreign Trade Statistics. The series values were properly organized and deflated by the price index for domestic wholesale-availability (IPA-DI). Hypothetically it is believed that is the macroeconomic policy that gives meaning and direction to rural credit. The regional policy of rural development and/or local priorities are subordinated to macroeconomic policy, in particular, the trade balance surplus of collateral. Thus, the rural credit focuses on large commodity producers, located in the most developed regions of the country.

8
  • ISABEL CALDAS BORGES
  • O Complexo Econômico-Industrial da Saúde (CEIS) no Brasil: padrão de distribuição territorial e características sócio-profissionais - potencialidades e desafios (1994-2012)

  • Orientador : VALDENIA APOLINARIO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARIA LUSSIEU DA SILVA
  • PAULO FERNANDO DE MOURA BEZERRA CAVALCANTI FILHO
  • MARCONI GOMES DA SILVA
  • VALDENIA APOLINARIO
  • Data: 22/06/2016

  • Mostrar Resumo
  • O presente estudo analisa o sistema de saúde no Brasil a partir da noção de Complexo Econômico-Industrial da Saúde (CEIS). O objetivo central é caracterizar o CEIS e, neste particular, enfatizar a distribuição territorial dos estabelecimentos e dos empregos, no período 1994-2012. A hipótese de pesquisa é que, independentemente do Subsistema analisado (I – Indústria química e biotecnologia; II – Indústria mecânica, eletrônica e de materiais; e, III – Serviços de saúde), a distribuição territorial do CEIS no Brasil mostra-se concentrada tanto inter-regionalmente (ênfase sobre o Sudeste), quanto intrarregionalmente (na Bahia, em Pernambuco e no Ceará). Quanto às características sócio-profissionais comparadas, a hipótese é que estas se mostram em desfavor para o Nordeste e Rio Grande do Norte. A metodologia do estudo inclui uma revisão bibliográfica situando o CEIS num ambiente de transformações mundiais (reestruturação, globalização e financeirização), bem como no contexto nacional de alteração do papel do setor público e privado neste complexo. Além disso, o trabalho realiza um estudo quanti-qualitativo tendo por base a Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), publicada pelo Ministério do Trabalho e do Emprego (MTE). Os resultados obtidos confirmam a hipótese de pesquisa, pois a despeito de indícios de ‘novas’ movimentações na distribuição territorial e no perfil sócio-profissional, a  concentração dos estabelecimentos e empregos do CEIS na região Sudeste é mantida; os estados da Bahia, Pernambuco e Ceará mantêm suas posições de destaque regionalmente; e, a remuneração média dos profissionais do CEIS no Nordeste segue inferior à média nacional, sendo isto particularmente verdadeiro para o Rio Grande do Norte. 


  • Mostrar Abstract
  • This study examines the health system in Brazil from the notion of Economic-Industrial Complex of Health (CEIS). The main objective is to characterize the CEIS and emphasize the territorial distribution of establishments and jobs in the period 1994-2012. The research hypothesis is apart of the reporting subsystem (I - Chemical and biotechnology II - Mechanical engineering, electronics and materials; and III - Health services), territorial distribution of CEIS in Brazil shows concentrated both inter-regionally (emphasis on the Southeast), as between regions (Bahia, Pernambuco and Ceará). As for the socio-professional characteristics compared, the assumption is that these are shown in disfavor for the Northeast and Rio Grande do Norte. The study methodology includes a literature review showing CEIS in an environment of global changes (restructuring, globalization, and floatation), as well as in the national context of changing the role of the public and private sector in this complex. In addition, the work makes a quantitative and qualitative study based on the Annual Social Information (RAIS), published by the Ministry of Labor and Employment (MTE). The results confirm the research hypothesis, because despite evidence of 'new' changes in the territorial distribution and socio-professional profile, the concentration of establishments and CEIS of jobs in the Southeast is maintained; the states of Bahia, Pernambuco and Ceará retain their prominent positions regionally; and the average remuneration of CEIS professionals in the Northeast follows below the national average, and this is particularly true for the Rio Grande do Norte.

9
  • RENATO SCALIA ZANFERDINI
  • Impactos dos Parques Eólicos no Mercado de Trabalho nas Cidades Onde Foram Implementadas no Estado do Rio Grande do Norte

  • Orientador : WILLIAM EUFRASIO NUNES PEREIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • WILLIAM EUFRASIO NUNES PEREIRA
  • ANGELO MAGALHAES SILVA
  • FABIO FONSECA FIGUEIREDO
  • Data: 28/07/2016

  • Mostrar Resumo
  • A dissertação tem como objetivo fazer uma análise sobre emprego, a quem pertence os parques eólicos e área planta nas de João Câmara, Guamaré e Rio do Fogo. Para perceber se o setor de eólicas consegue desenvolver a qualidade de vida da população nas cidades em que são implementados. A dissertação em sua primeira parte apresenta um breve histórico da energia no país. Em um segundo momento analisará quais os motivos pelos quais levaram esse setor a não se desenvolver anteriormente no Brasil, consequentemente no estado potiguar e posteriormente fará uma análise do que levou esse setor a se desenvolver de 2006 até os dias atuais. Em um terceiro momento faz uma análise da composição acionárias dos parques. Por final avaliará dados, tanto econômicos quanto sociais, para identificar se há impactos dessa indústria na vida dos cidadãos. O resultado mostra que apesar de gerar empregos na sua maioria temporários as eólicas recoloca o estado do Rio Grande do Norte como um estado subdesenvolvido produtor de matéria prima para estados mais desenvolvidos. Outra conclusão é que há pequenos avanços na vida social.


  • Mostrar Abstract
  • The dissertation aims to make an analysis of employment and ownership structure of the wind farms in the state of Rio Grande do Norte, specifically in the cities of João Câmara, Guamaré and Rio do Fogo. On that basis, it aims to understand the eolic energy sector as the main agent to improve the quality of life on these regions. To better measure this, the work is divided into a historical study on energy structure in Brazil, analyzing what reasons led these industry did not to develop - both in Brazil and in the state of Rio Grande do Norte - before 2006 and check the reasons why the industry begins to develop. In addition, using economic and social data seeks to identify if there are impacts of this industry on the lives of citizens. Finally, the results show that most jobs are temporary and the eolic industry is unable to modify the RN condition of undeveloped state, producing raw material for more developed states. Another conclusion is that there are small advances in social life.

10
  • THIAGO PIRES DE LIMA MIRANDA
  • TRANSMISSÃO DE PREÇOS DO MERCADO DE MILHO NA REGIÃO DO MATOPIBA: UMA ANÁLISE DE COINTEGRAÇÃO

  • Orientador : JANAINA DA SILVA ALVES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • IGOR EZIO MACIEL SILVA
  • CARLA CALIXTO DA SILVA
  • JANAINA DA SILVA ALVES
  • Data: 29/07/2016

  • Mostrar Resumo
  • A expansão das fronteiras agrícolas do Brasil tem alterado o mapa da produção de grãos do país; neste ínterim a região formada pelos estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia, denominada MATOPIBA, tem se revelado como nova região produtora de grãos, especialmente soja e milho. O presente estudo visa compreender como se dá a transmissão de preços do milho em grãos entre a região do MATOPIBA e as principais regiões produtoras de milho do Brasil: regiões Centro-Oeste e Sul. O objetivo é analisar a transmissão de preços do milho em grãos, no período de 2005 a 2016, entre a região do MATOPIBA e os estados do Mato Grosso e Paraná, que são mais representativos na produção de milho nas regiões Centro-Oeste e Sul, respectivamente. Especificamente procura-se verificar a existência da transmissão de preços, identificar o sentido de causalidade na transmissão, estimar a elasticidade da transmissão e verificar a validade da Lei do Preço Único, com foco voltado para a região do MATOPIBA. Para cumprir o objetivo, utilizou-se séries de preços no nível de produtor para a saca de 60 kg do milho em grãos, dos seguintes estados: MA, TO, PI, BA, MT e PR. Os métodos de pesquisa utilizado foram os testes de raiz unitária, teste de cointegração de Johansen, vetor de correção de erro e teste de causalidade de Granger. Compreender como se dá formação e transmissão de preços no mercado de milho no país, contribui para uma melhor concepção da dinâmica inerente a este comércio. Como diferencial, este trabalho introduz a região do MATOPIBA nas análises de transmissão de preços, que ainda não foi encontrado na literatura sobre o tema. Os resultados indicam a existência de transmissão de preços e integração espacial entre o estado do Paraná e a região do MATOPIBA, validando os pressupostos da Lei do Preço Único para este mercado. Já o estado do Mato Grosso não se integra totalmente à região do MATOPIBA, tal fato é explicado pois este estado está integrado de forma mais forte com o mercado externo.


  • Mostrar Abstract
  • The expansion of the agricultural frontier in Brazil has changed the map of the country's grain production; in the mean time the region formed by the states of Maranhão, Tocantins, Piauí and Bahia, called MATOPIBA has been revealed as new grain producing region, especially soybeans and corn. This study aims to understand how is the transmission of corn prices in grain between the region of MATOPIBA and the main producing areas of corn from Brazil: Midwest and South The goal is to analyze the transmission of corn prices in grains, from 2005 to 2016, between the region of MATOPIBA and the states of Mato Grosso and Paraná, which are most representative in the production of corn in the Midwest and South, respectively. Specifically seeks to determine the existence of price transmission, identify the direction of causality in the transmission, to estimate the elasticity of the transmission and check the validity of the Law of One Price, focusing facing the MATOPIBA region. To meet the goal, price series was used in the producer level for a bag of 60 kg of maize grain, the following states: MA, TO, PI, BA, MT and PR. The research methods used were the unit root tests, cointegration test of Johansen, error correction vector and Granger causality test. Understanding how is training and transmission of prices in the corn market in the country, contributes to a better design of the dynamics inherent in this trade. As a differential, this work introduces the region of MATOPIBA in the price transmission analysis, which has not yet been found in the literature on the subject. The results indicate the existence of price transmission and spatial integration between the state of Paraná and the MATOPIBA region, validating the assumptions of the Law of One Price for this market. But the state of Mato Grosso do not fully integrates with the MATOPIBA region, this fact is explained because this state is integrated more strongly with the foreign market.

11
  • PERILÔNIA OLIVEIRA CAMPOS DE SOUZA
  • A TRAJETORIA DE INSERÇÃO COMERCIAL DA REGIÃO NORDESTE: DE FHC A DILMA - UMA ANÁLISE A PARTIR DE ANOS SELECIONADOS

  • Orientador : MARIA LUSSIEU DA SILVA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARIA LUSSIEU DA SILVA
  • KAIO CESAR FERNANDES
  • LUZIENE DANTAS DE MACEDO
  • Data: 29/07/2016

  • Mostrar Resumo
  • O estudo trata da trajetória da inserção comercial da Região Nordeste no mercado internacional, a partir da pauta exportadora dos estados nordestinos, considerando três períodos distintos, qual seja, o primeiro mandato dos governos de Fernando Henrique Cardoso (1995-1998), de Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2006) e de Dilma Rousseff (2011-2014).   Especificamente busca-se identificar possível mudança nesta trajetória tendo como base os principais produtos exportados, inclusive segundo o fator agregado, bem como os principais destinos dos mesmos. Para tanto, os procedimentos adotados perpassam: (a) uma revisão bibliográfica, utilizando estudos contribuem tanto para a compreensão sobre o processo de internacionalização da produção, bem como da economia brasileira, com vista a apreender as mudanças pelas quais passou o país neste período e como vem sendo construído o processo de inserção comercial da Região Nordeste; e, (b) pelo levantamento, sistematização e análise de dados referentes as balanças comerciais do Brasil,  Região Nordeste e estados nordestinos, disponibilizados pelo Ministério de Desenvolvimento, Indústria  e Comércio Exterior, por meio da Secretaria de Comércio Exterior – MDIC/SECEX,  com o intuito  de verificar a participação da Região Nordeste nas exportações brasileiras bem como observar se houve alguma mudança na estrutura da balança comercial dos estados nordestinos nos períodos selecionados. A análise dos dados aponta que devido a grande heterogeneidade dos estados nordestinos verifica-se que cada estado apresenta especificidades distintas em relação aos bens exportados, e que de uma forma geral a composição da pauta de exportação dos estados nordestinos demonstra uma relativa permanência de bens com baixo valor agregado, a exemplo das commodities agrícolas e industriais.  Ademais, os principais destinos dos produtos são os países desenvolvidos. Em suma, a compreensão da internacionalização comercial da produção da região nordeste é fundamental para a orientação para o desenho de instrumentos e/ou políticas que visem o desenvolvimento da região.


  • Mostrar Abstract
  • The study deals with the history of the trade in the Northeast insertion in the international market, considering three distinct periods, which comprise the years of the first mandate of the governments of Fernando Henrique Cardoso (1995-1998), Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2006) and Dilma Rousseff (2011-2014) and aims to identify possible changes in this trajectory from their export list. Specifically looking to identify any changes in relation to the main goods exported, according to aggregate factor as well as their main destinations. Therefore, the adopted procedures were: (i) literature review using some authors whose research contributed to the understanding of the commercial integration process as well as those who discourse on the trajectory of the Brazilian economy, in order to grasp how it has been built the internationalization process of the Northeast production; (ii) reviews of data on Brazil's trade balances and the Northeast Region, provided by the Ministry of Development, Industry and Foreign Trade, through the Secretariat of Foreign Trade - MDIC / SECEX, which aims to verify the participation of the Northeast in Brazilian exports. (iii) collection of data relating to foreign trade of the northeastern states, from the information provided by the Ministry of Development, Industry and Foreign Trade, through the Secretariat of Foreign Trade - MDIC / SECEX, in order to verify if there was any change in structure of trade balance of these in selected years. (iv) systematization of data and analysis of results. The analysis of data shows that due to the great heterogeneity of the northeastern states it’s noted that each state has distinct characteristics in relation to exported goods, since the commercial integration depends on a number of specific factors such as raw material, labor, work specialized infrastructure, logistics, among others. However, in general the composition of the export basket of the northeastern states demonstrates a relative permanence of goods with low added value, such as agricultural and industrial commodities. Moreover, the main destinations of the products are developed countries. In short, understanding the commercial internationalization of the northeast region’s production is fundamental to the guidance for the design of instruments and / or policies for the region’s development.

2015
Dissertações
1
  • JESSÉ GOMES FERREIRA
  • RELEITURAS DE CELSO FURTADO: BRASIL (2001-2012)

  • Orientador : WILLIAM EUFRASIO NUNES PEREIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARIA DO LIVRAMENTO MIRANDA CLEMENTINO
  • WILLIAM EUFRASIO NUNES PEREIRA
  • FRANCISCO DO O'''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''' DE LIMA JÚNIOR
  • Data: 02/02/2015

  • Mostrar Resumo
  • Em busca de explicar as causas que conduzem ao desenvolvimento e no intento de compreendê-lo, alguns economistas se organizaram em torno de ideias centrais, culminando, pois, na elaboração de teorias econômicas.  O conhecimento acumulado ao longo dos trabalhos desenvolvidos por estes estudiosos vai contribuir de maneira significativa na formação do pensamento de Celso Monteiro Furtado. Furtado desenvolveu inúmeros trabalhos tentando compreender a dinâmica das estruturas subdesenvolvidas, quais as suas características elementares e quais os principais fatores responsáveis pela perpetuação do status quo dessas estruturas. Partindo do questionamento “O que permanece de características de subdesenvolvimento no Brasil à luz do pensamento de Celso Furtado?”, o presente trabalho se norteia pela hipótese de que o Brasil não sofreu entre os anos 2001 e 2012, mudanças estruturais significativas a ponto de poder classifica-lo como um país desenvolvido. Tem-se para o presente trabalho como objetivo geral, analisar os elementos de subdesenvolvimento que perduram no Brasil à luz do pensamento de Furtado. E como específicos, caracterizar o desenvolvimento econômico, a partir do estudo das escolas clássica, marxista, neoclássica, kaleckiana, keynesiana e cepalina do pensamento econômico; descrever o subdesenvolvimento econômico à luz das ideias de Celso Furtado; e, por fim, avaliar a partir da epistemologia particular do pensamento de Furtado a realidade socioeconômica brasileira, com ênfase na análise dos elementos de subdesenvolvimento. Foi possível constatar que ainda que tenham ocorrido importantes avanços em alguns setores, o país mantém uma significativa heterogeneidade estrutural. Daí a relevância da contribuição de Furtado para entender o subdesenvolvimento econômico, pois, ele ainda é uma constante em nossa realidade. 


  • Mostrar Abstract
  • Em busca de explicar as causas que conduzem ao desenvolvimento e no intento de compreendê-lo, alguns economistas se organizaram em torno de ideias centrais, culminando, pois, na elaboração de teorias econômicas.  O conhecimento acumulado ao longo dos trabalhos desenvolvidos por estes estudiosos vai contribuir de maneira significativa na formação do pensamento de Celso Monteiro Furtado. Furtado desenvolveu inúmeros trabalhos tentando compreender a dinâmica das estruturas subdesenvolvidas, quais as suas características elementares e quais os principais fatores responsáveis pela perpetuação do status quo dessas estruturas. Partindo do questionamento “O que permanece de características de subdesenvolvimento no Brasil à luz do pensamento de Celso Furtado?”, o presente trabalho se norteia pela hipótese de que o Brasil não sofreu entre os anos 2001 e 2012, mudanças estruturais significativas a ponto de poder classifica-lo como um país desenvolvido. Tem-se para o presente trabalho como objetivo geral, analisar os elementos de subdesenvolvimento que perduram no Brasil à luz do pensamento de Furtado. E como específicos, caracterizar o desenvolvimento econômico, a partir do estudo das escolas clássica, marxista, neoclássica, kaleckiana, keynesiana e cepalina do pensamento econômico; descrever o subdesenvolvimento econômico à luz das ideias de Celso Furtado; e, por fim, avaliar a partir da epistemologia particular do pensamento de Furtado a realidade socioeconômica brasileira, com ênfase na análise dos elementos de subdesenvolvimento. Foi possível constatar que ainda que tenham ocorrido importantes avanços em alguns setores, o país mantém uma significativa heterogeneidade estrutural. Daí a relevância da contribuição de Furtado para entender o subdesenvolvimento econômico, pois, ele ainda é uma constante em nossa realidade. 

2
  • ANDRE FELIPE SOARES DE ALCANTARA
  •  Políticas econômicas, estratégias de desenvolvimento regional e cenários externos: o caso da dinâmica econômica do Nordeste no período 1956-2010

  • Orientador : MARCIA MARIA DE OLIVEIRA BEZERRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARCIA MARIA DE OLIVEIRA BEZERRA
  • DENILSON DA SILVA ARAUJO
  • ANGELO MAGALHAES SILVA
  • Data: 27/02/2015

  • Mostrar Resumo
  • A análise efetuada propõe expressar a trajetória econômica da Região Nordeste desde o período em que foi implantado o planejamento econômico de viés desenvolvimentista, com a criação do Plano de Metas, até o final do governo Lula, quando o modelo de formulação da estratégia de desenvolvimento já havia sido modificado (1956-2010). O trabalho aborda o nascimento da estratégia de desenvolvimento regional com a instituição da SUDENE, passa pelo aprofundamento do processo de integração nacional e entra na mudança marcada pela saída do desenvolvimentismo e pela confirmação da ideologia neoliberal no país. A especificidade do estudo encontra-se na presença da segmentação analítica entre a estratégia de desenvolvimento regional – como análise central –, a política econômica nacional vigente e a conjuntura internacional – tidas aqui como secundárias, porém, necessárias. A questão repousa em saber se as estratégias de desenvolvimento direcionadas para a Região Nordeste foram capazes de modificar sua estrutura econômica e impulsionar seu crescimento. Pelo uso do método dedutivo, de uma pesquisa histórica e de uma revisão literária, edifica-se a hipótese de que no Nordeste houve diversificação da estrutura produtiva e desconcentração regional quando existiam políticas de desenvolvimento regional associadas ou derivadas da política de desenvolvimento nacional. Os resultados expressaram o crescimento da região (produto per capita) em todo o período, porém, a participação da produção da região na produção nacional manteve-se praticamente inalterada. Deste modo, conclui-se que a estratégia de desenvolvimento regional não foi capaz de retirar a região da condição de subdesenvolvida.


  • Mostrar Abstract
  • A análise efetuada propõe expressar a trajetória econômica da Região Nordeste desde o período em que foi implantado o planejamento econômico de viés desenvolvimentista, com a criação do Plano de Metas, até o final do governo Lula, quando o modelo de formulação da estratégia de desenvolvimento já havia sido modificado (1956-2010). O trabalho aborda o nascimento da estratégia de desenvolvimento regional com a instituição da SUDENE, passa pelo aprofundamento do processo de integração nacional e entra na mudança marcada pela saída do desenvolvimentismo e pela confirmação da ideologia neoliberal no país. A especificidade do estudo encontra-se na presença da segmentação analítica entre a estratégia de desenvolvimento regional – como análise central –, a política econômica nacional vigente e a conjuntura internacional – tidas aqui como secundárias, porém, necessárias. A questão repousa em saber se as estratégias de desenvolvimento direcionadas para a Região Nordeste foram capazes de modificar sua estrutura econômica e impulsionar seu crescimento. Pelo uso do método dedutivo, de uma pesquisa histórica e de uma revisão literária, edifica-se a hipótese de que no Nordeste houve diversificação da estrutura produtiva e desconcentração regional quando existiam políticas de desenvolvimento regional associadas ou derivadas da política de desenvolvimento nacional. Os resultados expressaram o crescimento da região (produto per capita) em todo o período, porém, a participação da produção da região na produção nacional manteve-se praticamente inalterada. Deste modo, conclui-se que a estratégia de desenvolvimento regional não foi capaz de retirar a região da condição de subdesenvolvida.

3
  • INAURO MANO EVAS
  • INOVAÇÕES E POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL: um olhar sobre o nordeste.

  • Orientador : MARIA LUSSIEU DA SILVA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ODAIR LOPES GARCIA
  • VALDENIA APOLINARIO
  • MARIA LUSSIEU DA SILVA
  • Data: 27/02/2015

  • Mostrar Resumo
  • O objetivo central da dissertação é estudar o processo de inovação no Brasil, com na ênfase na região nordeste. Para isso, partimos da ideia do progresso técnico como elemento central da análise do desenvolvimento econômico, destacando o seu caráter não neutro, assim com seu acesso assimétrico. Utilizamos como aporte teórico os principais autores da corrente Neoschumpeteriana, pois acreditamos serem formadores de um arcabouço que melhor fundamenta a análise do tema inovação,com destaque ao Sistema Nacional de Inovação, por contemplar os mais diversos agentes sociais. Sobre a óptica das mudanças estruturantes (crise do fordismo, globalização, surgimento de um novo padrão tecnológico), resgatamos o debate sobre o desenvolvimento regional, sua evolução e a construção de um novo paradigma que passa a ter a inovação como principal elemento competitivo. Do ponto de vista metodológico, a pesquisa apóia-se na coleta, sistematização e análise sobre indicadores de inovação tecnológica, em especial, as dados Pesquisa de Inovação 2011-PINTEC.


  • Mostrar Abstract
  • Thesis main objective is study the innovation process in Brazil, with emphasis on the Northeast. For this, we start from the idea that technical progress is a central element on economic development analysis, highlighting its not neutral character and asymmetrical access. We used as theoretical framework the main authors of the current Neoschumpeterian because we believe that this is the best theory to analyze innovation theme, highlighting the National Innovation System, by contemplating various social agents. On structural changes point of view ( fordism crisis, globalization, a new technological standard emergence), we rescued the debate on regional development, its evolution and the construction of a new paradigm that puts innovation as the main competitive element. From the methodological point of view, the research is based on the collection, systematization and analysis of technological innovation indicators, in particular the data Innovation Survey 2011-PINTEC

4
  • ELAINE CARVALHO DE LIMA
  • ANÁLISE DO EMPREGO FORMAL NO SETOR INDUSTRIAL DO RIO GRANDE DO NORTE: UMA ABORDAGEM ESPACIAL PARA OS ANOS 2002 E 2012

  • Orientador : JANAINA DA SILVA ALVES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • JOAO PAULO MARTINS GUEDES
  • MAGNO VAMBERTO BATISTA DA SILVA
  • JANAINA DA SILVA ALVES
  • Data: 27/02/2015

  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho busca analisar a existência de dependência espacial no estoque do emprego formal no setor da indústria de transformação no estado do Rio Grande do Norte, nos anos de 2002 e 2012. Em termos metodológicos, a pesquisa se desenvolveu por meio da análise do Quociente Locacional e do instrumental da Análise Exploratória de Dados Espaciais (AEDE), com destaque para as estatísticas de autocorrelação espacial I de Moran e Moran Local, com o objetivo de identificar as aglomerações industriais existentes no território potiguar. Em um segundo momento, adota-se um modelo econométrico espacial com o intuito de verificar os possíveis fatores determinantes do crescimento do emprego formal da IT no RN. Embora, o setor da indústria de transformação do RN tenha estímulos por programas de desenvolvimento industrial, como o Programa de Apoio ao Desenvolvimento Industrial do Rio Grande do Norte (PROADI), os resultados apontaram que durante os dois períodos de análise os possíveis transbordamentos entre as áreas vizinhas se mostraram fracos e concentrado em poucas áreas, mostrando que há uma influência reduzida quanto ao emprego formal na indústria de transformação no estado do RN.


  • Mostrar Abstract
  • O presente trabalho busca analisar a existência de dependência espacial no estoque do emprego formal no setor da indústria de transformação no estado do Rio Grande do Norte, nos anos de 2002 e 2012. Em termos metodológicos, a pesquisa se desenvolveu por meio da análise do Quociente Locacional e do instrumental da Análise Exploratória de Dados Espaciais (AEDE), com destaque para as estatísticas de autocorrelação espacial I de Moran e Moran Local, com o objetivo de identificar as aglomerações industriais existentes no território potiguar. Em um segundo momento, adota-se um modelo econométrico espacial com o intuito de verificar os possíveis fatores determinantes do crescimento do emprego formal da IT no RN. Embora, o setor da indústria de transformação do RN tenha estímulos por programas de desenvolvimento industrial, como o Programa de Apoio ao Desenvolvimento Industrial do Rio Grande do Norte (PROADI), os resultados apontaram que durante os dois períodos de análise os possíveis transbordamentos entre as áreas vizinhas se mostraram fracos e concentrado em poucas áreas, mostrando que há uma influência reduzida quanto ao emprego formal na indústria de transformação no estado do RN.

5
  • ANA CRISTINA DOS SANTOS MORAIS
  • Cidades Médias não Metropolitanas das Regiões Nordeste e Sudeste do Brasil: dinâmica do emprego industrial no período de 1990 a 2013.

  • Orientador : WILLIAM EUFRASIO NUNES PEREIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • WILLIAM EUFRASIO NUNES PEREIRA
  • MARIA LUSSIEU DA SILVA
  • JANDIR FERRERA DE LIMA
  • Data: 03/03/2015

  • Mostrar Resumo
  • As transformações econômicas ocorridas no Brasil nas duas últimas décadas implicaram mudanças locacionais de empresas e de emprego, tanto entre regiões quanto entre áreas metropolitanas e não metropolitanas. A pesquisa visa identificar a dinâmica do emprego industrial nas cidades médias não metropolitanas das regiões Nordeste e Sudeste do Brasil, no período de 1990 a 2013. O objetivo é mostrar a concentração relativa do emprego, em função do deslocamento de indústrias em direção às cidades fora do contexto de regiões metropolitanas. A pesquisa utilizou-se do método histórico-dedutivo, visando observar as conexões entre o geral e o particular, por entender que as realidades locais são reflexos de ações não somente locais, mas principalmente nacionais e regionais. Utilizou-se a base de dados da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), importante para a aplicação do Quociente de Localização (QL) nos 15 segmentos do setor industrial tendo o emprego como variável básica. O uso desse indicador mostra o grau de concentração relativa do segmento em cada uma das cidades em pauta, quando comparadas com suas respectivas regiões (Nordeste ou Sudeste). Além disso, incluiu-se a Matriz de Transição da Cadeia de Markov para avaliar as probabilidades de mudanças de estados nas variáveis analisadas. Os resultados mostraram que ocorreram aumentos das quantidades de empregos nas cidades das duas regiões. Do ponto de vista relativo, as cidade do Nordeste se sobressaíram em relação às do Sudeste.

     


  • Mostrar Abstract
  • As transformações econômicas ocorridas no Brasil nas duas últimas décadas implicaram mudanças locacionais de empresas e de emprego, tanto entre regiões quanto entre áreas metropolitanas e não metropolitanas. A pesquisa visa identificar a dinâmica do emprego industrial nas cidades médias não metropolitanas das regiões Nordeste e Sudeste do Brasil, no período de 1990 a 2013. O objetivo é mostrar a concentração relativa do emprego, em função do deslocamento de indústrias em direção às cidades fora do contexto de regiões metropolitanas. A pesquisa utilizou-se do método histórico-dedutivo, visando observar as conexões entre o geral e o particular, por entender que as realidades locais são reflexos de ações não somente locais, mas principalmente nacionais e regionais. Utilizou-se a base de dados da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), importante para a aplicação do Quociente de Localização (QL) nos 15 segmentos do setor industrial tendo o emprego como variável básica. O uso desse indicador mostra o grau de concentração relativa do segmento em cada uma das cidades em pauta, quando comparadas com suas respectivas regiões (Nordeste ou Sudeste). Além disso, incluiu-se a Matriz de Transição da Cadeia de Markov para avaliar as probabilidades de mudanças de estados nas variáveis analisadas. Os resultados mostraram que ocorreram aumentos das quantidades de empregos nas cidades das duas regiões. Do ponto de vista relativo, as cidade do Nordeste se sobressaíram em relação às do Sudeste.

     

6
  • CAROLINA DE FÁTIMA ALMEIDA MATOS
  • ESFORÇOS GOVERNAMENTAIS LOCAIS PARA O DESENVOLVIMENTO: desenhos, tendências e limites dos Fundos de Desenvolvimento Industrial nos estados do Rio Grande do Norte, Maranhão e Ceará

  • Orientador : MARCIA MARIA DE OLIVEIRA BEZERRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANA ROSA RIBEIRO DE MENDONÇA
  • DENILSON DA SILVA ARAUJO
  • MARCIA MARIA DE OLIVEIRA BEZERRA
  • Data: 06/03/2015

  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho busca analisar os principais esforços governamentais para a promoção do desenvolvimento econômico na região Nordeste, de 1985 a 2010, sob a visão de que o crescimento é fundamental para impulsionar o processo e que a industrialização permite padrões de crescimento mais significativos. A análise se deu no contexto em que os governos estaduais reagem ao abandono da linha desenvolvimentista da esfera federal, incorporando ações características do chamado desenvolvimento regional endógeno e dotando os agentes locais de maior responsabilidade no processo de desenvolvimento. Justifica a necessidade da análise o seguinte cenário: os governos estaduais do nordeste brasileiro utilizam parte relevante de seus recursos, relativamente baixos, para financiar a instalação de empresas via incentivos fiscais, com vistas à geração de renda e emprego, na espera de um consequente aumento no produto e de uma mudança positiva no dinamismo econômico. Além disso, põe-se em questão o fato de tais políticas receberem tamanha importância para o objetivo de lograr o desenvolvimento regional. Coube apurar, portanto, o desenho das ações eleitas pelos governos estaduais para analisar o alcance dessas políticas tanto no padrão de crescimento, na transformação do setor industrial e no desenvolvimento da região em atenção às mudanças nas estruturas produtivas estaduais. O trabalho considera que os estados subnacionais são incapazes de suprir a ausência de agências de desenvolvimento estruturadas no âmbito federal. 


  • Mostrar Abstract
  • O presente trabalho busca analisar os principais esforços governamentais para a promoção do desenvolvimento econômico na região Nordeste, de 1985 a 2010, sob a visão de que o crescimento é fundamental para impulsionar o processo e que a industrialização permite padrões de crescimento mais significativos. A análise se deu no contexto em que os governos estaduais reagem ao abandono da linha desenvolvimentista da esfera federal, incorporando ações características do chamado desenvolvimento regional endógeno e dotando os agentes locais de maior responsabilidade no processo de desenvolvimento. Justifica a necessidade da análise o seguinte cenário: os governos estaduais do nordeste brasileiro utilizam parte relevante de seus recursos, relativamente baixos, para financiar a instalação de empresas via incentivos fiscais, com vistas à geração de renda e emprego, na espera de um consequente aumento no produto e de uma mudança positiva no dinamismo econômico. Além disso, põe-se em questão o fato de tais políticas receberem tamanha importância para o objetivo de lograr o desenvolvimento regional. Coube apurar, portanto, o desenho das ações eleitas pelos governos estaduais para analisar o alcance dessas políticas tanto no padrão de crescimento, na transformação do setor industrial e no desenvolvimento da região em atenção às mudanças nas estruturas produtivas estaduais. O trabalho considera que os estados subnacionais são incapazes de suprir a ausência de agências de desenvolvimento estruturadas no âmbito federal. 

7
  • SEVERINO FÉLIX DE SOUZA
  • Mecanismo de transmissão de preços e parcelas de mercado: uma análise sobre as exportações brasileiras de manga

  • Orientador : JORGE LUIZ MARIANO DA SILVA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • JOAO PAULO MARTINS GUEDES
  • JORGE LUIZ MARIANO DA SILVA
  • JOÃO RICARDO FERREIRA DE LIMA
  • Data: 18/03/2015

  • Mostrar Resumo
  • As condições climáticas e ambientais permitiram que o Brasil se tornasse um dos maiores produtores de frutas tropicais do mundo. O Vale do São Francisco, ao longo dos anos, vem se destacando como a principal região produtora de frutas do país, especialmente de manga e de uva. A manga, produzida nessa região, tem alcançado uma boa inserção internacional, principalmente, nos mercados europeu e americano. Entretanto, o preço interno tem absorvido cada vez mais o impacto das oscilações do mercado internacional afetando as expectativas de produção e comercialização dos produtores. O objetivo do estudo é analisar a relação de transmissão dos preços de exportação da manga, com os preços do mercado americano e da União Europeia, no período entre 2003 a 2013. Pretende-se, ainda, analisar os fatores que afetaram as flutuações das exportações da manga brasileira para os principais mercados importadores. Para alcançar os objetivos propostos, empregou-se, na metodologia, o modelo vetorial autoregressivo, com a finalidade de se constatar os mecanismos de transmissão de preços e os mecanismos de impactos por meio da função impulso resposta. Utilizou-se, ainda, o modelo Constant Market Share, com o objetivo de se observar a importância dos efeitos competitividade, destino, e crescimento do comércio mundial sobre as mudanças das exportações brasileiras de manga, no período em análise. Os dados utilizados foram obtidos no database do Ministério de Desenvolvimento e Comércio Exterior - MIDIC e do FAOSTAT (Food and Agriculture Organization of the United Nations). Entre os resultados encontrados, constatou-se, que os preços do mercado interno brasileiro sofrem influência dos preços do mercado americano, e que choques de preços promovidos nesse mercado podem repercutir no crescimento dos preços internos por vários meses. Notou-se ainda, que o efeito competitividade representou a maior parcela do crescimento efetivo das exportações brasileira ou seja, o país melhorou sua competitividade dentre os demais países exportadores.


  • Mostrar Abstract
  • As condições climáticas e ambientais permitiram que o Brasil se tornasse um dos maiores produtores de frutas tropicais do mundo. O Vale do São Francisco, ao longo dos anos, vem se destacando como a principal região produtora de frutas do país, especialmente de manga e de uva. A manga, produzida nessa região, tem alcançado uma boa inserção internacional, principalmente, nos mercados europeu e americano. Entretanto, o preço interno tem absorvido cada vez mais o impacto das oscilações do mercado internacional afetando as expectativas de produção e comercialização dos produtores. O objetivo do estudo é analisar a relação de transmissão dos preços de exportação da manga, com os preços do mercado americano e da União Europeia, no período entre 2003 a 2013. Pretende-se, ainda, analisar os fatores que afetaram as flutuações das exportações da manga brasileira para os principais mercados importadores. Para alcançar os objetivos propostos, empregou-se, na metodologia, o modelo vetorial autoregressivo, com a finalidade de se constatar os mecanismos de transmissão de preços e os mecanismos de impactos por meio da função impulso resposta. Utilizou-se, ainda, o modelo Constant Market Share, com o objetivo de se observar a importância dos efeitos competitividade, destino, e crescimento do comércio mundial sobre as mudanças das exportações brasileiras de manga, no período em análise. Os dados utilizados foram obtidos no database do Ministério de Desenvolvimento e Comércio Exterior - MIDIC e do FAOSTAT (Food and Agriculture Organization of the United Nations). Entre os resultados encontrados, constatou-se, que os preços do mercado interno brasileiro sofrem influência dos preços do mercado americano, e que choques de preços promovidos nesse mercado podem repercutir no crescimento dos preços internos por vários meses. Notou-se ainda, que o efeito competitividade representou a maior parcela do crescimento efetivo das exportações brasileira ou seja, o país melhorou sua competitividade dentre os demais países exportadores.

8
  • MARILIA DE SOUZA CASTRO
  • Mudanças no processo produtivo capitalista e a dinâmica do setor de serviços: Repercussões nas cidades médias cearenses no período de 1990 a 2010

  • Orientador : WILLIAM EUFRASIO NUNES PEREIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • FRANCISCO DO O'''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''' DE LIMA JÚNIOR
  • DENILSON DA SILVA ARAUJO
  • WILLIAM EUFRASIO NUNES PEREIRA
  • Data: 29/06/2015

  • Mostrar Resumo
  • A atual fase do desenvolvimento capitalista induz cada vez mais o processo de urbanização que tem sua articulação estimulada pela expansão dos centros médios urbanos e o seu crescimento não está vinculado a uma área específica, segue uma lógica abrangente atrelada às tendências da sociedade capitalista contemporânea e suas espacializações. Em face das substanciais mudanças no processo produtivo capitalista, a divisão social do trabalho nas cidades médias não metropolitanas cearenses passa a ter novos enfoques acerca de sua natureza. O setor de serviços responsável por grande parte do emprego gerado revela a sua importância significativa na dinâmica econômica dessas cidades. Nesse contexto, algumas questões acerca da sua importância, tamanho e produtividade passaram por reformulações quanto ao seu papel no sistema capitalista de produção. A predominância das atividades terciárias que engloba o setor de serviços e comércio nas cidades médias e suas relações com o processo de acumulação do capital deve ser compreendida frente ao aumento da velocidade das transformações tecnológicas e das novas demandas por “funções-serviços”, como assistência técnica, P&D entre outras. A intenção desse trabalho, considerado seu objetivo geral de verificar qual é o papel do setor de serviços na dinâmica econômica das cidades médias não metropolitanas cearenses no período de 1990 a 2010, é ressaltar os elementos responsáveis pelas mudanças da estrutura produtiva, apresentando a realidade da dinâmica produtiva do estado, a partir de indicadores setoriais e sua influência na definição de políticas de desenvolvimento regional e urbano. Além de analisar se o setor de serviços é capaz de dinamizar a economia estadual. O recorte temporal escolhido (1990 a 2010) é marcado por grandes transformações como o abandono das políticas desenvolvimentistas. Para alcançar os objetivos propostos, a metodologia utilizada seguiu o método dedutivo-histórico a partir de duas linhas de ação: a primeira teve um caráter exclusivamente teórico descritivo, concentrando esforços na pesquisa das literaturas ligadas ao papel do setor de serviços num contexto de reestruturação produtiva, financeirização e globalização neoliberal. A outra linha referiu a fase de elaboração e interpretação de uma base de informações estatísticas de caráter secundário, coletados em bancos de dados de organismos oficiais como o Banco Central, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, Rede Anual de Informações Sociais – RAIS, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – IPEA e Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Estado do Ceará – IPECE entre outras. 


  • Mostrar Abstract
  • A atual fase do desenvolvimento capitalista induz cada vez mais o processo de urbanização que tem sua articulação estimulada pela expansão dos centros médios urbanos e o seu crescimento não está vinculado a uma área específica, segue uma lógica abrangente atrelada às tendências da sociedade capitalista contemporânea e suas espacializações. Em face das substanciais mudanças no processo produtivo capitalista, a divisão social do trabalho nas cidades médias não metropolitanas cearenses passa a ter novos enfoques acerca de sua natureza. O setor de serviços responsável por grande parte do emprego gerado revela a sua importância significativa na dinâmica econômica dessas cidades. Nesse contexto, algumas questões acerca da sua importância, tamanho e produtividade passaram por reformulações quanto ao seu papel no sistema capitalista de produção. A predominância das atividades terciárias que engloba o setor de serviços e comércio nas cidades médias e suas relações com o processo de acumulação do capital deve ser compreendida frente ao aumento da velocidade das transformações tecnológicas e das novas demandas por “funções-serviços”, como assistência técnica, P&D entre outras. A intenção desse trabalho, considerado seu objetivo geral de verificar qual é o papel do setor de serviços na dinâmica econômica das cidades médias não metropolitanas cearenses no período de 1990 a 2010, é ressaltar os elementos responsáveis pelas mudanças da estrutura produtiva, apresentando a realidade da dinâmica produtiva do estado, a partir de indicadores setoriais e sua influência na definição de políticas de desenvolvimento regional e urbano. Além de analisar se o setor de serviços é capaz de dinamizar a economia estadual. O recorte temporal escolhido (1990 a 2010) é marcado por grandes transformações como o abandono das políticas desenvolvimentistas. Para alcançar os objetivos propostos, a metodologia utilizada seguiu o método dedutivo-histórico a partir de duas linhas de ação: a primeira teve um caráter exclusivamente teórico descritivo, concentrando esforços na pesquisa das literaturas ligadas ao papel do setor de serviços num contexto de reestruturação produtiva, financeirização e globalização neoliberal. A outra linha referiu a fase de elaboração e interpretação de uma base de informações estatísticas de caráter secundário, coletados em bancos de dados de organismos oficiais como o Banco Central, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, Rede Anual de Informações Sociais – RAIS, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – IPEA e Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Estado do Ceará – IPECE entre outras. 

9
  • FRANCISCO DANILO DA SILVA FERREIRA
  • GASTOS PÚBLICOS EM EDUCAÇÃO MUNICIPAL: Uma análise da eficiência-custo na gestão dos recursos no ensino fundamental no estado do Rio Grande do Norte.

  • Orientador : JORGE LUIZ MARIANO DA SILVA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • JOAO PAULO MARTINS GUEDES
  • JORGE LUIZ MARIANO DA SILVA
  • FRANCISCO SOARES DE LIMA
  • Data: 18/09/2015

  • Mostrar Resumo
  • O presente estudo avalia a eficiência custo dos municípios do estado do Rio Grande do Norte na execução dos gastos no ensino fundamental realizados no ano de 2011, assim como, a analisar os determinantes da ineficiência dos mesmos. Para tanto, empregou-se duas abordagens metodológicas (i) fronteira estocástica de custo, e (ii) analise envoltória de dados (DEA) de custo, a qual permite identificar a fronteira de eficiência dos municípios em análise de forma não paramétrica. Cada uma das referidas técnicas apresentam vantagens e limitações. Os resultados alcançados demonstram que nas duas abordagens metodológicas, os municípios apresentaram no geral um baixo nível de eficiência, e que apenas no DEA custo onze municípios alcançaram a fronteira de eficiência. O referido resultado sugere que parte significativa dos municípios potiguares deve revisar suas práticas administrativas, em especial os meios de alocação dos recursos. No que se refere aos determinantes da eficiência, observou-se resultados distintos por parte dos dois métodos.


  • Mostrar Abstract
  • O presente estudo avalia a eficiência custo dos municípios do estado do Rio Grande do Norte na execução dos gastos no ensino fundamental realizados no ano de 2011, assim como, a analisar os determinantes da ineficiência dos mesmos. Para tanto, empregou-se duas abordagens metodológicas (i) fronteira estocástica de custo, e (ii) analise envoltória de dados (DEA) de custo, a qual permite identificar a fronteira de eficiência dos municípios em análise de forma não paramétrica. Cada uma das referidas técnicas apresentam vantagens e limitações. Os resultados alcançados demonstram que nas duas abordagens metodológicas, os municípios apresentaram no geral um baixo nível de eficiência, e que apenas no DEA custo onze municípios alcançaram a fronteira de eficiência. O referido resultado sugere que parte significativa dos municípios potiguares deve revisar suas práticas administrativas, em especial os meios de alocação dos recursos. No que se refere aos determinantes da eficiência, observou-se resultados distintos por parte dos dois métodos.

2014
Dissertações
1
  • VINICIUS RODRIGUES VIEIRA FERNANDES
  • TRAJETÓRIA DOS ASSENTAMENTOS RURAIS FINANCIADOS PELO CRÉDITO FUNDIÁRIO NO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE: UMA ANÁLISE DA EXPERIÊNCIA DO ASSENTAMENTO DA FAZENDA PAZ NO MUNICÍPIO DE MAXARANGUAPE/RN.

  • Orientador : JOAO MATOS FILHO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • LINCOLN MORAES DE SOUZA
  • EMANOEL MÁRCIO NUNES
  • JOAO MATOS FILHO
  • Data: 14/02/2014

  • Mostrar Resumo
  • A Reforma Agrária Assistida de Mercado (RAAM) vem se constituindo em uma alternativa de reforma agrária financiada pelo Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF), instituído pelo Governo Federal por intermédio do Decreto Nº 4892, de 25 de novembro de 2003. Trata-se de uma política de aquisição, distribuição e utilização da terra disseminada ideologicamente e financiada pelo Banco Mundial na perspectiva da inserção produtiva de trabalhadores rurais sem terra em todos os estados das regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste, Nordeste, além dos estados de Tocantins e Rondônia, na região Norte do país. Partindo dessa constatação, este estudo procura analisar a trajetória dos assentamentos rurais financiados por esta política, tomando como referência o Projeto de Assentamento da Fazenda Paz, no município de Maxaranguape, no estado do Rio Grande do Norte. Para isto, foram utilizadas pesquisas bibliográfica e documental, além de visitas ao assentamento e realização de entrevistas semiestruturadas com os assentados, lideranças sindicais, consultores e técnicos ligados ao projeto. Os resultados obtidos evidenciaram a existência de um empreendimento bastante complexo, com uma área total de 607 hectares e 80 famílias assentadas, dotado de água de boa qualidade e infraestrutura de irrigação, com um patrimônio de aproximadamente R$ 4 milhões de reais. A experiência vivenciada pelos assentados compreendeu o desenvolvimento de complexos sistemas de produção e comercialização de frutas e hortaliças, com destaque para a cultura de mamão numa área de 45 hectares com base em moderno sistema de irrigação e uso intensivo de tecnologia. A gestão coletiva da produção, da comercialização, das receitas e dos custos destacou-se como um grande desafio para os assentados e suas organizações representativas, isto é, a Associação comunitária e a Cooperativa. A partir desta constatação foi possível identificar dois momentos na trajetória do Projeto: o primeiro, entre 2007-2011, considerado pelos entrevistados como exitoso, onde a integração de políticas públicas e a entrada abundante de receitas provenientes da comercialização dos frutos da Paz, principalmente através da venda do mamão e do abacaxi nos mercados nacional e internacional, permitiram uma remuneração média de R$ 800,00 a R$ 1.000,00 por assentado/mês, além da produção de hortaliças e de outros tipos de produtos para a venda e o autoconsumo; o segundo, a partir de 2012, caracterizado como um fracasso, em virtude da descontinuidade do cultivo, da produção e da comercialização de frutas com base no modelo coletivo de trabalho implantado. A produção no assentamento mostrou-se altamente dependente de insumos industriais, reforçando e legitimando o poder dos impérios alimentares sobre a agricultura familiar, além de gerar uma pequena margem de receita líquida por cada assentado. Dificuldades relacionadas com a gestão da produção, da comercialização e das finanças foram consideradas importantes para explicar a descontinuidade do projeto. No entanto, foram as instituições informais aquelas julgadas mais relevantes para explicar o fracasso do referido sistema pelos entrevistados, em particular a assimetria de informações e a quebra de confiança entre a diretoria da Cooperativa e os associados. Além disto, a delegação da gestão do projeto para uma associação e uma cooperativa recém-constituídas e para um quadro social heterogêneo, composto por assentados de origens distintas e com baixo capital social, resultou no distanciamento das organizações governamentais mais diretamente responsáveis pelo Projeto e no agravamento das dificuldades encontradas na gestão social ali implementada. Conclui-se, portanto, que a reforma agrária de mercado não constitui uma boa política, pelo menos não da forma como é executada e defendida pelos teóricos do Banco Mundial e seus seguidores. Ademais, torna-se preciso pensar o desenvolvimento rural como um fenômeno multidimensional, demandando um amplo envolvimento entre Estado e sociedade.


  • Mostrar Abstract
  • A Reforma Agrária Assistida de Mercado (RAAM) vem se constituindo em uma alternativa de reforma agrária financiada pelo Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF), instituído pelo Governo Federal por intermédio do Decreto Nº 4892, de 25 de novembro de 2003. Trata-se de uma política de aquisição, distribuição e utilização da terra disseminada ideologicamente e financiada pelo Banco Mundial na perspectiva da inserção produtiva de trabalhadores rurais sem terra em todos os estados das regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste, Nordeste, além dos estados de Tocantins e Rondônia, na região Norte do país. Partindo dessa constatação, este estudo procura analisar a trajetória dos assentamentos rurais financiados por esta política, tomando como referência o Projeto de Assentamento da Fazenda Paz, no município de Maxaranguape, no estado do Rio Grande do Norte. Para isto, foram utilizadas pesquisas bibliográfica e documental, além de visitas ao assentamento e realização de entrevistas semiestruturadas com os assentados, lideranças sindicais, consultores e técnicos ligados ao projeto. Os resultados obtidos evidenciaram a existência de um empreendimento bastante complexo, com uma área total de 607 hectares e 80 famílias assentadas, dotado de água de boa qualidade e infraestrutura de irrigação, com um patrimônio de aproximadamente R$ 4 milhões de reais. A experiência vivenciada pelos assentados compreendeu o desenvolvimento de complexos sistemas de produção e comercialização de frutas e hortaliças, com destaque para a cultura de mamão numa área de 45 hectares com base em moderno sistema de irrigação e uso intensivo de tecnologia. A gestão coletiva da produção, da comercialização, das receitas e dos custos destacou-se como um grande desafio para os assentados e suas organizações representativas, isto é, a Associação comunitária e a Cooperativa. A partir desta constatação foi possível identificar dois momentos na trajetória do Projeto: o primeiro, entre 2007-2011, considerado pelos entrevistados como exitoso, onde a integração de políticas públicas e a entrada abundante de receitas provenientes da comercialização dos frutos da Paz, principalmente através da venda do mamão e do abacaxi nos mercados nacional e internacional, permitiram uma remuneração média de R$ 800,00 a R$ 1.000,00 por assentado/mês, além da produção de hortaliças e de outros tipos de produtos para a venda e o autoconsumo; o segundo, a partir de 2012, caracterizado como um fracasso, em virtude da descontinuidade do cultivo, da produção e da comercialização de frutas com base no modelo coletivo de trabalho implantado. A produção no assentamento mostrou-se altamente dependente de insumos industriais, reforçando e legitimando o poder dos impérios alimentares sobre a agricultura familiar, além de gerar uma pequena margem de receita líquida por cada assentado. Dificuldades relacionadas com a gestão da produção, da comercialização e das finanças foram consideradas importantes para explicar a descontinuidade do projeto. No entanto, foram as instituições informais aquelas julgadas mais relevantes para explicar o fracasso do referido sistema pelos entrevistados, em particular a assimetria de informações e a quebra de confiança entre a diretoria da Cooperativa e os associados. Além disto, a delegação da gestão do projeto para uma associação e uma cooperativa recém-constituídas e para um quadro social heterogêneo, composto por assentados de origens distintas e com baixo capital social, resultou no distanciamento das organizações governamentais mais diretamente responsáveis pelo Projeto e no agravamento das dificuldades encontradas na gestão social ali implementada. Conclui-se, portanto, que a reforma agrária de mercado não constitui uma boa política, pelo menos não da forma como é executada e defendida pelos teóricos do Banco Mundial e seus seguidores. Ademais, torna-se preciso pensar o desenvolvimento rural como um fenômeno multidimensional, demandando um amplo envolvimento entre Estado e sociedade.

2
  • DEBORA CHAVES MEIRELES
  • DIFERENCIAIS DE RENDIMENTOS POR GÊNERO: UMA ANÁLISE DOS EFEITOS COMPOSIÇÃO E ESTRUTURA SALARIAL NO BRASIL

    (1976, 1987, 1996 e 2009)

  • Orientador : JORGE LUIZ MARIANO DA SILVA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • JORGE LUIZ MARIANO DA SILVA
  • RAQUEL MENEZES BEZERRA SAMPAIO
  • PAULO AMILTON MAIA LEITE FILHO
  • Data: 19/02/2014

  • Mostrar Resumo
  • Nos últimos anos há uma maior participação da mulher no mercado de trabalho, mas, apesar da semelhança educacional ainda persiste um grande hiato de renda em relação aos homens. Estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, IPEA (2011) mostra uma persistência do diferencial de rendimentos entre homens e mulheres com a mesma produtividade e igual nível de escolaridade.  Este estudo tem como objetivo analisar os diferenciais de rendimentos por gênero no Brasil no período de 1976, 1987, 1996 e 2009. Especificamente, há dois objetivos. No primeiro, procura-se analisar a importância dos efeitos da composição e da estrutura salarial no mercado de trabalho. Para alcançá-lo serão utilizadas, na metodologia, as informações dos microdados da Pesquisa por Amostra de Domicílio (PNAD) dos respectivos anos. O índice de distribuição de renda Theil-T, que realiza a decomposição da desigualdade de rendimentos por fatores intragênero e intergênero. A decomposição do rendimento médio proposto por Oaxaca (1973) e Blinder (1973), que divide o hiato de renda nos efeitos da composição (características) e no efeito da estrutura salarial (retornos a estas características), e, ainda será utilizado o método de decomposição da desigualdade de rendimentos por quantis proposto por Firpo, Fortin e Lemieux (2007). No segundo objetivo específico, procura-se verificar que variáveis socioeconômicas explicam os efeitos da composição e da estrutura salarial no mercado de trabalho. Para alcançar esse objetivo será aplicado, na decomposição dos rendimentos por quantis, o método de regressão RIF (Recentered Influence Function) de Firpo, Fortin e Lemieux (2007).


  • Mostrar Abstract
  • Nos últimos anos há uma maior participação da mulher no mercado de trabalho, mas, apesar da semelhança educacional ainda persiste um grande hiato de renda em relação aos homens. Estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, IPEA (2011) mostra uma persistência do diferencial de rendimentos entre homens e mulheres com a mesma produtividade e igual nível de escolaridade.  Este estudo tem como objetivo analisar os diferenciais de rendimentos por gênero no Brasil no período de 1976, 1987, 1996 e 2009. Especificamente, há dois objetivos. No primeiro, procura-se analisar a importância dos efeitos da composição e da estrutura salarial no mercado de trabalho. Para alcançá-lo serão utilizadas, na metodologia, as informações dos microdados da Pesquisa por Amostra de Domicílio (PNAD) dos respectivos anos. O índice de distribuição de renda Theil-T, que realiza a decomposição da desigualdade de rendimentos por fatores intragênero e intergênero. A decomposição do rendimento médio proposto por Oaxaca (1973) e Blinder (1973), que divide o hiato de renda nos efeitos da composição (características) e no efeito da estrutura salarial (retornos a estas características), e, ainda será utilizado o método de decomposição da desigualdade de rendimentos por quantis proposto por Firpo, Fortin e Lemieux (2007). No segundo objetivo específico, procura-se verificar que variáveis socioeconômicas explicam os efeitos da composição e da estrutura salarial no mercado de trabalho. Para alcançar esse objetivo será aplicado, na decomposição dos rendimentos por quantis, o método de regressão RIF (Recentered Influence Function) de Firpo, Fortin e Lemieux (2007).

3
  • DENZI LINS ROCHA
  • A proposta do Estado empregador de última instancia e o Experimentalismo Democrático: Uma 
    reflexão teórica sobre a compatibilidade desses dois programas
  • Orientador : ANDRE LUIS CABRAL DE LOURENCO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANDRE LUIS CABRAL DE LOURENCO
  • MARCONI GOMES DA SILVA
  • ANGELO MAGALHAES SILVA
  • Data: 25/04/2014

  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho tem por objetivo fazer uma reflexão teórica sobre a compatibilidade entre o programa do Estado como Empregador de Última Instância (ELR) e o programa do Experimentalismo Democrático (ED). O ED surge no pensamento político como uma alternativa aos programas neoliberal e social democrata, visando a resgatar a discussão sobre a organização institucional da sociedade e a economia de mercado. Para o desemprego involuntário, propõe mudanças fiscais incidentes sobre a folha salarial e frentes de trabalho para os mais precários ou pouco capacitados. A hipótese do trabalho é que a abordagem tem compatibilidade com o programa do ELR, da linhagem pós-keynesiana. O ELR se apresenta como transgressão ao mainstream do pensamento econômico ao propor que o Estado atue como garantidor de emprego, funcionando como âncora estabilizadora da economia. No limite, o ELR se propõe a eliminar completamente o desemprego involuntário. A implantação do ELR, porém, demanda a construção de instituições que tenham como objetivo refazer a economia de mercado, bem como aprofundar e energizar a política e a democracia, objetivos que fazem parte do programa do ED. Dessa forma, o ED proporcionaria, no campo teórico, um ambiente institucional propício a políticas inovadoras garantidoras da capacitação e ocupação do indivíduo, essenciais para sua emancipação. No Brasil, que possui graves problemas de infraestrutura e de qualificação de mão de obra, um programa como esse tem enorme potencial benéfico. No entanto quando transposto para o Nordeste do Brasil através do Plano de desenvolvimento para a região baseado nos princípios do ED e o hipotético acoplamento ao ELR a este, não foi possível confirmar nem rejeitar a sub-hipótese de compatibilidade desses dois arcabouços teóricos. As conclusões apontam para uma parcial convergência entre esses dois programas.


  • Mostrar Abstract
  • O presente trabalho tem por objetivo fazer uma reflexão teórica sobre a compatibilidade entre o programa do Estado como Empregador de Última Instância (ELR) e o programa do Experimentalismo Democrático (ED). O ED surge no pensamento político como uma alternativa aos programas neoliberal e social democrata, visando a resgatar a discussão sobre a organização institucional da sociedade e a economia de mercado. Para o desemprego involuntário, propõe mudanças fiscais incidentes sobre a folha salarial e frentes de trabalho para os mais precários ou pouco capacitados. A hipótese do trabalho é que a abordagem tem compatibilidade com o programa do ELR, da linhagem pós-keynesiana. O ELR se apresenta como transgressão ao mainstream do pensamento econômico ao propor que o Estado atue como garantidor de emprego, funcionando como âncora estabilizadora da economia. No limite, o ELR se propõe a eliminar completamente o desemprego involuntário. A implantação do ELR, porém, demanda a construção de instituições que tenham como objetivo refazer a economia de mercado, bem como aprofundar e energizar a política e a democracia, objetivos que fazem parte do programa do ED. Dessa forma, o ED proporcionaria, no campo teórico, um ambiente institucional propício a políticas inovadoras garantidoras da capacitação e ocupação do indivíduo, essenciais para sua emancipação. No Brasil, que possui graves problemas de infraestrutura e de qualificação de mão de obra, um programa como esse tem enorme potencial benéfico. No entanto quando transposto para o Nordeste do Brasil através do Plano de desenvolvimento para a região baseado nos princípios do ED e o hipotético acoplamento ao ELR a este, não foi possível confirmar nem rejeitar a sub-hipótese de compatibilidade desses dois arcabouços teóricos. As conclusões apontam para uma parcial convergência entre esses dois programas.

4
  • ALINE ALVES DE OLIVEIRA
  • O CARIRI CEARENSE: DA OCUPAÇÃO DO TERRITÓRIO A INSTITUCIONALIZAÇÃO DA REGIÃO METROPOLITANA DO CARIRI

  • Orientador : WILLIAM EUFRASIO NUNES PEREIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARCONI GOMES DA SILVA
  • WILLIAM EUFRASIO NUNES PEREIRA
  • FRANCISCO DO O'''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''' DE LIMA JÚNIOR
  • Data: 27/06/2014

  • Mostrar Resumo
  • A urbanização no seu sentindo mais simples, o de aglomeração de pessoas, ocorreu desde o momento em que as atividades produtivas passaram a basear-se nas trocas comerciais. As primeiras cidades surgiram quando a evolução da agricultura permitiu a produção e estocagem de excedentes. Porém, foi com a industrialização que a urbanização se torna intensa, de acordo com Singer (1987), a revolução industrial teve por palco, desde o inicio, a área urbana. Ela exige, em sua proximidade, a presença de um grande número de trabalhadores. No que concerne o Cariri cearense, a ocupação do seu território está associada à circulação dos excedentes agrícolas produzidos e reproduzidos sob a hegemonia do capital mercantil e em decorrência do desenvolvimento da pecuária extensiva que promoveu a ocupação territorial do Ceará. A partir da década de 1960, a região passou por mudanças na sua estrutura produtiva devido as políticas de planejamento industrial do governo do Ceará. No entanto foi na década de 1990 que a região se consolida como polo econômico e urbano devido as políticas de atração de investimentos do governo do estado do Ceará. Esta política propiciou a dinamização do comércio e dos serviços marcando o predomínio das atividades terciárias na região, com destaque para o comércio varejista, atacadista, serviços médicos e ensino. Os investimentos também consolidaram o parque industrial da região tornando-o diversificado, com destaque para os setores calçadista, extrativa mineral, minerais não metálicos, material de transporte, química farmacêutica, alimentos e bebidas, borracha e couros e construção civil. Posto isto, o objetivo geral deste trabalho é: analisar a região do Cariri cearense da ocupação do seu território a institucionalização da sua Região Metropolitana, para compreender quais fatores influenciaram o Cariri cearense a se tornar uma região importante em termos urbano e econômico no interior cearense. Com o intuito de desenvolver a presente pesquisa no que refere-se à perspectiva metodológica, a pesquisa é pautada em estudos bibliográficos e também utiliza-se de análise de dados secundários (populacionais, PIB, taxa de urbanização, emprego) das principais bases de dados do país, como IBGE, IPEADATA e RAIS-MTE. 


  • Mostrar Abstract
  • A urbanização no seu sentindo mais simples, o de aglomeração de pessoas, ocorreu desde o momento em que as atividades produtivas passaram a basear-se nas trocas comerciais. As primeiras cidades surgiram quando a evolução da agricultura permitiu a produção e estocagem de excedentes. Porém, foi com a industrialização que a urbanização se torna intensa, de acordo com Singer (1987), a revolução industrial teve por palco, desde o inicio, a área urbana. Ela exige, em sua proximidade, a presença de um grande número de trabalhadores. No que concerne o Cariri cearense, a ocupação do seu território está associada à circulação dos excedentes agrícolas produzidos e reproduzidos sob a hegemonia do capital mercantil e em decorrência do desenvolvimento da pecuária extensiva que promoveu a ocupação territorial do Ceará. A partir da década de 1960, a região passou por mudanças na sua estrutura produtiva devido as políticas de planejamento industrial do governo do Ceará. No entanto foi na década de 1990 que a região se consolida como polo econômico e urbano devido as políticas de atração de investimentos do governo do estado do Ceará. Esta política propiciou a dinamização do comércio e dos serviços marcando o predomínio das atividades terciárias na região, com destaque para o comércio varejista, atacadista, serviços médicos e ensino. Os investimentos também consolidaram o parque industrial da região tornando-o diversificado, com destaque para os setores calçadista, extrativa mineral, minerais não metálicos, material de transporte, química farmacêutica, alimentos e bebidas, borracha e couros e construção civil. Posto isto, o objetivo geral deste trabalho é: analisar a região do Cariri cearense da ocupação do seu território a institucionalização da sua Região Metropolitana, para compreender quais fatores influenciaram o Cariri cearense a se tornar uma região importante em termos urbano e econômico no interior cearense. Com o intuito de desenvolver a presente pesquisa no que refere-se à perspectiva metodológica, a pesquisa é pautada em estudos bibliográficos e também utiliza-se de análise de dados secundários (populacionais, PIB, taxa de urbanização, emprego) das principais bases de dados do país, como IBGE, IPEADATA e RAIS-MTE. 

5
  • WERTON JOSÉ DE OLIVEIRA BATISTA
  •  EXPANSÃO IMOBILIÁRIA NA CIDADE DE JOÃO PESSOA, NO PERÍODO 2009-2013: UM CASO DE FORMAÇÃO DE BOLHA?

  • Orientador : MARCIA MARIA DE OLIVEIRA BEZERRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANDRE LUIZ CORREA
  • MARCIA MARIA DE OLIVEIRA BEZERRA
  • MARCONI GOMES DA SILVA
  • Data: 12/09/2014

  • Mostrar Resumo
  • A expansão imobiliária registrada nos últimos anos na cidade de João Pessoa contribuiu decisivamente para o aumento da oferta de moradias em todo seu território. Esse avanço, entretanto, veio acompanhado de um aumento significativo nos preços dos imóveis, o que, por si só, gera uma enorme expectativa sobre a sustentação dos mesmos a médio e longo prazo. Diante desse aparente quadro de aquecimento do mercado de imóveis pessoense o presente estudo analisou empiricamente se essa valorização configurou um típico processo de formação de bolha entre os anos de 2009 e 2013 na referida capital. A parte empírica relativa à dinâmica de preços do mercado imobiliário pessoense teve por base os indicadores de preço, aluguel e custo desenvolvidos por Bezerra et al. (2013). Os resultados desses indicadores locais aumentam o grau de confiança na hipótese do trabalho, qual seja, que o movimento de preços nos principais bairros da cidade de João Pessoa constitui uma bolha imobiliária.


  • Mostrar Abstract
  • A expansão imobiliária registrada nos últimos anos na cidade de João Pessoa contribuiu decisivamente para o aumento da oferta de moradias em todo seu território. Esse avanço, entretanto, veio acompanhado de um aumento significativo nos preços dos imóveis, o que, por si só, gera uma enorme expectativa sobre a sustentação dos mesmos a médio e longo prazo. Diante desse aparente quadro de aquecimento do mercado de imóveis pessoense o presente estudo analisou empiricamente se essa valorização configurou um típico processo de formação de bolha entre os anos de 2009 e 2013 na referida capital. A parte empírica relativa à dinâmica de preços do mercado imobiliário pessoense teve por base os indicadores de preço, aluguel e custo desenvolvidos por Bezerra et al. (2013). Os resultados desses indicadores locais aumentam o grau de confiança na hipótese do trabalho, qual seja, que o movimento de preços nos principais bairros da cidade de João Pessoa constitui uma bolha imobiliária.

6
  • PATIEENE ALVES PASSONI
  • Contabilidade do crescimento pelo lado da demanda agregada: uma proposta de cálculo das contribuições ao crescimento pela demanda agregada para o Brasil, de 2000 a 2009, utilizando matrizes insumo-produto

  • Orientador : ANDRE LUIS CABRAL DE LOURENCO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ESTHER DWECK
  • ANDRE LUIS CABRAL DE LOURENCO
  • FABRICIO PITOMBO LEITE
  • PAULO FERNANDO DE MOURA BEZERRA CAVALCANTI FILHO
  • Data: 29/09/2014

  • Mostrar Resumo
  • A contabilidade do crescimento pelo lado da demanda estuda como são atribuídas as contribuições ao crescimento dos componentes da demanda agregada no Produto Interno Bruto (PIB) de um país. Tradicionalmente, os organismos internacionais e nacionais que contabilizam o crescimento utilizam o método tradicional para calcular tais contribuições. Entretanto, esse método não leva em consideração o efeito a indução das importações pelos diversos componentes da demanda agregada sobre o cálculo das contribuições do setor doméstico e externo. Como alternativa a esse método são apresentados outros que buscam considerar esse efeito, a citar o método alternativo proposto por Lara (2013), da atribuição, presente em Kranendonk e Verbruggen (2005) e Hoekstra e van der Helm (2010), e o método do supermultiplicador sraffiano, de Freitas e Dweck (2013). É realizada uma síntese desses métodos, demonstrando as convergências e divergências entre eles. Além disso, como objetivo de contribuir para o estudo da temática é desenvolvido o método da distribuição, que tem como objetivo distribuir as importações para os diversos componentes da demanda agregada, através das informações dispostas nas matrizes insumo-produto e Tabelas de Recursos e Usos. A partir desse método são contabilizadas as contribuições ao crescimento dos agregados macroeconômicos para o crescimento para o Brasil de 2001 a 2009. Além disso, é realizada uma comparação com o método tradicional, compreendendo as razões das diferenças nas contribuições. Posteriormente foram realizadas comparações entre as contribuições ao crescimento dos componentes da demanda agregada e dos setores doméstico e externo calculadas para diversos métodos. Foi verificado que os métodos existentes na literatura não são suficientes para tratar da desagregação das importações, e dadas as alternativas de contribuição para o crescimento apresentado ao longo deste trabalho, acredita-se que o método de distribuição fornece as melhores estimativas para a contabilização das contribuições pelo lado da demanda agregada. Em particular, a principal vantagem desse método em relação aos outros é a repartição da contribuição das importações nos componente da demanda agregada, o que permite a análise da contribuição de cada componente para o crescimento do PIB. Enfatiza-se o potencial uso desse trabalho, pois tais esforços de desagregação são a fundamentais para a reconstrução de um país através de planejamento econômico de larga escala, facilitando uma nova estratégia de desenvolvimento sustentável. Dessa forma, este tipo de análise ajuda a estudar o padrão de crescimento da economia brasileira, não apenas do ponto de vista teórico, mas também empírico e base para a decisão de política econômica.


  • Mostrar Abstract
  • A contabilidade do crescimento pelo lado da demanda estuda como são atribuídas as contribuições ao crescimento dos componentes da demanda agregada no Produto Interno Bruto (PIB) de um país. Tradicionalmente, os organismos internacionais e nacionais que contabilizam o crescimento utilizam o método tradicional para calcular tais contribuições. Entretanto, esse método não leva em consideração o efeito a indução das importações pelos diversos componentes da demanda agregada sobre o cálculo das contribuições do setor doméstico e externo. Como alternativa a esse método são apresentados outros que buscam considerar esse efeito, a citar o método alternativo proposto por Lara (2013), da atribuição, presente em Kranendonk e Verbruggen (2005) e Hoekstra e van der Helm (2010), e o método do supermultiplicador sraffiano, de Freitas e Dweck (2013). É realizada uma síntese desses métodos, demonstrando as convergências e divergências entre eles. Além disso, como objetivo de contribuir para o estudo da temática é desenvolvido o método da distribuição, que tem como objetivo distribuir as importações para os diversos componentes da demanda agregada, através das informações dispostas nas matrizes insumo-produto e Tabelas de Recursos e Usos. A partir desse método são contabilizadas as contribuições ao crescimento dos agregados macroeconômicos para o crescimento para o Brasil de 2001 a 2009. Além disso, é realizada uma comparação com o método tradicional, compreendendo as razões das diferenças nas contribuições. Posteriormente foram realizadas comparações entre as contribuições ao crescimento dos componentes da demanda agregada e dos setores doméstico e externo calculadas para diversos métodos. Foi verificado que os métodos existentes na literatura não são suficientes para tratar da desagregação das importações, e dadas as alternativas de contribuição para o crescimento apresentado ao longo deste trabalho, acredita-se que o método de distribuição fornece as melhores estimativas para a contabilização das contribuições pelo lado da demanda agregada. Em particular, a principal vantagem desse método em relação aos outros é a repartição da contribuição das importações nos componente da demanda agregada, o que permite a análise da contribuição de cada componente para o crescimento do PIB. Enfatiza-se o potencial uso desse trabalho, pois tais esforços de desagregação são a fundamentais para a reconstrução de um país através de planejamento econômico de larga escala, facilitando uma nova estratégia de desenvolvimento sustentável. Dessa forma, este tipo de análise ajuda a estudar o padrão de crescimento da economia brasileira, não apenas do ponto de vista teórico, mas também empírico e base para a decisão de política econômica.

7
  • VINICIUS GONÇALVES DOS SANTOS
  • A ECONOMIA SOLIDÁRIA SOBRE A PERSPECTIVA DESENVOLVIMENTISTA: O CASO DA COOPERATIVA DE COLETA SELETIVA E RECICLAGEM AMIGOS DO PLANETA – BA (2004/2013)
  • Orientador : JOAO MATOS FILHO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • THIAGO FERREIRA DIAS
  • JOAO MATOS FILHO
  • TATIANA RIBEIRO VELLOSO
  • Data: 17/10/2014

  • Mostrar Resumo
  • Nas últimas décadas, o protagonismo coletivo dos EES que atuam na prestação de serviços de coleta e reciclagem de materiais, tem-se apresentado como uma proposta de organização do espaço urbano com a constituição de novos empreendimentos e cadeias produtivas solidárias. São atividades que ganharam um novo estímulo com a criação da Secretaria Nacional de Economia Solidária e com a Política Nacional de Resíduos Sólidos que atribuíram um papel preponderante para esses atores sociais. Essas experiências contribuem para construção de um caminho de desenvolvimento para sociedade, que assemelha-se  com a perspectiva pluralista de desenvolvimento do economista indiano Amartya Sen, que vai além da concepção simplista do aumento da renda, centrando-se no processo de expansão das liberdades que as pessoas desfrutam. O objetivo desta dissertação é situar o debate desenvolvimentista no campo da economia solidária por meio da análise da experiência da Cooperativa de Coleta Seletiva e Reciclagem Amigos do Planeta, localizada no município de Lauro de Freitas – BA, no período de 2004 a 2013. Para isto foram adotados os seguintes procedimentos: análise das principais contribuições da literatura internacional que trata do fenômeno da pluriatividade; revisão da literatura nacional que analisa a emergência e a evolução dos empreendimentos de economia solidária (EES) no Brasil; pesquisa bibliográfica e documental; e, avaliação sócio-econômica dos EES. O problema norteador deste trabalho, compreensivamente, é: qual o sentido do desenvolvimento no campo da economia solidária? Parte-se da hipótese de que o desenvolvimento da economia solidária pressupõe uma ambiência que prima pela supressão dos estados de privações que limitam o alcance dessas práticas. Os resultados obtidos revelam que, a temática desenvolvimentista na economia solidária não é uma questão estritamente econômica nem se equaciona no curto prazo, mas pressupõe ações políticas voltadas para um processo de transformação social.

  • Mostrar Abstract
  • Nas últimas décadas, o protagonismo coletivo dos EES que atuam na prestação de serviços de coleta e reciclagem de materiais, tem-se apresentado como uma proposta de organização do espaço urbano com a constituição de novos empreendimentos e cadeias produtivas solidárias. São atividades que ganharam um novo estímulo com a criação da Secretaria Nacional de Economia Solidária e com a Política Nacional de Resíduos Sólidos que atribuíram um papel preponderante para esses atores sociais. Essas experiências contribuem para construção de um caminho de desenvolvimento para sociedade, que assemelha-se  com a perspectiva pluralista de desenvolvimento do economista indiano Amartya Sen, que vai além da concepção simplista do aumento da renda, centrando-se no processo de expansão das liberdades que as pessoas desfrutam. O objetivo desta dissertação é situar o debate desenvolvimentista no campo da economia solidária por meio da análise da experiência da Cooperativa de Coleta Seletiva e Reciclagem Amigos do Planeta, localizada no município de Lauro de Freitas – BA, no período de 2004 a 2013. Para isto foram adotados os seguintes procedimentos: análise das principais contribuições da literatura internacional que trata do fenômeno da pluriatividade; revisão da literatura nacional que analisa a emergência e a evolução dos empreendimentos de economia solidária (EES) no Brasil; pesquisa bibliográfica e documental; e, avaliação sócio-econômica dos EES. O problema norteador deste trabalho, compreensivamente, é: qual o sentido do desenvolvimento no campo da economia solidária? Parte-se da hipótese de que o desenvolvimento da economia solidária pressupõe uma ambiência que prima pela supressão dos estados de privações que limitam o alcance dessas práticas. Os resultados obtidos revelam que, a temática desenvolvimentista na economia solidária não é uma questão estritamente econômica nem se equaciona no curto prazo, mas pressupõe ações políticas voltadas para um processo de transformação social.
8
  • JOSE ALDERIR DA SILVA
  • Desindustrialização no Brasil: teorias e evidências para o debate.


  • Orientador : ANDRE LUIS CABRAL DE LOURENCO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • CARLOS PINKUSFELD BASTOS
  • FABRICIO PITOMBO LEITE
  • ANDRE LUIS CABRAL DE LOURENCO
  • Data: 24/10/2014

  • Mostrar Resumo
  • Este estudo tem por objetivo contribuir com evidências para embasar o debate acerca de uma possível desindustrialização da economia brasileira, com ênfase no período pós-1995. O debate teve início em finais da década de 1980, contudo, recentemente a desaceleração da indústria ganhou força nas discussões do meio acadêmico. Entre as principais teses nesse debate está a novo-desenvolvimentistas que acredita na desindustrialização precoce causada principalmente pela sobrevalorização cambial. Não obstante, segundo a tese ortodoxa, a perda de competitividade devido ao custo elevado de produção pode ter causada a desindustrialização no Brasil. Por outro lado, parte da ortodoxia não acredita que o país esteja se desindustrializando. Nesta perspectiva, a estrutura produtiva brasileira atravessa uma fase de modernização favorecida pelo câmbio valorizado. Assim, na tentativa de lançar luz sobre esse debate, o presente estudo busca identificar as razões da desaceleração da indústria brasileira, enfatizando aspectos pouco explorados na literatura, e definir se o país padece ou não de um processo de desindustrialização. Ao analisar diversos indicadores, sobretudo, em nível de quantum, encontramos fortes indícios de que a desaceleração da indústria brasileira pode ser caracterizada como uma desindustrialização, porém ainda insuficiente para qualificar como precoce, dada a perda de participação da produção física na produção total e o aumento da participação dos bens primários na pauta de exportação.


  • Mostrar Abstract
  • Este estudo tem por objetivo contribuir com evidências para embasar o debate acerca de uma possível desindustrialização da economia brasileira, com ênfase no período pós-1995. O debate teve início em finais da década de 1980, contudo, recentemente a desaceleração da indústria ganhou força nas discussões do meio acadêmico. Entre as principais teses nesse debate está a novo-desenvolvimentistas que acredita na desindustrialização precoce causada principalmente pela sobrevalorização cambial. Não obstante, segundo a tese ortodoxa, a perda de competitividade devido ao custo elevado de produção pode ter causada a desindustrialização no Brasil. Por outro lado, parte da ortodoxia não acredita que o país esteja se desindustrializando. Nesta perspectiva, a estrutura produtiva brasileira atravessa uma fase de modernização favorecida pelo câmbio valorizado. Assim, na tentativa de lançar luz sobre esse debate, o presente estudo busca identificar as razões da desaceleração da indústria brasileira, enfatizando aspectos pouco explorados na literatura, e definir se o país padece ou não de um processo de desindustrialização. Ao analisar diversos indicadores, sobretudo, em nível de quantum, encontramos fortes indícios de que a desaceleração da indústria brasileira pode ser caracterizada como uma desindustrialização, porém ainda insuficiente para qualificar como precoce, dada a perda de participação da produção física na produção total e o aumento da participação dos bens primários na pauta de exportação.

2013
Dissertações
1
  • FABIANO DA COSTA DANTAS
  • EFICIÊNCIA NOS GASTOS PÚBLICOS EM EDUCAÇÃO FUNDAMENTAL: Uma Análise nos Municípios do Estado do Rio Grande do Norte, 2007 e 2011.

  • Orientador : JORGE LUIZ MARIANO DA SILVA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • GUILHERME DINIZ IRFFI
  • JORGE LUIZ MARIANO DA SILVA
  • ALEXANDRO BARBOSA
  • Data: 14/02/2013

  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho tem como objetivo mensurar o grau de eficiência na alocação dos recursos públicos oriundos do FUNDEB em educação fundamental dos municípios do Rio Grande do Norte nos anos de 2007 e 2011. Para tanto, será preciso verificar quais fatores estão associados ou são determinantes na ineficiência na alocação de recursos públicos em educação nos municípios do Rio Grande do Norte; avaliar a eficiência na alocação de recursos públicos municipais em educação nas séries iniciais e finais da educação fundamental; verificar se os municípios que alcançaram maiores níveis de eficiência foram os que alocaram os maiores volumes de recursos em educação fundamental e analisar quais municípios alcançaram os piores e os melhores índices de eficiência na alocação de recursos públicos em educação. Parte-se do pressuposto de que a relação entre as políticas públicas educacionais dos governos municipais e a preocupação com a eficiência na alocação dos recursos em educação se limita apenas em aumentar os gastos em educação. Pretende-se a partir do modelo de Análise Envoltória de Dados (DEA) com Retornos Variáveis de Escala (VRS) estimar as eficiências dos gastos púbicos municipais em educação e expurgar o problema dos outliers. No cálculo da ineficiência propõe-se utilizar o modelo econométrico Tobit com as características socioeconômicas dos municípios. Estimações apontam que os municípios do Rio Grande do Norte não alocam seus recursos públicos em educação fundamental de maneira eficiente.


  • Mostrar Abstract
  • Este trabalho tem como objetivo mensurar o grau de eficiência na alocação dos recursos públicos oriundos do FUNDEB em educação fundamental dos municípios do Rio Grande do Norte nos anos de 2007 e 2011. Para tanto, será preciso verificar quais fatores estão associados ou são determinantes na ineficiência na alocação de recursos públicos em educação nos municípios do Rio Grande do Norte; avaliar a eficiência na alocação de recursos públicos municipais em educação nas séries iniciais e finais da educação fundamental; verificar se os municípios que alcançaram maiores níveis de eficiência foram os que alocaram os maiores volumes de recursos em educação fundamental e analisar quais municípios alcançaram os piores e os melhores índices de eficiência na alocação de recursos públicos em educação. Parte-se do pressuposto de que a relação entre as políticas públicas educacionais dos governos municipais e a preocupação com a eficiência na alocação dos recursos em educação se limita apenas em aumentar os gastos em educação. Pretende-se a partir do modelo de Análise Envoltória de Dados (DEA) com Retornos Variáveis de Escala (VRS) estimar as eficiências dos gastos púbicos municipais em educação e expurgar o problema dos outliers. No cálculo da ineficiência propõe-se utilizar o modelo econométrico Tobit com as características socioeconômicas dos municípios. Estimações apontam que os municípios do Rio Grande do Norte não alocam seus recursos públicos em educação fundamental de maneira eficiente.

2
  • DANIELLA MEDEIROS CAVALCANTI
  • IMPACTO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA NA RENDA, NA EDUCAÇÃO E NO MERCADO DE TRABALHO DAS FAMÍLIAS POBRES DO BRASIL EM 2010

     


  • Orientador : JORGE LUIZ MARIANO DA SILVA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • RAQUEL MENEZES BEZERRA SAMPAIO
  • BRUNO FERREIRA FRASCAROLI
  • JORGE LUIZ MARIANO DA SILVA
  • Data: 28/02/2013

  • Mostrar Resumo
  • Este estudo tem como objetivo verificar o impacto do Programa Bolsa Família (PBF), na renda e na frequência escolar para as famílias brasileiras. Pretende-se, ainda, verificar a existência de um possível efeito negativo do programa no mercado de trabalho, intitulado como efeito-preguiça. Para tanto, será utilizado os microdados do Censo amostral de 2010. Visando expurgar possíveis vieses de seleção, aplica-se a metodologia do Efeito Quantílico do Tratamento (EQT), em especial o estimador proposto por Firpo (2007), no qual assume um tratamento exógeno e não-condicional. Ademais, foi calculado o índice Foster-Greer-Thorbecke (FGT) para verificar se há menos domicílios abaixo da linha de pobreza, bem como se a desigualdade entre os pobres diminui. Foi calculado, ainda, o Índice de Oportunidades Humanas (IOH), para medir o acesso de jovens/crianças a educação. Os resultados mostram que o PBF influencia positivamente a renda familiar per capita e a educação (número de filhos de 5 a 17 anos que frequentam escola). Quanto ao mercado de trabalho (horas trabalhadas e renda do trabalho) o programa mostrou um efeito negativo. Assim, quando comparada com as famílias não beneficiadas, aquelas famílias que recebem o PBF possuem: a) uma maior renda familiar (devido ao choque orçamentário do repasse monetário); b) mais filhos frequentando escola (devido à condicionalidade imposta pelo programa); c) trabalham menos (menor horas trabalhadas devido ao efeito-preguiça em alguns grupos de famílias) e; d) recebem menos. Todos esses efeitos são potencializados quando separado a amostra entre as cinco regiões brasileiras, no qual o foi no Nordeste que o PBF mais influenciou na diminuição da desigualdade de renda e pobreza, e, ao mesmo tempo, impactou mais negativamente no mercado de trabalho.


  • Mostrar Abstract
  • Este estudo tem como objetivo verificar o impacto do Programa Bolsa Família (PBF), na renda e na frequência escolar para as famílias brasileiras. Pretende-se, ainda, verificar a existência de um possível efeito negativo do programa no mercado de trabalho, intitulado como efeito-preguiça. Para tanto, será utilizado os microdados do Censo amostral de 2010. Visando expurgar possíveis vieses de seleção, aplica-se a metodologia do Efeito Quantílico do Tratamento (EQT), em especial o estimador proposto por Firpo (2007), no qual assume um tratamento exógeno e não-condicional. Ademais, foi calculado o índice Foster-Greer-Thorbecke (FGT) para verificar se há menos domicílios abaixo da linha de pobreza, bem como se a desigualdade entre os pobres diminui. Foi calculado, ainda, o Índice de Oportunidades Humanas (IOH), para medir o acesso de jovens/crianças a educação. Os resultados mostram que o PBF influencia positivamente a renda familiar per capita e a educação (número de filhos de 5 a 17 anos que frequentam escola). Quanto ao mercado de trabalho (horas trabalhadas e renda do trabalho) o programa mostrou um efeito negativo. Assim, quando comparada com as famílias não beneficiadas, aquelas famílias que recebem o PBF possuem: a) uma maior renda familiar (devido ao choque orçamentário do repasse monetário); b) mais filhos frequentando escola (devido à condicionalidade imposta pelo programa); c) trabalham menos (menor horas trabalhadas devido ao efeito-preguiça em alguns grupos de famílias) e; d) recebem menos. Todos esses efeitos são potencializados quando separado a amostra entre as cinco regiões brasileiras, no qual o foi no Nordeste que o PBF mais influenciou na diminuição da desigualdade de renda e pobreza, e, ao mesmo tempo, impactou mais negativamente no mercado de trabalho.

3
  • ANA LOURDES FERNANDES NASCIMENTO
  • INDUSTRIALIZAÇÃO E EMPREGO FORMAL: UMA ANÁLISE PARA OS MUNICIPIOS DA REGIÃO METROPOLITANA DO CARIRI NOS ANOS DE 1990 E 2000.

  • Orientador : WILLIAM EUFRASIO NUNES PEREIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • WILLIAM EUFRASIO NUNES PEREIRA
  • JORGE LUIZ MARIANO DA SILVA
  • ANGELO MAGALHAES SILVA
  • Data: 22/03/2013

  • Mostrar Resumo
  • A Região Nordeste tem um histórico de luta para a diminuição das
    disparidades. No final dos anos de 1950, o Estado interveio através da
    SUDENE, organizando e planejando a promoção do desenvolvimento por
    meio da industrialização. O presente trabalho tem como objetivo
    identificar as características do processo de industrialização do
    Nordeste e evolução do emprego formal na Região Metropolitana do
    Cariri, situada no sul do Estado do Ceará, no caso dos municípios de
    Crato, Juazeiro do Norte e Barbalha (CRAJUBAR) nas décadas de 1990 e
    2000. A hipótese permeia na atuação da SUDENE com políticas
    públicas de incentivo a indústria, causando profundas transformações
    nas cidades em estudo. Os resultados indicam que a região do Cariri
    desde a década de 1960 vem se beneficiando dos programas implementados
    pela SUDENE. Com a implementação desses programas, dentro de um
    conjunto de circunstâncias baseadas em vocações locais e políticas
    estaduais, houve uma distribuição espacial da indústria,
    desencadeando o desenvolvimento e apresentando crescimento sobre a
    oferta de empregos formais no setor industrial.


  • Mostrar Abstract
  • A Região Nordeste tem um histórico de luta para a diminuição das
    disparidades. No final dos anos de 1950, o Estado interveio através da
    SUDENE, organizando e planejando a promoção do desenvolvimento por
    meio da industrialização. O presente trabalho tem como objetivo
    identificar as características do processo de industrialização do
    Nordeste e evolução do emprego formal na Região Metropolitana do
    Cariri, situada no sul do Estado do Ceará, no caso dos municípios de
    Crato, Juazeiro do Norte e Barbalha (CRAJUBAR) nas décadas de 1990 e
    2000. A hipótese permeia na atuação da SUDENE com políticas
    públicas de incentivo a indústria, causando profundas transformações
    nas cidades em estudo. Os resultados indicam que a região do Cariri
    desde a década de 1960 vem se beneficiando dos programas implementados
    pela SUDENE. Com a implementação desses programas, dentro de um
    conjunto de circunstâncias baseadas em vocações locais e políticas
    estaduais, houve uma distribuição espacial da indústria,
    desencadeando o desenvolvimento e apresentando crescimento sobre a
    oferta de empregos formais no setor industrial.

4
  • MARIA NIVANIA FEITOSA BARBOSA
  • A evolução do emprego formal industrial nas cidades médias do estado do Ceará (Juazeiro do Norte, Crato e Sobral) no período de 1990 a 2010.

  • Orientador : WILLIAM EUFRASIO NUNES PEREIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • DENILSON DA SILVA ARAUJO
  • WILLIAM EUFRASIO NUNES PEREIRA
  • JOSÉ MICAELSO LACERDA MORAIS
  • Data: 24/04/2013

  • Mostrar Resumo
  • A análise do presente trabalho constitui-se em uma abordagem sobre a evolução do emprego formal industrial nas cidades médias do estado do Ceará no período de 1990 a 2010, posto que esse período foi marcado por importantes mudanças. Ressalta-se que com o propósito de alcançar tal intuito, o presente estudo foi realizado a partir do levantamento da literatura mais relevante sobre a temática, bem como a utilização da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), publicada pelo Ministério do Trabalho e do Emprego (MTE) e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A questão central a ser considerada neste estudo é saber como evoluiu o emprego formal da indústria nas cidades médias (Juazeiro do Norte, Crato e Sobral) do estado do Ceará? O pressuposto que norteia este trabalho é que dadas as políticas econômicas dos anos de 1990 e 2000 essas políticas estimularam a relocalização, implicando assim no crescimento significativo do emprego industrial formal nessas cidades. No que concerne aos resultados obtidos na pesquisa, constatou-se que o setor industrial dessas cidades, apresentou considerável dinamismo no que refere-se à expansão dos estabelecimentos. Quando se observa em termos percentuais as cidades médias (345,5%) tiveram o maior crescimento do número de estabelecimentos na década de 1990 com taxas mais elevadas que a região Nordeste (285,9%) e o Brasil (167,5%). O destaque foi para a cidade de Juazeiro do Norte, com maior concentração de micro e pequenas empresas calçadistas do estado. No que concerne a quantidade de empregos formais criados nas cidades médias, o mesmo passou de 6.596 em 1990 para 41.660 mil empregos formais em 2010, apresentando uma taxa de crescimento de 532%. O setor que mais contribuiu para geração de emprego foi o calçadista. Ainda quanto aos níveis de salários mínimos, a década de 1990 registrou os menores níveis. Nos anos 2000, houve ganhos reais de níveis de salários mínimos em todas as cidades, contudo, pode ser destacado que ao longo das décadas houve significativo dinamismo. Entretanto, tal dinamismo não foi suficiente para evitar que ao final do período estudado as CMs-Ceará apresentassem baixos salários.


  • Mostrar Abstract
  • A análise do presente trabalho constitui-se em uma abordagem sobre a evolução do emprego formal industrial nas cidades médias do estado do Ceará no período de 1990 a 2010, posto que esse período foi marcado por importantes mudanças. Ressalta-se que com o propósito de alcançar tal intuito, o presente estudo foi realizado a partir do levantamento da literatura mais relevante sobre a temática, bem como a utilização da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), publicada pelo Ministério do Trabalho e do Emprego (MTE) e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A questão central a ser considerada neste estudo é saber como evoluiu o emprego formal da indústria nas cidades médias (Juazeiro do Norte, Crato e Sobral) do estado do Ceará? O pressuposto que norteia este trabalho é que dadas as políticas econômicas dos anos de 1990 e 2000 essas políticas estimularam a relocalização, implicando assim no crescimento significativo do emprego industrial formal nessas cidades. No que concerne aos resultados obtidos na pesquisa, constatou-se que o setor industrial dessas cidades, apresentou considerável dinamismo no que refere-se à expansão dos estabelecimentos. Quando se observa em termos percentuais as cidades médias (345,5%) tiveram o maior crescimento do número de estabelecimentos na década de 1990 com taxas mais elevadas que a região Nordeste (285,9%) e o Brasil (167,5%). O destaque foi para a cidade de Juazeiro do Norte, com maior concentração de micro e pequenas empresas calçadistas do estado. No que concerne a quantidade de empregos formais criados nas cidades médias, o mesmo passou de 6.596 em 1990 para 41.660 mil empregos formais em 2010, apresentando uma taxa de crescimento de 532%. O setor que mais contribuiu para geração de emprego foi o calçadista. Ainda quanto aos níveis de salários mínimos, a década de 1990 registrou os menores níveis. Nos anos 2000, houve ganhos reais de níveis de salários mínimos em todas as cidades, contudo, pode ser destacado que ao longo das décadas houve significativo dinamismo. Entretanto, tal dinamismo não foi suficiente para evitar que ao final do período estudado as CMs-Ceará apresentassem baixos salários.

5
  • JANAÍNA OTTONELLI
  • Pobreza Multidimensional na Região Nordeste: uma aplicação da Teoria dos Conjuntos Fuzzy (em 2010)

  • Orientador : JORGE LUIZ MARIANO DA SILVA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • SOLANGE REGINA MARIN
  • JOAO MATOS FILHO
  • JORGE LUIZ MARIANO DA SILVA
  • Data: 03/06/2013

  • Mostrar Resumo
  • A pobreza é tradicionalmente entendida como a falta de recursos monetários necessários à sobrevivência física. Apesar de ser uma dimensão importante da pobreza, o nível de renda não captura completamente outras privações sofridas pelas pessoas. Desse modo, a noção de pobreza tem passado por uma evolução no sentido de incluir dimensões importantes sobre a vida das pessoas e não ficar limitada apenas a esfera da disponibilidade de renda, de forma a ser entendida como um problema multidimensional. Nesse sentido, este estudo fundamenta-se nos trabalhos de Sen (1985, 1993, 2000, 2001) sobre a Abordagem da Capacitação em que uma pessoa pode ser pobre por não estar adequadamente nutrido, não ter acesso aos serviços básicos como educação, saúde, energia elétrica, água encanada, saneamento básico e, ainda, por não ter liberdade de escolha entre diferentes tipos de vida que valoriza ter. Quando se trata da pobreza no Brasil, a Região Nordeste recebe destaque devido a alta incidência do número de pobres. Em 2010 o Plano Brasil Sem Miséria apontou que existem 9,6 milhões de indigentes no Nordeste, representando 59% dos extremamente pobres no país (BRASIL, 2011b). Assim, o objetivo deste estudo consiste em investigar e mensurar a intensidade da pobreza multidimensional nos municípios da Região Nordeste em 2010 por meio da aplicação da Teoria dos Conjuntos Fuzzy. O estudo se justifica pela importância de gerar informações para o estudo da pobreza multidimensional de modo a identificar em quais indicadores e dimensões os municípios apresentam maior incidência a pobreza. Os resultados mostraram que a dimensão renda apresentou o maior peso no índice fuzzy de pobreza (IFP). Entretanto, as dimensões educação e saúde também tiveram importância no indicador de pobreza multidimensional. A superação da privação de renda precisa ser incentivada por meio de políticas que promovam, principalmente, o acesso ao ensino básico e ensino médio. O acesso à educação permite que as pessoas sejam agentes das suas vidas, permite que possam buscar qualificação, ter acesso ao mercado de trabalho, participar da vida da comunidade, buscar melhores condições de moradia e de saúde, reivindicar por necessidades particulares e coletivas e exercer direitos civis. Portanto, a superação da pobreza envolve a promoção de múltiplas dimensões e a inclusão social.



  • Mostrar Abstract
  • A pobreza é tradicionalmente entendida como a falta de recursos monetários necessários à sobrevivência física. Apesar de ser uma dimensão importante da pobreza, o nível de renda não captura completamente outras privações sofridas pelas pessoas. Desse modo, a noção de pobreza tem passado por uma evolução no sentido de incluir dimensões importantes sobre a vida das pessoas e não ficar limitada apenas a esfera da disponibilidade de renda, de forma a ser entendida como um problema multidimensional. Nesse sentido, este estudo fundamenta-se nos trabalhos de Sen (1985, 1993, 2000, 2001) sobre a Abordagem da Capacitação em que uma pessoa pode ser pobre por não estar adequadamente nutrido, não ter acesso aos serviços básicos como educação, saúde, energia elétrica, água encanada, saneamento básico e, ainda, por não ter liberdade de escolha entre diferentes tipos de vida que valoriza ter. Quando se trata da pobreza no Brasil, a Região Nordeste recebe destaque devido a alta incidência do número de pobres. Em 2010 o Plano Brasil Sem Miséria apontou que existem 9,6 milhões de indigentes no Nordeste, representando 59% dos extremamente pobres no país (BRASIL, 2011b). Assim, o objetivo deste estudo consiste em investigar e mensurar a intensidade da pobreza multidimensional nos municípios da Região Nordeste em 2010 por meio da aplicação da Teoria dos Conjuntos Fuzzy. O estudo se justifica pela importância de gerar informações para o estudo da pobreza multidimensional de modo a identificar em quais indicadores e dimensões os municípios apresentam maior incidência a pobreza. Os resultados mostraram que a dimensão renda apresentou o maior peso no índice fuzzy de pobreza (IFP). Entretanto, as dimensões educação e saúde também tiveram importância no indicador de pobreza multidimensional. A superação da privação de renda precisa ser incentivada por meio de políticas que promovam, principalmente, o acesso ao ensino básico e ensino médio. O acesso à educação permite que as pessoas sejam agentes das suas vidas, permite que possam buscar qualificação, ter acesso ao mercado de trabalho, participar da vida da comunidade, buscar melhores condições de moradia e de saúde, reivindicar por necessidades particulares e coletivas e exercer direitos civis. Portanto, a superação da pobreza envolve a promoção de múltiplas dimensões e a inclusão social.


6
  • BRENO CARVALHO ROOS
  • ECONOMIA DO PETRÓLEO E DESENVOLVIMENTO: estudo exploratório sobre as perspectivas do pré-sal brasileiro

  • Orientador : MARCIA MARIA DE OLIVEIRA BEZERRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • EDUARDO COSTA PINTO
  • MARCIA MARIA DE OLIVEIRA BEZERRA
  • FABRICIO PITOMBO LEITE
  • Data: 29/07/2013

  • Mostrar Resumo
  • Esta pesquisa exploratória analisa as possibilidades abertas pela exploração de petróleo na camada pré-sal, avaliando de que maneira a expansão do setor petrolífero poderá acelerar o crescimento econômico brasileiro e contribuir para novas estratégias de desenvolvimento. A hipótese inicial é que o Brasil enfrenta uma restrição estrutural de balanço de pagamentos, que poderá ser amenizada pela diminuição das importações de petróleo e derivados e pelo aumento do valor exportado no setor. Para avaliá-la são resgatados aspectos históricos e geopolíticos relacionados ao petróleo, assim como são tratadas as características microeconômicas dos recursos naturais não renováveis. Também se consideram questões de ordem macroeconômica, como a especialização produtiva da economia brasileira e sua inserção no comércio internacional, discutindo como o desenvolvimento da indústria petrolífera poderá afetá-las. Para tanto, a investigação fundamenta-se na teoria estruturalista e nos modelos de crescimento com ênfase na restrição externa. O trabalho examina ainda os casos da Rússia, Venezuela e México para avaliar a experiência de países exportadores de petróleo. Como contribuição, um modelo de crescimento é utilizado para realizar simulações acerca do Brasil, cobrindo o período 2013-2020 com a formulação de três cenários. A partir dos resultados discute-se que a necessidade de consecução das metas fiscal e de inflação pode desencadear políticas restritivas que limitam a utilização da folga fiscal e externa, oriundas do pré-sal, para induzir o crescimento. Conclui-se que um círculo virtuoso de desenvolvimento com mudança estrutural depende não apenas da modernização produtiva, mas também, e principalmente, da evolução político-institucional do país.


  • Mostrar Abstract
  • Esta pesquisa exploratória analisa as possibilidades abertas pela exploração de petróleo na camada pré-sal, avaliando de que maneira a expansão do setor petrolífero poderá acelerar o crescimento econômico brasileiro e contribuir para novas estratégias de desenvolvimento. A hipótese inicial é que o Brasil enfrenta uma restrição estrutural de balanço de pagamentos, que poderá ser amenizada pela diminuição das importações de petróleo e derivados e pelo aumento do valor exportado no setor. Para avaliá-la são resgatados aspectos históricos e geopolíticos relacionados ao petróleo, assim como são tratadas as características microeconômicas dos recursos naturais não renováveis. Também se consideram questões de ordem macroeconômica, como a especialização produtiva da economia brasileira e sua inserção no comércio internacional, discutindo como o desenvolvimento da indústria petrolífera poderá afetá-las. Para tanto, a investigação fundamenta-se na teoria estruturalista e nos modelos de crescimento com ênfase na restrição externa. O trabalho examina ainda os casos da Rússia, Venezuela e México para avaliar a experiência de países exportadores de petróleo. Como contribuição, um modelo de crescimento é utilizado para realizar simulações acerca do Brasil, cobrindo o período 2013-2020 com a formulação de três cenários. A partir dos resultados discute-se que a necessidade de consecução das metas fiscal e de inflação pode desencadear políticas restritivas que limitam a utilização da folga fiscal e externa, oriundas do pré-sal, para induzir o crescimento. Conclui-se que um círculo virtuoso de desenvolvimento com mudança estrutural depende não apenas da modernização produtiva, mas também, e principalmente, da evolução político-institucional do país.

7
  • ANDREI DE LIMA E SILVA
  • CRESCIMENTO ECONÔMICO E RESTRIÇÃO EXTERNA: EVIDÊNCIAS EMPÍRICAS NA ECONOMIA BRASILEIRA (1991-2010)

  • Orientador : JANAINA DA SILVA ALVES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • JOEDSON JALES DE FARIAS
  • FABRICIO PITOMBO LEITE
  • JANAINA DA SILVA ALVES
  • Data: 29/07/2013

  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho tem como objetivo verificar a influência da restrição externa sobre o crescimento econômico brasileiro no período de 1991 a 2010. Com este intuito, são apresentados alguns dos principais modelos keynesianos de crescimento restringido pela balança de pagamentos, inspirados por Thirlwall (1979) e Kaldor (1970), os quais são sustentados por importantes pontos em comum, como a adesão ao princípio da demanda efetiva. Tendo em vista que, no âmbito desta linha teórica, não há consenso sobre a modelagem que melhor explique a taxa de crescimento permitida pela restrição externa, são apresentados os resultados encontrados por parte representativa da literatura empírica que trata do tema, que se faz necessário para um melhor entendimento do caso brasileiro. A partir da estimação da elasticidade-renda das importações (0,85) através de vetores autorregressivos com correção de erros (VEC), foram calculadas cinco taxas de crescimento da renda, conforme previsto pelos modelos de Thirlwall (1979), Thirlwall e Hussain (1982), Moreno-Brid (1998; 2003) e Lourenço et al. (2011) e comparou-as com a taxa de crescimento efetiva. A análise empírica permitiu verificar que: não se pode rejeitar a presença de restrição externa na economia brasileira; há forte similaridade nas taxas de crescimento previstas pelos diferentes modelagens que propõem o crescimento com restrição externa. Além disso, ao se utilizar séries trimestrais para o período pós-1990 não existem fatores capazes de provocar instabilidade nos parâmetros da função de importação (elasticidade-renda e elasticidade-preço das importações) dentro do período, o que indica que a quebra estrutural amplamente associada ao ano de 1994 não foi confirmada para o período de análise deste estudo.


  • Mostrar Abstract
  • Este trabalho tem como objetivo verificar a influência da restrição externa sobre o crescimento econômico brasileiro no período de 1991 a 2010. Com este intuito, são apresentados alguns dos principais modelos keynesianos de crescimento restringido pela balança de pagamentos, inspirados por Thirlwall (1979) e Kaldor (1970), os quais são sustentados por importantes pontos em comum, como a adesão ao princípio da demanda efetiva. Tendo em vista que, no âmbito desta linha teórica, não há consenso sobre a modelagem que melhor explique a taxa de crescimento permitida pela restrição externa, são apresentados os resultados encontrados por parte representativa da literatura empírica que trata do tema, que se faz necessário para um melhor entendimento do caso brasileiro. A partir da estimação da elasticidade-renda das importações (0,85) através de vetores autorregressivos com correção de erros (VEC), foram calculadas cinco taxas de crescimento da renda, conforme previsto pelos modelos de Thirlwall (1979), Thirlwall e Hussain (1982), Moreno-Brid (1998; 2003) e Lourenço et al. (2011) e comparou-as com a taxa de crescimento efetiva. A análise empírica permitiu verificar que: não se pode rejeitar a presença de restrição externa na economia brasileira; há forte similaridade nas taxas de crescimento previstas pelos diferentes modelagens que propõem o crescimento com restrição externa. Além disso, ao se utilizar séries trimestrais para o período pós-1990 não existem fatores capazes de provocar instabilidade nos parâmetros da função de importação (elasticidade-renda e elasticidade-preço das importações) dentro do período, o que indica que a quebra estrutural amplamente associada ao ano de 1994 não foi confirmada para o período de análise deste estudo.

8
  • RENATO SILVA DE ASSIS
  •  Convergência ou divergência no desenvolvimento? um estudo multidimensional para o Sudeste e o Nordeste do Brasil, 1990-2010.
  • Orientador : ANDRE DE MATTOS MARQUES
  • MEMBROS DA BANCA :
  • JOSÉ LUIS DA SILVA NETTO JUNIOR
  • ANDRE DE MATTOS MARQUES
  • DENILSON DA SILVA ARAUJO
  • Data: 02/08/2013

  • Mostrar Resumo
  • A análise de alguns aspectos do desenvolvimento no Brasil nas últimas três
    décadas evidencia que houve uma melhoria em uma série de indicadores
    isolados tanto no Sudeste – região mais rica - como no Nordeste - região
    mais pobre. A partir de uma base de dados de vinte variáveis, o objetivo
    principal do estudo foi verificar se há indícios de convergência ou
    divergência em cinco dimensões do desenvolvimento entre as duas regiões no
    período de 1990 a 2010. Os resultados da análise de Cluster sugerem que há
    indícios de convergência dentro do cluster do Nordeste, porém, a distância
    entre as duas regiões não foi alterada. Os resultados do teste de Wilcoxon
    sugerem que não houve mudanças estatisticamente significativas na
    distância entre os estados. Dentro das duas regiões os padrões de
    desenvolvimento se tornaram mais homogêneos, porém, as duas regiões
    continuam muito distantes.

  • Mostrar Abstract
  • A análise de alguns aspectos do desenvolvimento no Brasil nas últimas três
    décadas evidencia que houve uma melhoria em uma série de indicadores
    isolados tanto no Sudeste – região mais rica - como no Nordeste - região
    mais pobre. A partir de uma base de dados de vinte variáveis, o objetivo
    principal do estudo foi verificar se há indícios de convergência ou
    divergência em cinco dimensões do desenvolvimento entre as duas regiões no
    período de 1990 a 2010. Os resultados da análise de Cluster sugerem que há
    indícios de convergência dentro do cluster do Nordeste, porém, a distância
    entre as duas regiões não foi alterada. Os resultados do teste de Wilcoxon
    sugerem que não houve mudanças estatisticamente significativas na
    distância entre os estados. Dentro das duas regiões os padrões de
    desenvolvimento se tornaram mais homogêneos, porém, as duas regiões
    continuam muito distantes.
9
  • JONILSON DE SOUZA FIGUEIREDO
  • CONSUMO FAMILIAR: EFEITOS DA VALORIZAÇÃO DO SALÁRIO MÍNIMO NAS DECISÕES DE GASTO DAS FAMÍLIAS BRASILEIRAS, NORDESTINAS E POTIGUARES, NO PERÍODO DE 1995 A 2011.

     

  • Orientador : ANDRE LUIS CABRAL DE LOURENCO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • JANAINA DA SILVA ALVES
  • ANDRE LUIS CABRAL DE LOURENCO
  • FRANKLIN LEON PERES SERRANO
  • Data: 21/08/2013

  • Mostrar Resumo
  • A busca do fortalecimento do mercado interno via políticas de incentivo à demanda privada tem assumido destaque na agenda governamental, particularmente após a crise de 2008. Neste contexto, a presente pesquisa tem como objetivo analisar os efeitos da valorização do salário mínimo no consumo das famílias brasileiras, nordestinas e potiguares, no período de 1995 a 2011. Sob a justificativa do debate acerca da efetividade das políticas anticíclicas do Brasil, pretende: 1) recuperar o debate teórico e, em certa medida, a evolução da teoria do consumo agregado, bem como algumas ilações sobre sua ligação com o salário mínimo; 2) descrever as experiências e os efeitos desta legislação na história econômica, com ênfase para o caso brasileiro; 3) apresentar algumas das bases estatísticas disponíveis à pesquisa, com atenção às especificidades de cada uma e aos resultados empíricos encontrados para o consumo no Brasil; 4) estimar os efeitos da variação do salário mínimo no consumo familiar no Brasil (BR), Nordeste (NE) e Rio Grande do Norte (RN). A partir disso, no sentido de quantificar essa relação, realiza inferências dos efeitos da massa salarial e do salário mínimo no consumo, em séries trimestrais (com ajuste ad hoc a partir dos “pesos” de cada trimestre), via modelo clássico de regressão linear múltipla. A hipótese lançada consiste que: incrementos na renda, derivados da política de valorização do salário mínimo influenciará diretamente o consumo das famílias. Porém, quando comparados os resultados entre as unidades analisadas, a expressividade das famílias nordestinas e potiguares – frente à dinâmica nacional – com renda vinculada a esse piso, impulsiona impactos mais significativos nas decisões de gasto no NE e no RN, reduzindo assim as disparidades regionais. Os resultados apontam evidências contrárias, pois enquanto para o BR uma variação unitária no salário mínimo aumenta o consumo em 1,28 unidades monetárias, para o NE e RN esses parâmetros são, respectivamente, 1,05 e 1,09.

     


  • Mostrar Abstract
  • A busca do fortalecimento do mercado interno via políticas de incentivo à demanda privada tem assumido destaque na agenda governamental, particularmente após a crise de 2008. Neste contexto, a presente pesquisa tem como objetivo analisar os efeitos da valorização do salário mínimo no consumo das famílias brasileiras, nordestinas e potiguares, no período de 1995 a 2011. Sob a justificativa do debate acerca da efetividade das políticas anticíclicas do Brasil, pretende: 1) recuperar o debate teórico e, em certa medida, a evolução da teoria do consumo agregado, bem como algumas ilações sobre sua ligação com o salário mínimo; 2) descrever as experiências e os efeitos desta legislação na história econômica, com ênfase para o caso brasileiro; 3) apresentar algumas das bases estatísticas disponíveis à pesquisa, com atenção às especificidades de cada uma e aos resultados empíricos encontrados para o consumo no Brasil; 4) estimar os efeitos da variação do salário mínimo no consumo familiar no Brasil (BR), Nordeste (NE) e Rio Grande do Norte (RN). A partir disso, no sentido de quantificar essa relação, realiza inferências dos efeitos da massa salarial e do salário mínimo no consumo, em séries trimestrais (com ajuste ad hoc a partir dos “pesos” de cada trimestre), via modelo clássico de regressão linear múltipla. A hipótese lançada consiste que: incrementos na renda, derivados da política de valorização do salário mínimo influenciará diretamente o consumo das famílias. Porém, quando comparados os resultados entre as unidades analisadas, a expressividade das famílias nordestinas e potiguares – frente à dinâmica nacional – com renda vinculada a esse piso, impulsiona impactos mais significativos nas decisões de gasto no NE e no RN, reduzindo assim as disparidades regionais. Os resultados apontam evidências contrárias, pois enquanto para o BR uma variação unitária no salário mínimo aumenta o consumo em 1,28 unidades monetárias, para o NE e RN esses parâmetros são, respectivamente, 1,05 e 1,09.

     

10
  • MARCUS VINICIUS DUARTE SAMPAIO
  • EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E DESENVOLVIMENTO LOCAL: a expansão recente do IFRN e a absorção de egressos no mercado de trabalho

  • Orientador : VALDENIA APOLINARIO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • PAULO FERNANDO DE MOURA BEZERRA CAVALCANTI FILHO
  • VALDENIA APOLINARIO
  • WILLIAM EUFRASIO NUNES PEREIRA
  • Data: 30/08/2013

  • Mostrar Resumo
  • O presente estudo tem como propósito analisar em que medida o processo de interiorização do IFRN contribui para a endogeneização do desenvolvimento local e territorial, mais precisamente em termos da absorção de egressos no mercado de trabalho, forma de inserção e melhoria da renda e qualidade de vida. A hipótese de pesquisa é a de que a política de interiorização e expansão da educação profissional e tecnológica, ao descentralizar oportunidades, permite um diferencial para a vida educacional e profissional de parcela dos alunos formados, entretanto, a formação mantém uma conexão relativa com as potencialidades produtivas nos territórios de abrangência. A revisão bibliográfica centrou-se na literatura sobre educação e mercado de trabalho, bem como na discussão do papel da formação técnica e profissional para o desenvolvimento local, em contraposição à lógica de mercado, tendo em vista a ampliação do gasto público para este fim. Para este estudo, foi feita a coleta primária de dois conjuntos de informações e dados, simultaneamente, de natureza qualitativa e quantitativa.  A pesquisa de enfoque qualitativo, intitulada Pesquisa de Avaliação da Expansão (PAEX), constituiu-se numa série de entrevistas abertas destinadas a representantes institucionais, visando conhecer aspectos da repercussão da interiorização da Instituição no processo de desenvolvimento local. A pesquisa com tratamento quantitativo, intitulada Pesquisa de Acompanhamento de Egressos (PAE), foi realizada mediante a aplicação de questionário online, com perguntas fechadas, destinadas aos ex-alunos do IFRN, objetivando definir o perfil da inserção no mercado de trabalho e a capacidade da formação de alterar a qualidade de vida do ex-aluno, entre outros aspectos. Os resultados confirmam plenamente a hipótese do estudo, ao demonstrar que, de fato, a política de interiorização descentraliza oportunidades e se constitui num diferencial importante para a maioria dos egressos. Porém, a absorção destes no mercado de trabalho dos respectivos territórios de abrangência se mostra aquém das expectativas, em virtude de problemas estruturais da economia local, que favorecem a escassez de oportunidades de trabalho e dificuldades relacionadas ao crescimento e valorização profissional. Além disto, se constatou dificuldades institucionais relacionadas ao recente processo de implantação da política de educação profissional e tecnológica em vários campi da Instituição.


  • Mostrar Abstract
  • O presente estudo tem como propósito analisar em que medida o processo de interiorização do IFRN contribui para a endogeneização do desenvolvimento local e territorial, mais precisamente em termos da absorção de egressos no mercado de trabalho, forma de inserção e melhoria da renda e qualidade de vida. A hipótese de pesquisa é a de que a política de interiorização e expansão da educação profissional e tecnológica, ao descentralizar oportunidades, permite um diferencial para a vida educacional e profissional de parcela dos alunos formados, entretanto, a formação mantém uma conexão relativa com as potencialidades produtivas nos territórios de abrangência. A revisão bibliográfica centrou-se na literatura sobre educação e mercado de trabalho, bem como na discussão do papel da formação técnica e profissional para o desenvolvimento local, em contraposição à lógica de mercado, tendo em vista a ampliação do gasto público para este fim. Para este estudo, foi feita a coleta primária de dois conjuntos de informações e dados, simultaneamente, de natureza qualitativa e quantitativa.  A pesquisa de enfoque qualitativo, intitulada Pesquisa de Avaliação da Expansão (PAEX), constituiu-se numa série de entrevistas abertas destinadas a representantes institucionais, visando conhecer aspectos da repercussão da interiorização da Instituição no processo de desenvolvimento local. A pesquisa com tratamento quantitativo, intitulada Pesquisa de Acompanhamento de Egressos (PAE), foi realizada mediante a aplicação de questionário online, com perguntas fechadas, destinadas aos ex-alunos do IFRN, objetivando definir o perfil da inserção no mercado de trabalho e a capacidade da formação de alterar a qualidade de vida do ex-aluno, entre outros aspectos. Os resultados confirmam plenamente a hipótese do estudo, ao demonstrar que, de fato, a política de interiorização descentraliza oportunidades e se constitui num diferencial importante para a maioria dos egressos. Porém, a absorção destes no mercado de trabalho dos respectivos territórios de abrangência se mostra aquém das expectativas, em virtude de problemas estruturais da economia local, que favorecem a escassez de oportunidades de trabalho e dificuldades relacionadas ao crescimento e valorização profissional. Além disto, se constatou dificuldades institucionais relacionadas ao recente processo de implantação da política de educação profissional e tecnológica em vários campi da Instituição.

11
  • IGOR JOSÉ SANTANA DE ARAÚJO
  • TERCEIRIZAÇÃO VERSUS ‘AGENDA DO TRABALHO DECENTE’: ESTUDO DE CASO A PARTIR DO BANCO DO BRASIL S.A. NA PARAÍBA"

  • Orientador : VALDENIA APOLINARIO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • VALDENIA APOLINARIO
  • PAULO FERNANDO DE MOURA BEZERRA CAVALCANTI FILHO
  • MARCONI GOMES DA SILVA
  • Data: 30/08/2013

  • Mostrar Resumo
  • Esta Dissertação analisa a terceirização em agências do Banco do Brasil S.A., no Estado da Paraíba. A questão central da pesquisa é saber em que medida esta flexibilização das relações de trabalho incorpora itens reivindicados pela ‘recente’ Agenda do Trabalho Decente da Organização Internacional do Trabalho (OIT) ou se, ao contrário, a “epidemia” de terceirização torna ainda mais desafiante o mundo do trabalho no terceiro milênio. A hipótese da pesquisa é que o Banco do Brasil apresenta uma crescente subcontratação/terceirização de mão-de-obra (de empresas e de indivíduos) e isto não apenas contribui para a precarização das condições de trabalho, mas também se contrapõe à Agenda do Trabalho Decente. Visando comprovar ou não a hipótese, o estudo contempla uma pesquisa secundária e de campo. A revisão bibliográfica centra-se na tendência à precarização do trabalho no capitalismo, e ainda, num esforço de sistematização de dados e análises sobre o tema ‘terceirização’ a partir da visão de diferentes autores. Esta fundamentação teórica está ancorada em importantes fontes clássicas e em atuais que tratam o tema no mundo e no Brasil. A pesquisa de campo foi realizada junto a autores relacionados ao tema ‘terceirização’ no Banco do Brasil - Paraíba, precisamente os gerentes das agências, funcionários efetivos do banco, representantes sindicais (dos trabalhadores bancários), sindicato dos bancários e os terceirizados. Os resultados confirmam, parcialmente, a hipótese do estudo, ao demonstrar que são diversos os sentidos e as formas de precarização a que os terceirizados pesquisados estão submetidos, com destaque para a questão salarial, o ambiente de trabalho, a representação sindical e a saúde do trabalhador. Todos estes temas, cada um por si, são contemplados pela Agenda do Trabalho Decente da OIT e se mostram, segundo a pesquisa de campo, bastante fragilizados.


  • Mostrar Abstract
  • Esta Dissertação analisa a terceirização em agências do Banco do Brasil S.A., no Estado da Paraíba. A questão central da pesquisa é saber em que medida esta flexibilização das relações de trabalho incorpora itens reivindicados pela ‘recente’ Agenda do Trabalho Decente da Organização Internacional do Trabalho (OIT) ou se, ao contrário, a “epidemia” de terceirização torna ainda mais desafiante o mundo do trabalho no terceiro milênio. A hipótese da pesquisa é que o Banco do Brasil apresenta uma crescente subcontratação/terceirização de mão-de-obra (de empresas e de indivíduos) e isto não apenas contribui para a precarização das condições de trabalho, mas também se contrapõe à Agenda do Trabalho Decente. Visando comprovar ou não a hipótese, o estudo contempla uma pesquisa secundária e de campo. A revisão bibliográfica centra-se na tendência à precarização do trabalho no capitalismo, e ainda, num esforço de sistematização de dados e análises sobre o tema ‘terceirização’ a partir da visão de diferentes autores. Esta fundamentação teórica está ancorada em importantes fontes clássicas e em atuais que tratam o tema no mundo e no Brasil. A pesquisa de campo foi realizada junto a autores relacionados ao tema ‘terceirização’ no Banco do Brasil - Paraíba, precisamente os gerentes das agências, funcionários efetivos do banco, representantes sindicais (dos trabalhadores bancários), sindicato dos bancários e os terceirizados. Os resultados confirmam, parcialmente, a hipótese do estudo, ao demonstrar que são diversos os sentidos e as formas de precarização a que os terceirizados pesquisados estão submetidos, com destaque para a questão salarial, o ambiente de trabalho, a representação sindical e a saúde do trabalhador. Todos estes temas, cada um por si, são contemplados pela Agenda do Trabalho Decente da OIT e se mostram, segundo a pesquisa de campo, bastante fragilizados.

12
  • FRANCIANE ALVES CARDOSO
  • CRESCIMENTO ECONÔMICO E RESTRIÇÃO EXTERNA DA ECONOMIA BRASILEIRA: uma análise do padrão das exportações em relação ao BRIC e do sistema de inovação do Brasil (1980-2012)

  • Orientador : ANDRE LUIS CABRAL DE LOURENCO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • PAULO FERNANDO DE MOURA BEZERRA CAVALCANTI FILHO
  • ANDRE LUIS CABRAL DE LOURENCO
  • FABRICIO PITOMBO LEITE
  • Data: 04/10/2013

  • Mostrar Resumo
  • A presente dissertação tem como objetivo utilizar o referencial teórico dos modelos de crescimento com restrição do balanço de pagamentos, especificamente os modelos de Kaldor (1970) e Thirlwall (1979), para analisar o comportamento e o padrão de especialização das exportações brasileiras nos últimos anos. Observa-se que, em alguns períodos, o padrão de especialização tem contribuído na restrição do crescimento de longo prazo da economia brasileira. Tem-se como hipótese geral que isto se deve à insuficiência de políticas de transformação estrutural. Para atingir tal objetivo, analisou-se o desempenho das exportações e importações brasileiras desagregando-as de acordo com o seu conteúdo tecnológico. A base de comparação foi um grupo de países o qual o Brasil está inserido, o BRIC. Neste aspecto, o trabalho consiste numa análise comparativa mediante o uso de estatística descritiva. Conclui-se que as modestas taxas de crescimento do PIB vivenciadas pelo Brasil desde a década de 1980 podem ser explicadas em parte pelo descolamento entre o Sistema Nacional de Inovação (SNI) brasileiro e a estrutura produtiva. Isto estaria reduzindo as elasticidades-renda das exportações e elevando a das importações, ocasionando um padrão de especialização intensivo em commodities primárias e em trabalho de baixa qualificação.


  • Mostrar Abstract
  • A presente dissertação tem como objetivo utilizar o referencial teórico dos modelos de crescimento com restrição do balanço de pagamentos, especificamente os modelos de Kaldor (1970) e Thirlwall (1979), para analisar o comportamento e o padrão de especialização das exportações brasileiras nos últimos anos. Observa-se que, em alguns períodos, o padrão de especialização tem contribuído na restrição do crescimento de longo prazo da economia brasileira. Tem-se como hipótese geral que isto se deve à insuficiência de políticas de transformação estrutural. Para atingir tal objetivo, analisou-se o desempenho das exportações e importações brasileiras desagregando-as de acordo com o seu conteúdo tecnológico. A base de comparação foi um grupo de países o qual o Brasil está inserido, o BRIC. Neste aspecto, o trabalho consiste numa análise comparativa mediante o uso de estatística descritiva. Conclui-se que as modestas taxas de crescimento do PIB vivenciadas pelo Brasil desde a década de 1980 podem ser explicadas em parte pelo descolamento entre o Sistema Nacional de Inovação (SNI) brasileiro e a estrutura produtiva. Isto estaria reduzindo as elasticidades-renda das exportações e elevando a das importações, ocasionando um padrão de especialização intensivo em commodities primárias e em trabalho de baixa qualificação.

13
  • MONICA SOARES CRUZ
  • MUDANÇAS NO RURAL NORDESTINO: UMA ANÁLISE DOS DETERMINANTES DA PLURIATIVIDADE NAS
     FAMÍLIAS RURAIS NORDESTINAS, NO ANO DE 2011.
  • Orientador : JOAO MATOS FILHO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • JOAO MATOS FILHO
  • EMANOEL MÁRCIO NUNES
  • JANAINA DA SILVA ALVES
  • Data: 19/11/2013

  • Mostrar Resumo
  • Este estudo propõe avaliar quais os determinantes para as famílias rurais nordestinas serem pluriativas, no ano de 2011. Para isso, no primeiro momento, foi realizada uma revisão de literatura nacional e internacional com objetivo de obter além da parte teórica que se refere ao estudo da pluriatividade, identificar os possíveis determinantes do fenômeno. Neste resgate, observou-se que os determinantes poderiam ser de natureza macroeconômica e/ou de microeconômica. Por isso, tornou-se necessário descrever as características da Região objeto do estudo, a nordestina. Com o intuito de identificar os determinantes foram estimados dois modelos Probit, um com base na literatura revisada e o segundo com uma variável característica da região nordestina, as transferências. Para tanto, foram utilizados os microdados da PNAD no ano de 2011. Os resultados indicam que os determinantes são tanto de natureza microeconômica: sexo, raça, idade, anos de estudo, horas trabalhadas, número de membros da família, renda per capita familiar, transferência, quanto de natureza macroeconômica: condições de moradia (água, energia, saneamento), local de moradia. Além de identificar os determinantes, o modelo econométrico permite saber a probabilidade de cada variável sobre a variável dependente, na qual destacou-se: a variável transferência, sexo, renda per capita familiar, número de membros da família, as condições de moradia e o local de moradia. Portanto, conclui-se que é o conjunto dos determinantes (macro e micro) que permitem as famílias rurais nordestinas se tornarem pluriativas. No entanto, não se pode deixar de considerar que também podem ter outros determinantes que não foram captados devido à disponibilidade dos dados, que poderão ser indicações para estudos futuros. Em síntese, a pluriatividade no Nordeste brasileiro é um fenômeno distinto daquele encontrado na Europa e no Sul do Brasil. É uma pluriatividade de sobrevivência que faz parte das estratégias das famílias rurais nordestinas para garantir a sua reprodução social em meio às condições de pobreza da região.


  • Mostrar Abstract
  • Este estudo propõe avaliar quais os determinantes para as famílias rurais nordestinas serem pluriativas, no ano de 2011. Para isso, no primeiro momento, foi realizada uma revisão de literatura nacional e internacional com objetivo de obter além da parte teórica que se refere ao estudo da pluriatividade, identificar os possíveis determinantes do fenômeno. Neste resgate, observou-se que os determinantes poderiam ser de natureza macroeconômica e/ou de microeconômica. Por isso, tornou-se necessário descrever as características da Região objeto do estudo, a nordestina. Com o intuito de identificar os determinantes foram estimados dois modelos Probit, um com base na literatura revisada e o segundo com uma variável característica da região nordestina, as transferências. Para tanto, foram utilizados os microdados da PNAD no ano de 2011. Os resultados indicam que os determinantes são tanto de natureza microeconômica: sexo, raça, idade, anos de estudo, horas trabalhadas, número de membros da família, renda per capita familiar, transferência, quanto de natureza macroeconômica: condições de moradia (água, energia, saneamento), local de moradia. Além de identificar os determinantes, o modelo econométrico permite saber a probabilidade de cada variável sobre a variável dependente, na qual destacou-se: a variável transferência, sexo, renda per capita familiar, número de membros da família, as condições de moradia e o local de moradia. Portanto, conclui-se que é o conjunto dos determinantes (macro e micro) que permitem as famílias rurais nordestinas se tornarem pluriativas. No entanto, não se pode deixar de considerar que também podem ter outros determinantes que não foram captados devido à disponibilidade dos dados, que poderão ser indicações para estudos futuros. Em síntese, a pluriatividade no Nordeste brasileiro é um fenômeno distinto daquele encontrado na Europa e no Sul do Brasil. É uma pluriatividade de sobrevivência que faz parte das estratégias das famílias rurais nordestinas para garantir a sua reprodução social em meio às condições de pobreza da região.

14
  • DANILO DUARTE BRANDÃO
  • RECONFIGURAÇÕES INDUSTRIAIS DAS REGIÕES METROPOLITANAS DO NORDESTE: UMA ANÁLISE A PARTIR DO EMPREGO FORMAL

  • Orientador : WILLIAM EUFRASIO NUNES PEREIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • DENILSON DA SILVA ARAUJO
  • WILLIAM EUFRASIO NUNES PEREIRA
  • ALUNILDA JANÚNCIO DE OLIVEIRA
  • Data: 18/12/2013

  • Mostrar Resumo
  • O desenvolvimento industrial vivenciado pelo Brasil, a partir da década de 1950, alterou a concentração populacional no território nacional. O processo de desenvolvimento da indústria nacional, concentrado em núcleos urbanos, aglomerou parcela crescente da população brasileira. A região Sudeste durante a primeira etapa da industrialização orientada pelo Estado, com a implantação do Plano de Metas, capitaneou os principais projetos industriais implantados no período e tornou-se o principal polo industrial do país. Na década de 1960 a 1980 a atuação do Estado esteve marcada por inúmeros projetos de desenvolvimento regional, amenizando a concentração industrial brasileira e redirecionando investimento para a região Nordeste. O segundo Plano Nacional de Desenvolvimento implantado na década de 1970 levou investimentos importantes ao Nordeste. Este período marcou o amplo crescimento urbano e a institucionalização das primeiras regiões metropolitanas no Brasil. A mudança desse processo de desenvolvimento sofre alterações com a crise fiscal e financeira do Estado na década de 1980 e 1990 e o corte de gastos direcionado ao desenvolvimento nacional, reorientando a economia para políticas liberais de abertura econômica e redução da atuação do Estado na economia. A política industrial ficou relegada aos planos de desenvolvimento local a partir da década de 1990 cabendo às unidades federativas a ampla utilização de incentivos fiscais, a chamada “guerra fiscal”, para a continuação do processo industrializante. Neste contexto da economia nacional, o trabalho busca analisar a configuração industrial nas regiões metropolitanas de Fortaleza, Recife e Salvador entre 1995 e 2010. Embora as regiões metropolitanas de Fortaleza, Recife e Salvador sejam as principais aglomerações urbanas do Nordeste, responsáveis pelo avanço do desenvolvimento industrial, ocorreram reconfigurações entre 1995 e 2010 alterando o nível de especialização industrial construído pela divisão regional do trabalho nessas regiões. O trabalho realizar-se-á através do método descritivo com análise de revisão bibliográfica acerca do desenvolvimento regional e urbano. Constituirá como método quantitativo a análise de dados secundários do emprego formal da Relação Anual de Informação Social (RAIS) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Através dos dados RAIS/MTE analisa-se o índice de especialização industrial, utilizando o Quociente Locacional (QL). Desta forma, assume-se como parâmetro de análise o QL > 1, quando a região apresenta-se especializada em determinado setor ou QL < 1, quando a região não apresenta especialização industrial no setor analisado. A conclusão do trabalho indica que houve nestas regiões metropolitanas uma manutenção do mesmo viés concentrador. As políticas fiscais, dos estados, não logrou êxito em diversificar a estrutura produtiva local e da própria região Nordeste. Este resultado evidencia-se, pela necessidade e dependência de investimentos do Estado na região para promover o desenvolvimento. As políticas industriais dos últimos anos foram positivas para responder aos objetivos de geração de emprego, mas precisa haver políticas específicas para uma melhor diversificação produtiva, além de integrar a economia do Nordeste setorial e regionalmente.


  • Mostrar Abstract
  • O desenvolvimento industrial vivenciado pelo Brasil, a partir da década de 1950, alterou a concentração populacional no território nacional. O processo de desenvolvimento da indústria nacional, concentrado em núcleos urbanos, aglomerou parcela crescente da população brasileira. A região Sudeste durante a primeira etapa da industrialização orientada pelo Estado, com a implantação do Plano de Metas, capitaneou os principais projetos industriais implantados no período e tornou-se o principal polo industrial do país. Na década de 1960 a 1980 a atuação do Estado esteve marcada por inúmeros projetos de desenvolvimento regional, amenizando a concentração industrial brasileira e redirecionando investimento para a região Nordeste. O segundo Plano Nacional de Desenvolvimento implantado na década de 1970 levou investimentos importantes ao Nordeste. Este período marcou o amplo crescimento urbano e a institucionalização das primeiras regiões metropolitanas no Brasil. A mudança desse processo de desenvolvimento sofre alterações com a crise fiscal e financeira do Estado na década de 1980 e 1990 e o corte de gastos direcionado ao desenvolvimento nacional, reorientando a economia para políticas liberais de abertura econômica e redução da atuação do Estado na economia. A política industrial ficou relegada aos planos de desenvolvimento local a partir da década de 1990 cabendo às unidades federativas a ampla utilização de incentivos fiscais, a chamada “guerra fiscal”, para a continuação do processo industrializante. Neste contexto da economia nacional, o trabalho busca analisar a configuração industrial nas regiões metropolitanas de Fortaleza, Recife e Salvador entre 1995 e 2010. Embora as regiões metropolitanas de Fortaleza, Recife e Salvador sejam as principais aglomerações urbanas do Nordeste, responsáveis pelo avanço do desenvolvimento industrial, ocorreram reconfigurações entre 1995 e 2010 alterando o nível de especialização industrial construído pela divisão regional do trabalho nessas regiões. O trabalho realizar-se-á através do método descritivo com análise de revisão bibliográfica acerca do desenvolvimento regional e urbano. Constituirá como método quantitativo a análise de dados secundários do emprego formal da Relação Anual de Informação Social (RAIS) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Através dos dados RAIS/MTE analisa-se o índice de especialização industrial, utilizando o Quociente Locacional (QL). Desta forma, assume-se como parâmetro de análise o QL > 1, quando a região apresenta-se especializada em determinado setor ou QL < 1, quando a região não apresenta especialização industrial no setor analisado. A conclusão do trabalho indica que houve nestas regiões metropolitanas uma manutenção do mesmo viés concentrador. As políticas fiscais, dos estados, não logrou êxito em diversificar a estrutura produtiva local e da própria região Nordeste. Este resultado evidencia-se, pela necessidade e dependência de investimentos do Estado na região para promover o desenvolvimento. As políticas industriais dos últimos anos foram positivas para responder aos objetivos de geração de emprego, mas precisa haver políticas específicas para uma melhor diversificação produtiva, além de integrar a economia do Nordeste setorial e regionalmente.

2012
Dissertações
1
  • EUDESIO EDUIM DA SILVA
  • GERAÇÃO DE RENDA E OCUPAÇÕES NA CADEIA AGROINDUSTRIAL DE CASTANHA DE CAJU NO RIO GRANDE DO NORTE: O CASO DO TERRITÓRIO DE SERTÃO DE APODI

  • Orientador : JOAO MATOS FILHO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • JOAO MATOS FILHO
  • JORGE LUIZ MARIANO DA SILVA
  • EMANOEL MÁRCIO NUNES
  • Data: 24/02/2012

  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho se insere no grupo das pesquisas que estudam cadeias agroindustriais, pois caracteriza a cadeia agroindustrial de castanha de caju no Rio Grande do Norte, com especial destaque ao Território da Cidadania do Sertão de Apodi, evidenciando os seus diferentes fluxos e encadeamentos e analisa a geração de ocupação e renda na produção deste bem, a partir da experiência da COOPAPI. Utilizando como metodologia de análise a matriz de insumo-produto. E isso se justifica no fato de que o Brasil se insere no contexto mundial como o quinto maior produtor da castanha de caju e a produção deste produto se concentrar na região Nordeste, com destaque para o Rio Grande do Norte, que é o segundo maior produtor da região, atrás apenas do estado de Ceará que é o maior produtor do país. Além disso, nos últimos anos o estado potiguar tem aumentado a sua inserção no mercado internacional deste produto, particularmente o Território Assu-Mossoró, que se configura como o maior produtor do estado, em especial o município de Serra do Mel, que apresenta um arranjo produtivo diferente, baseado no modelo de desenvolvimento rural integrado, consubstanciado na agricultura familiar. Não obstante, o Território da Cidadania do Sertão de Apodi constar como o quarto dentre os territórios da Cidadania do Rio Grande do Norte no ranking da produção de castanha de caju, porém o modelo de Cooperativismo vigente neste Território, baseado na Economia Solidária, isto é, diferente do velho cooperativismo, que se fundamenta nos preceitos como clientelismo, de cooperativas com donos, favorecimento, etc., motiva a investigação científica. Nisso, após uma análise cuidadosa dos dados da pesquisa de campo, percebeu-se que dentre os elos da cadeia, o elo da produção é o que mais gera ocupações, ao passo que o macrossegmento de processamento comanda a geração de renda, mas uma parcela significativa das ocupações e a renda geradas são fora do território, sobretudo fora do estado potiguar, o que denuncia lacuna em termos de suprimento de algumas demandas específicas dentro da cadeia.


  • Mostrar Abstract
  • Este trabalho se insere no grupo das pesquisas que estudam cadeias agroindustriais, pois caracteriza a cadeia agroindustrial de castanha de caju no Rio Grande do Norte, com especial destaque ao Território da Cidadania do Sertão de Apodi, evidenciando os seus diferentes fluxos e encadeamentos e analisa a geração de ocupação e renda na produção deste bem, a partir da experiência da COOPAPI. Utilizando como metodologia de análise a matriz de insumo-produto. E isso se justifica no fato de que o Brasil se insere no contexto mundial como o quinto maior produtor da castanha de caju e a produção deste produto se concentrar na região Nordeste, com destaque para o Rio Grande do Norte, que é o segundo maior produtor da região, atrás apenas do estado de Ceará que é o maior produtor do país. Além disso, nos últimos anos o estado potiguar tem aumentado a sua inserção no mercado internacional deste produto, particularmente o Território Assu-Mossoró, que se configura como o maior produtor do estado, em especial o município de Serra do Mel, que apresenta um arranjo produtivo diferente, baseado no modelo de desenvolvimento rural integrado, consubstanciado na agricultura familiar. Não obstante, o Território da Cidadania do Sertão de Apodi constar como o quarto dentre os territórios da Cidadania do Rio Grande do Norte no ranking da produção de castanha de caju, porém o modelo de Cooperativismo vigente neste Território, baseado na Economia Solidária, isto é, diferente do velho cooperativismo, que se fundamenta nos preceitos como clientelismo, de cooperativas com donos, favorecimento, etc., motiva a investigação científica. Nisso, após uma análise cuidadosa dos dados da pesquisa de campo, percebeu-se que dentre os elos da cadeia, o elo da produção é o que mais gera ocupações, ao passo que o macrossegmento de processamento comanda a geração de renda, mas uma parcela significativa das ocupações e a renda geradas são fora do território, sobretudo fora do estado potiguar, o que denuncia lacuna em termos de suprimento de algumas demandas específicas dentro da cadeia.

2
  • MANOEL CICERO ROMAO JUNIOR
  • "Políticas públicas para o turismo e desenvolvimento local: Reflexões a 

    partir dos “caminhos de fé” no semi-árido potiguar."


  • Orientador : MARIA DO SOCORRO GONDIM TEIXEIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARIA DO SOCORRO GONDIM TEIXEIRA
  • TERESA DE SOUSA
  • VALDENIA APOLINARIO
  • Data: 16/03/2012

  • Mostrar Resumo
  • Este estudo analisa o evento da Festa de Nossa Senhora das Graças, 
    localizado no município de Florânia/RN como um produto turístico, inserido 
    em um processo de transformação de um lugar sagrado, a princípio determinado 
    por motivos religiosos, em um destino "turístico-religioso". Busca-se 
    compreender em que medida a intervenção do Estado, com as políticas voltadas 
    para dinamizar o setor do turismo, bem como as interações entre os 
    principais atores que compõem o espaço, são capazes de modificar e dinamizar 
    o município de Florânia, em particular a Festa de Nossa Senhora das Graças. 
    A metodologia inclui além da revisão da literatura com a utilização do 
    método dedutivo a aplicação de questionários junto aos romeiros, turistas e 
    peregrinos totalizando 150 questionários. Junto aos agentes econômicos do 
    município, 36 questionários foram aplicados de acordo com o modelo adotado 
    pela REDESIST. Complementam esta pesquisa entrevistas realizadas com os 
    principais responsáveis do Poder Público Municipal e da Igreja. Apesar do 
    reconhecimento por parte dos atores da importância da atividade turística 
    para a economia do município de Florânia, o incentivo ao desenvolvimento do 
    setor ainda é defasado, pouco trabalhado e as políticas/programas listados 
    realmente passam ao largo dos "Caminhos de Fé" de Florânia. Portanto, 
    considera-se fundamental a implantação de um processo de planejamento 
    turístico, que se utilize de ferramentas metodológicas e instrumentos de 
    gestão e que busquem conciliar a conservação do espaço religioso e uso do 
    turismo, bem como atender aos anseios da comunidade local, já que a festa 
    movimenta toda a cidade e região.


  • Mostrar Abstract
  • Este estudo analisa o evento da Festa de Nossa Senhora das Graças, 
    localizado no município de Florânia/RN como um produto turístico, inserido 
    em um processo de transformação de um lugar sagrado, a princípio determinado 
    por motivos religiosos, em um destino "turístico-religioso". Busca-se 
    compreender em que medida a intervenção do Estado, com as políticas voltadas 
    para dinamizar o setor do turismo, bem como as interações entre os 
    principais atores que compõem o espaço, são capazes de modificar e dinamizar 
    o município de Florânia, em particular a Festa de Nossa Senhora das Graças. 
    A metodologia inclui além da revisão da literatura com a utilização do 
    método dedutivo a aplicação de questionários junto aos romeiros, turistas e 
    peregrinos totalizando 150 questionários. Junto aos agentes econômicos do 
    município, 36 questionários foram aplicados de acordo com o modelo adotado 
    pela REDESIST. Complementam esta pesquisa entrevistas realizadas com os 
    principais responsáveis do Poder Público Municipal e da Igreja. Apesar do 
    reconhecimento por parte dos atores da importância da atividade turística 
    para a economia do município de Florânia, o incentivo ao desenvolvimento do 
    setor ainda é defasado, pouco trabalhado e as políticas/programas listados 
    realmente passam ao largo dos "Caminhos de Fé" de Florânia. Portanto, 
    considera-se fundamental a implantação de um processo de planejamento 
    turístico, que se utilize de ferramentas metodológicas e instrumentos de 
    gestão e que busquem conciliar a conservação do espaço religioso e uso do 
    turismo, bem como atender aos anseios da comunidade local, já que a festa 
    movimenta toda a cidade e região.

3
  • ERIKA KARLA LUCENA DE PAULA VIDAL
  • "POLÍTICAS PÚBLICAS PARA AGRICULTURA FAMILIAR: uma avaliação sobre a correspondência do PAA e do 

    PRONAF nos Territórios da Cidadania do Rio Grande do Norte - 2008 a 2010."





  • Orientador : JORGE LUIZ MARIANO DA SILVA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • TALES WANDERLEY VITAL
  • JOAO MATOS FILHO
  • JORGE LUIZ MARIANO DA SILVA
  • Data: 21/03/2012

  • Mostrar Resumo
  • A agricultura familiar tem sido considerada como o novo eixo de desenvolvimento rural do país, sendo

    foco de diversas políticas públicas, com destaque para o Programa Nacional de Fortalecimento da 

    Agricultura Familiar - PRONAF e o Programa de Aquisição de Alimentos - PAA.  O PRONAF foi 

    criado com o intuito de oferecer crédito para os agricultores familiares, enquanto o PAA apoiar o

    agricultor familiar mediante a compra da sua produção. Neste contexto, o objetivo geral deste

    estudo é analisar a correspondência destas duas políticas públicas, para agricultura familiar, 

    nos Territórios da Cidadania do estado do Rio Grande Norte, entre os anos de 2008 a 2010.

    Na metodologia, a análise foi realizada comparando-se as distribuições dos dois programas nos

    territórios da cidadania do estado. Realizaram-se, ainda, testes estatísticos de diferenças de 

    proporções, e de correlações de Spearman, e, estimado, um modelo de regressão logit, com a 

    finalidade de mensurar a probabilidade de um agricultor participante do PAA está associado a 

    uma das modalidades do PRONAF. Os dados utilizados foram obtidos na Companhia Nacional e 

    Abastecimento - CONAB, no Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural – EMATER, e no

    Ministério do Desenvolvimento Agrário - MDA. Entre os principais resultados notou-se, 

    que as políticas apresentaram uma associada direta, porém baixa nos municípios dos Territórios

    da Cidadania. E, que, nos anos de 2008 e 2009, somente nos territórios do Mato Grande, 

    Alto Oeste e Seridó, as ações do PAA e do PRONAF apresentaram correlações diretas e significativas. 

    Verificou-se, que na maior parte dos Territórios, as políticas são executadas de forma aleatória, 

    ou seja, que ambas não possuem correspondência entre si. As estimações do modelo Logit 

    mostraram que a chance de um agricultor familiar, participante do PAA, receber créditos do 

    PRONAF A, é mais elevada no território do Mato Grande, e que teria uma menor chance de se

    enquadrar no PRONAF B em todos os territórios pesquisados. Além disso, os agricultores familiares

    dos territórios do Assu-Mossoró, Sertão do Apodi, Seridó e Alto Oeste, que participam do PAA, 

    teriam mais chances de receberem créditos do PRONAF C, refletindo-se, assim, a agricultura 

    familiar mais consolidada destes territórios.





  • Mostrar Abstract
  • A agricultura familiar tem sido considerada como o novo eixo de desenvolvimento rural do país, sendo

    foco de diversas políticas públicas, com destaque para o Programa Nacional de Fortalecimento da 

    Agricultura Familiar - PRONAF e o Programa de Aquisição de Alimentos - PAA.  O PRONAF foi 

    criado com o intuito de oferecer crédito para os agricultores familiares, enquanto o PAA apoiar o

    agricultor familiar mediante a compra da sua produção. Neste contexto, o objetivo geral deste

    estudo é analisar a correspondência destas duas políticas públicas, para agricultura familiar, 

    nos Territórios da Cidadania do estado do Rio Grande Norte, entre os anos de 2008 a 2010.

    Na metodologia, a análise foi realizada comparando-se as distribuições dos dois programas nos

    territórios da cidadania do estado. Realizaram-se, ainda, testes estatísticos de diferenças de 

    proporções, e de correlações de Spearman, e, estimado, um modelo de regressão logit, com a 

    finalidade de mensurar a probabilidade de um agricultor participante do PAA está associado a 

    uma das modalidades do PRONAF. Os dados utilizados foram obtidos na Companhia Nacional e 

    Abastecimento - CONAB, no Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural – EMATER, e no

    Ministério do Desenvolvimento Agrário - MDA. Entre os principais resultados notou-se, 

    que as políticas apresentaram uma associada direta, porém baixa nos municípios dos Territórios

    da Cidadania. E, que, nos anos de 2008 e 2009, somente nos territórios do Mato Grande, 

    Alto Oeste e Seridó, as ações do PAA e do PRONAF apresentaram correlações diretas e significativas. 

    Verificou-se, que na maior parte dos Territórios, as políticas são executadas de forma aleatória, 

    ou seja, que ambas não possuem correspondência entre si. As estimações do modelo Logit 

    mostraram que a chance de um agricultor familiar, participante do PAA, receber créditos do 

    PRONAF A, é mais elevada no território do Mato Grande, e que teria uma menor chance de se

    enquadrar no PRONAF B em todos os territórios pesquisados. Além disso, os agricultores familiares

    dos territórios do Assu-Mossoró, Sertão do Apodi, Seridó e Alto Oeste, que participam do PAA, 

    teriam mais chances de receberem créditos do PRONAF C, refletindo-se, assim, a agricultura 

    familiar mais consolidada destes territórios.




4
  • RAIMUNDO PEREIRA DO AMARAL NETO
  • "A Atividade Eólica e o Desenvolvimento Regional: perspectivas na formação do pólo eólico no Rio Grande do Norte."

  • Orientador : MARIA DO SOCORRO GONDIM TEIXEIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARIA DO SOCORRO GONDIM TEIXEIRA
  • JORGE LUIZ MARIANO DA SILVA
  • ELMER NASCIMENTO MATOS
  • Data: 01/06/2012

  • Mostrar Resumo
  • O objeto do presente estudo envolve a energia eólica e o cenário da formação do pólo eólico no Rio Grande do Norte. O objetivo é investigar até onde a implantação do pólo eólico potiguar pode representar uma política de desenvolvimento regional com real mudança na estrutura da tradicional base produtiva local. Acerca da interação entre o público e o privado para o desenvolvimento da atividade eólica local, a hipótese é a de que não há articulação entre os setores responsáveis pela atividade eólica do estado. O referencial teórico adotado segue a égide desenvolvimentista e a teoria dos pólos de crescimento, e a metodologia adotada é uma pesquisa bibliográfica de cunho exploratório e documental, com análise de documentos pertinentes sobre o tema. Como resultado do estudo verificou-se que em virtude da fragilidade da estrutura produtiva potiguar e dos desequilíbrios apresentados pela concentração de capital no Nordeste, a atividade no estado, carece de uma maior intervenção estatal no sentido de assegurar uma base de desenvolvimento pautada no estudo e fortalecimento da cadeia produtiva local.


  • Mostrar Abstract
  • O objeto do presente estudo envolve a energia eólica e o cenário da formação do pólo eólico no Rio Grande do Norte. O objetivo é investigar até onde a implantação do pólo eólico potiguar pode representar uma política de desenvolvimento regional com real mudança na estrutura da tradicional base produtiva local. Acerca da interação entre o público e o privado para o desenvolvimento da atividade eólica local, a hipótese é a de que não há articulação entre os setores responsáveis pela atividade eólica do estado. O referencial teórico adotado segue a égide desenvolvimentista e a teoria dos pólos de crescimento, e a metodologia adotada é uma pesquisa bibliográfica de cunho exploratório e documental, com análise de documentos pertinentes sobre o tema. Como resultado do estudo verificou-se que em virtude da fragilidade da estrutura produtiva potiguar e dos desequilíbrios apresentados pela concentração de capital no Nordeste, a atividade no estado, carece de uma maior intervenção estatal no sentido de assegurar uma base de desenvolvimento pautada no estudo e fortalecimento da cadeia produtiva local.

5
  • Reili Amon-Há Vieira dos Santos
  • A CORRELAÇÃO ENTRE O ÍNDICE DE CONCENTRAÇÃO DA POSSE DA TERRA E O PROGRAMA NACIONAL DE CRÉDITO FUNDIÁRIO – UMA ANÁLISE PARA O ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE, 2006 - 2012
  • Orientador : JORGE LUIZ MARIANO DA SILVA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • TALES WANDERLEY VITAL
  • JOAO MATOS FILHO
  • JORGE LUIZ MARIANO DA SILVA
  • Data: 24/10/2012

  • Mostrar Resumo
  • O objetivo do trabalho é propor um estudo sobre a relação do Programa Nacional de Crédito Fundiário - PNCF, no estado do Rio Grande do Norte, e sua concentração fundiária. Ou seja, se o PNCF está sendo direcionado, para as microrregiões que apresentam maior índice de concentração, de acordo com o índice de Gini, e se as áreas adquiridas através do crédito fundiário estão emergindo nestas microrregiões. Para isto, o estudo levantou a hipótese de que o PNCF no estado do Rio Grande do Norte não está sendo conduzida, de modo a reduzir a concentração fundiária, dentre as microrregiões do estado. Ou seja, não existe correlação entre o índice de Gini, da concentração fundiária, e as áreas adquiridas através do programa. Além disso, o trabalho buscou realizar uma discussão da literatura sobre os programas de reforma agrária assistida pelo mercado. Apresentando os autores que são exaltadores do modelo e das suas potencialidades, atrelando as causas dos problemas levantados como sendo de ordem técnica e operacional, onde os principais autores desta linha são: Van Zyl, Kirsten & Binswanger, (1996), Deininger & Binswanger, (1999). Têm-se também a apresentação da posição dos autores adeptos as políticas fundiárias pautadas na dinâmica e liberação dos mercados de terras, mas que visam contribuir com estudos que permitam uma redução para o custo elevado e a sua incapacidade de abarcar a esfera social, em decorrência do pagamento á vista e a preço de mercado aos donos das terras, são eles: De Janvry & Sadoulet (2002), Gordillo (2002), Banerjee (1999), Jaramillo (1998) e Burki & Perry (1997). Todavia, apresentou-se a corrente de autores que ressalta a natureza “socialmente agressiva” da Reforma Agrária Assistida pelo Mercado (RAAM), sendo os seus principais contribuidores: El-Ghonemy (2001); Barros, Schwartzman & Sauer (2003); Borras Jr. (2006, 2003 e 2003a); Garoz et al. (2005); Sauer & Pereira (2006); Pereira (2005, 2006 e 2010); Sauer (2010); Lahiff, Borras Jr. & Kay (2007). Em sequência, o trabalho apresentou a transição e características dos programas de acesso a terra, no Brasil, a partir da década de 1990, bem como, alguns indicadores do PNCF, no Brasil e o estado do Rio Grande do Norte. Apresentou-se também os indicadores da concentração fundiária, no Brasil e no estado. Através dos dados do Censo Agropecuário de 2006 foi possível calcular o índice de Gini da distribuição fundiária nas microrregiões no estado do Rio Grande do Norte. Com os dados fornecidos pela Secretaria de Estado de Assuntos Fundiários e de Apoio à Reforma Agrária - SEARA mostrou-se a distribuição das linhas de crédito do PNCF e as áreas adquiridas, entre os anos de 2006 e 2012. Por fim, o valor do coeficiente de correlação simples (r) igual a (0,2865), que com base no teste bilateral da distribuição de t de Student chegou-se no resultado para T calculado no valor de (1,2333), que ao ser comparado com o valor de T crítico igual a (2,898), com 17 graus de liberdade, a um nível de significância de 1%, pode aceitar a hipótese de partida, ou seja, que o PNCF não estava sendo direcionado para diminuir a concentração fundiária no estado.

  • Mostrar Abstract
  • O objetivo do trabalho é propor um estudo sobre a relação do Programa Nacional de Crédito Fundiário - PNCF, no estado do Rio Grande do Norte, e sua concentração fundiária. Ou seja, se o PNCF está sendo direcionado, para as microrregiões que apresentam maior índice de concentração, de acordo com o índice de Gini, e se as áreas adquiridas através do crédito fundiário estão emergindo nestas microrregiões. Para isto, o estudo levantou a hipótese de que o PNCF no estado do Rio Grande do Norte não está sendo conduzida, de modo a reduzir a concentração fundiária, dentre as microrregiões do estado. Ou seja, não existe correlação entre o índice de Gini, da concentração fundiária, e as áreas adquiridas através do programa. Além disso, o trabalho buscou realizar uma discussão da literatura sobre os programas de reforma agrária assistida pelo mercado. Apresentando os autores que são exaltadores do modelo e das suas potencialidades, atrelando as causas dos problemas levantados como sendo de ordem técnica e operacional, onde os principais autores desta linha são: Van Zyl, Kirsten & Binswanger, (1996), Deininger & Binswanger, (1999). Têm-se também a apresentação da posição dos autores adeptos as políticas fundiárias pautadas na dinâmica e liberação dos mercados de terras, mas que visam contribuir com estudos que permitam uma redução para o custo elevado e a sua incapacidade de abarcar a esfera social, em decorrência do pagamento á vista e a preço de mercado aos donos das terras, são eles: De Janvry & Sadoulet (2002), Gordillo (2002), Banerjee (1999), Jaramillo (1998) e Burki & Perry (1997). Todavia, apresentou-se a corrente de autores que ressalta a natureza “socialmente agressiva” da Reforma Agrária Assistida pelo Mercado (RAAM), sendo os seus principais contribuidores: El-Ghonemy (2001); Barros, Schwartzman & Sauer (2003); Borras Jr. (2006, 2003 e 2003a); Garoz et al. (2005); Sauer & Pereira (2006); Pereira (2005, 2006 e 2010); Sauer (2010); Lahiff, Borras Jr. & Kay (2007). Em sequência, o trabalho apresentou a transição e características dos programas de acesso a terra, no Brasil, a partir da década de 1990, bem como, alguns indicadores do PNCF, no Brasil e o estado do Rio Grande do Norte. Apresentou-se também os indicadores da concentração fundiária, no Brasil e no estado. Através dos dados do Censo Agropecuário de 2006 foi possível calcular o índice de Gini da distribuição fundiária nas microrregiões no estado do Rio Grande do Norte. Com os dados fornecidos pela Secretaria de Estado de Assuntos Fundiários e de Apoio à Reforma Agrária - SEARA mostrou-se a distribuição das linhas de crédito do PNCF e as áreas adquiridas, entre os anos de 2006 e 2012. Por fim, o valor do coeficiente de correlação simples (r) igual a (0,2865), que com base no teste bilateral da distribuição de t de Student chegou-se no resultado para T calculado no valor de (1,2333), que ao ser comparado com o valor de T crítico igual a (2,898), com 17 graus de liberdade, a um nível de significância de 1%, pode aceitar a hipótese de partida, ou seja, que o PNCF não estava sendo direcionado para diminuir a concentração fundiária no estado.
6
  • José Antônio Nunes de Souza


  • Podem os programas sociais e de transferência de renda influenciar a oferta de trabalho em atividades não agrícolas? Uma análise para as famílias em condição de pobreza no meio rural do Nordeste

  • Orientador : JORGE LUIZ MARIANO DA SILVA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • HENRIQUE DANTAS NEDER
  • LUCIANO MENEZES BEZERRA SAMPAIO
  • JORGE LUIZ MARIANO DA SILVA
  • Data: 19/11/2012

  • Mostrar Resumo
  •  

    Este estudo tem como objetivo principal analisar o efeito dos programas sociais e de transferência de renda sobre a oferta de trabalho não agrícola de membros das famílias em condição de pobreza no meio rural da região Nordeste. Entre os objetivos específicos, procurou-se investigar os efeitos desses programas e das características individuais sobre a decisão de participação e de alocação de horas de trabalho de pais e de filhos em atividades não agrícolas. Admitiu-se, como base teórica, o modelo de oferta de trabalho neoclássico, bem como o princípio de que a decisão de alocação de horas de trabalho, não agrícola, está condicionada à escolha inicial do trabalhador em se dedicar ou não ao emprego não agrícola. A hipótese testada pressupõe que o acesso aos programas sociais e de transferência de renda contribui para o desalento do trabalhador rural, em condição de pobreza, na sua decisão de participar e ofertar horas de trabalho nas atividades não agrícolas. Para alcançar esse objetivo, aplicaram-se os modelos de Heckman (1979) e de Double Hurdle, de Cragg (1971), que consistem em associar a decisão de participação no mercado de trabalho com a decisão da quantidade de horas de trabalho alocadas. A base de dados utilizada foi a da Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicilio (PNAD), do ano de 2006. Os resultados dos chefes dos domicílios mostraram que as transferências de renda, embora possam ter algum efeito sobre a oferta de trabalho rural não agrícola, não tem a magnitude para afirmar que possa estar havendo alguma dependência em relação aos benefícios. As estimações conjuntas para os filhos de 10 a 15 anos mostraram que os programas têm influenciado negativamente na participação sugerindo um aumento na participação escolar, embora para a alocação de horas de trabalho os resultados não foram estatisticamente significantes sobre a incidência de trabalho infantil.


  • Mostrar Abstract
  •  

    Este estudo tem como objetivo principal analisar o efeito dos programas sociais e de transferência de renda sobre a oferta de trabalho não agrícola de membros das famílias em condição de pobreza no meio rural da região Nordeste. Entre os objetivos específicos, procurou-se investigar os efeitos desses programas e das características individuais sobre a decisão de participação e de alocação de horas de trabalho de pais e de filhos em atividades não agrícolas. Admitiu-se, como base teórica, o modelo de oferta de trabalho neoclássico, bem como o princípio de que a decisão de alocação de horas de trabalho, não agrícola, está condicionada à escolha inicial do trabalhador em se dedicar ou não ao emprego não agrícola. A hipótese testada pressupõe que o acesso aos programas sociais e de transferência de renda contribui para o desalento do trabalhador rural, em condição de pobreza, na sua decisão de participar e ofertar horas de trabalho nas atividades não agrícolas. Para alcançar esse objetivo, aplicaram-se os modelos de Heckman (1979) e de Double Hurdle, de Cragg (1971), que consistem em associar a decisão de participação no mercado de trabalho com a decisão da quantidade de horas de trabalho alocadas. A base de dados utilizada foi a da Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicilio (PNAD), do ano de 2006. Os resultados dos chefes dos domicílios mostraram que as transferências de renda, embora possam ter algum efeito sobre a oferta de trabalho rural não agrícola, não tem a magnitude para afirmar que possa estar havendo alguma dependência em relação aos benefícios. As estimações conjuntas para os filhos de 10 a 15 anos mostraram que os programas têm influenciado negativamente na participação sugerindo um aumento na participação escolar, embora para a alocação de horas de trabalho os resultados não foram estatisticamente significantes sobre a incidência de trabalho infantil.

7
  • FABIO HENRIQUE VALE DOS REIS
  • ENTRE O MERCADO E A CONSTRUÇÃO SOCIAL: UMA ANÁLISE DA EXPERIÊNCIA DA IMPLANTAÇÃO DO PRONAF-INFRAESTRUTURA E PRONAT NOS TERRITÓRIOS DO MATO GRANDE-RN E SERTÃO DO APODI-RN (1997 - 2010)

  • Orientador : JOAO MATOS FILHO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • EMANOEL MÁRCIO NUNES
  • JOAO MATOS FILHO
  • ANTONIO CESAR ORTEGA
  • Data: 11/12/2012

  • Mostrar Resumo
  • Analisa a experiência de desenvolvimento nos Territórios do Mato Grande e Sertão do Apodi, no estado do Rio Grande do Norte, e avalia as ações do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar Linha Infraestrutura (PRONAF-INFRA) e Programa Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Territórios Rurais (PRONAT) nesses territórios. Apresenta uma síntese das diversas abordagens desenvolvimento rural e toma os pressupostos teóricos do desenvolvimento territorial, o conceito de território construído eterritório mercadejado, e o modelo do ciclo de políticas públicas para analisar as experiências selecionadas. Deste modo, propõe testar a hipótese de que a maior parte das ações implementadas levariam à constituição de territórios mercadejados, ou seja, percebidos apenas como plataformas para apresentação de projetos. As pesquisas bibliográfica e documental, combinadas com estudos de caso, entrevistas e observação direta das reuniões dos colegiados, evidenciaram que, apesar dos dois colegiados estarem regidos pelas mesmas legislações, normas e regulamentos formais, possuem claras diferenças quando se considera os pressupostos teóricos e os conceitos que foram tomados como referência. O Território do Apodi está mais próximo de um espaço construído e da busca de uma agenda mais ampla, mais autônoma e mais adequada a realidade vivenciada pelos atores locais, do que o Território do Mato Grande, onde as características de um território mercadejado estão mais presentes. Como conseqüência o Sertão do Apodi não só acessa como integra um maior número de políticas e de fontes de financiamento, garantindo um maior e mais diversificado volume de investimento do que o Mato Grande. Apesar dessas diferenças, os estudos realizados mostraram que os colegiados territoriais pesquisados ainda estão longe de se transformarem em fóruns privilegiados que gerem o desenvolvimento a partir da concepção do território construído socialmente. Mostraram, finalmente, que estratégia de desenvolvimento territorial é relevante, mas requer uma longa caminhada e um profundo e contínuo processo de aprendizagem para ser implementada com sucesso nos territórios rurais do Nordeste brasileiro.


  • Mostrar Abstract
  • Analisa a experiência de desenvolvimento nos Territórios do Mato Grande e Sertão do Apodi, no estado do Rio Grande do Norte, e avalia as ações do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar Linha Infraestrutura (PRONAF-INFRA) e Programa Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Territórios Rurais (PRONAT) nesses territórios. Apresenta uma síntese das diversas abordagens desenvolvimento rural e toma os pressupostos teóricos do desenvolvimento territorial, o conceito de território construído eterritório mercadejado, e o modelo do ciclo de políticas públicas para analisar as experiências selecionadas. Deste modo, propõe testar a hipótese de que a maior parte das ações implementadas levariam à constituição de territórios mercadejados, ou seja, percebidos apenas como plataformas para apresentação de projetos. As pesquisas bibliográfica e documental, combinadas com estudos de caso, entrevistas e observação direta das reuniões dos colegiados, evidenciaram que, apesar dos dois colegiados estarem regidos pelas mesmas legislações, normas e regulamentos formais, possuem claras diferenças quando se considera os pressupostos teóricos e os conceitos que foram tomados como referência. O Território do Apodi está mais próximo de um espaço construído e da busca de uma agenda mais ampla, mais autônoma e mais adequada a realidade vivenciada pelos atores locais, do que o Território do Mato Grande, onde as características de um território mercadejado estão mais presentes. Como conseqüência o Sertão do Apodi não só acessa como integra um maior número de políticas e de fontes de financiamento, garantindo um maior e mais diversificado volume de investimento do que o Mato Grande. Apesar dessas diferenças, os estudos realizados mostraram que os colegiados territoriais pesquisados ainda estão longe de se transformarem em fóruns privilegiados que gerem o desenvolvimento a partir da concepção do território construído socialmente. Mostraram, finalmente, que estratégia de desenvolvimento territorial é relevante, mas requer uma longa caminhada e um profundo e contínuo processo de aprendizagem para ser implementada com sucesso nos territórios rurais do Nordeste brasileiro.

8
  • MARIA DE FATIMA MEDEIROS DE QUEIROZ
  •  

    A EFICIÊNCIA DO GASTO E DA QUALIDADE DA SAÚDE PÚBLICA: uma análise nos municípios do estado do Rio Grande do Norte (2004 e 2008)

  • Orientador : JORGE LUIZ MARIANO DA SILVA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANA PAULA AMAZONAS
  • JORGE LUIZ MARIANO DA SILVA
  • FRANCISCO SOARES DE LIMA
  • Data: 18/12/2012

  • Mostrar Resumo
  • O objetivo geral deste estudo é analisar a eficiência na utilização dos recursos e na qualidade da saúde pública nos municípios do estado do Rio Grande do Norte, no período de 2004 e 2008. Procura-se ainda identificar os determinantes da ineficiência dos municípios e mensurar a produtividade do gasto público em saúde. Propõem-se as seguintes indagações: Dada a disponibilidade de recursos direcionados aos municípios, estes os aplicam eficientemente para alcançar uma melhor oferta nos serviços de saúde? Dada a disponibilidade dos serviços em saúde, isto é, de recursos físicos e humanos, pode-se esperar maior eficiência da qualidade da saúde municipal? Considerada a possibilidade de ineficiência na gestão municipal, no gasto e na qualidade dos serviços em saúde, que fatores poderiam explicá-las? Na tentativa de responder a essas questões, este estudo baseia-se nas seguintes hipóteses: primeira, de que a eficiência do gasto em saúde não necessariamente está relacionada à maior disponibilidade de recursos; segunda, a existência dos recursos físicos e humanos não é uma condição suficiente para uma maior eficiência da qualidade desse serviço. Para tanto, utiliza-se de três métodos de análise: o DEA, o índice de Malmquist e o modelo de regressão Tobit. Entre outros resultados, constata-se que municípios considerados mais ineficientes na mensuração do dispêndio em saúde efetuam maiores gastos nessa função. Por outro lado, no período de 2004 e 2008, apenas 13 municípios apresentaram um aumento na produtividade do gasto público. Nota-se ainda que municípios considerados eficientes na qualidade da saúde, embora possuam mais recursos físicos e humanos, ofertam menos serviços de saúde à população. No mais, os principais determinantes da ineficiência do gasto em saúde são as variáveis idade do prefeito, coligação, densidade populacional e receita orçamentária. E quanto à ineficiência da qualidade da saúde, as variáveis como coligação e receita orçamentária exercem forte influência sobre esse comportamento. Desse modo, as hipóteses lançadas ao longo do estudo foram plenamente aceitas. Em outros termos, para que haja a eficiência do gasto e da qualidade em saúde, é necessário mais do que recurso, ou seja, o dispêndio mostra-se como condição indispensável, mas não suficiente, pois aspectos políticos e econômicos também interferem no desempenho do gasto e na qualidade da saúde ofertada à população.


  • Mostrar Abstract
  • O objetivo geral deste estudo é analisar a eficiência na utilização dos recursos e na qualidade da saúde pública nos municípios do estado do Rio Grande do Norte, no período de 2004 e 2008. Procura-se ainda identificar os determinantes da ineficiência dos municípios e mensurar a produtividade do gasto público em saúde. Propõem-se as seguintes indagações: Dada a disponibilidade de recursos direcionados aos municípios, estes os aplicam eficientemente para alcançar uma melhor oferta nos serviços de saúde? Dada a disponibilidade dos serviços em saúde, isto é, de recursos físicos e humanos, pode-se esperar maior eficiência da qualidade da saúde municipal? Considerada a possibilidade de ineficiência na gestão municipal, no gasto e na qualidade dos serviços em saúde, que fatores poderiam explicá-las? Na tentativa de responder a essas questões, este estudo baseia-se nas seguintes hipóteses: primeira, de que a eficiência do gasto em saúde não necessariamente está relacionada à maior disponibilidade de recursos; segunda, a existência dos recursos físicos e humanos não é uma condição suficiente para uma maior eficiência da qualidade desse serviço. Para tanto, utiliza-se de três métodos de análise: o DEA, o índice de Malmquist e o modelo de regressão Tobit. Entre outros resultados, constata-se que municípios considerados mais ineficientes na mensuração do dispêndio em saúde efetuam maiores gastos nessa função. Por outro lado, no período de 2004 e 2008, apenas 13 municípios apresentaram um aumento na produtividade do gasto público. Nota-se ainda que municípios considerados eficientes na qualidade da saúde, embora possuam mais recursos físicos e humanos, ofertam menos serviços de saúde à população. No mais, os principais determinantes da ineficiência do gasto em saúde são as variáveis idade do prefeito, coligação, densidade populacional e receita orçamentária. E quanto à ineficiência da qualidade da saúde, as variáveis como coligação e receita orçamentária exercem forte influência sobre esse comportamento. Desse modo, as hipóteses lançadas ao longo do estudo foram plenamente aceitas. Em outros termos, para que haja a eficiência do gasto e da qualidade em saúde, é necessário mais do que recurso, ou seja, o dispêndio mostra-se como condição indispensável, mas não suficiente, pois aspectos políticos e econômicos também interferem no desempenho do gasto e na qualidade da saúde ofertada à população.

9
  • HERBERTH LIMA DOS SANTOS
  • DESENVOLVIMENTO NACIONAL, DESENVOLVIMENTO REGIONAL E MOEDA: Notas Teóricas à luz da Economia Política do Desenvolvimento

  • Orientador : ANDRE LUIS CABRAL DE LOURENCO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARCONI GOMES DA SILVA
  • ANDRE LUIS CABRAL DE LOURENCO
  • CARLOS PINKUSFELD BASTOS
  • Data: 21/12/2012

  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho investiga o raio de manobra que Estados Nacionais e regiões possuem para a formulações de estratégias de desenvolvimento. Resgatando inicialmente o conceito de desenvolvimento como um processo conflituoso, a hipótese desenvolvida é que este apresenta condicionantes internos e externos, em que estes últimos possuem maior preponderância, revelada pelo papel desempenhado pela moeda. Nesse caso, pode-se apontar como sub-hipótese que os modelos de crescimento com restrição externa, fundamentalmente através do balanço de pagamentos, podem ilustrar o fato de que os países estão submetidos a interações econômicas internacionais que limitam a possibilidade de levar adiantes estratégias bem sucedidas de superação do atraso. Para o caso específico das regiões, aponta-se que a restrição externa continua sendo um elemento de constrangimento ao desenvolvimento regional, porém resgata-se as relações centro-periferia nesse contexto para discutir o papel da moeda e do sistema financeiro como explicação para as disparidades regionais de renda. No front interno, destaca-se a importância das estruturas sociais de acumulação como elemento de coesão interna necessário para a consecução de trajetórias de desenvolvimento exitosas. Aponta-se ainda para importância do Estado nesse processo resgatando algumas das principais contribuições teóricas da economia política do desenvolvimento, incorporando o conceito de globalização nos marcos teóricos apresentados. Essa construção em que o desenvolvimento depende da atuação de condições externas e internas, em que a moeda desempenha um papel fundamental serviu de orientação para as reflexões em torno do desenvolvimento regional. A tentativa foi de transplantar nossas considerações sobre o desenvolvimento em geral para tratar do caso das regiões. Finalmente, conclui-se pela maior confiança em relação a hipótese e sub-hipóteses de partida, o que levou a proposições de políticas econômicas.


  • Mostrar Abstract
  • Este trabalho investiga o raio de manobra que Estados Nacionais e regiões possuem para a formulações de estratégias de desenvolvimento. Resgatando inicialmente o conceito de desenvolvimento como um processo conflituoso, a hipótese desenvolvida é que este apresenta condicionantes internos e externos, em que estes últimos possuem maior preponderância, revelada pelo papel desempenhado pela moeda. Nesse caso, pode-se apontar como sub-hipótese que os modelos de crescimento com restrição externa, fundamentalmente através do balanço de pagamentos, podem ilustrar o fato de que os países estão submetidos a interações econômicas internacionais que limitam a possibilidade de levar adiantes estratégias bem sucedidas de superação do atraso. Para o caso específico das regiões, aponta-se que a restrição externa continua sendo um elemento de constrangimento ao desenvolvimento regional, porém resgata-se as relações centro-periferia nesse contexto para discutir o papel da moeda e do sistema financeiro como explicação para as disparidades regionais de renda. No front interno, destaca-se a importância das estruturas sociais de acumulação como elemento de coesão interna necessário para a consecução de trajetórias de desenvolvimento exitosas. Aponta-se ainda para importância do Estado nesse processo resgatando algumas das principais contribuições teóricas da economia política do desenvolvimento, incorporando o conceito de globalização nos marcos teóricos apresentados. Essa construção em que o desenvolvimento depende da atuação de condições externas e internas, em que a moeda desempenha um papel fundamental serviu de orientação para as reflexões em torno do desenvolvimento regional. A tentativa foi de transplantar nossas considerações sobre o desenvolvimento em geral para tratar do caso das regiões. Finalmente, conclui-se pela maior confiança em relação a hipótese e sub-hipóteses de partida, o que levou a proposições de políticas econômicas.

2011
Dissertações
1
  • LUIS ABEL DA SILVA FILHO
  • MERCADO DE TRABALHO E ESTRUTURA SÓCIO-OCUPACIONAL: estudo comparativo entre as regiões metropolitanas de Fortaleza, Recife e Salvador – 2001-2008.

  • Orientador : MARIA DO LIVRAMENTO MIRANDA CLEMENTINO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • WILLIAM EUFRASIO NUNES PEREIRA
  • FABIO FONSECA FIGUEIREDO
  • MARIA DO LIVRAMENTO MIRANDA CLEMENTINO
  • Data: 19/01/2011

  • Mostrar Resumo
  • As transformações econômicas mundiais, do final da Segunda Guerra, elencaram mudanças significativas nas estruturas produtivas e no mercado de trabalho em todo o mundo. Inicialmente os países desenvolvidos perceberam essas transformações e posteriormente os países em desenvolvimento. As transformações nos modelos de produção, sobretudo com a crise do fordismo, nos países periféricos acentuaram ainda mais os problemas no mundo do trabalho. A acumulação flexível, por sua vez, foi responsável por transformações significativa no mercado de trabalho da periferia do capitalismo global. No Brasil assistiu-se a esse processo de reestruturação produtiva a partir do final dos anos de 1970 e inicio dos anos de 1990, sendo mais acentuando os impactos no mercado de trabalho nas regiões mais pobres do país, sobretudo o Nordeste. Nesse sentido, esta dissertação tem como objetivo avaliar o mercado de trabalho nas Regiões Metropolitanas de Fortaleza, Recife e Salvador à luz do processo de reestruturação produtiva nos anos de 2001-2008. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – PNAD e foram elaborados a partir da proposta de estudo desenvolvida pelo Observatório das Metrópoles. O estudo mostra que o mercado de trabalho das três RMs foi afetado pelo processo de reestruturação produtiva e há predominantemente pessoas ocupadas no setor informal sendo mais precárias as condições para mulheres, adolescentes/jovens e idosos. Destacam-se ainda baixos salários e grande contingente de pessoas ocupadas no terciário e terciário não especializado. Com o quadro observado nas três RMs é possível perceber os grandes problemas no mercado de trabalho que se proliferam sobretudo no contexto metropolitano do Nordeste.


  • Mostrar Abstract
  • As transformações econômicas mundiais, do final da Segunda Guerra, elencaram mudanças significativas nas estruturas produtivas e no mercado de trabalho em todo o mundo. Inicialmente os países desenvolvidos perceberam essas transformações e posteriormente os países em desenvolvimento. As transformações nos modelos de produção, sobretudo com a crise do fordismo, nos países periféricos acentuaram ainda mais os problemas no mundo do trabalho. A acumulação flexível, por sua vez, foi responsável por transformações significativa no mercado de trabalho da periferia do capitalismo global. No Brasil assistiu-se a esse processo de reestruturação produtiva a partir do final dos anos de 1970 e inicio dos anos de 1990, sendo mais acentuando os impactos no mercado de trabalho nas regiões mais pobres do país, sobretudo o Nordeste. Nesse sentido, esta dissertação tem como objetivo avaliar o mercado de trabalho nas Regiões Metropolitanas de Fortaleza, Recife e Salvador à luz do processo de reestruturação produtiva nos anos de 2001-2008. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – PNAD e foram elaborados a partir da proposta de estudo desenvolvida pelo Observatório das Metrópoles. O estudo mostra que o mercado de trabalho das três RMs foi afetado pelo processo de reestruturação produtiva e há predominantemente pessoas ocupadas no setor informal sendo mais precárias as condições para mulheres, adolescentes/jovens e idosos. Destacam-se ainda baixos salários e grande contingente de pessoas ocupadas no terciário e terciário não especializado. Com o quadro observado nas três RMs é possível perceber os grandes problemas no mercado de trabalho que se proliferam sobretudo no contexto metropolitano do Nordeste.

2
  • NELY FERREIRA DOS SANTOS
  • A CADEIA PRODUTIVA DE GÁS NATURAL NO RIO GRANDE DO NORTE E PERSPECTIVAS PARA O SETOR

  • Orientador : MARIA LUSSIEU DA SILVA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • EMANOEL MÁRCIO NUNES
  • MARIA LUSSIEU DA SILVA
  • VALDENIA APOLINARIO
  • Data: 05/04/2011

  • Mostrar Resumo
  • O trabalho demonstra como está organizada a cadeia produtiva de gás natural no Rio Grande do Norte e ressalta algumas perspectivas para este setor. O estudo está respaldado pelos elementos que permitem compreender o processo de inovação enquanto força motriz da dinâmica capitalista, bem como os aspectos que caracterizam a economia brasileira nos anos de 1990 e 2000 e, que sinalizaram para o desenvolvimento da produção de gás natural na matriz energética brasileira. Constatou-se que o estado potiguar tem possibilidades de estruturar uma matriz energética embasada em elementos da própria região e com perspectivas de se tornar auto-suficiente em energia elétrica, onde o gás natural tem uma parcela de participação neste segmento. O setor automotivo e industrial são os maiores consumidores desse insumo. Com destaque para a indústria têxtil. Sinalizando para um horizonte amplo de oferta, este setor dependerá de investimentos e pesquisas em sua infraestrutura, e da política adotada pelo governo para desenvolver o mercado consumidor.


  • Mostrar Abstract
  • O trabalho demonstra como está organizada a cadeia produtiva de gás natural no Rio Grande do Norte e ressalta algumas perspectivas para este setor. O estudo está respaldado pelos elementos que permitem compreender o processo de inovação enquanto força motriz da dinâmica capitalista, bem como os aspectos que caracterizam a economia brasileira nos anos de 1990 e 2000 e, que sinalizaram para o desenvolvimento da produção de gás natural na matriz energética brasileira. Constatou-se que o estado potiguar tem possibilidades de estruturar uma matriz energética embasada em elementos da própria região e com perspectivas de se tornar auto-suficiente em energia elétrica, onde o gás natural tem uma parcela de participação neste segmento. O setor automotivo e industrial são os maiores consumidores desse insumo. Com destaque para a indústria têxtil. Sinalizando para um horizonte amplo de oferta, este setor dependerá de investimentos e pesquisas em sua infraestrutura, e da política adotada pelo governo para desenvolver o mercado consumidor.

3
  • YURI CESAR DE LIMA E SILVA
  • POLÍTICAS RECENTES PARA ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS: Um olhar sob a “lente”
    dos organismos responsáveis pelo apoio no estado do Rio Grande do Norte.
  • Orientador : MARIA LUSSIEU DA SILVA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARIA LUSSIEU DA SILVA
  • MARIA DO SOCORRO GONDIM TEIXEIRA
  • EMANOEL MÁRCIO NUNES
  • Data: 18/07/2011

  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho pretende analisar a atual estrutura de apoio disposta aos
    Arranjos Produtivos Locais (APLs) no estado do Rio Grande do Norte. Com este
    intuito, realiza-se um estudo das principais teorias que tratam das
    aglomerações territoriais: passando desde o conceito pioneiro de distrito
    industrial marshalliano até conceitos neo-schumpeterianos mais recentes provindo
    dos sistemas de inovação. De maneira complementar, realiza-se um estudo
    dos principais motivos que trouxeram as atividades produtivas aglomeradas a
    uma posição central no debate econômico e na formação de políticas
    públicas, procurando compreender qual a relação deste fenômeno com as
    diferentes abordagens das políticas de desenvolvimento regional compreendidas
    nos últimos anos. Por fim, pretendeu-se compreender de que forma os
    órgãos responsáveis pelo apoio aos APLs no estado do Rio Grande do Norte atuam
    na seleção e apoio a estes arranjos, analisando quais as principais
    políticas implementadas e procurando compreender quais são os
    principais instrumentos utilizados no apoio a estes APLs no estado.

    


  • Mostrar Abstract
  • Este trabalho pretende analisar a atual estrutura de apoio disposta aos
    Arranjos Produtivos Locais (APLs) no estado do Rio Grande do Norte. Com este
    intuito, realiza-se um estudo das principais teorias que tratam das
    aglomerações territoriais: passando desde o conceito pioneiro de distrito
    industrial marshalliano até conceitos neo-schumpeterianos mais recentes provindo
    dos sistemas de inovação. De maneira complementar, realiza-se um estudo
    dos principais motivos que trouxeram as atividades produtivas aglomeradas a
    uma posição central no debate econômico e na formação de políticas
    públicas, procurando compreender qual a relação deste fenômeno com as
    diferentes abordagens das políticas de desenvolvimento regional compreendidas
    nos últimos anos. Por fim, pretendeu-se compreender de que forma os
    órgãos responsáveis pelo apoio aos APLs no estado do Rio Grande do Norte atuam
    na seleção e apoio a estes arranjos, analisando quais as principais
    políticas implementadas e procurando compreender quais são os
    principais instrumentos utilizados no apoio a estes APLs no estado.

    

4
  • MARINALDO PEREIRA JUNIOR
  • AMBIENTE INSTITUCIONAL E DESEMPENHO DIFERENCIADO NA AGROPECUÁRIA NORTE-RIO-GRANDENSE: QUAIS AS RELAÇÕES?

  • Orientador : JOAO MATOS FILHO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • EMANOEL MÁRCIO NUNES
  • JOAO MATOS FILHO
  • JORGE LUIZ MARIANO DA SILVA
  • Data: 02/09/2011

  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho apresenta as principais contribuições teóricas das abordagens institucionalistas sobre o processo de mudança econômica para, a partir dessas contribuições, analisar as mudanças recentes da economia norte-rio-grandense, especificamente no âmbito da agropecuária. Para levar a cabo este intento, apresenta também um breve sumário da evolução do setor agrícola no Brasil e explora os conceitos de agronegócio e de economia de autoconsumo - fundamentais para a compreensão das transformações no âmbito do setor primário potiguar. A partir da análise do ambiente institucional da agropecuária do Rio Grande do Norte e das trajetórias específicas dos produtos em apreço nesta dissertação, observa-se que há indícios de correlações entre esse ambiente institucional e o desempenho econômico das atividades. Particularmente, observa-se a existência de instituições diferenciadas no interesse do desenvolvimento de culturas mais voltadas à exportação no estado, como o melão e o camarão, e de atividades tradicionais modernizadas, como a bovinocultura de leite, comparativamente àquelas para o desenvolvimento das culturas que compõem a cesta básica - milho, feijão e mandioca - estudadas. Por fim, esta dissertação apresenta sugestões de pesquisa que possam enriquecer o entendimento dos processos de transformação no meio rural potiguar.


  • Mostrar Abstract
  • Este trabalho apresenta as principais contribuições teóricas das abordagens institucionalistas sobre o processo de mudança econômica para, a partir dessas contribuições, analisar as mudanças recentes da economia norte-rio-grandense, especificamente no âmbito da agropecuária. Para levar a cabo este intento, apresenta também um breve sumário da evolução do setor agrícola no Brasil e explora os conceitos de agronegócio e de economia de autoconsumo - fundamentais para a compreensão das transformações no âmbito do setor primário potiguar. A partir da análise do ambiente institucional da agropecuária do Rio Grande do Norte e das trajetórias específicas dos produtos em apreço nesta dissertação, observa-se que há indícios de correlações entre esse ambiente institucional e o desempenho econômico das atividades. Particularmente, observa-se a existência de instituições diferenciadas no interesse do desenvolvimento de culturas mais voltadas à exportação no estado, como o melão e o camarão, e de atividades tradicionais modernizadas, como a bovinocultura de leite, comparativamente àquelas para o desenvolvimento das culturas que compõem a cesta básica - milho, feijão e mandioca - estudadas. Por fim, esta dissertação apresenta sugestões de pesquisa que possam enriquecer o entendimento dos processos de transformação no meio rural potiguar.

5
  • ELINETE LUISA LOPES
  • A ELASTICIDADE DA POBREZA EM RELAÇÃO AO CRESCIMENTO E À DESIGUALDADE DE RENDA NO NORDESTE RURAL BRASILEIRO, DE 1995 A 2009: uma análise comparativa.

  • Orientador : JORGE LUIZ MARIANO DA SILVA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ERIK ALENCAR DE FIGUEIREDO
  • JORGE LUIZ MARIANO DA SILVA
  • JANAINA DA SILVA ALVES
  • Data: 09/09/2011

  • Mostrar Resumo
  • Este Trabalho objetiva analisar como o crescimento da renda média e da mudança na desigualdade na distribuição dos rendimentos tem impactado na pobreza rural do Nordeste, no período de 1995 à 2009. Sob a abordagem de Kakwani (1993) e Duclos e Araar (2006), e, sob a suposição de log-normalidade da renda per-capita exposta em Bourguignon (2002) e Hoffmann (2005) são calculadas as elasticidades crescimento-desigualdade da pobreza para as medidas de pobreza FGT com o intuito de observar o comportamento da sensibilidade da pobreza à variação de renda média domiciliar e à variação da distribuição de renda/indíce de GINI. Em complementariedade, decompõe-se as variações às medidas de pobreza (proporções de pobres) entre os componentes crescimento e destribuição (proposta incinialmente por Datt e Ravallion, 1992) para avaliar o peso do efeito na mudança da renda e do efeito da mudança da desigualdade sobre a mudança da pobreza. No que concerne à estimação da pobreza e das elasticidades crescimento e elasticidades desigualdade, pelas duas metodologias alicadas neste trabalho - sob a suposição de log normalidade na distribuição dos rendimentos e sob as medidas FGT por Kakwani e Duclos e Araar (2006) - apesar de não resultarem em valores identicos, corroboram para os mesmos resultados, ou seja, o declínio no longo prazo da pobreza rural nordestina de 1995 à 2009 e a maior sensibilidade da pobreza rural nordestina, verificada nesse mesmo período, ao crescimento da renda e à mudança da desigualdade. Quanto ao peso do crescimento e da mudança da desigualdade na mudança da pobreza rural do nordeste, identificou-se que a maior parte da queda da pobreza rural esta associada ao crescimento da renda média. Esse resultado coincide com os resultados encontrados em Kraay (2005) para um grupo de países.


  • Mostrar Abstract
  • Este Trabalho objetiva analisar como o crescimento da renda média e da mudança na desigualdade na distribuição dos rendimentos tem impactado na pobreza rural do Nordeste, no período de 1995 à 2009. Sob a abordagem de Kakwani (1993) e Duclos e Araar (2006), e, sob a suposição de log-normalidade da renda per-capita exposta em Bourguignon (2002) e Hoffmann (2005) são calculadas as elasticidades crescimento-desigualdade da pobreza para as medidas de pobreza FGT com o intuito de observar o comportamento da sensibilidade da pobreza à variação de renda média domiciliar e à variação da distribuição de renda/indíce de GINI. Em complementariedade, decompõe-se as variações às medidas de pobreza (proporções de pobres) entre os componentes crescimento e destribuição (proposta incinialmente por Datt e Ravallion, 1992) para avaliar o peso do efeito na mudança da renda e do efeito da mudança da desigualdade sobre a mudança da pobreza. No que concerne à estimação da pobreza e das elasticidades crescimento e elasticidades desigualdade, pelas duas metodologias alicadas neste trabalho - sob a suposição de log normalidade na distribuição dos rendimentos e sob as medidas FGT por Kakwani e Duclos e Araar (2006) - apesar de não resultarem em valores identicos, corroboram para os mesmos resultados, ou seja, o declínio no longo prazo da pobreza rural nordestina de 1995 à 2009 e a maior sensibilidade da pobreza rural nordestina, verificada nesse mesmo período, ao crescimento da renda e à mudança da desigualdade. Quanto ao peso do crescimento e da mudança da desigualdade na mudança da pobreza rural do nordeste, identificou-se que a maior parte da queda da pobreza rural esta associada ao crescimento da renda média. Esse resultado coincide com os resultados encontrados em Kraay (2005) para um grupo de países.

6
  • WALQUIRIA CYBELLE FERNANDES DOS SANTOS
  • Distribuição dos recursos do FNE para o setor turístico entre os estados nordestinos, no período de 1998/2004

  • Orientador : MARCIA MARIA DE OLIVEIRA BEZERRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • JORGE LUIZ MARIANO DA SILVA
  • MARCIA MARIA DE OLIVEIRA BEZERRA
  • ANDRE LUIZ CORREA
  • Data: 19/09/2011

  • Mostrar Resumo
  • O trabalho visa analisar os critérios que determinaram a alocação de crédito com recursos do fundo constitucional FNE ao setor turístico privado nos estados nordestinos nos anos 1998-2004, que correspondeu ao período de maturação de grande parte dos investimentos do Programa de Desenvolvimento do Turismo (PRODETUR I/NE). Supõe, portanto, que o volume de recursos concedido em cada estado da região foi resultado, de um lado, das decisões de investimento e operações dos negócios turísticos privados e, de outro, das políticas de crédito dirigido formuladas pelo Banco do Nordeste do Brasil. As decisões privadas por sua vez, responderam, em parte, às políticas de desenvolvimento turístico dos respectivos estados. 


  • Mostrar Abstract
  • O trabalho visa analisar os critérios que determinaram a alocação de crédito com recursos do fundo constitucional FNE ao setor turístico privado nos estados nordestinos nos anos 1998-2004, que correspondeu ao período de maturação de grande parte dos investimentos do Programa de Desenvolvimento do Turismo (PRODETUR I/NE). Supõe, portanto, que o volume de recursos concedido em cada estado da região foi resultado, de um lado, das decisões de investimento e operações dos negócios turísticos privados e, de outro, das políticas de crédito dirigido formuladas pelo Banco do Nordeste do Brasil. As decisões privadas por sua vez, responderam, em parte, às políticas de desenvolvimento turístico dos respectivos estados. 

7
  • VERUSKA PEREIRA DA SILVA
  • QUALIDADE DO GASTO PÚBLICO EM EDUCAÇÃO: Uma Análise para os Municípios da RMN em 2009

  • Orientador : MARIA DO LIVRAMENTO MIRANDA CLEMENTINO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ENEUTON DORNELLAS PESSOA DE CARVALHO FILHO
  • MOISES ALBERTO CALLE AGUIRRE
  • MARIA DO LIVRAMENTO MIRANDA CLEMENTINO
  • Data: 23/09/2011

  • Mostrar Resumo
  • A presente dissertação tem como objetivo avaliar a qualidade do gasto público em educação pelos municípios da RMN, em 2009, por meio de duas teorias: Teoria do Bem-Estar Social (Welfare State) e Teoria da Escolha Pública (TEP), importantes para entender a relação entre educação e ciência econômica. O estudo também utiliza princípios da microeconomia e da economia do setor público para melhor entender o papel da educação na economia e na sociedade. Percorre-se, neste trabalho, a trajetória da política educacional no Brasil a partir da Constituição Federal de 1988 até 2010, acompanhando as principais mudanças ocorridas na Educação Básica em cada Governo. As características dos municípios da RMN foram reveladas através de indicadores socioeconômicos, e, para caracterizar cada município no que se refere à educação, recorreu-se aos indicadores educacionais. O modelo utilizado neste trabalho foi desenvolvido por Bertê, Brunet e Borges. Os dados avaliados foram coletados nos bancos do Censo Escolar 2009, da Prova Brasil 2009 e no Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Educação (SIOPE) e foram tratados quantitativamente pelo uso do tratamento estatístico denominado escore padronizado pelo método da função de distribuição acumulada normal. Neste estudo a qualidade do gasto público em educação é o resultado da razão entre indicador de desempenho e o indicador de despesa Para a análise qualitativa dos resultados, foram utilizados os critérios de eficiência, eficácia e efetividade. O estudo constatou que os municípios que realizaram maior despesa resultaram em pior qualidade do gasto, não conseguindo retornar a despesa realizada em desempenho, o que revela a ineficácia desses municípios.


  • Mostrar Abstract
  • A presente dissertação tem como objetivo avaliar a qualidade do gasto público em educação pelos municípios da RMN, em 2009, por meio de duas teorias: Teoria do Bem-Estar Social (Welfare State) e Teoria da Escolha Pública (TEP), importantes para entender a relação entre educação e ciência econômica. O estudo também utiliza princípios da microeconomia e da economia do setor público para melhor entender o papel da educação na economia e na sociedade. Percorre-se, neste trabalho, a trajetória da política educacional no Brasil a partir da Constituição Federal de 1988 até 2010, acompanhando as principais mudanças ocorridas na Educação Básica em cada Governo. As características dos municípios da RMN foram reveladas através de indicadores socioeconômicos, e, para caracterizar cada município no que se refere à educação, recorreu-se aos indicadores educacionais. O modelo utilizado neste trabalho foi desenvolvido por Bertê, Brunet e Borges. Os dados avaliados foram coletados nos bancos do Censo Escolar 2009, da Prova Brasil 2009 e no Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Educação (SIOPE) e foram tratados quantitativamente pelo uso do tratamento estatístico denominado escore padronizado pelo método da função de distribuição acumulada normal. Neste estudo a qualidade do gasto público em educação é o resultado da razão entre indicador de desempenho e o indicador de despesa Para a análise qualitativa dos resultados, foram utilizados os critérios de eficiência, eficácia e efetividade. O estudo constatou que os municípios que realizaram maior despesa resultaram em pior qualidade do gasto, não conseguindo retornar a despesa realizada em desempenho, o que revela a ineficácia desses municípios.

8
  • PATRICIA DE SOUZA MACIEL
  • EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA E PRÉ SAL – NECESSIDADES E URGÊNCIAS
  • Orientador : MARIA DO LIVRAMENTO MIRANDA CLEMENTINO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ARYSTIDES MOYSÉS
  • MARIA DO LIVRAMENTO MIRANDA CLEMENTINO
  • MOISES ALBERTO CALLE AGUIRRE
  • Data: 26/09/2011

  • Mostrar Resumo
  • O objetivo desta dissertação de mestrado é verificar se a demanda de mão-de-obra com
    formação no ensino médio técnico para o setor de Petróleo e Gás (P&G) está em consonância
    com a oferta daquela formação no sistema educacional brasileiro. A metodologia aplicada
    para obter tal informação foi baseada no Censo Escolar 2000 e 2008, em que os dados foram
    trabalhados de maneira a explicitar o número de matrículas nos cursos de nível médio técnico,
    demandados pelo setor de P&G. A demanda de mão-de-obra com aquela qualificação teve
    como fonte de dados o Plano de Negócios 2010-2014 do Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás Natural (PROMINP). Este Programa identificou a
    demanda futura de mão-de-obra para o setor de P&G até 2014, onde as categorias
    ocupacionais mapeadas possuem pré-requisitos de formação e experiência. Com o intuito de
    entender melhor o objeto deste estudo foi feita uma revisão de literatura no que diz respeito ao
    ensino técnico no Brasil, como também a importância da educação para o crescimento
    econômico e as peculiaridades da economia do petróleo nos diferentes países possuidores
    daquelas jazidas, ou seja, países subdesenvolvidos e desenvolvidos. As análises
    demonstraram que as matrículas no ensino técnico no Brasil apresentaram um significativo
    aumento entre as datas de 2000 a 2008. Traz também como característica a desarmonia com a
    dinâmica dos setores produtivos da economia, devido principalmente ao aquecimento da
    economia antes da crise mundial de 2008, e a retomada recente do crescimento notadamente
    no Setor de Construção Civil, bem como no setor de Petróleo e Gás Natural e Engenharia
    Naval por conta da descoberta de petróleo na camada Pré-sal. Outro aspecto relevante é que
    um dos grandes problemas da qualificação de mão-de-obra no Brasil se deve a má qualidade
    do ensino fundamental e médio, que dificulta para o futuro profissional um bom desempenho
    nas suas funções laborais e na capacidade de aprender novas funções. A aproximação entre a
    oferta no sistema educacional e a demanda de mão-de-obra com a formação de nível médio
    técnico para o setor de P&G, demonstraram que a maioria dos cursos técnicos demandados
    não apresentava matrículas em 2008, ou possuíam poucas matrículas nos 15 estados com
    demanda prevista, e aquelas matrículas estavam mal distribuídas entre os estados. A análise
    aponta para a necessidade de uma política pública que possibilite a adequação do sistema
    educacional (Ensino Médio Técnico) ao setor de P&G, tanto no que se refere ao número de
    matrículas e a sua distribuição entre os estados produtores de petróleo quanto no que se refere
    à especialidade técnica oferecida.

  • Mostrar Abstract
  • O objetivo desta dissertação de mestrado é verificar se a demanda de mão-de-obra com
    formação no ensino médio técnico para o setor de Petróleo e Gás (P&G) está em consonância
    com a oferta daquela formação no sistema educacional brasileiro. A metodologia aplicada
    para obter tal informação foi baseada no Censo Escolar 2000 e 2008, em que os dados foram
    trabalhados de maneira a explicitar o número de matrículas nos cursos de nível médio técnico,
    demandados pelo setor de P&G. A demanda de mão-de-obra com aquela qualificação teve
    como fonte de dados o Plano de Negócios 2010-2014 do Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás Natural (PROMINP). Este Programa identificou a
    demanda futura de mão-de-obra para o setor de P&G até 2014, onde as categorias
    ocupacionais mapeadas possuem pré-requisitos de formação e experiência. Com o intuito de
    entender melhor o objeto deste estudo foi feita uma revisão de literatura no que diz respeito ao
    ensino técnico no Brasil, como também a importância da educação para o crescimento
    econômico e as peculiaridades da economia do petróleo nos diferentes países possuidores
    daquelas jazidas, ou seja, países subdesenvolvidos e desenvolvidos. As análises
    demonstraram que as matrículas no ensino técnico no Brasil apresentaram um significativo
    aumento entre as datas de 2000 a 2008. Traz também como característica a desarmonia com a
    dinâmica dos setores produtivos da economia, devido principalmente ao aquecimento da
    economia antes da crise mundial de 2008, e a retomada recente do crescimento notadamente
    no Setor de Construção Civil, bem como no setor de Petróleo e Gás Natural e Engenharia
    Naval por conta da descoberta de petróleo na camada Pré-sal. Outro aspecto relevante é que
    um dos grandes problemas da qualificação de mão-de-obra no Brasil se deve a má qualidade
    do ensino fundamental e médio, que dificulta para o futuro profissional um bom desempenho
    nas suas funções laborais e na capacidade de aprender novas funções. A aproximação entre a
    oferta no sistema educacional e a demanda de mão-de-obra com a formação de nível médio
    técnico para o setor de P&G, demonstraram que a maioria dos cursos técnicos demandados
    não apresentava matrículas em 2008, ou possuíam poucas matrículas nos 15 estados com
    demanda prevista, e aquelas matrículas estavam mal distribuídas entre os estados. A análise
    aponta para a necessidade de uma política pública que possibilite a adequação do sistema
    educacional (Ensino Médio Técnico) ao setor de P&G, tanto no que se refere ao número de
    matrículas e a sua distribuição entre os estados produtores de petróleo quanto no que se refere
    à especialidade técnica oferecida.
9
  • FABIO FREIRE RIBEIRO DO VALE
  • Desenvolvimento Territorial no Rio Grande do Norte: uma identificação  
    de clusters rurais

  • Orientador : JORGE LUIZ MARIANO DA SILVA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • TALES WANDERLEY VITAL
  • JORGE LUIZ MARIANO DA SILVA
  • ANDRE DE MATTOS MARQUES
  • Data: 13/10/2011

  • Mostrar Resumo
  • O objetivo geral da dissertação consiste na identificação dos espaços  
    rurais, em uma abordagem territorial, no estado do Rio Grande do
    Norte, apontando a existência de correlações espaciais entre os
    municípios, relativas ao nível de desenvolvimento em caráter rural e
    regional, que levam à percepção de clusters. Os métodos a serem
    utilizados buscam o cumprimento dos objetivos mediante análise
    fatorial de componentes principais, para obtenção da variável
    indicadora de ruralidade; a utilização de índice de desenvolvimento
    territorial, que envolve as dimensões ambiental,
    político-institucional, econômica e espacial; e a utilização dos
    índices de Moran, para ruralidade e para desenvolvimento territorial,
    que procuram revelar a dependência dos municípios com relação a seus
    arredores. Com isso, pretende-se ampliar o debate sobre
    desenvolvimento rural em âmbito regional, bem como contribuir na
    utilização de metodologias alternativas para identificação de
    territórios rurais.


  • Mostrar Abstract
  • O objetivo geral da dissertação consiste na identificação dos espaços  
    rurais, em uma abordagem territorial, no estado do Rio Grande do
    Norte, apontando a existência de correlações espaciais entre os
    municípios, relativas ao nível de desenvolvimento em caráter rural e
    regional, que levam à percepção de clusters. Os métodos a serem
    utilizados buscam o cumprimento dos objetivos mediante análise
    fatorial de componentes principais, para obtenção da variável
    indicadora de ruralidade; a utilização de índice de desenvolvimento
    territorial, que envolve as dimensões ambiental,
    político-institucional, econômica e espacial; e a utilização dos
    índices de Moran, para ruralidade e para desenvolvimento territorial,
    que procuram revelar a dependência dos municípios com relação a seus
    arredores. Com isso, pretende-se ampliar o debate sobre
    desenvolvimento rural em âmbito regional, bem como contribuir na
    utilização de metodologias alternativas para identificação de
    territórios rurais.

10
  • ESTÉVANI PEREIRA DE OLIVEIRA
  • “ARRANJOS PRODUTIVOS GLOBALIZADOS: O CASO DO APL DA FRUTICULTURA DE MELÃO DE MOSSORÓ/BARAÚNA - RN."
  • Orientador : VALDENIA APOLINARIO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • LÚCIA MARIA GÓES MOUTINHO
  • MARIA LUSSIEU DA SILVA
  • VALDENIA APOLINARIO
  • Data: 17/11/2011

  • Mostrar Resumo
  • Este estudo busca discutir a temática sobre Arranjos Produtivos Globalizados, precisamente o arranjo produtivo de fruticultura de melão de Mossoró/Baraúna, no Rio Grande do Norte que, a despeito de ser de base agrícola e localizado no semi-árido potiguar, se inseriu no mercado internacional. O presente trabalho busca, a partir do referencial neo-schumpeteriano, fortemente condensado e assimilado no Brasil por meio do enfoque em Arranjos Produtivos Locais enunciado pela Rede de Pesquisa em Sistemas Produtivos e Inovativos Locais (REDESIST), compreender em que medida os esforços de inovação, bem como as interações entre os principais atores que compõem este APL em específico, respondem por sua inserção global. A metodologia inclui a aplicação de questionários junto aos produtores de melão do arranjo, bem como entrevistas com os principais responsáveis pelo apoio, promoção e financiamento. Como conclusão, verifica-se uma significativa interação entre os produtores e os atores do arranjo, fato este que contribuem para a inserção no mercado internacional acompanhada da implementação de inovações relevantes. Por fim, aponta-se para a necessidade políticas públicas direcionadas para a produção de melão, em razão de sua relevância para a pauta de exportações do Rio Grande do Norte.


  • Mostrar Abstract
  • Este estudo busca discutir a temática sobre Arranjos Produtivos Globalizados, precisamente o arranjo produtivo de fruticultura de melão de Mossoró/Baraúna, no Rio Grande do Norte que, a despeito de ser de base agrícola e localizado no semi-árido potiguar, se inseriu no mercado internacional. O presente trabalho busca, a partir do referencial neo-schumpeteriano, fortemente condensado e assimilado no Brasil por meio do enfoque em Arranjos Produtivos Locais enunciado pela Rede de Pesquisa em Sistemas Produtivos e Inovativos Locais (REDESIST), compreender em que medida os esforços de inovação, bem como as interações entre os principais atores que compõem este APL em específico, respondem por sua inserção global. A metodologia inclui a aplicação de questionários junto aos produtores de melão do arranjo, bem como entrevistas com os principais responsáveis pelo apoio, promoção e financiamento. Como conclusão, verifica-se uma significativa interação entre os produtores e os atores do arranjo, fato este que contribuem para a inserção no mercado internacional acompanhada da implementação de inovações relevantes. Por fim, aponta-se para a necessidade políticas públicas direcionadas para a produção de melão, em razão de sua relevância para a pauta de exportações do Rio Grande do Norte.

11
  • JOHNATAN RAFAEL SANTANA DE BRITO
  • EFEITOS DAS TRANSFERÊNCIAS INTERGOVERNAMENTAIS SOBRE AS FINANÇAS PÚBLICAS DOS MUNICÍPIOS
    DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE (2001 – 2010)
  • Orientador : JOAO MATOS FILHO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • FRANCISCO LUIZ CAZEIRO LOPREATO
  • JORGE LUIZ MARIANO DA SILVA
  • JOAO MATOS FILHO
  • Data: 06/12/2011

  • Mostrar Resumo
  • A estrutura fiscal brasileira apresenta características específicas quanto à atuação das esferas de governo. A autonomia dada aos municípios para a gestão de suas atividades, após a constituição de 1988, os tornou altamente dependentes das transferências intergovernamentais de recursos, revelando a fragilidade da capacidade administrativa destes entes. A brecha vertical revelada pela estrutura constitucional do modelo de federalismo fiscal brasileiro contribui para a formação dessa característica específica que acaba minando a base tributária municipal e a capacidade de arrecadação própria. Embora tenha havido uma melhor regulamentação dessas transferências após a promulgação da Lei de Responsabilidade Fiscal, observa-se que a quantidade de recursos transferidos aos municípios do Rio Grande do Norte é bastante elevada e constitui a principal fonte de receita desses municípios. À luz da teoria do federalismo e descentralização fiscal e, em particular, nas teorias relacionadas com as transferências intergovernamentais, busca-se diagnosticar as transferências a partir da sistematização das informações quanto a origem, o valor e o destino. Utilizou-se o modelo econométrico de Painel Dinâmico System GMM na elaboração do diagnóstico e na verificação do impacto dessas transferências nas finanças públicas dos municípios do RN, associado à uma análise à luz da teoria de federalismo fiscal e das transferências intergovernamentais. O trabalho apresenta algumas proposições para o sistema de transferências e na composição dos gastos a fim de contribuir com uma maior eficiência fiscal.

     

     


  • Mostrar Abstract
  • A estrutura fiscal brasileira apresenta características específicas quanto à atuação das esferas de governo. A autonomia dada aos municípios para a gestão de suas atividades, após a constituição de 1988, os tornou altamente dependentes das transferências intergovernamentais de recursos, revelando a fragilidade da capacidade administrativa destes entes. A brecha vertical revelada pela estrutura constitucional do modelo de federalismo fiscal brasileiro contribui para a formação dessa característica específica que acaba minando a base tributária municipal e a capacidade de arrecadação própria. Embora tenha havido uma melhor regulamentação dessas transferências após a promulgação da Lei de Responsabilidade Fiscal, observa-se que a quantidade de recursos transferidos aos municípios do Rio Grande do Norte é bastante elevada e constitui a principal fonte de receita desses municípios. À luz da teoria do federalismo e descentralização fiscal e, em particular, nas teorias relacionadas com as transferências intergovernamentais, busca-se diagnosticar as transferências a partir da sistematização das informações quanto a origem, o valor e o destino. Utilizou-se o modelo econométrico de Painel Dinâmico System GMM na elaboração do diagnóstico e na verificação do impacto dessas transferências nas finanças públicas dos municípios do RN, associado à uma análise à luz da teoria de federalismo fiscal e das transferências intergovernamentais. O trabalho apresenta algumas proposições para o sistema de transferências e na composição dos gastos a fim de contribuir com uma maior eficiência fiscal.

     

     

12
  • THALES AUGUSTO MEDEIROS PENHA
  • "As Regras do jogo: mudanças estruturais na agropecuária do Rio Grande do
    Norte sob a ótica da Nova Economia Institucional (1990 - 2010)."


  • Orientador : JOAO MATOS FILHO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • EDWARD MARTINS COSTA
  • WALTER BELIK
  • JOAO MATOS FILHO
  • Data: 13/12/2011

  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho analisa a trajetória do meio rural do Rio Grande do Norte à luz das teorias institucionalistas, com
    ênfase na corrente teórica da Nova Economia Institucional (NEI) baseada em dois
    níveis de análise: macroinstituições ou ambiente institucional e
    microinstituições ou estruturas de governança, assim como a sua interrelação. Desta
    forma, analisou-se as transformações no ambiente institucional do Rio Grande do
    Norte desde os anos 1990 até o final dos anos 2000, de maneira a identificar
    quem são e como se configuram os agentes ao longo deste processo. Partindo da
    hipótese de que diante do atual ambiente institucional, diversos agentes atuam
    no meio rural potiguar. Estes co-existem praticando diferentes estilos de
    agricultura e constituindo distintas estruturas de governança para dialogar com
    as macroinstituições. Percebendo também que os agentes que praticam o modo de
    produção familiar são os mais vulneráveis, estes travam uma luta constante pela
    sua autonomia, este trabalho também se propõe a construir um mecanismo que possibilite
    estes agentes da produção familiar a ganharem maior autonomia diante do
    ambiente hostil que envolve a agricultura. Assim, a partir da teoria do desenho
    de mecanismos será constituída uma estrutura de governança, baseada na
    elaboração de incentivos aos agentes, levando em conta a racionalidade dos
    agentes em meio a assimetria de informação. Esta estrutura terá com estratégia
    a cooperação como meio de reduzir a vulnerabilidade dos produtores através da
    ação em conjunto.


  • Mostrar Abstract
  • Este trabalho analisa a trajetória do meio rural do Rio Grande do Norte à luz das teorias institucionalistas, com
    ênfase na corrente teórica da Nova Economia Institucional (NEI) baseada em dois
    níveis de análise: macroinstituições ou ambiente institucional e
    microinstituições ou estruturas de governança, assim como a sua interrelação. Desta
    forma, analisou-se as transformações no ambiente institucional do Rio Grande do
    Norte desde os anos 1990 até o final dos anos 2000, de maneira a identificar
    quem são e como se configuram os agentes ao longo deste processo. Partindo da
    hipótese de que diante do atual ambiente institucional, diversos agentes atuam
    no meio rural potiguar. Estes co-existem praticando diferentes estilos de
    agricultura e constituindo distintas estruturas de governança para dialogar com
    as macroinstituições. Percebendo também que os agentes que praticam o modo de
    produção familiar são os mais vulneráveis, estes travam uma luta constante pela
    sua autonomia, este trabalho também se propõe a construir um mecanismo que possibilite
    estes agentes da produção familiar a ganharem maior autonomia diante do
    ambiente hostil que envolve a agricultura. Assim, a partir da teoria do desenho
    de mecanismos será constituída uma estrutura de governança, baseada na
    elaboração de incentivos aos agentes, levando em conta a racionalidade dos
    agentes em meio a assimetria de informação. Esta estrutura terá com estratégia
    a cooperação como meio de reduzir a vulnerabilidade dos produtores através da
    ação em conjunto.

2010
Dissertações
1
  • ELISETE CRISTINA LOPES
  • UMA ABORDAGEM INSTITUCIONAL DA CARCINICULTURA NO RIO GRANDE DO NORTE DE 1999 A 2009.

  • Orientador : JOAO MATOS FILHO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • JOAO MATOS FILHO
  • EMANOEL MÁRCIO NUNES
  • MARIA LUSSIEU DA SILVA
  • Data: 26/02/2010

  • Mostrar Resumo
  • Esse estudo analisa o ambiente institucional e suas mudanças em torno da atividade carcinicultora no Rio Grande do Norte a partir da compreensão da sua trajetória e dos elementos micro e macroinstitucionais que caracterizam a atividade no período de 1999 a 2009. Na análise das mudanças institucionais ocorridas na carcinicultura toma-se como referência espacial o Estuário Guaraíra, localizado no litoral oriental do Rio Grande do Norte. A análise proposta tem por base a adoção do amparo conceitual das inovadoras teorias institucionalistas e neoshumpterianas, por entender que estas trazem elementos complementares e enriquecedores que permitirão uma análise, não estática, mas, dinâmica da atividade carcinicultora. Verificou-se que a crise alavancada pela ação anti-dumping, pelos problemas das doenças que abateram o camarão, pela desvalorização do real, entre outros levou a uma reviravolta na conjuntura de mercado e produtiva e forçou a alteração das instituições vigentes. Essa alteração institucional, vai no sentido de buscar atender as novas demandas da carcinicultura que foi possível pela solidez dos alicerces institucionais construídos ao longo dos trinta anos anteriores e a conseqüente consolidação do aparato institucional composto por um rico mix de organizações, não só por agências de governo, como também por organizações com representação social.


  • Mostrar Abstract
  • Esse estudo analisa o ambiente institucional e suas mudanças em torno da atividade carcinicultora no Rio Grande do Norte a partir da compreensão da sua trajetória e dos elementos micro e macroinstitucionais que caracterizam a atividade no período de 1999 a 2009. Na análise das mudanças institucionais ocorridas na carcinicultura toma-se como referência espacial o Estuário Guaraíra, localizado no litoral oriental do Rio Grande do Norte. A análise proposta tem por base a adoção do amparo conceitual das inovadoras teorias institucionalistas e neoshumpterianas, por entender que estas trazem elementos complementares e enriquecedores que permitirão uma análise, não estática, mas, dinâmica da atividade carcinicultora. Verificou-se que a crise alavancada pela ação anti-dumping, pelos problemas das doenças que abateram o camarão, pela desvalorização do real, entre outros levou a uma reviravolta na conjuntura de mercado e produtiva e forçou a alteração das instituições vigentes. Essa alteração institucional, vai no sentido de buscar atender as novas demandas da carcinicultura que foi possível pela solidez dos alicerces institucionais construídos ao longo dos trinta anos anteriores e a conseqüente consolidação do aparato institucional composto por um rico mix de organizações, não só por agências de governo, como também por organizações com representação social.

2
  • GILDERLANIO ALVES HOLANDA
  • INSTITUIÇÕES, AGRICULTURA FAMILIAR E CRÉDITO RURAL: AVALIAÇÃO DE RESULTADOS DO PRONAF B NOS TERRITÓRIOS RURAIS DO RIO GRANDE DO NORTE.

  • Orientador : JOAO MATOS FILHO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • JORGE LUIZ MARIANO DA SILVA
  • JOAO MATOS FILHO
  • TALES WANDERLEY VITAL
  • Data: 30/03/2010

  • Mostrar Resumo
  • A partir de ampla revisão da literatura institucionalista, o trabalho procura responder as perguntas de pesquisa: Por que o crédito rural Pronaf grupo B apresenta bons resultados junto aos agricultores familiares em alguns territórios rurais do Rio Grande do Norte e em outros não? As regras formais são iguais, então por que os resultados são diferentes? A pesquisa sustenta que esses resultados derivam da qualidade das instituições, definidas como sistemas duradouros de regras sociais estabelecidas e embutidas que estruturam as interações sociais. Estruturas organizacionais, regras formais e informais, confiança social, hábitos de pensamento e sua evolução, rotinas são todas instituição. Tendo como pano de fundo o crédito rural Pronaf, a dissertação avalia e compara os resultados do Pronaf B nos territórios rurais Seridó, Sertão do Apodi, Mato Grande, Assú-Mossoró, Trairí, Potengi e Alto Oeste, através de indicadores referentes às dimensões - econômica, garantia de transparência e social -, elaboradas a partir de uma amostra de 402 agricultores familiares do grupo B. Por sua vez, traça o perfil socioeconômico desses agricultores no conjunto desses territórios rurais. Além disso, o estudo aponta as principais causas da inadimplência, dificuldades para melhorar a renda e resultados do acesso ao crédito. Finalmente, com base na análise do crédito Pronaf B, a pesquisa apresenta propostas para superar obstáculos para melhorar a eficiência dessa linha de crédito.


  • Mostrar Abstract
  • A partir de ampla revisão da literatura institucionalista, o trabalho procura responder as perguntas de pesquisa: Por que o crédito rural Pronaf grupo B apresenta bons resultados junto aos agricultores familiares em alguns territórios rurais do Rio Grande do Norte e em outros não? As regras formais são iguais, então por que os resultados são diferentes? A pesquisa sustenta que esses resultados derivam da qualidade das instituições, definidas como sistemas duradouros de regras sociais estabelecidas e embutidas que estruturam as interações sociais. Estruturas organizacionais, regras formais e informais, confiança social, hábitos de pensamento e sua evolução, rotinas são todas instituição. Tendo como pano de fundo o crédito rural Pronaf, a dissertação avalia e compara os resultados do Pronaf B nos territórios rurais Seridó, Sertão do Apodi, Mato Grande, Assú-Mossoró, Trairí, Potengi e Alto Oeste, através de indicadores referentes às dimensões - econômica, garantia de transparência e social -, elaboradas a partir de uma amostra de 402 agricultores familiares do grupo B. Por sua vez, traça o perfil socioeconômico desses agricultores no conjunto desses territórios rurais. Além disso, o estudo aponta as principais causas da inadimplência, dificuldades para melhorar a renda e resultados do acesso ao crédito. Finalmente, com base na análise do crédito Pronaf B, a pesquisa apresenta propostas para superar obstáculos para melhorar a eficiência dessa linha de crédito.

3
  • GEMELLI MOURA DA TRINDADE
  • A FRUTICULTURA IRRIGADA DE PEQUENOS PRODUTOS NO BAIXO AÇU: UMA ANÁLISE DA EFICIÊNCIA DE CUSTO.

  • Orientador : JORGE LUIZ MARIANO DA SILVA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • YONY DE SÁ BARRETO SAMPAIO
  • LUCIANO MENEZES BEZERRA SAMPAIO
  • JORGE LUIZ MARIANO DA SILVA
  • Data: 09/04/2010

  • Mostrar Resumo
  •  

    Este trabalho tem como objetivo analisar a eficiência de custos dos produtores do projeto de irrigação do Baixo-Açu, e identificar os determinantes dessa eficiência. Para alcançar esses objetivos estimou-se, numa primeira etapa, uma fronteira de custos pelo método não paramétrico de análise de envoltória de dados (Data Envelopment Analysis – DEA), e mensuraram-se os escores da eficiência dos produtores. Na segunda etapa, utilizou-se o modelo de regressão Tobit, estimando uma função ineficiência de custos, e identificaram-se os fatores associados com o desperdício de recursos. Entre os resultados encontrados notou-se a existência de um elevado desperdício de recursos, que representaram mais de 54% do custo efetivo. Entre os fatores com maiores percentuais de desperdícios estão: a energia, os herbicidas, os defensivos e os adubos químicos. De forma geral, os produtores apresentaram baixo nível de eficiência e, apenas, dois, dos setenta e cinco pesquisados, atingiram a fronteira de minimização de custos. Esses resultados revelam, de certa forma, que os produtores na fruticultura irrigada no Projeto de irrigação Baixo-Açu não procuram minimizar custos de produção. Notou-se ainda, que a redução de desperdício de recursos, e assim da ineficiência de custos, está associada com a educação do agricultor, a sua experiência na agricultura, o seu acesso ao crédito e a assistência técnica.

     

    Este trabalho tem como objetivo analisar a eficiência de custos dos produtores do projeto de irrigação do Baixo-Açu, e identificar os determinantes dessa eficiência. Para alcançar esses objetivos estimou-se, numa primeira etapa, uma fronteira de custos pelo método não paramétrico de análise de envoltória de dados (Data Envelopment Analysis – DEA), e mensuraram-se os escores da eficiência dos produtores. Na segunda etapa, utilizou-se o modelo de regressão Tobit, estimando uma função ineficiência de custos, e identificaram-se os fatores associados com o desperdício de recursos. Entre os resultados encontrados notou-se a existência de um elevado desperdício de recursos, que representaram mais de 54% do custo efetivo. Entre os fatores com maiores percentuais de desperdícios estão: a energia, os herbicidas, os defensivos e os adubos químicos. De forma geral, os produtores apresentaram baixo nível de eficiência e, apenas, dois, dos setenta e cinco pesquisados, atingiram a fronteira de minimização de custos. Esses resultados revelam, de certa forma, que os produtores na fruticultura irrigada no Projeto de irrigação Baixo-Açu não procuram minimizar custos de produção. Notou-se ainda, que a redução de desperdício de recursos, e assim da ineficiência de custos, está associada com a educação do agricultor, a sua experiência na agricultura, o seu acesso ao crédito e a assistência técnica.


  • Mostrar Abstract
  •  

    Este trabalho tem como objetivo analisar a eficiência de custos dos produtores do projeto de irrigação do Baixo-Açu, e identificar os determinantes dessa eficiência. Para alcançar esses objetivos estimou-se, numa primeira etapa, uma fronteira de custos pelo método não paramétrico de análise de envoltória de dados (Data Envelopment Analysis – DEA), e mensuraram-se os escores da eficiência dos produtores. Na segunda etapa, utilizou-se o modelo de regressão Tobit, estimando uma função ineficiência de custos, e identificaram-se os fatores associados com o desperdício de recursos. Entre os resultados encontrados notou-se a existência de um elevado desperdício de recursos, que representaram mais de 54% do custo efetivo. Entre os fatores com maiores percentuais de desperdícios estão: a energia, os herbicidas, os defensivos e os adubos químicos. De forma geral, os produtores apresentaram baixo nível de eficiência e, apenas, dois, dos setenta e cinco pesquisados, atingiram a fronteira de minimização de custos. Esses resultados revelam, de certa forma, que os produtores na fruticultura irrigada no Projeto de irrigação Baixo-Açu não procuram minimizar custos de produção. Notou-se ainda, que a redução de desperdício de recursos, e assim da ineficiência de custos, está associada com a educação do agricultor, a sua experiência na agricultura, o seu acesso ao crédito e a assistência técnica.

     

    Este trabalho tem como objetivo analisar a eficiência de custos dos produtores do projeto de irrigação do Baixo-Açu, e identificar os determinantes dessa eficiência. Para alcançar esses objetivos estimou-se, numa primeira etapa, uma fronteira de custos pelo método não paramétrico de análise de envoltória de dados (Data Envelopment Analysis – DEA), e mensuraram-se os escores da eficiência dos produtores. Na segunda etapa, utilizou-se o modelo de regressão Tobit, estimando uma função ineficiência de custos, e identificaram-se os fatores associados com o desperdício de recursos. Entre os resultados encontrados notou-se a existência de um elevado desperdício de recursos, que representaram mais de 54% do custo efetivo. Entre os fatores com maiores percentuais de desperdícios estão: a energia, os herbicidas, os defensivos e os adubos químicos. De forma geral, os produtores apresentaram baixo nível de eficiência e, apenas, dois, dos setenta e cinco pesquisados, atingiram a fronteira de minimização de custos. Esses resultados revelam, de certa forma, que os produtores na fruticultura irrigada no Projeto de irrigação Baixo-Açu não procuram minimizar custos de produção. Notou-se ainda, que a redução de desperdício de recursos, e assim da ineficiência de custos, está associada com a educação do agricultor, a sua experiência na agricultura, o seu acesso ao crédito e a assistência técnica.

4
  • MARCELO AUGUSTO PONTES DE ARAÚJO
  • O PAPEL DO BNB NA ECONOMIA NORDESTINA PÓS 1990.

  • Orientador : ANDRE LUIS CABRAL DE LOURENCO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • SIMONE SILVA DE DEOS
  • ANDRE LUIS CABRAL DE LOURENCO
  • JOAO MATOS FILHO
  • Data: 30/04/2010

  • Mostrar Resumo
  • O presente trabalho objetiva analisar o papel do crédito vinculado às tentativas de fomentar a modernização da estrutura econômica nordestina. Tal procedimento se sustenta nos financiamentos do BNB, o qual se configura como instituição financiadora do processo de industrialização da região nordeste. O principal fundo à essa finalidade é o FNE. Dessa maneira avaliaremos também a importância do crédito na dinâmica de regiões periféricas como o nordeste o é. Assim, indaga-se: tais mecanismos foram relevantes para eliminar os gargalos produtivos do Nordeste através da modernização de sua economia? O direcionamento do fundo ocorreu de forma a diminuir o hiato intra-regional? A suposição do trabalho é que tais fundos configuraram-se como essenciais à economia nordestina, no entanto, insuficientes para a finalidade a qual foram criados. Usa-se uma pesquisa bibliográfica alicerçada na literatura pertinente, associada a uma análise documental, a qual permite a utilização de dados estatísticos que demonstrem o desempenho do BNB referente ao objetivo do FNE. Finalmente, nota-se que, tanto houve uma concentração no direcionamento do fundo para setores menos complexos, o que contribuiu para a manutenção estrutural da economia nordestina, como o fundo atuou de forma espacialmente imperfeita garantindo a desconcentração de apenas algumas sub-regiões.


  • Mostrar Abstract
  • O presente trabalho objetiva analisar o papel do crédito vinculado às tentativas de fomentar a modernização da estrutura econômica nordestina. Tal procedimento se sustenta nos financiamentos do BNB, o qual se configura como instituição financiadora do processo de industrialização da região nordeste. O principal fundo à essa finalidade é o FNE. Dessa maneira avaliaremos também a importância do crédito na dinâmica de regiões periféricas como o nordeste o é. Assim, indaga-se: tais mecanismos foram relevantes para eliminar os gargalos produtivos do Nordeste através da modernização de sua economia? O direcionamento do fundo ocorreu de forma a diminuir o hiato intra-regional? A suposição do trabalho é que tais fundos configuraram-se como essenciais à economia nordestina, no entanto, insuficientes para a finalidade a qual foram criados. Usa-se uma pesquisa bibliográfica alicerçada na literatura pertinente, associada a uma análise documental, a qual permite a utilização de dados estatísticos que demonstrem o desempenho do BNB referente ao objetivo do FNE. Finalmente, nota-se que, tanto houve uma concentração no direcionamento do fundo para setores menos complexos, o que contribuiu para a manutenção estrutural da economia nordestina, como o fundo atuou de forma espacialmente imperfeita garantindo a desconcentração de apenas algumas sub-regiões.

2009
Dissertações
1
  • THAIZE FERNANDES OLIVEIRA DE ASSIS
  • "EMPREGO FORMAL NA REGIÃO NORDESTE BRASILEIRA: SEUS EFEITOS NA INCLUSÃO SOCIAL"
  • Orientador : PAULO CESAR FORMIGA RAMOS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • PAULO CESAR FORMIGA RAMOS
  • JORGE LUIZ MARIANO DA SILVA
  • NEIR ANTUNES PAES
  • Data: 30/04/2009

  • Mostrar Resumo
  • O trabalho visa estudar a problemática do emprego formal na região Nordeste brasileira e seus efeitos na inclusão social, tomando por base a análise de variáveis retiradas do Atlas de Exclusão Social, que tem por base o censo 2000, empregando o município como unidade de análise. Como opções metodológicas, apresentou-se, inicialmente, uma análise exploratória dos dados, seguida da utilização de técnicas estatísticas multivariadas, tais como, análise de regressão linear múltipla ponderada, análise de cluster e análise exploratória espacial. Os resultados apontam para baixas taxas de emprego formal na População em Idade Ativa, bem como baixos índices de inclusão social na região Nordeste brasileira. Constatou-se uma forte associação do emprego formal com os indicadores de inclusão social investigados (escolaridade, desigualdade, pobreza, juventude e renda de transferência governamental). Nas Unidades Federativas, onde há melhores níveis de emprego formal, também foram observados bons índices de inclusão social, havendo destaque para o estado do Rio Grande do Norte com melhores condições de vida e para o estado do Maranhão e Piauí com piores condições. A situação da região Nordeste é bastante precária diante dos indicadores sob estudo, remetendo para a necessidade de se dar ênfase aos programas e ações governamentais direcionadas, em especial, ao aumento no nível de emprego formal da região, refletindo, assim, em melhorias da desigualdade de renda, melhorando a inclusão social da população Nordestina.

  • Mostrar Abstract
  • O trabalho visa estudar a problemática do emprego formal na região Nordeste brasileira e seus efeitos na inclusão social, tomando por base a análise de variáveis retiradas do Atlas de Exclusão Social, que tem por base o censo 2000, empregando o município como unidade de análise. Como opções metodológicas, apresentou-se, inicialmente, uma análise exploratória dos dados, seguida da utilização de técnicas estatísticas multivariadas, tais como, análise de regressão linear múltipla ponderada, análise de cluster e análise exploratória espacial. Os resultados apontam para baixas taxas de emprego formal na População em Idade Ativa, bem como baixos índices de inclusão social na região Nordeste brasileira. Constatou-se uma forte associação do emprego formal com os indicadores de inclusão social investigados (escolaridade, desigualdade, pobreza, juventude e renda de transferência governamental). Nas Unidades Federativas, onde há melhores níveis de emprego formal, também foram observados bons índices de inclusão social, havendo destaque para o estado do Rio Grande do Norte com melhores condições de vida e para o estado do Maranhão e Piauí com piores condições. A situação da região Nordeste é bastante precária diante dos indicadores sob estudo, remetendo para a necessidade de se dar ênfase aos programas e ações governamentais direcionadas, em especial, ao aumento no nível de emprego formal da região, refletindo, assim, em melhorias da desigualdade de renda, melhorando a inclusão social da população Nordestina.
2
  • ZORAIDE BEZERRA GOMES
  • O PROGRAMA EMPREGADOR DE ÚLTIMA INSTÂNCIA: SUA RELEVÂNCIA EM TEMPOS DE CRISES FINANCEIRAS E SUA APLICABILIDADE AO BRASIL.

  • Orientador : ANDRE LUIS CABRAL DE LOURENCO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARCONI GOMES DA SILVA
  • ANTONIO CARLOS MACEDO E SILVA
  • ANDRE LUIS CABRAL DE LOURENCO
  • Data: 25/09/2009

  • Mostrar Resumo
  • A presente dissertação objetiva dar prosseguimento a um trabalho realizado anteriormente acerca das propriedades do programa empregador de última instância (ELR) que seriam capazes de promover uma completa eliminação do desemprego involuntário da economia, tanto do desemprego gerado por problemas estruturais quanto por problemas conjunturais, como a presente crise financeira mundial. Além disso, pretende-se aprofundar o estudo acerca da aplicabilidade desse programa à economia brasileira, estimando a sua população-alvo potencial no país e o custo com remuneração dos trabalhadores. Apresentou-se a matriz teórico-conceitual do programa ELR e um debate acerca da sua viabilidade econômica; as propriedades do programa que o tornam mais eficiente do que as políticas monetárias e fiscais (PMFs) no combate ao desemprego involuntário em tempos de crises financeiras; um estudo sobre a sua aplicabilidade às especificidades sócio-econômicas do Brasil e uma estimação da sua população-alvo potencial e do custo anual com remuneração dos trabalhadores no país, como um todo, e no caso específico da região Nordeste e do estado do Rio Grande do Norte.


  • Mostrar Abstract
  • A presente dissertação objetiva dar prosseguimento a um trabalho realizado anteriormente acerca das propriedades do programa empregador de última instância (ELR) que seriam capazes de promover uma completa eliminação do desemprego involuntário da economia, tanto do desemprego gerado por problemas estruturais quanto por problemas conjunturais, como a presente crise financeira mundial. Além disso, pretende-se aprofundar o estudo acerca da aplicabilidade desse programa à economia brasileira, estimando a sua população-alvo potencial no país e o custo com remuneração dos trabalhadores. Apresentou-se a matriz teórico-conceitual do programa ELR e um debate acerca da sua viabilidade econômica; as propriedades do programa que o tornam mais eficiente do que as políticas monetárias e fiscais (PMFs) no combate ao desemprego involuntário em tempos de crises financeiras; um estudo sobre a sua aplicabilidade às especificidades sócio-econômicas do Brasil e uma estimação da sua população-alvo potencial e do custo anual com remuneração dos trabalhadores no país, como um todo, e no caso específico da região Nordeste e do estado do Rio Grande do Norte.

3
  • WILLIAM GLEDSON E SILVA
  • FINANÇAS PÚBLICAS NA NOVA ORDEM CONSTITUCIONAL BRASILEIRA: UMA ANÁLISE COMPORTAMENTAL DOS MUNICÍPIOS POTIGUARES, NOS ANOS ANTECEDENTES E POSTERIORES À LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL – LRF.

  • Orientador : JOAO MATOS FILHO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • EMANOEL MÁRCIO NUNES
  • JOAO MATOS FILHO
  • FRANCISCO WELLINGTON DUARTE
  • Data: 30/11/2009

  • Mostrar Resumo
  • O objetivo da presente dissertação é analisar o comportamento das finanças públicas dos municípios do Rio Grande do Norte (RN), tomando como referência um período fundamentalmente anterior à implementação da Lei de Responsabilidade Fiscal – LRF, comparativamente aos primeiros anos, imediatamente posteriores ao advento do referido marco institucional. A hipótese central deste estudo propõe que, do ponto de vista das instituições, a LRF estabelece regras seguramente consistentes, na orquestração do comportamento das receitas e despesas municipais. Essas regulamentações, por sua vez, podem vir a ser efetivas e alcançarem os municípios do RN indiscriminadamente; além de tendências estabilizadoras e que são sustentáveis no longo prazo. Apesar disso, os indicadores calculados revelam que os municípios pesquisados apresentam, durante todo o período analisado, uma reduzida capacidade de arrecadação própria e, conseqüentemente, uma elevada participação das transferências intergovernamentais na composição das receitas correntes. Esse comportamento indica que o objetivo de fortalecimento das finanças públicas municipais, previsto na LRF, tende a ser apenas parcialmente alcançado, em virtude do descentralismo fiscal. A análise e interpretação dos dados são feitas a partir da literatura de orientação institucionalista e em instrumentais estatísticos descritivos aplicados aos estratos municipais do Rio Grande do Norte. Posteriormente, faz-se uso do método econométrico Pooled OLS, o que demanda a eliminação dos estratos municipais para permitir a utilização do modelo, na tentativa de robustecer e/ ou ratificar os resultados da pesquisa. Finalmente, as evidências alcançadas na dissertação mostram que a LRF traz melhores condições às finanças públicas municipais potiguares, além da garantia de tendências estabilizadoras e sustentáveis no longo prazo, predominantemente aos municípios economicamente mais fortes; já as entidades municipais menos dinâmicas apresentam evidências um pouco divergentes, isto é, suas economias parecem ser mais orientadas a uma participação estatal mais pronunciada; assim sendo, gera no estado do RN certa antítese nos resultados alcançados na dissertação.


  • Mostrar Abstract
  • O objetivo da presente dissertação é analisar o comportamento das finanças públicas dos municípios do Rio Grande do Norte (RN), tomando como referência um período fundamentalmente anterior à implementação da Lei de Responsabilidade Fiscal – LRF, comparativamente aos primeiros anos, imediatamente posteriores ao advento do referido marco institucional. A hipótese central deste estudo propõe que, do ponto de vista das instituições, a LRF estabelece regras seguramente consistentes, na orquestração do comportamento das receitas e despesas municipais. Essas regulamentações, por sua vez, podem vir a ser efetivas e alcançarem os municípios do RN indiscriminadamente; além de tendências estabilizadoras e que são sustentáveis no longo prazo. Apesar disso, os indicadores calculados revelam que os municípios pesquisados apresentam, durante todo o período analisado, uma reduzida capacidade de arrecadação própria e, conseqüentemente, uma elevada participação das transferências intergovernamentais na composição das receitas correntes. Esse comportamento indica que o objetivo de fortalecimento das finanças públicas municipais, previsto na LRF, tende a ser apenas parcialmente alcançado, em virtude do descentralismo fiscal. A análise e interpretação dos dados são feitas a partir da literatura de orientação institucionalista e em instrumentais estatísticos descritivos aplicados aos estratos municipais do Rio Grande do Norte. Posteriormente, faz-se uso do método econométrico Pooled OLS, o que demanda a eliminação dos estratos municipais para permitir a utilização do modelo, na tentativa de robustecer e/ ou ratificar os resultados da pesquisa. Finalmente, as evidências alcançadas na dissertação mostram que a LRF traz melhores condições às finanças públicas municipais potiguares, além da garantia de tendências estabilizadoras e sustentáveis no longo prazo, predominantemente aos municípios economicamente mais fortes; já as entidades municipais menos dinâmicas apresentam evidências um pouco divergentes, isto é, suas economias parecem ser mais orientadas a uma participação estatal mais pronunciada; assim sendo, gera no estado do RN certa antítese nos resultados alcançados na dissertação.

4
  • JEFFERSON TEIXEIRA DANTAS
  • RELAÇÕES INTERNACIONAIS: O COMÉRCIO EXTERIOR DO BRASIL E RIO GRANDE DO NORTE NO PERÍODO DE 1999 A 2008.

  • Orientador : MARIA LUSSIEU DA SILVA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • EMANOEL MÁRCIO NUNES
  • MARIA LUSSIEU DA SILVA
  • MARIA DO SOCORRO GONDIM TEIXEIRA
  • Data: 17/12/2009

  • Mostrar Resumo
  • O período pós-guerra promoveu inúmeras transformações nas relações econômicas, políticas e sociais no mundo. Desde então, uma nova divisão internacional do trabalho vem se desenhando, com o grande crescimento dos países asiáticos. No campo das relações internacionais, o mundo ainda aparece em transição não concluída, pois as antigas instituições não foram substituídas por novas e o poder dos Estados Unidos enquanto principal país capitalista se mantém inabalado, mesmo com o surgimento e fortalecimento de novos blocos econômicos mundiais. Com a globalização, o Brasil ressurge com mais intensidade diante dos novos temas globais, embora sua parcela nas transações comerciais mundiais não tenha se alterado na mesma proporção. Neste sentido, o objetivo principal dessa dissertação é analisar, de forma descritiva e crítica o desenvolvimento das relações internacionais e comerciais do Brasil e do Rio Grande do Norte com os principais blocos econômicos mundiais no período de 1999 a 2008. Como objetivos secundários: identificar os pressupostos teóricos que alicerçaram as decisões dos governos FHC e Lula, em especial, na interferência destas no tocante as relações internacionais e do comércio exterior. Adotou-se como procedimento metodológico a análise bibliográfica da temática, bem como a coleta e tratamento estatístico dos dados do comércio exterior. Durante o governo FHC o país passou pelo grande crescimento das importações, como parte da estratégia da política econômica anti-inflacionária, gerando grandes déficits comerciais. Na passagem do primeiro para o segundo mandato, com a inflexão da política cambial o país retomou os superávits comerciais. A opção do governo pela autonomia elevou a participação relativa dos blocos tradicionais no total do comércio exterior e reduziu a participação do MERCOSUL. No governo Lula, observa-se a manutenção de alguns elementos da política econômica do governo anterior e a mudança parcial na condução da política externa, com a opção da autonomia pela diversificação, ampliando a participação relativa dos demais blocos e países emergentes no total do comércio exterior brasileiro e redução da participação dos blocos tradicionais, como o NAFTA e a União Europeia. Uma tendência observada no governo anterior e aprofundada no governo Lula foi o crescimento da exportação de produtos básicos e a retração dos produtos manufaturados, confirmando o modelo de inserção conservadora da exportação brasileira. O Rio Grande do Norte acompanhou a tendência brasileira no crescimento do comércio exterior, inclusive na sua inserção conservadora, dado que os produtos exportados pelo estado são basicamente oriundos da fruticultura irrigada e da agroindústria. Porém, no aspecto do destino das exportações, o estado seguiu trajetória distinta do apresentado no governo Lula, com o aprofundamento das relações comerciais com os blocos tradicionais, principalmente com a União Europeia e o NAFTA.


  • Mostrar Abstract
  • O período pós-guerra promoveu inúmeras transformações nas relações econômicas, políticas e sociais no mundo. Desde então, uma nova divisão internacional do trabalho vem se desenhando, com o grande crescimento dos países asiáticos. No campo das relações internacionais, o mundo ainda aparece em transição não concluída, pois as antigas instituições não foram substituídas por novas e o poder dos Estados Unidos enquanto principal país capitalista se mantém inabalado, mesmo com o surgimento e fortalecimento de novos blocos econômicos mundiais. Com a globalização, o Brasil ressurge com mais intensidade diante dos novos temas globais, embora sua parcela nas transações comerciais mundiais não tenha se alterado na mesma proporção. Neste sentido, o objetivo principal dessa dissertação é analisar, de forma descritiva e crítica o desenvolvimento das relações internacionais e comerciais do Brasil e do Rio Grande do Norte com os principais blocos econômicos mundiais no período de 1999 a 2008. Como objetivos secundários: identificar os pressupostos teóricos que alicerçaram as decisões dos governos FHC e Lula, em especial, na interferência destas no tocante as relações internacionais e do comércio exterior. Adotou-se como procedimento metodológico a análise bibliográfica da temática, bem como a coleta e tratamento estatístico dos dados do comércio exterior. Durante o governo FHC o país passou pelo grande crescimento das importações, como parte da estratégia da política econômica anti-inflacionária, gerando grandes déficits comerciais. Na passagem do primeiro para o segundo mandato, com a inflexão da política cambial o país retomou os superávits comerciais. A opção do governo pela autonomia elevou a participação relativa dos blocos tradicionais no total do comércio exterior e reduziu a participação do MERCOSUL. No governo Lula, observa-se a manutenção de alguns elementos da política econômica do governo anterior e a mudança parcial na condução da política externa, com a opção da autonomia pela diversificação, ampliando a participação relativa dos demais blocos e países emergentes no total do comércio exterior brasileiro e redução da participação dos blocos tradicionais, como o NAFTA e a União Europeia. Uma tendência observada no governo anterior e aprofundada no governo Lula foi o crescimento da exportação de produtos básicos e a retração dos produtos manufaturados, confirmando o modelo de inserção conservadora da exportação brasileira. O Rio Grande do Norte acompanhou a tendência brasileira no crescimento do comércio exterior, inclusive na sua inserção conservadora, dado que os produtos exportados pelo estado são basicamente oriundos da fruticultura irrigada e da agroindústria. Porém, no aspecto do destino das exportações, o estado seguiu trajetória distinta do apresentado no governo Lula, com o aprofundamento das relações comerciais com os blocos tradicionais, principalmente com a União Europeia e o NAFTA.

5
  • ADRIANO OLIVIER DE FREITAS E SILVA
  • A INDÚSTRIA PETROLÍFERA NACIONAL E POTIGUAR: UMA ANÁLISE A PARTIR DA TECNOLOGIA EM E&P.

  • Orientador : MARIA LUSSIEU DA SILVA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • EMANOEL MÁRCIO NUNES
  • MARIA DO SOCORRO GONDIM TEIXEIRA
  • MARIA LUSSIEU DA SILVA
  • Data: 18/12/2009

  • Mostrar Resumo
  • Este trabalho aborda a Indústria Petrolífera Mundial, Brasileira e Potiguar através de sete variáveis (Caráter do petróleo; risco; economia de escala; integração; barreiras; tecnologia e ambiente). O estudo busca apontar os elementos determinantes de cada ambiente em uma atividade primordial para a dinâmica do setor e da sociedade, uma vez que estas variáveis são elementos importantes de acompanhamento da atividade, em particular a tecnologia.  O estudo tem por base o referencial neoschumpeteriano e apóia-se em dados da ANP, MME, MCCE/TSE, OPEC, IAE, IFP, UNDP. O trabalho conclui que, a partir dos resultados da caracterização mundial, nacional e local, há uma certa similitude dos três ambientes no que se refere ao comportamento destas variáveis com pequenas modificações suscitadas pelo grau de desenvolvimento e complexidade da atividade.


  • Mostrar Abstract
  • Este trabalho aborda a Indústria Petrolífera Mundial, Brasileira e Potiguar através de sete variáveis (Caráter do petróleo; risco; economia de escala; integração; barreiras; tecnologia e ambiente). O estudo busca apontar os elementos determinantes de cada ambiente em uma atividade primordial para a dinâmica do setor e da sociedade, uma vez que estas variáveis são elementos importantes de acompanhamento da atividade, em particular a tecnologia.  O estudo tem por base o referencial neoschumpeteriano e apóia-se em dados da ANP, MME, MCCE/TSE, OPEC, IAE, IFP, UNDP. O trabalho conclui que, a partir dos resultados da caracterização mundial, nacional e local, há uma certa similitude dos três ambientes no que se refere ao comportamento destas variáveis com pequenas modificações suscitadas pelo grau de desenvolvimento e complexidade da atividade.

2008
Dissertações
1
  • ROSANGELA DOS SANTOS ALVES PEQUENO
  • “O PROGRAMA BOLSA-FAMÍLIA: POSSIBILIDADES E LIMITES COMO POLÍTICA PÚBLICA DE COMBATE À POBREZA DO NORDESTE BRASILEIRO”
  • Orientador : JOAO MATOS FILHO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • JOAO MATOS FILHO
  • MARCIO POCHMANN
  • ODAIR LOPES GARCIA
  • Data: 16/12/2008

  • Mostrar Resumo
  • Neste começo do século XXI, a realidade social brasileira, frente ao legado de assimetrias históricas e estruturais, finalmente, vem mostrando sinais de melhoria na condição de vida das famílias desprovidas dos meios necessários para atingir níveis adequados de bem-estar social. Neste cenário, as políticas públicas estimuladoras do desenvolvimento social do país realizam um papel estratégico. O Programa Bolsa-Família (PBF), como expressão atual dos programas de transferência direta de renda, ganha destaque se colocando no contexto público contemporâneo como possível instrumento que vem contribuindo para reduzir a pobreza e a desigualdade de renda do país. Desta forma, esta dissertação se propõe a investigar em que medida o PBF responde às questões sociais dos estados do Maranhão, Rio Grande do Norte e Sergipe, considerando o período de 2004 a 2007, a fim de conhecer suas possibilidades e limites, como política pública de enfrentamento à pobreza nordestina brasileira. A sistemática metodológica adotada foi estruturada com base na pesquisa de avaliação combinada com uma revisão bibliográfica que abrange distintas interpretações para a trajetória histórica da política social brasileira e com o estudo de caso múltiplo. Os resultados obtidos através da análise de indicadores específicos como o Índice de Desenvolvimento Social evidenciam um maior grau de evolução social do Maranhão comparativamente à Sergipe e Rio Grande do Norte. Nesses dois estados as mudanças sociais não foram suficientes para saírem da classificação de médio-baixo desenvolvimento social. Enquanto no Maranhão as mudanças sociais foram suficientes para que o estado deixasse de ser classificado como de baixo desenvolvimento social (0,468) e passasse a médio-baixo desenvolvimento social (0,613). Assim, constata-se que a ampliação e a integração dos programas de transferências direta de renda, em particular do PBF, têm gerado efeitos positivos, contribuindo para a redução da extrema pobreza e, em menor proporção, para a redução da pobreza, mas ainda é insuficiente para mudar os índices sociais, principalmente, os de caráter estrutural. É notório que o aumento dos recursos financeiros para as políticas públicas contribuiu para reduzir os elevados índices de pobreza e indigência, melhorando o perfil das desigualdades sociais do Nordeste. E, embora se reconheça o mérito e o efeito positivo do PBF, para o enfrentamento da pobreza é primordial que o mesmo esteja integrado a outros programas que proporcionem uma ativa e permanente política de geração de emprego e renda e de um ambiente macroeconômico favorável às políticas sociais. Para isso, é preciso a criação de mecanismos capazes de viabilizar um projeto de crescimento econômico e social auto-sustentado. E assim, chegar mais perto das soluções para a pobreza, pois o futuro do país depende do modelo de desenvolvimento adotado no presente. Palavras-chave: Pobreza. Região Nordeste. Transferência de Renda. Programa Bolsa-Família.

  • Mostrar Abstract
  • Neste começo do século XXI, a realidade social brasileira, frente ao legado de assimetrias históricas e estruturais, finalmente, vem mostrando sinais de melhoria na condição de vida das famílias desprovidas dos meios necessários para atingir níveis adequados de bem-estar social. Neste cenário, as políticas públicas estimuladoras do desenvolvimento social do país realizam um papel estratégico. O Programa Bolsa-Família (PBF), como expressão atual dos programas de transferência direta de renda, ganha destaque se colocando no contexto público contemporâneo como possível instrumento que vem contribuindo para reduzir a pobreza e a desigualdade de renda do país. Desta forma, esta dissertação se propõe a investigar em que medida o PBF responde às questões sociais dos estados do Maranhão, Rio Grande do Norte e Sergipe, considerando o período de 2004 a 2007, a fim de conhecer suas possibilidades e limites, como política pública de enfrentamento à pobreza nordestina brasileira. A sistemática metodológica adotada foi estruturada com base na pesquisa de avaliação combinada com uma revisão bibliográfica que abrange distintas interpretações para a trajetória histórica da política social brasileira e com o estudo de caso múltiplo. Os resultados obtidos através da análise de indicadores específicos como o Índice de Desenvolvimento Social evidenciam um maior grau de evolução social do Maranhão comparativamente à Sergipe e Rio Grande do Norte. Nesses dois estados as mudanças sociais não foram suficientes para saírem da classificação de médio-baixo desenvolvimento social. Enquanto no Maranhão as mudanças sociais foram suficientes para que o estado deixasse de ser classificado como de baixo desenvolvimento social (0,468) e passasse a médio-baixo desenvolvimento social (0,613). Assim, constata-se que a ampliação e a integração dos programas de transferências direta de renda, em particular do PBF, têm gerado efeitos positivos, contribuindo para a redução da extrema pobreza e, em menor proporção, para a redução da pobreza, mas ainda é insuficiente para mudar os índices sociais, principalmente, os de caráter estrutural. É notório que o aumento dos recursos financeiros para as políticas públicas contribuiu para reduzir os elevados índices de pobreza e indigência, melhorando o perfil das desigualdades sociais do Nordeste. E, embora se reconheça o mérito e o efeito positivo do PBF, para o enfrentamento da pobreza é primordial que o mesmo esteja integrado a outros programas que proporcionem uma ativa e permanente política de geração de emprego e renda e de um ambiente macroeconômico favorável às políticas sociais. Para isso, é preciso a criação de mecanismos capazes de viabilizar um projeto de crescimento econômico e social auto-sustentado. E assim, chegar mais perto das soluções para a pobreza, pois o futuro do país depende do modelo de desenvolvimento adotado no presente. Palavras-chave: Pobreza. Região Nordeste. Transferência de Renda. Programa Bolsa-Família.
2007
Dissertações
1
  • GEORGE INDARSANE LALL JUNIOR
  • “ROYALTIES: o impacto da participação sobre a produção advinda da exploração de petróleo e gás natural percebida pelos proprietários de terra do município de Governador Dix-sept Rosado sobre a proprie
  • MEMBROS DA BANCA :
  • AÉCIO CÂNDIDO DE SOUSA
  • ODAIR LOPES GARCIA
  • MARIA DO LIVRAMENTO MIRANDA CLEMENTINO
  • Data: 04/04/2007

  • Mostrar Resumo
  • TÍTULO:“O impacto do pagamento da participação sobre a produção de petróleo e gás natural sobre a renda familiar e a propriedade no município de Governador Dix-Sept Rosado no período de 1998 a 2004”. RESUMO: Este estudo científico visa identificar o impacto da instituição do pagamento da participação sobre a produção do petróleo e gás natural no município de Governador Dix-sexpt Rosado, Rio Grande do Norte no período de 1998 a 2004 sobre a renda familiar e a propriedade. Para isso, a análise centra-se na exposição teórica ricardiana que deriva o conceito de renda mineral, consubstanciando o estabelecimento legal dos royalties. Mostra a evolução da exploração petrolífera no mundo inserindo o Brasil nesse cenário como produtor de petróleo e gás natural. Identifica a região produtora de petróleo e gás natural como Área do Petróleo Potiguar, caracterizando aspectos demográficos, físicos, econômicos e sociais para comparar com o foco da pesquisa, o município de Governador Dix-sexpt Rosado. O pagamento da participação sobre a produção de petróleo e gás natural e demonstrada quantitativamente no Brasil e no Rio Grande do Norte. Os pagamentos auferidos a proprietários de terra localizados nesta unidade federativa são mostrados no período de análise deste trabalho. O estudo aponta, com base em pesquisa de campo, o impacto de pagamento de benefícios a proprietários de terra sobre a renda e a propriedade. A renda familiar foi extremamente impactada, causando mudança de classe econômica nos proprietários. A propriedade sofreu pouco ou quase nenhum impacto. Externalidades negativas como a utilização da renda em consumo em outro município não gerando efeito multiplicador em Governador Dix-sexpt Rosado. O fato das propriedades não serem utilizadas para investimentos produtivos que venham a suprir o caráter finito do petróleo e dessa modalidade de royalties, contradiz uma das premissas do seu estabelecimento que é o pagamento pela exaustão produtiva de um recurso da terra.

  • Mostrar Abstract
  • TÍTULO:“O impacto do pagamento da participação sobre a produção de petróleo e gás natural sobre a renda familiar e a propriedade no município de Governador Dix-Sept Rosado no período de 1998 a 2004”. RESUMO: Este estudo científico visa identificar o impacto da instituição do pagamento da participação sobre a produção do petróleo e gás natural no município de Governador Dix-sexpt Rosado, Rio Grande do Norte no período de 1998 a 2004 sobre a renda familiar e a propriedade. Para isso, a análise centra-se na exposição teórica ricardiana que deriva o conceito de renda mineral, consubstanciando o estabelecimento legal dos royalties. Mostra a evolução da exploração petrolífera no mundo inserindo o Brasil nesse cenário como produtor de petróleo e gás natural. Identifica a região produtora de petróleo e gás natural como Área do Petróleo Potiguar, caracterizando aspectos demográficos, físicos, econômicos e sociais para comparar com o foco da pesquisa, o município de Governador Dix-sexpt Rosado. O pagamento da participação sobre a produção de petróleo e gás natural e demonstrada quantitativamente no Brasil e no Rio Grande do Norte. Os pagamentos auferidos a proprietários de terra localizados nesta unidade federativa são mostrados no período de análise deste trabalho. O estudo aponta, com base em pesquisa de campo, o impacto de pagamento de benefícios a proprietários de terra sobre a renda e a propriedade. A renda familiar foi extremamente impactada, causando mudança de classe econômica nos proprietários. A propriedade sofreu pouco ou quase nenhum impacto. Externalidades negativas como a utilização da renda em consumo em outro município não gerando efeito multiplicador em Governador Dix-sexpt Rosado. O fato das propriedades não serem utilizadas para investimentos produtivos que venham a suprir o caráter finito do petróleo e dessa modalidade de royalties, contradiz uma das premissas do seu estabelecimento que é o pagamento pela exaustão produtiva de um recurso da terra.
2
  • MARIA JANAINA ALVES DA SILVA
  • “CAMINHOS E DESCAMINHOS DOS MUNICÍPIOS PRODUTORES DE PETRÓLEO: O PAPEL DOS ROYALTIES NO DESEMPENHO DAS FINANÇAS PÚBLICAS MUNICIPAIS NO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE”
  • Orientador : JOAO MATOS FILHO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • JOAO MATOS FILHO
  • AÉCIO CÂNDIDO DE SOUSA
  • LINCOLN MORAES DE SOUZA
  • Data: 18/12/2007

  • Mostrar Resumo
  • Analisa a magnitude, a natureza e a direção das receitas e dos gastos públicos nos municípios produtores de petróleo e gás natural no estado do Rio Grande do Norte no período pós-constituinte, e, mais precisamente, a partir da aprovação da Lei 9.478/97, denominada “ Lei do Petróleo”. Discute a teoria normativa do federalismo fiscal, a tipologia e o papel das transferências intergovernamentais no desempenho das finanças públicas dos governos locais. Mostra que a economia do Rio Grande do Norte passou por profundas mudanças sócio-econômicas nas últimas décadas, entre as quais se incluem a descoberta do petróleo e do gás natural e a sua importância para o crescimento dos setores industrial e de serviços. Destaca que o aumento da produção e do preço internacional do petroléo contribuiu para o crescimento nas receitas dos royalties e das participações especiais nos municípios beneficiários, o que não significou um aumento automático nos recursos destinados ao investimento e na qualidade na provisão dos bens e serviços voltados para o desenvolvimento local . Ao contrário, a principal conclusão do trabalho é que a trajetória dos municípios produtores de petróleo é marcada por caminhos e descaminhos no desempenho das finanças públicas e na provisão de bens e serviços públicos. Caminhos, que levam à melhoria do desempenho das finanças públicas e da qualidade dos bens e serviços públicos. Descaminhos, que levam à ineficiência na provisão de bens e serviços e na captura dos recursos públicos. Ou seja, a descentralização fiscal é uma condição necessária, porém não suficiente para melhorar a quantidade e a qualidade dos bens e serviços públicos prestados por esses municípios. Por isto é preciso avançar nas teorias normativas do federalismo fiscal, em busca do melhor modelo de federalismo em municípios onde ainda predominam o patrimonialismo, o clientelismo, a ilusão fiscal e a captura dos recursos públicos em benefício dos interesses privados.

  • Mostrar Abstract
  • Analisa a magnitude, a natureza e a direção das receitas e dos gastos públicos nos municípios produtores de petróleo e gás natural no estado do Rio Grande do Norte no período pós-constituinte, e, mais precisamente, a partir da aprovação da Lei 9.478/97, denominada “ Lei do Petróleo”. Discute a teoria normativa do federalismo fiscal, a tipologia e o papel das transferências intergovernamentais no desempenho das finanças públicas dos governos locais. Mostra que a economia do Rio Grande do Norte passou por profundas mudanças sócio-econômicas nas últimas décadas, entre as quais se incluem a descoberta do petróleo e do gás natural e a sua importância para o crescimento dos setores industrial e de serviços. Destaca que o aumento da produção e do preço internacional do petroléo contribuiu para o crescimento nas receitas dos royalties e das participações especiais nos municípios beneficiários, o que não significou um aumento automático nos recursos destinados ao investimento e na qualidade na provisão dos bens e serviços voltados para o desenvolvimento local . Ao contrário, a principal conclusão do trabalho é que a trajetória dos municípios produtores de petróleo é marcada por caminhos e descaminhos no desempenho das finanças públicas e na provisão de bens e serviços públicos. Caminhos, que levam à melhoria do desempenho das finanças públicas e da qualidade dos bens e serviços públicos. Descaminhos, que levam à ineficiência na provisão de bens e serviços e na captura dos recursos públicos. Ou seja, a descentralização fiscal é uma condição necessária, porém não suficiente para melhorar a quantidade e a qualidade dos bens e serviços públicos prestados por esses municípios. Por isto é preciso avançar nas teorias normativas do federalismo fiscal, em busca do melhor modelo de federalismo em municípios onde ainda predominam o patrimonialismo, o clientelismo, a ilusão fiscal e a captura dos recursos públicos em benefício dos interesses privados.
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa14-producao.info.ufrn.br.sigaa14-producao