Banca de DEFESA: JOANA PRISCILA BARBOSA DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JOANA PRISCILA BARBOSA DA SILVA
DATA : 29/06/2022
HORA: 14:00
LOCAL: setorV, sala B6
TÍTULO:

PANDEMIA E AUXÍLIO EMERGENCIAL EM 2020: OS EFEITOS NAS DISPARIDADES INTRARREGIONAIS DE RENDA NO NORDESTE A PARTIR DA DECOMPOSIÇÃO DO ÍNDICE DE GINI


PALAVRAS-CHAVES:

Nordeste; Desigualdade de Renda; Auxílio Emergencial; Pandemia; Coronavírus.


PÁGINAS: 96
RESUMO:

A questão das disparidades de renda presentes no Nordeste não é algo novo, o Nordeste é uma região heterogênea, formada por nove estados: Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe (Carvalho, 2001). Essa heterogeneidade tem origem nos processos de ocupação humana e econômica, sendo possível destacar, segundo Araújo (1997), vários subconjuntos socioeconômicos divergentes dentro da região. Em 2020, surgiu uma pandemia, conhecida como pandemia do Novo Coronavírus, que abalou o mundo e o país e teve reflexos também no Nordeste, levando a necessidade do um conjunto de medidas, entre elas as de isolamento social para impedir a proliferação do vírus, o que resultou em uma crise econômica e social. Conforme Trovão e Araújo (2020), a crise do coronavírus abalou todos os segmentos do mercado de trabalho, tanto o trabalho formal, quanto o trabalho informal. A presente dissertação tem como objetivo analisar o impacto em 2020 da pandemia e a importância do auxílio emergencial para a desigualdade de renda domiciliar per capita (RDPC), mensurada pelo Índice de Gini, para todos os estados da região Nordeste. Para realizar esse estudo é calculado o Índice de Gini, bem como a decomposição deste índice a partir de suas diversas fontes de renda, baseada na metodologia apresentada por Hoffman (2009). Para alcançar tal objetivo, utilizou-se como fonte de dados, os microdados mensais da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – PNAD COVID19, para os meses de maio de 2020 a novembro de 2020, e os microdados anuais da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua – PNADC, para os anos de 2019 e 2020, do IBGE.  Busca-se compreender qual foi a tendência verificada para as disparidades de renda no Nordeste e de modo individual nos nove estados que o compõe, com a presença da pandemia do coronavírus. Pretende-se também observar o papel do Auxílio Emergencial implementado em 2020 na mitigação dessas disparidades. Percebe-se a existência de mais de um programa para a manutenção da renda no período pandêmico de 2020, porém a escolha realizada para o presente trabalho foi a de focar na análise do Auxílio Emergencial, implementado por medidas provisórias e que contemplou os trabalhadores informais, microempreendedores individuais (MEI) e beneficiários de programas de transferência de renda como o Bolsa Família (PBF).  A partir dos resultados obtidos com os microdados da PNAD COVID19, com a presença do auxílio emergencial em 2020, nota-se uma primeira tendência de redução das desigualdades de renda em todos os estados do Nordeste e, em outro momento, uma reversão desse movimento. A primeira tendência está relacionada à implementação do programa e ao pagamento das cinco primeiras parcelas nos valores de R$ 1.200/ R$ 600; já a segunda ocorre, de maneira generalizada, após a redução desses valores para R$ 600/ R$ 300, a partir do mês de setembro. Já com resultados obtidos pela PNADC, observa-se o Nordeste e os estados em dois momentos distintos: o primeiro no ano pré-pandêmico de 2019, e posteriormente no ano pandêmico de 2020. Esses dados revelam uma queda do Índice de Gini em toda a região Nordeste entre 2019 e 2020, ressaltando também a importância do Auxílio Emergencial nesse processo. Além disso, demonstram o crescimento da progressividade para o Gini das rendas associadas à Proteção Social, no Nordeste e na maior parte dos estados no ano de 2020.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2330704 - CASSIANO JOSE BEZERRA MARQUES TROVAO
Externo à Instituição - FABRICIO PITOMBO LEITE - UFBA
Presidente - 3060386 - JULIANA BACELAR DE ARAUJO
Externa à Instituição - SILVANA NUNES DE QUEIROZ - URCA
Notícia cadastrada em: 16/06/2022 16:22
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa16-producao.info.ufrn.br.sigaa16-producao