Banca de DEFESA: SERGIO JIMENEZ CABALLERO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : SERGIO JIMENEZ CABALLERO
DATA : 31/07/2018
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório 1, NEPSA II
TÍTULO:

ANÁLISE SOBRE POLÍTICA FISCAL: UM ESTUDO ENTRE BRASIL E ESPANHA PARA O PERÍODO 2000-2016 


PALAVRAS-CHAVES:

Brasil, Espanha, Política Fiscal, consolidação fiscal, resultado estrutural primário


PÁGINAS: 186
RESUMO:

O presente trabalho teve como objetivo principal analisar qual foi a política discricionária realizada pelos governos da Espanha e do Brasil durante o período compreendido entre os anos de 2000 e 2016, a partir de uma abordagem heterodoxa.Durante os primeiros anos do Século XXI tanto o Brasil quanto a Espanha passaram por processos de forte crescimento econômico. Após a bolha financeira de 2008 estourada nos Estados Unidos e disseminada para o resto do mundo, os dois países sofreram, em momentos diferentes, um profundo processo recessivo. Diante dessa situação, numerosas abordagens teóricas sobre como lidar com uma situação de crise econômica são trazidas para o debate no campo da economia. A importância da política fiscal tem sido tratada de forma diferente conforme as teorias econômicas foram se desenvolvendo. De um lado a ortodoxia, dando prioridade ao ajuste das contas públicas com o objetivo de restaurar a confiança dos investidores internacionais e de outro a heterodoxia, que vê na austeridade um entrave para o crescimento. Os processos de consolidação fiscal tem sido recorrentes nos dois países como forma de combater a recessão econômica. Considerando que a política fiscal expansiva é eficiente para combater processos de queda do produto, nosso estudo busca avaliar quais políticas foram implementadas durante o período analisado, se expansivas ou contracionistas, e ver qual orientação tiveram, se pró-cíclica ou contra-cíclica.Para isso, realizaremos um exercício de decomposição do orçamento, entre o componente cíclico, o pagamento dos juros da dívida pública e o resultado estrutural primário, para poder avaliar que tipo de política foi implementada.Ao analisar a condução da política fiscal, tanto no Brasil quanto na Espanha, vemos como esta teve viés convencional, tornando-se pró-cíclica em momentos críticos. Em economias ainda em crise aguda, governos reverteram políticas mais expansionistas, revelando-se mais preocupados com o desempenho dos indicadores fiscais do que com o desempenho macroeconômico mais geral.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2374343 - ANDRE LUIS CABRAL DE LOURENCO
Interno - 1752338 - FABRICIO PITOMBO LEITE
Externo à Instituição - FRANCISCO LOPREATO
Notícia cadastrada em: 16/07/2018 11:30
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa18-producao.info.ufrn.br.sigaa18-producao