Banca de DEFESA: ALISSON SILVA DE CASTRO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ALISSON SILVA DE CASTRO
DATA : 03/03/2017
HORA: 16:00
LOCAL: Auditório 2 do NEPSA II
TÍTULO:

Crescimento Econômico e Emissões de CO2 nos países do BRICS: uma análise de cointegração em painel


PALAVRAS-CHAVES:

Emissões de CO2. Curva de Kuznets Ambiental. BRICS. Cointegração em painel.


PÁGINAS: 76
RESUMO:

Nos últimos anos, a elevação contínua no volume de emissões de dióxido de carbono (CO2) e sua devida concentração na atmosfera colocou o tema da mudança climática no centro do debate político-econômico mundial. Atualmente, os maiores emissores de CO2 do mundo são os países emergentes, que compõem o denominado BRICS, os quais vêm apresentando um crescimento econômico expressivo e respondendo por mais de 40% das emissões totais deste poluente no planeta. Em termos analíticos, o estudo da relação entre crescimento econômico e emissões de poluentes têm sido feito com base na abordagem da Curva de Kuznets Ambiental (CKA), a qual implica a existência de uma relação no formato de um “U” invertido entre poluição e renda. Desta forma, à medida que a renda alcança um determinado patamar as emissões de poluentes começam a declinar, fazendo com que haja uma melhora na qualidade ambiental. Neste sentido, o objetivo geral desta pesquisa foi o de verificar se existe uma CKA para o grupo de países do BRICS utilizando a metodologia econométrica de cointegração em dados em painel. Além da variável PIB per capita, foram adicionadas mais três variáveis ao modelo: consumo per capita de energia, fluxo de comércio e uma dummy para captar os efeitos do Protocolo de Quioto sobre o nível de emissões destes países. Os resultados do modelo econométrico indicaram a existência de uma relação no formato de um “U” invertido entre renda per capita e emissões de CO2, com pontos de inflexões de US$ 2.033,89 e US$ 2.057,61 respectivamente, nos estimadores FMOLS e DOLS. O consumo per capita de energia apresentou uma relação positiva com as emissões de CO2, enquanto a relação da variável de comércio internacional foi negativa. Além disso, o coeficiente da variável dummy, que mensura os efeitos do Protocolo de Quioto, não teve significância estatística. Assim, julga-se necessário a implementação de políticas ambientais nos países do BRICS que estimulem o crescimento econômico com aumento da participação de fontes renováveis, melhoria na eficiência energética e transações comerciais que envolvam a transferência de tecnologia menos poluente para estes países. Ademais, acredita-se que um Acordo internacional de redução das emissões de CO2 que recaia também sobre os países em desenvolvimento é de extrema relevância para diminuir o nível de emissões e manter a temperatura do planeta em patamar estável.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1474874 - JANAINA DA SILVA ALVES
Interno - 1957532 - JOAO PAULO MARTINS GUEDES
Externo à Instituição - DANIEL CAIXETA ANDRADE - UFU
Externo à Instituição - JOEDSON JALES DE FARIAS - UERN
Notícia cadastrada em: 24/02/2017 10:33
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa07-producao.info.ufrn.br.sigaa07-producao