Banca de DEFESA: WILSON COSTA SOARES - (Retificação)

Uma banca de DEFESA foi cadastrada pelo programa.

DISCENTE: WILSON COSTA SOARES

DATA: 16/08/2010

HORA: 09:00

LOCAL: Setor III, Sala H5

TÍTULO:

ANÁLISE DAS PROVAS OBJETIVAS DE QUÍMICA DO VESTIBULAR DA UFRN (DE 1997 A 2010): UMA CARACTERIZAÇÃO A PARTIR DAS MUDANÇAS


PALAVRAS-CHAVES:

Vestibular, Questões Objetivas, Prova de Química, Avaliação.


PÁGINAS: 95

GRANDE ÁREA: Outra

ÁREA: Ciências

RESUMO:

Nos últimos anos, no Brasil, as provas de vestibulares tem sido foco de diversas pesquisas, tendo em vista que esse processo seletivo tem sido requisito para ingressar nas universidades públicas e acaba influenciando o que deve ser ensinado no Ensino Médio. O objetivo deste estudo consiste em caracterizar o avanço qualitativo das provas objetivas a partir das mudanças ocorridas no vestibular da UFRN no período compreendido entre 1997 a 2010. Tendo como questões de estudo para alcançar o objetivo proposto: Quais são os tipos de perguntas que caracterizam as provas objetivas de química no vestibular da UFRN? Quais temas conceituais são privilegiados nas provas objetivas de química do vestibular da UFRN? Quais as perguntas de química apresentam as maiores dificuldades para os candidatos? Quais perguntas de química os candidatos apresentam maiores índices de sucesso? Quais as diferenças existentes nas perguntas a partir dos períodos que configuram as mudanças nos vestibulares da UFRN? Dão suporte as discussões teóricas do estudo as seguintes referências: PCNEM (BRASIL, 1999), PCN+ (BRASIL, 2001), OCEM (BRASIL, 2006), Zabala (1999), Jimenez Aleixandre et al (2003), Pozo (1999), Alvarez de Zayas (1992), Núñez (2009), relatórios COMPERVE/UFRN(1997 a 2010) e sobre avaliações: Pasquali et al (2003), Silva e Núñez (2008), Marín e Benarrouch (2009). Para o estudo foram construídas as seguintes categorias que serviram para a análise das questões: contextualização da pergunta, temas conceituais, problema, representação semiótica, operações matemáticas, pertinência da questão e o índice de acerto.  Os resultados mostram um avanço qualitativo das perguntas de química, na qual se observar um modelo de prova que prioriza o problema verdadeiro a contextualização e de pouco cálculo, valorizando o raciocínio, a compreensão, a aplicação e a interpretação do conhecimento conceitual, o qual pode estimular um ensino mais adequado às exigências atuais da educação em química.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1530500 - ANA CRISTINA FACUNDO DE BRITO
Presidente - 2298026 - ISAURO BELTRAN NUNEZ
Externo à Instituição - VALENTÍN MARTÍNEZ-OTERO PÉREZ - UCMADRID

Notícia cadastrada em: 10/08/2010 10:44
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa08-producao.info.ufrn.br.sigaa08-producao