Banca de QUALIFICAÇÃO: PALOMA DE PAULA GOMES

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : PALOMA DE PAULA GOMES
DATA : 29/03/2019
HORA: 15:00
LOCAL: LABEN BIO
TÍTULO:

ENSINO DE CIÊNCIAS EM ESPAÇOS NÃO FORMAIS DE ENSINO: UMA PROPOSTA INCLUSIVA PARA O MUSEU DE CIÊNCIAS MORFOLÓGICAS DA UFRN


PALAVRAS-CHAVES:

Ensino de Ciências; Inclusão; Espaço Não-Formal de Ensino; Mídia Didital.


PÁGINAS: 80
RESUMO:

Como as águas de um rio onde não se banha uma segunda vez, como as páginas de um livro jamais relidas pelos mesmos olhos, como os olhares que se lançam e se ressignificam a cada flert. Sigo na busca por uma educação harmônica, sustentável, enculturada e plural, que respeite a diversidade. Faço uso do Museu de Ciências Biológicas (MCM) da UFRN como Espaços Não-Formais de Ensino para tornar acessíveis conteúdos de Ciências, através do conceito do Desenho Universal, com enfoque nos anos finais do Ensino Fundamental. Questionei-me que tipo de estratégias de ensino e/ou materiais poderiam ser criados e inseridos nesse espaço que viessem a acessibilizar experiências, informações, sensações, conhecimentos, aos visitantes do museu. Nessa perspectiva, trago como objetivo geral da minha pesquisa a proposta de ampliar as atividades de inclusão no Museu de Ciências Morfológicas da UFRN para o ensino de zoologia e ecologia através da produção de um conteúdo midiático digital em formatos acessíveis para pessoas com deficiência. Assim, a partir dos dados obtidos no diagnóstico do MCM, optei por atuar na sala do Museu do Mar trabalhando conteúdos dos anos finais do Ensino Fundamental. Escolhi como animal-símbolo a tartaruga-de-pente (Eretmochelys imbricata), uma espécie marinha representativa não apenas para o MCM como para o estado do RN e para o Brasil, uma vez que se configura como Ameaçada de Extinção. Com foco na elaboração de um produto educacional constituído por um Kit Inclusivo “As Desventuras de Tetê – uma tartaruga-de-pente (Eretmochelys imbricata)”, composto por: um livro impresso e em formato digital, que conta com aspectos da audiodescrição; objetos de exploração tátil para enriquecimento da narrativa através de texturas, sons e formatos; o manual de suporte ao professor e/ou monitor do museu; e a estória em vídeo fazendo uso de uma narração entonada e pausada e da legendagem. Para construção do vídeo usei da técnica Draw my life em que a partir da estória narrada as imagens de aquarela se sobrepõem em uma edição acelerada, realizada no programa Sony Vegas Pro 15. O primeiro capítulo constituiu o vídeo-piloto que passou pela avaliação informal de cinco pessoas: uma aluna do EF, dois deficientes visuais, uma audiodescritora e uma especialista em legendagem para surdos e ensurdecidos. Como contribuições trouxeram sugestões para a melhoria na estética da legenda, a simplificação do vocabulário, a diminuição na velocidade do áudio, uma maior interatividade com o espectador e a inserção de notas introdutórias no início do vídeo. As etapas seguintes serão a de correção do produto; criação do manual para uso por parte de monitores em museus e/ou professores em sala de aula, validação do kit por parte dos mesmos sujeitos citados anteriormente através de uma entrevista semiestruturada e, por fim a realização de uma palestra para os monitores, professores e funcionários do MCM apresentando o “Kit Inclusivo”.


MEMBROS DA BANCA:
Externa ao Programa - 4507066 - CHRISTINA DA SILVA CAMILLO
Presidente - 2420099 - IVANISE CORTEZ DE SOUSA GUIMARAES
Interno - 2195626 - MILTON THIAGO SCHIVANI ALVES
Notícia cadastrada em: 07/03/2019 14:10
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa27-producao.info.ufrn.br.sigaa27-producao