Banca de DEFESA: ROBERTA BEZERRA DE LIMA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ROBERTA BEZERRA DE LIMA
DATA : 26/06/2018
HORA: 14:00
LOCAL: Sala 3H5
TÍTULO:

UMA SEQUÊNCIA DE ENSINO ABORDANDO O PROCESSAMENTO DE ALIMENTOS COM USO DA APRENDIZAGEM COLABORATIVA PARA O ENSINO DE QUÍMICA ORGÂNICA


PALAVRAS-CHAVES:

ensino de química, Aprendizagem Cooperativa, Competências sociais, Alimentos.


PÁGINAS: 84
RESUMO:

Na educação básica há uma deficiência no uso de metodologias eficientes para a realização de atividades em grupo nas salas de aula. São atividades que basicamente restringem-se a pesquisas ou resolução de algorítmicos que pouco fazem relação com a realidade dos alunos. Nesse contexto a atividade final acaba se configurando em um trabalho muitas vezes individual ou de apenas poucos integrantes do grupo, enquanto outros permanecem alheios ao que acontece. O que não atinge os objetivos traçados para essas atividades que seria o desenvolvimento de competências sociais e muito menos no que tange a compreensão dos conteúdos disciplinares. Dessa forma, o objetivo desse trabalho é elaborar, aplicar e avaliar uma Sequência de Atividades para o ensino de química orgânica usando os alimentos altamente processados como tema para a reflexão social e cooperativa diante do seu consumo excessivo. Assim, todas as atividades são realizadas em grupos seguindo as orientações metodológicas da Aprendizagem Cooperativa (AC) e com apoio do referencial teórico da teoria sócio-histórica de Vygotsky. A partir da qual, extrai-se a teoria da Zona de Dezenvolvimento proximal para compreender as interações entre os pares e a teoria da Interdependência positiva que surge a partir da metodologia da AC. Para tanto, utiliza-se uma abordagem metodológica do tipo qualitativa apresentando elementos do tipo de pesquisa-ação. As ferramentas utilizadas para coleta de dados são questionários constituídos por questões abertas, um questionário do tipo Escala de Likert e uma atividade didática. Os dados foram analisados por meio do processo de categorização a partir das respostas dos alunos. Os resultados obtidos demonstram que os alunos do ensino médio não possuem maturidade para compreender a inclusão de atividades diferenciadas no cotidiano escolar. Ou até mesmo não estão habituados a presenciar atividades que trazem algum tipo de mudança para a rotina na sala de aula. Apesar disso, foi verificada a potencialidade da AC para o desenvolvimento de competências sociais e a promoção de discussões em torno de conteúdos disciplinares.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1718598 - FERNANDA MARUR MAZZE
Externo ao Programa - 1569330 - GRAZIELLE TAVARES MALCHER
Externo à Instituição - ROZICLEIDE BEZERRA DE CARVALHO - IFESP
Notícia cadastrada em: 15/06/2018 16:27
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa12-producao.info.ufrn.br.sigaa12-producao